Pão integral de amendoim com fermentação natural

Pão integral de amendoim, por razões de tem amendoim pra caramba nessa casa!
pão integral de amendoim

A verdade é que eu planejei um mega especial junino e fiz um pequeno estoque de amendoim… E aí a vida veio e disse: nãããão. E agora temos bastante amendoim em casa. O que fazer? Isso mesmo, correr no caderninho de “receitas a experimentar” e achar esse maravilhoso pão integral de amendoim lá no GoriaHuk!

A original já parecia ótima? Já. Mudei a receita mesmo assim porque não tenho juízo? Com certeza! Primeiro que usei fermentação natural, e isso acaba alterando um pouco tempos de preparo, quantidade de farinha…esse tipo de coisa. Outra que troquei a manteiga por mais amendoim. É que eu queria bastante gosto de amendoim. E aí veio a terceira mudança: recheio de pasta de amendoim!

Pra quem quer um pão simples e com gosto suave de amendoim é só seguir a receita e não rechear. Pra quem quer um pão simples mas com bastante gosto de amendoim dobre a quantidade de pasta usada na massa. Ou siga a receita como está abaixo para uma massa suave e um recheio gostoso. E eu também aconselharia um pouco mais de sal na massa caso sua pasta/manteiga seja completamente sem sal.

pão integral de amendoim

Pão integral de amendoim – original aqui

1 xícara de leite
1 xícara de farinha integral
45g de fermento levain* – receita aqui
1 ovo
3 colheres sopa de pasta de amendoim*
1 colher sopa de açúcar mascavo
1/2 colher chá de sal
cerca de 2 xícaras de farinha de trigo branca
pasta de amendoim pra rechear**

*Para substituições de fermento tem todas as equivalências nesse link

**Eu usei uma pasta caseira que consiste em basicamente processar amendoim torrado, uma pitada de açúcar e outra de sal (sem medidas exatas mas seguindo meu gosto) até virar uma pasta. Dá pra usar compradas prontas? Claro que sim!

Junte o fermento com o leite e a farinha integral e misture até fica homogêneo. Tampe e deixe descansar por cerca de 12h.
Adicione o açúcar, o ovo e a pasta de amendoim e misture bem. Vá colocando a farinha aos poucos e assim que conseguir comece a sovar a massa. Nesse ponto junte o sal. Talvez você não precise usar toda a farinha, isso vai depender de vários fatores. Sove a massa até atingir o ponto de véu: quanto você estica um pedaço de massa e ele começar a ficar transparente antes de rasgar.

Deixe a massa descansar mais 4-6h, até que ao apertar um dedo ela volte. Divida em 8-10 partes e modele. Se quiser rechear abra um quadrado com cada parte e passe um pouco do recheio e então enrole. Transfira ara uma forma untada e deixe descansar mais 1h. Ligue o forno a 230° e faça os cortes no topo de cada pãozinho. Espere cerca de 10min, para o forno esquentar e o pão começar a abrir no corte, e então leve para assar por cerca de 30min.
pão integral de amendoim

——————————
Em 2015: Vinho quente

Salvar

Salvar

Batida de amendoim – #CozinhaJunina

Batida de amendoim é daquelas receitas bem fáceis de fazer e cujo resultado surpreende!
batida de amendoim

Como a maioria das batidas essa é composta pela mesma fórmula: leite condensado + ingrediente que dá sabor + bebida alcoólica. E é isso mesmo, tem alguns detalhes pra garantir uma batida equilibrada mas continua sendo uma receita bem fácil.

O primeiro detalhe é usar amendoim torrado e moído. Primeiro porque a medida do amendoim moído é diferente da medida do amendoim inteiro. Segundo porque torrado ele fica mais gostoso. O segundo detalhe é: a maioria das receitas usa pinga como bebida alcoólica. Se você adora pinga e tem uma que você acha muito gostosa e que vale a pena usar… Então beleza, vai de pinga. Do contrário, use o conhaque. A batida vai ficar mais suave, e o sabor do conhaque não vai aparecer, deixando o amendoim brilhar sozinho.

