Mini dutch babies, ou mini panquecas desinfladas

Mini Dutch babies, porque não basta ser uma panqueca inflada que vira um copo, ela tem que ser mini pra ficar mais fofinha!
mini dutch babies

Dutch babies, ou german pancakes, são um tipo de panqueca que parece mega simples por conta dos ingredientes. Embora você possa enriquecer a massa, não precisa de nada de especial pra fazer a versão base: ovo, farinha, açúcar, leite, esse tipo de coisa. Só que com um método de preparo meio diferente o resultado acaba ficando muuito longe das panquecas que temos costumes.
mini dutch babies

A grande coisa é que essa receita é de forno, e não de frigideira. E esse detalhe faz com que as panquecas inflem bastante, tipo um suflê. E como um suflê elas murcham… É até meio triste de ver: elas saem enormes do forno e vão colapsando no tempo de levar pra mesa. Mas aí é que mora o truque!
mini dutch babies

No que elas murcham acabam se tornando copinhos! Tanto que o nome em inglês foi pancake cups, ou copos de panqueca. E aí, é só rechear esses copinhos com o que você quiser! Eu usei coalhada caseira, minha calda de caramelo de laranja e algumas amoras silvestres(do jardim mesmo). Dá pra usar requeijão, creme batido, manteiga, mel, outras frutas, geleia… Aí vai a coisa que eu mais falo por aqui: escolha seus favoritos! 😉

Mini Dutch Babies – original aqui

3 ovos
1 colher sopa de açúcar
1/2 colher chá de essência de baunilha
1/2 xícara de farinha de trigo
1/4 colher chá de sal
1/2 xícara de leite
cerca de 40g de manteiga

Bata os ovos ligeiramente, apensa para misturar. Junte os demais ingredientes, exceto a manteiga, batendo até obter uma massa homogênea. Reserve.
Em uma forma de muffins/cupcakes coloque pedacinho de manteiga. Essa massa é suficiente para 12 panquecas, então divida os 40g em 12 partes.
Leve essa forma ao forno a 200° até que a manteiga derreta. Retire a forma, mas não desligue o forno, e divida a massa entre cada uma das 12 cavidades. Volte ao forno até que a massa doure.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Tootsie rolls, ou balinhas meio caramelos muito loucas

Tootsie rolls, já ouviu falar? Essas balinhas são bem famosas e antigas nos Estados Unidos, e se você tiver muita curiosidade tem um artigo bem completo na Wikipedia (em inglês).
tootsie rolls

Pra propósitos de entender o que elas são basta imaginar um misto de caramelo com balas toffee com chocolate. É puxenta como um caramelo, mas não derrete como um. Tem o sabor de chocolate mas nada da textura. E parece ser mais dura do que é na verdade, como as balas toffee. Estranho e gostoso, ou seja, meu tipo de receita!!

Achei essa versão no Food52, o que me deixe meio confiante meio com pé atrás. As receitas deles costumam ser consistentes, mas volta e meia eu erro alguma coisa. Nesse caso acho que acertei a receita, mas a embalagem teve que ser totalmente alterada! A original deveria ser espalhada e então cortada em tiras, igual a versão industrializada, e só então enrolada em papel vegetal.

Sóóó que não rola no clima daqui. A massa fica muito mole pra cortar e enrolar dessa forma, e o resultado é um rolinho torto e feioso de dar dó. Então enrolei a massa toda e cobri com papel vegetal e deixei gelar. Fica bem mais fácil, do tipo quanto mais gelada mais fácil. Depois de fatiadas as moedas foram enroladas em papel manteiga untado. Se você tiver acesso a papel encerado talvez não precise untar, senão unte. Mesmo.

