Rolinhos de cenoura com canela

Rolinhos de cenoura são uma versão um pouco mais rica dos famosos cinnamon rolls. Com uma massa bem macia e o tradicional recheio de canela, eles ficam ótimos pro café da manhã ou pra beliscar a tarde…
rolinhos de cenoura

A massa é um pouco diferente dos cinnamon rolls que já apareceram por aqui, mas esse detalhe varia mesmo nos rolinhos tradicionais. É tipo pão de batata, um nome só mas várias receitas parecidas. A grande diferença nesses é a cenoura ralada que vai na massa. Eu achei que fica bem suave…. Tanto que o sabor da cenoura nem aparece! Então se você está procurando um jeito de comer vegetais, tá ótimo. Se você quer realmente o sabor da cenoura, aconselho aumentar a quantidade pra pelo menos uma xícara e meia!

Outra mudança que você pode (ou não) fazer? Aumentar o açúcar. A receita original leva uma cobertura de cream cheese e açúcar, e por isso a massa não é tão doce. Como eu queria um pãozinho pro café, pulei a cobertura.. Só que aí a massa ficou no limite do sem doce. Não é ruim, mas podia ser melhor. Pra quem não gosta de coisas muito doces, deixe como está na receita abaixo; quem for formiga pode dobrar o açúcar da massa.

Último detalhe? O modo de espalhar o recheio com a manteiga derretida e o açúcar depois faz com que ele seja muito sutil no resultado final. De novo, a intenção era um pãozinho pro café. Pra quem quer um recheio mais aparente vale misturar a manteiga, sem derreter, com o açúcar e a canela e passar essa pasta na massa. Fica mais difícil a montagem, mas o recheio aparece mais depois. De novo: escolhas. Faça a sua conforme seu gosto e tenha os melhores rolinhos de cenoura pro seu lanche!
rolinhos de cenoura

Rolinhos de cenoura – original aqui

1 xícara de leite morno
2 1/4 colheres chá de fermento biológico seco
1/4 colher chá de açúcar refinado
20g de manteiga sem sal*
1 ovo grande
1 colher chá de baunilha
3 xícaras de farinha de trigo
1/4 xícara de açúcar
1/2 colher chá de sal
3/4 colher chá de canela – opcional
1 xícara de cenoura ralada

recheio:
manteiga derretida
1 xícara de açúcar
1 colher sopa de canela

*pode ser derretida ou macia

Misture o leite com o fermento e a colher de açúcar e deixe descansar por 5 minutos. Acrescente o ovo, a baunilha e a manteiga e misture bem. Em uma vasilha junte a farinha com o açúcar, o sal e a canela e misture também. Junte os líquidos à farinha e misture até incorporar e então junte a cenoura. Comece a sovar a massa assim que sentir que é possível; talvez precise de mais farinha, mas tente adicionar o mínimo possível. Sove a massa até obter uma bola lisa e bonita. Deixe em uma vasilha enfarinhada e coberta com plástico por cerca de 1-2h, até dobrar de tamanho.

Abra a massa até obter um retângulo com 0,5cm de espessura. Pincele com a manteiga derretida e cubra com o açúcar e a canela. Enrole, como um rocambole e corte em 8 fatias. Ajeite os rolinhos em uma assadeira untada com manteiga. Cubra novamente com plástico e deixe descansar mais 30min. Então leve ao forno, já aquecido a 200C, por cerca de 30min.

PS: Se quiser, antes de levar ao forno polvilhe mais um pouco de açúcar e canela por cima dos rolinhos.

 

Masala Chai, ou como temperar seu chá

Masala Chai é um tipo de bebida, típica da Índia, que junta chá, água, especiarias e leite. E sim, ele é ótimo pra encarar o inverno!
masala chai

Chai latte, Chai, Masala Chai, os nomes variam bastante e cada um significa uma coisa diferente. Então vamos pro momento dicionário:

Chai: significa chá. É como se chama, na Índia, o chá fervido sozinho na água. Em algumas cafeterias ocidentais o masala chai é chamado de chai.

Masala: significa mistura. Normalmente é uma mistura de temperos, ervas e especiarias. Você pode encontrar masalas prontas pra comprar, e os ingredientes e o sabor vão variar conforme a marca. Muitas famílias tem suas masalas tradicionais que incluem ingredientes secretos e tudo.

Garam masala: significa masala quente. É uma mistura de temperos mais picantes, normalmente usada para pratos mais pesados, como o curry.

Chai latte: é uma corruptela que as cafeterias (ocidentais) fizeram pra indicar que o masala chai é feito como o latte mas com o chá no lugar do espresso.

E pra quem tiver dúvida, a pronúncia correta é “massala” e não “mazala” mesmo escrevendo com um S só.
masala chai

Com todo esse caminhão de informação o que que a gente resume? Que masala é um tempero próprio seu, que você faz com seus ingredientes favoritos. E que masala chai é um chá todo especial feito com esse tempero! Lindo né? Pra mim é o suprassumo do que tento passar aqui no Cozinha: a receita é só uma direção, quem decide o que vale ou não, e qual o sabor final, é você!