E claro, achou que ficou fraquinha? É só acrescentar mais conhaque. E achou que ficou muito rala? Calma que depois de gelada ela engrossa um pouco. Ah, mas gelou e ficou muito espessa…. Adiciona leite bem aos pouquinhos que tá tudo certo!

Batida de Amendoim

1 lata de leite condensado
1 lata de amendoim torrado e moído
cerca de 1 lata de conhaque

É só bater tudo no liquidificador e transferir para uma garrafa com tampa. Mantenha na geladeira por até 2 semanas.

Quer outras bebidas típicas? É só olhar a tag junina!

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Praline de amendoim, do tipo americano

Praline de amendoim, Praliné, Pralinê…. É amendoim coberto com açúcar caramelado formando uma sobremesa doce e crocante!
praline de amendoim

Começando do começo: o que é praline? Aí vem a resposta que a gente menos costuma gostar: varia. Varia de onde você mora e varia de qual acento você usa.

Praline é uma castanha/noz/similar coberta em açúcar cristalizado. O exemplo maior é o beijinho quente, que em boa parte do país chamar amendoim praliné. (sim o certo seria sem o acento)

Pralin é essa castanha açucarada quebrada toda, formando uma farofinha. Ele é usado por cima de doces, igual a gente usa castanha de caju no sorvete.

Praliné é essa castanha com açúcar caramelado triturada até virar uma pasta. Na Bélgica essa pasta serve de recheios pra bombons bem famosos que levam o mesmo nome. E que eu aceito como presente caso alguém aí tenha essa curiosidade.

Todo esse conhecimento não é meu, eu só interpretei o que li aqui

praline de amendoim

E nada disso é a receita de hoje. E calma que eu não tô enganando ninguém. É que em inglês praline é qualquer castanha envolta em açúcar, seja caramelado, cristalizado, inteiro ou quebrado. Tudo vira praline, inclusive doces de açúcar caramelizado formando tijolinhos crocantes, que também são chamados de brittles. Um exemplo disso? Nosso pé de moleque! E brittles foram a inspiração pra Christina, que foi quem me inspirou a fazer esse doce. Sacou a confusão?

Resumão antes de partir pra essa delícia crocante e docinha: Pralines franceses são diferentes etapas de processamento de uma castanha cristalizada no açúcar. Pralines americanos são pés de moleque mais delicados que não precisam ser só com amendoim. Ufa…

Praline de Amendoim tipo americano – original aqui

1/4 xícara de amendoins sem casca
1/4 xícara de açúcar
1 pitada de sal – opcional

Derreta o açúcar em fogo baixo até conseguir um caramelo claro. Desligue o fogo e junte o amendoim. Misture bem até que todos os amendoins estejam cobertos. Espalhe a mistura em um tapete de silicone, ou em papel manteiga untado, e deixe esfriar.
Se quiser salpique uma pitada de sal logo após espalhar a mistura.
Para que não mele conserve em um vidro fechado por até 3 dias.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Cajuzinho

Todo mundo conhece cajuzinho, certo? Pois é, eu também achava….

Na semana do aniversário do Cozinha a gente começa com docinhos de festa! E o escolhido foi o cajuzinho, rei coadjuvante das festinhas da minha infância! Só que assim, eu achava que, igual o brigadeiro, o cajuzinho variava muito pouco de família pra família mantendo uma receita básica parecida com a que a gente sempre fez aqui. Mas que engano viu.

Segundo a Tia Wiki, regiões Norte e Nordeste fazem o doce com a fruta caju mesmo, o que dá um gosto completamente diferente pro do sudeste. Só que segundo a mesma fonte todas essas receitas tem a mesma base do brigadeiro: leite condensado e manteiga.

Aí começa o problema, cajuzinho aqui nunca levou leite condensado! Quando fui procurar receitas pra comparar descobri que a maioria é o que aqui chamamos de docinho de amendoim: leite condensado, manteiga e amendoim. Nada parecido com a nossa receita. Existem algumas receitas sem o leite condensado, mas a maioria não vai ao fogo como a nossa e os ingredientes não são muito parecidos. Bom, mais um motivo pra publicar a nossa então né. As únicas alterações feitas na receita da minha mãe foi que passei as quantidades pra medidas universais.