Eu mantive as minhas, já embrulhadas, em uma tigelinha na geladeira. Descobri que gosto muito mais delas geladas do que em temperatura ambiente. Teste com as suas e veja o que lhe cai melhor.
tootsie rolls

Tootsie Rolls – original aqui

1/2 xícara de mel
1/2 xícara de chocolate em pó
1 colher chá de baunilha
1 colher sopa de manteiga sem sal
1 pitada de sal
cerca de 1 xícara de leite em pó

Derreta a manteiga e misture com todos os ingredientes, exceto o leite em pó. Quando estiver homogêneo comece a acrescentar o leite em pó, aos poucos. Vá amassando essa mistura e acrescentando o leite em pó até que esteja firme mas ainda um pouco pegajosa.
Deixe descansando, em uma vasilha untada, por cerca de 15 minutos. Então transfira para uma folha de papel manteiga untado. Faça um rolo de massa e enrole com o papel como se fosse um bombom. Deixe na geladeira por mais 30min e então fatie. Enrole cada fatia em um quadrado de papel manteiga untado e guarde na geladeira.

Salvar

Salvar

Salvar

Blood and Sand, e desde quando isso é um drink?

Blood and Sand significa Sangue e areia; isso mesmo, esse é o nome do drink. E eu achei links com origem então nem vai dar pra discutir… Mas ó, além de bonito é gostoso mesmo!
blood and sand

Com uma mistura de licor de cereja, suco de laranja, whiskey e vermouth o Blood and Sand parece ser conhecido como um drink com whiskey escocês pra quem não gosta de whiskey escocês, o que eu encaro como um bom jeito de começar a se habituar a essa bebida. Mas não foi assim que ouvi falar no drink pela primeira vez.

Absolut Blood and Sand é a versão com vodka no lugar do whiskey… E foi só depois de experimentar essa opção foi que descobri que vodka não era o ingrediente principal tradicional. Mas tudo bem, porque eu também não segui a receita muito a risca. O caso é que não tinha nenhum licor de cereja por aqui. Mas tinha cereja em calda. Que não tem nada a ver com o licor. Mas valia a tentativa…

Puristas me odeiem, mas eu achei o resultado bem bom! Diminui intensamente a quantidade da calda em comparação com o licor e o resultado foi um drink doce na medida, com uma cor linda e na medida de álcool certa pra mim: forte o bastante pra ser percebido, fraco o bastante pra tomar enquanto preparo o almoço.

Bônus: Algumas variações usam Vermute Rosado no lugar do Vermute doce. Também tem quem use laranjas sanguíneas (blood oranges) no lugar das laranjas comuns. E sim, já quero experimentar todas essas versões citadas.

PS: Pra quem tenha mais curiosidade, o drink é uma homenagem ao filme de Rodolfo Valentino (Sangue e Areia), que conta a história dum menino sem juízo que vira um toureiro famosão. Spoilers: o touro leva a melhor e eu fiquei feliz com isso…

Blood and Sand adaptado – original aqui

1 parte de vodka
1 parte de vermute doce
1 parte de suco de laranja
1/4 parte de calda de cereja

Bata todos os ingredientes em uma coqueteleira com gelo até ficar bem gelado. Transfira para uma taça de drink e enfeite com uma cereja em calda

——————————
Em 2015: Torta de Liquidificador

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Bolo surpresa de coco

Bolo surpresa de coco, parece só um bolo normal com uma coberturinha de açúcar e quando você parte: recheio surpresa!
bolo surpresa de coco

Um bolo desse tipo já apareceu por aqui: o bolo surpresa de maracujá. E não sei porque demorei tanto tempo pra fazer outro. Esse tipo de bolo não é tão festivo e pesado quando um bolo completo com várias camadas de recheio e cobertura completa. Mas também não é só um bolo simples sem nenhuma firula.

Se quiser fazer só o bolo de coco dessa receita, sem recheio nem nada também fica uma delícia! Eu só trocaria o coco ralado simples por um adoçado.