Comecemos então as comemorações dos 2 anos do Cozinha!
E se alguém souber a origem dessa receita conta aí nos comentários…

Cajuzinho

500g de amendoim torrado e moído
200ml de leite
5 ovos
20 colheres sopa açúcar
8 colheres sopa achocolatado
açúcar cristal e amendoins sem pele pra enrolar

Misture todos os ingredientes em uma panela e leve ao fogo médio mexendo até desgrudar da panela. O ponto é um pouco mais firme que o do brigadeiro. Transfira para um prato e deixe esfriar.
Enrole pequenas porções do doce formando cones, passe no açúcar cristal e finalize com um amendoim sem pele no topo de cada doce.
OU coma de colher que é menos bonito mas muito gostoso também!

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Rolinhos de amendoim (ou paçoca)

Sabe aqueles pãezinhos enrolados com canela? Agora imagina com amendoim!

Eu adoro um pão recheado, vide as tranças aqui do Cozinha. E gosto muito dos rolls, que são esses rocamboles de massa cortados em fatias grossas e muito bem recheados. A primeira vez que eles apareceram por aqui foram como Cinnamon Rolls sem canela, mas a verdade é que dá pra adaptar essa receita pra quase tudo! E hoje massa e recheio foram adaptados.

O recheio aproveitou a quantidade de amendoim que apareceu aqui em cada por conta do #CozinhaJunina, mas a verdade é que dá pra usar até paçoca esfarelada (ou não prensada se você usar essa receita). Já a massa foi adaptada pra receber tanto o fermento natural cultivado aqui em casa, quanto o iogurte natural daqui também. Mas isso não quer dizer que só da pra fazer com os dois viu? O iogurte natural pode ser aquele de potinho do supermercado numa boa, só é legal olhar o rótulo pra ter certeza que é iogurte e não leite com amido de milho. Pois é, existe esse tipo de bizarrice….

Já o fermento pode ser substituído pelo fermento biológico seco, aquele de pacotinho, e todas as mudanças no tempo de descanso e nas quantidades tão explicadinhas na receita abaixo. E se você quiser tentar fazer o fermento em casa também, tem o passo a passo aqui. 😉

Rolinhos de Amendoim

2 ovos
100g de fermento natural*
4 colheres sopa de óleo
1/2 xícara de água morna
1/2 xícara de iogurte natural
3/4 xícara de açúcar cristal
cerca de 4 xícaras de farinha de trigo**

* ou 1 colher sopa de fermento biológico seco
**se for usar o fermento seco vai precisar de menos farinha

3/4 xícara de amendoim torrado e triturado
1/2 xícara de açúcar refinado
30g de manteiga sem sal amolecida

1 gema + 1 colher sopa de café

Bata os ovos com o óleo até misturar. Acrescente o fermento, a água, o açúcar e o iogurte e misture bem. Vá acrescentando a farinha aos poucos e sovando a massa assim que possível. Quanto mais sovar a massa mais macia ela ficará depois. Quando conseguir uma bola lisa e coesa de massa deixe em uma vasilha enfarinha e coberta com um pano úmido, descansado por cerca de 2h. Se estiver usando o fermento seco pode reduzir esse tempo para apenas 30minutos.

Passado o tempo de descanso abra a massa em uma superfície enfarinhada até obter um retângulo de cerca de 0,5 de espessura. Pincele toda a superfície da massa com a manteiga e cubra com o amendoim e o açúcar. Enrole formando um rocambole e corte fatias grossas. Transfira os rolinhos, agora de pé, para a assadeira em que serão assados. Ela deve estar forrada com silicone ou untada e enfarinhada. Você pode deixá-los próximos para formar uma espécie de rosca, ou separados pra que fiquem individuais. Deixe descansar mais 40minutos (10min se for o fermento seco), e então pincele com 1 gema batida com o café. Se quiser também pode polvilhar mais um pouco de amendoim por cima de cada rolinho nesse momento. Leve ao forno a 200° até que dourem.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Bolo de paçoca

Bolo de Paçoca! Gourmetização ou uma boa opção pra aniversários juninos?