E com toda essa versatilidade o bolo surpresa de coco daqui a pouco vai virar bolo surpresa de diversos sabores! Chocolate com coco, coco com abacaxi, só de abacaxi, morango com creme… Vou ter que me segurar pra não ter um novo a cada mês…. Se tiver algum sugestão de combinação de sabores é só deixar nos comentários! Qual o seu favorito?
bolo surpresa de coco

Bolo Surpresa de Coco

Bolo – original aqui

120g de manteiga
1 1/4 xícara de açúcar refinado
1 1/3 xícara de farinha de trigo
3 colheres sopa de amido de milho
1/2 colher chá de fermento
1/2 colher chá de sal
1/2 colher chá de essência de baunilha
3 ovos
200ml de leite de coco
1 xícara de coco ralado

Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme claro. Junte os ovos e a baunilha e bata até ficar homogêneo. Junte então o amido, o sal e o fermento e bata novamente.
Adicione a farinha, o leite de coco e o coco, misturando bem entre cada adição. Quando a massa estiver homogênea transfira para uma forma redonda com furo no meio, untada. Asse em forno aquecido a 200° até que doure. Espere esfriar antes de desenformar.

Recheio

1 lata de leite condensado
100ml de leite de coco
100g de coco ralado

Junte todos os ingredientes em uma panela e cozinhe em fogo médio até começar a desgrudar da panela. O ponto não precisa ficar tão apertado quanto o de brigadeiro de enrolar. Transfira para um prato, cubra com filme plástico e deixe esfriar antes de usar.

Cobertura

Leite de coco
Açúcar de confeiteiro
Coco ralado

Misture o açúcar com o leite de coco até dissolver bem. Você pode deixar mais líquido ou mais cremoso conforme o seu gosto. Reserve o coco para decoração.

Montagem

Desenforme o bolo e vire de cabeça pra baixo no prato de servir. Corte o topo e reserve. Cave o miolo do bolo, tomando cuidado pra não furar nem as laterais nem o fundo. Recheie com o creme de coco e tampe novamente. Tenha cuidado de preencher completamente o “túnel” cavado mas sem ultrapassar a altura do bolo. Cubra o bolo com a cobertura e açúcar e finalize com o coco ralado. Deixe na geladeira por pelo menos 2h antes de servir.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pizza Sourdough – massas de fermento vivo

Pizza Sourdough de muçarela é só um pizza de queijo, feita com massa caseira. Com fermento natural. Mais fácil do que tá parecendo….
pizza sourdough

Eu descobri, meio que tarde demais, que a massa de pizza sourdough é uma das receitas mais fáceis de fazer com o levain. E por isso mesmo ideal pra quem tá começando a mexer com fermentação natural. Ao contrário do pão, que esperamos que cresça lindamente formando alvéolos incríveis, a massa de pizza não tem que inflar. Na verdade a gente não quer que ela infle de jeito nenhum!

Tudo que precisa é tempo, o fermento vivo é meio lentinho, e vontade de comer pizza. Sério. Dá pra fazer em pedras próprias e dá pra fazer em formas de alumínio como a da foto. Na verdade o primeiro teste da receita foi feito em uma assadeira retangular, também de alumínio, que deve ter a minha idade… E deu tudo certo. O forno precisa atingir o mínimo de 230C, mas isso a maioria dos fornos caseiros consegue sem esforço. E é só isso mesmo. O recheio pode variar, a espessura da massa pode variar… tá tranquilo.

O resultado pode ser uma massa fininha e crocante ou mais gordinha e macia, isso só vai depender da quantidade de massa que você usar. Os ingredientes abaixo são o suficiente para uma pizza de 35cm de massa fina. Então é só aumentar ou diminuir conforme o seu gosto.
pizza sourdough

Pizza Sourdough – original aqui

1/2 xícara de fermento natural
1/2 xícara de água
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher chá de sal