A verdade é que é um pouco dos dois. O bolo de paçoca apareceu nessa onda de gourmetizações e receitas com novos formatos e novas misturas. Mas nada disso impede que algumas dessas receitas sejam boas ideias, e esse é o caso desse tal Bolo de Paçoca.

A maioria das receitas que vejo são bolos simples ou de amendoim cobertos com doce de leite e paçoca esfarelada. Só que pra mim pra chamar bolo de paçoca tem que ter paçoca na massa. E esse tem! A massa eu encontrei lá no ICKFD, e de cara já peguei confiança, não só pelo site que eu realmente confio, mas porque ela lembra muito a receita de bolo de fubá daqui de casa, que eu adoro. Fiz apenas duas pequenas mudanças:

-a quantidade de manteiga, que eu nem tenho certeza se mudei ou não porque nunca tenho certeza da conversão colheres/gramas
-e a paçoca que eu usei a minha caseira mesmo, e como ia esfarelar pra usar no bolo nem prensei, apenas misturei os ingredientes. Vão por mim, o gosto é o mesmo e sai bem mais em conta. Como usei a caseira coloquei a medida em colheres de sopa dela não prensada, mas se for usar a comprada pronta a receita original pede 5 paçocas.

Pra cobertura eu não queria usar o doce de leite puro, com medo de ficar muito enjoativo, então usei o mesmo truque do bolo de 1 ano do Cozinha: misturei um pouco de creme de leite. Mas atenção que tem que ser sem soro pro creme não ficar muito mole e tudo desmoronar! Quanto mais mole mais chances do seu bolo ficar meio torto, meio descambando pro lado. (se seu bolo for ficar exposto vale usar gelatina, no link do aniversário tem as medidas direitinho)

Mais uma dica: se quiser que o bolo fique parecendo mesmo uma paçoca de rolha gigante aperte ligeiramente a paçoca esfarelada sobre a cobertura, assim a textura fica mais parecida.

Bolo de Paçoca

Massa – original aqui

2 ovos grandes
3/4 xícara de açúcar refinado
50g de manteiga
2 colheres chá de essência de baunilha
2 xícaras de chá de farinha de trigo
1 xícara de chá de leite integral
2 colheres chá de fermento em pó
10 colheres sopa de paçoca não prensada – essa aqui

Bata os ovos com o açúcar até formar um creme fofo. Adicione a manteiga e a baunilha e bata até ficar homogêneo. Vá acrescentando a farinha e o leite, intercalando um pouco de cada um, até incorporar tudo. Por fim adicione o fermento e a paçoca e misture tudo. Asse em duas formas untadas e com fundo protegido com papel manteiga untado e em forno aquecido a 180°. Caso não vá desenformar o bolo ignore o papel manteiga.

Recheio e cobertura:

500g de doce de leite
cerca de 4 colheres sopa de creme de leite sem soro
1 receita de paçoca não prensada – essa mesma daqui

Misture o doce de leite com o creme de leite aos poucos, use o creme de leite pra dosar a textura do recheio. Reserve a paçoca pra cobrir o bolo.

Montagem:

Nivele ambos os bolos e corte cada um no meio. Molhe cada disco de bolo com o que quiser, eu usei xarope simples de açúcar. Empilhe os bolos intercalando com camadas do creme de doce de leite, mas não faça camadas muito grossas de recheio pra não ficar muito instável. Cubra tudo com uma camada fina de creme e leve para a geladeira por algumas horas, ou congelador por 1h. Cubra decentemente agora, com uma camada mais generosa de creme e depois cubra tudo com a paçoca triturada. Pra minimizar a bagunça eu coloquei o prato do bolo dentro de uma assadeira grande na hora de cobrir com a paçoca.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Meu pé de moleque favorito

Hoje começa a temporada de festa junina aqui do Cozinha, e pra isso o escolhido foi meu pé de moleque favorito!!

O pé de moleque tradicional de São João leva rapadura e amendoim e fica beem crocante, mas o de hoje leva leite condensado e assim fica um pouco menos crocante, embora não chegue a ficar macio.