Misture o fermento com a água e meia xícara de farinha e deixe descansar em uma vasilha tampada por 12 horas.
Junte o restante da farinha e amasse até que incorpore totalmente na massa. Deixe descansar mais 30minutos.
Finalmente junte o sal e sove a massa até que fique coesa. Deixe descansando até que dobre de tamanho. Nesse ponto a massa já está pronta para ir ao forno. Se você só quiser fazer sua pizza mais tarde pode deixa-la na geladeira (na vasilha tampada) por umas 2-3h.
Dependendo da forma/pedra usada você pode não precisar untar, na dúvida unte com óleo. Estique a massa com as pontas dos dedos até cobrir o fundo da forma. Deixe descansando mais uns 30min, para garantir que a massa não vai encolher. Recheie como preferir (usei molho de tomate, muçarela e orégano, só) e asse em forno aquecido a 230C.

pizza sourdough

——————————
Em 2015: Chocolate quente básico

Salvar

Salvar

Salvar

Licor de vinho, aproveitando garrafas encalhadas

Licor de vinho, ou como aproveitar aquele vinho que você não gostou muito…
licor de vinho

Acontece com (quase) todo mundo né? Alguém quis agradar e te deu uma garrafa de vinho estranho… Veio na cesta de natal da firma aquela garrafa que você nem chega perto… Ou você comprou mesmo um vinho novo pra experimentar e, eca, detestou. Quem bebe vinho com certeza já ficou com uma garrafa encalhada, quase vinagrando, porque não gostou nem um pouco.

Há soluções já conhecidas pra esse problema? Claro! Você pode usar esse vinho pra marinar uma carne, ou fazer um molho por exemplo. Ou usar em sobremesas variadas também. E ainda existem alguns drinks feitos com vinho que, se não vão salvar um desastre, podem dar vida nova a um vinho nem tão gostoso assim.

Mas também há outra solução: Licor de Vinho! Como a grande parte dos licores que aparecem por aqui, essa é basicamente uma calda simples (agua mais açúcar) acrescentada do sabor que você quer. Que nesse caso vai ser aquele vinho que não te agradou tanto. E é só isso mesmo. Falei que era fácil né?

A única questão aqui é: quanto melhor seu vinho, melhor seu licor de vinho. Pois é, essa receita vai sim salvar aquela garrafa que não agradou tanto. Mas sim, se você usar um vinho que realmente gosta, o resultado vai ficar incrível! O que eu quero dizer é: não espere um vinho ruim pra fazer esse licor, aproveite essa garrafa aí na prateleira!

Licor de Vinho

2 xícaras de açúcar
2 xícaras de água
cerca de 500ml de vinho tinto

Em uma panela junte o açúcar e a água e cozinhe em fogo médio. Para um licor mais doce e denso deixe formar uma calda mais encorpada. Para um licor menos doce e mais líquido deixe apenas o açúcar dissolver.
Retire essa mistura do fogo e meça antes de adicionar o vinho. Essas quantidades devem resultar em pouco menos que 500ml, então junte a mesma quantidade de vinho e misture bem.
Envase ou engarrafe e guarde, indefinidamente, na geladeira.

——————————
Em 2015: Panquecas de Iogurte

Salvar

Salvar

Salvar

Calda de caramelo de laranja, pra colocar em tudo!

Calda de caramelo de laranja é apenas uma versão de caramelo, e mesmo ela pode ser modificada a torto e a direito. E isso é ótimo!
caramelo de laranja

Essa receita veio do Joy the Baker, site que eu meio que confio pra caramba, então achei uma boa ideia testar logo de cara, sem muito estudo. Mas logo de cara também resolvi mudar a receita. A original é um burnt caramel, isso quer dizer caramelo queimado. Calma, não é pra realmente queimar o açúcar, mas é pra chegar bem perto. Isso resulta numa cor linda e um sabor bem rico.

Só que eu fiquei com medo desse sabor acabar escondendo o da laranja. Afinal, se você quer um caramelo de laranja então é pro sabor dela aparecer né? Não queimei tanto o açúcar e ficou muito bom. Mas se você é fã de caramelos bem escuros vá fundo, é só deixar mais tempo na panela antes de colocar as gorduras (manteiga e creme).

Eu na verdade queria mais gosto de laranja. Em futuros próximos meu plano é acrescentar raspas e laranja no final, junto da baunilha e passar o caramelo por uma peneira (de metal) na hora do envase. Se der certo eu conto aqui.

Além dessa ligeira modificação também troquei glucose por mel, como sempre faço, e o sabor dele não apareceu nada, então pode ir confiante. Pra quem detesta mel (vcs existem?) é a mesma quantidade de glucose de milho. E usei creme de leite de caixinha; como a ideia é usar como calda não tem problema, mas se quiser usar o fresco fique a vontade.

E por último, uma dica da própria autora da receita: se quiser fazer um caramelo salgado é só dobrar a quantidade de sal.

Calda de Caramelo de Laranja – original aqui

1/2 xícara de suco de laranja
1 1/2 xícara de açúcar cristal
2 colheres sopa de mel
2 colheres sopa de manteiga sem sal
1/2 xícara de creme de leite de caixinha
2 colheres chá de essência de baunilha
1/4 colher chá de sal

Em uma panela grande junte o açúcar, o suco e o mel e misture bem, em fogo alto, até o açúcar dissolver. Baixe o fogo para médio e deixe a calda se formar. Você pode deixar o açúcar dourar mais ou menos conforme seu gosto.
Desligue o fogo e junte a manteiga e o creme de leite. Ligue o fogo baixo e misture até ficar homogêneo novamente. Adicione a baunilha e o sal e misture bem. Transfira para um vidro, mas espere esfriar para tampar. Dura alguns dias no vidro tampado, e semanas se guardado na geladeira.

Salvar

Salvar

Salvar

Farinha de Fubá torrado, anotada ainda na cozinha da vó

Farinha de fubá torrado, pra comer com arroz e feijão, pra fazer farofa, pra comer até com café. Sério. Calma que eu explico.
farinha de fubá torrado

Essa receita foi anotada num papelinho (pra variar) enquanto minha vó tentava me explicar o que, pra ela, era a coisa mais óbvia do mundo: como torrar fubá pra fazer farinha. Afinal, como assim você não sabe torrar farinha menina? Não sabia mas agora, graças a vó, sei. E tô muito feliz porque ô receita pra ser versátil!

A primeira coisa que fiz com a farinha foi misturar açúcar e comer junto de uma xícara de café. Isso mesmo, açúcar. A farinha é ligeiramente salgada, mas coloque uma parte de açúcar para umas 3 de farinha e pronto. A gente come seca mesmo, com uma colher e do lado a xícara com café. Estranho pra mim, mega comum uma geração pra trás, e uma delícia!

Não quer farinha doce? Mantenha ela salgada mesmo, junte um ovo mexido, a couve que sobrou do almoço de ontem e uma banana picada. E assim se improvisa uma farofa deliciosa e que foge do comum da farinha de mandioca. Ou só come a farinha com a comida mesmo. Arroz e feijão e farinha é uma combinação bem comum, mas que fica com sabor especial com essa farinha de fubá.
farinha de fubá torrado

Farinha de Fubá torrado

1 xícara de fubá
1/2 xícara de água filtrada

Misture o fubá com a água e deixe descansar por algumas horas. Eu gosto de fazer isso na noite anterior e preparar a farinha pro almoço.
Esquente uma frigideira e unte com um pouco de óleo. Passe o torrão de fubá (que se formou durante a noite) por uma peneira, direto na frigideira. Mexa de vez em quando, até que o fubá torre. Dá pra ver claramente quando o fubá perde a consistência de cru e fica torrado. Salgue a vontade. Ela pode ser guardada por alguns dias em um pote fechado

Dica extra da vó: funciona muito bem (na verdade fica ótimo) colocar um bacon ou torresmo pra servir de gordura no lugar do óleo.