(Eu pensava que o tal pé de moça era essa receita, mas ele  leva chocolate também)
A receita veio de uma amiga da família e já tem pra mais de década que todo ano ele aparece aqui em casa, mas essa foi a primeira vez que tentei fazer. Adorei que era só misturar tudo e levar ao fogo, e apesar de ter ficado com medo de errar o ponto foi bem fácil identificar. Igualzinho brigadeiro: virou um pouco a panela e ele soltou sozinho dela é porque deu, mas também se ficar um pouco a mais não tem problema!

O amendoim que usei foi o inteiro com casca, simplesmente porque sempre comi assim. Se você não gosta do sabor da casca dá pra usar descascado sem problema, e se quiser um doce mais fino também dá pra usar o amendoim quebrado. Aqui eles foram servidos em tigelinhas e depois o que sobrou foi pra uma lata de biscoito. Pra servir em uma festa o mais comum é colocar em formas de empada ou colocar todos em uma vasilha grande e deixar guardanapos ao lado pro pessoal se servir.

Pé de Moleque Favorito

2 copos* de açúcar cristal
500g de amendoim
1 lata de leite condensado

*aquele copo de requeijão

Junte todos os ingredientes em uma panela grande e leve ao fogo. Daí é só mexer quase sempre até atingir o ponto. É igual brigadeiro, na hora que o doce estiver soltando da panela sozinho já está pronto, a partir daí você já pode tirar do fogo, como eu fiz, ou pode deixar o açúcar caramelizar mais um pouco para o pé de moleque ficar mais escuro.
Despeje em uma superfície de pedra (a pia de mármore/granito da cozinha sabe?) e espere esfriar. Corte os quadrados com o doce ainda morno, pra ficar mais fácil, mas espere esfriar totalmente antes de tirar da pedra, para que não esfarele. Guarde em uma lata.

————————-
Em 2015: Samosas

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Paçoca de rolha, igual aquela que a gente ama

Sabe paçoca de amendoim? Aquela em formato de rolha que a gente ama de paixão e reza pra resolver patrocinar esse Cozinha? Aquela da embalagem amarela…. sabe? Ó que que eu fiz!

Calma que eu não desembrulhei um mundo de paçoquita paçoca da embalagem amarela e coloquei num prato pra chamar de post não… Essa foi feita em casa mesmo! É, também achei que não ia dar certo.
E foi feita só com 3 ingredientes igual tá escrito na embalagem da original. É eu também jurei que nem sonhando ia dar certo. Mas aí eu vi esse vídeo aqui. E aí “não é possível que essa pessoa linda de meu deus fez paçoquita em casa!!!! Deixa eu tentar também!!” foi o que aconteceu.
Essa é daquelas receitas que parece que vai dar tudo errado e aí dá tudo certo da forma mais simples possível. A verdade é que é só misturar tudo e modelar as paçocas e aí é que tá o segredo. Depois de bater no liquidificador pra misturar bem é só ir misturando com as mãos. O calor das mãos vai ajudar o amendoim a soltar o óleo que vai juntar todos os ingredientes e quando a gente prensa a massa no cortador de biscoito a paçoca ganha aquela consistência linda dela, que parece que vai esfarelar e não esfarela.
Pra quem não tiver um cortador de biscoito de tamanho legal vale assistir o vídeo pra aprender a fazer com tubinhos de PVC, esses comuns mesmo. Aqui eu usei um cortador um pouco mais largo e mais baixo que o normal, mas deu super certo. Só não aconselho cortadores com muitas reentrâncias pois pode ficar difícil desenformar.

Paçoca de Rolha – original aqui

2 copos de amendoim
1/2 copo de açúcar
1/4 colher chá de sal

Bata tudo no liquidificador até misturar bem. Provavelmente vai ser preciso para o liquidificador e soltar das laterais com uma colher e voltar a bater.
Transfira para uma vasilha e vá mexendo com as mãos para o amendoim ir soltando o óleo (o calor das mãos ajuda). Prove o sal e se for o caso ajuste.
Coloque um cortador de biscoito na palma da mão e preencha com a mistura. Vá apertando até ficar bem compacto. (Mas não tenha preguiça de prensar! No final já tava ficando meio cansada e algumas não ficaram tão bem prensadas e acabaram esfarelando nos cantinhos.) Daí é só retirar do cortador delicadamente e guardar numa vasilha com tampa.

Salvar