——————————-
Em 2015: Beermosas

Salvar

Salvar

Mojitos de Laranja, porque sim, nós amamos mojitos!

Mojitos de laranja! Sim, mais um sabor diferente para mojitos… Já deu pra perceber que esse é um dos drinks favoritos da casa?
mojitos de laranja

Esse é um mojito pouco mexido, por assim dizer, quando comparado com outras receitas que já apareceram por aqui, como os especiais de São Patrício. Mojitos de laranja são basicamente mojitos tradicionais feitos com laranja no lugar do limão. Fácil né?

O resultado acaba sendo mais suave na acidez mas ainda assim bem refrescante. A hortelã cuida disso e acaba combinando bem com a laranja. Aliás, fica a dica pra quem não bebe álcool mas por um acaso do destino chegou até aqui: suco de laranja com hortelã deve ficar uma delícia!! Experimentem. Vocês  que bebem drinks alcoólicos, experimentem também!

Mojitos de Laranja

1 dose de suco de laranja
2 doses de rum
cerca de 10 folhas de hortelã
2 colheres chá e açúcar*
gelo

*essa quantidade pode diminuir caso a sua laranja não seja ácida (como a laranja serra d’água por exemplo)

Em uma coqueteleira (ou jarro que tenha tampa) amasse o açúcar e as folhas de hortelã juntos até o açúcar ficar verde e as folhas todas quebradas. Junte o rum e o suco e bata bem com algumas pedras de gelo.
Sirva em 2 copos baixos, com mais pedras de gelo. Se quiser enfeite com folhinhas de hortelã e/ou fatias de laranja.

——————————
Em 2015: Taça floresta negra

Salvar

Salvar

Salvar

bolo de laranja de liquidificador, feito com a laranja inteira!

Bolo de laranja de liquidificador com a laranja inteira e eu prometo que não fica nem um pouco amargo!
bolo de laranja de liquidificador

Essa receita é conhecida como o bolo de laranja da minha mãe, mas por aqui vamos colocar como bolo de laranja de liquidificador pra ficar mais didático. Mas continua sendo a receita que a minha mãe faz desde sempre. E isso rola porque o bolo é ótimo!

Sabe aquele bolo fácil, simplérrimo, bom pra acompanhar o café? É esse! O método é o mesmo do bolo de cenoura: bate no liquidificador e depois mistura com a farinha e o fermento. E aqui eu confesso que só não bati tudo porque eu tenho medinho de bater fermento no liquidificador (já teve desastre por aqui). Nem precisei mudar nada na receita, só medi tudo com xícaras e colheres padrão pra deixar acessível pra todo mundo.
bolo de laranja de liquidificador

Só deixo uma dica: a laranja escolhida vai fazer toda a diferença! A melhor, e que a gente usa sempre pra essa receita, é a Laranja Pera. Mas qualquer laranja da casca fina vai servir. O complicado é querer usar uma laranja Bahia por exemplo; como ela tem a casca mais grossa o risco de o bolo ficar amargo surge. Agora, tem quem ame o gostinho amargo, daí ela é uma ótima ideia!

Bolo de laranja de liquidificador

1 laranja  de casca fina
1 xícara de açúcar
2 ovos
3/4 xícara de óleo
1 colher sopa de fermento em pó
2 xícaras de farinha de trigo

Lave bem a laranja e corte as pontas, sem atingir a parte da polpa. Corte a fruta em 4 partes e retire sementes e o miolo branco. Corte os 4 pedaços em cubos menores caso seu liquidificador não seja dos mais potentes.
Junte no liquidificador a laranja cortada, os ovo, o óleo e o açúcar, e bata até obter uma mistura homogênea.
Em uma tigela misture a farinha e o fermento e junte a mistura do liquidificador. Misture apenas até todos os ingredientes estarem incorporados na massa. Transfira para uma forma untada e leve ao forno, aquecido a 200°, até que doure.

Salvar

Salvar

Salvar