Ou seja, a receita abaixo é como eu tenho feito o masala chai agora. Isso vai variando conforme os dias vão passando e também vai variar aí na sua casa. Vale acrescentar mais canela, tirar o cardamomo, trocar a pimenta…. E se sua masala não ficou com um sabor que te agrade, não jogue fora de primeira. Vale tentar descobrir o que tá faltando pra conseguir equilíbrio e experimentar.

masala chai

Masala

1 canela em pau*
1 colher sopa de cardamomo
1 colher sopa de cravo
1/4 colher chá de pimenta preta
2 colheres sopa erva doce
1 colher chá de gengibre em pó
1 colher chá noz moscada

*pedaço grande gente, o da foto não é oco, tem quase 3 camadas enroladas.

Em uma frigideira esquente, ligeiramente, a canela, o cardamomo e os cravos e qualquer coisa que não seja pó ou erva-doce. A ideia é só esquentar pra liberar os aromas, não precisa dourar ou tostar as especiarias. Junte essa mistura com os pós no liquidificador e bata até obter uma mistura fina. Junte a erva-doce e misture e pronto! Você pode guardar em um pote bem fechado ou em uma lata pra chás/temperos.

Masala chai

2 colheres chá de masala
250ml de água
250ml de leite
1 envelope de chá preto
açúcar a gosto

Esquente a água e o leite com a masala, até ferver. Desligue o fogo, junte o chá e abafe por 2-3min. Coe e adoce a gosto.
Com o tempo você aprende quanto de açúcar gosta e aí vale já adoçar na hora de esquentar; facilita a vida e evita esfriar o chai.

Procurando um truque fácil pra animar um simples chá de saquinho? Aqui tem!

Salvar

Salvar

Salvar

Vinho quente aromático – especial #cozinhajunina

Vinho quente aromático, com direito a suas especiarias favoritas, pra esquentar as noites de São João!
vinho quente aromático
Fiquei me perguntando quais são as bebidas típicas de festas juninas, porque bem, caso vocês não tenham reparado estamos no especial #CozinhaJunina!!! E as primeiras bebidas que a gente pensa normalmente são: Choconhaque, Quentão e Vinho Quente. E como vocês podem notar pelos links acima, todas já foram feitas por aqui.

Então como inovar essas bebidas? Com vinho branco claro! Não, essa não foi óbvia pra mim…. Mas depois que veio a ideia eu até que achei algumas receitas internet afora. A receita abaixo é uma das mais básicas. Usei os temperos mais comuns de encontrar e de as pessoas gostarem. Agora, não gosta de canela? Não coloca canela ué. Ama pimenta-rosa? Eu colocaria porque acho que combina bem com os outros ingredientes. E por aí vai.

E tem dicas especiais? Tem 2 dessa vez! Primeira: eu usei raspas de laranja mas como queria um drink limpo tive que coar antes de servir. Quer evitar o trabalho? Use pedaços de casca de laranja. Acha as raspas bonitinhas? Não coa. Segunda: a quantidade de açúcar vai depender do vinho. Eu uso uma regra geral, que pode ser adaptada provando a bebida antes de servir, e que é:
O rótulo diz doce ou suave? Use 1/4 de xícara de açúcar pra cada 2 xícaras de água
O rótulo diz seco ou similar ou nada? Use 1/2 xícara de açúcar pra cada 2 xícaras de água.

Vinho Quente Aromático

2 xícaras de água
1/4 – 1/2 xícara de açúcar*
1 pau de canela
1 anis estrelado
1 colher sopa de raspas de laranja*
2 xícaras de vinho branco

* detalhes dos ingredientes no texto acima

Misture a água, o açúcar e as especiarias e leve ao fogo baixo, deixando ferver por 2 minutos. Desligue o fogo e acrescente o vinho. Coe, ou não, e sirva imediatamente, com uma fatia de laranja em cada caneca.

Salvar

Salvar

Salvar

Rolinhos Folhados pra fazer ainda hoje!

Rolinhos folhados! Sabe os cinnamon rolls? Agora imagina com massa folhada!
rolinhos folhados

A ideia apareceu assistindo um vídeo da Dani Noce chamado muffin croissant, e já digo que esse nome fez eu me apaixonar instantaneamente… Assim como o recheio de doce de leite. Mas fiquei imaginando o tal “bolinho” menor, mais parecido com o cinnamon roll. E aí claro que já imaginei com o recheio de açúcar com canela. E aí pronto, dezenas de recheios passeando pela minha mente. E como resolvi faze-los menores eles acabaram ficando mais parecidos com os rolls do que com os muffins, portanto: rolinhos folhados.
rolinhos folhados com canela

Pra esse primeiro teste eu escolhi só 3 recheios: ganache de chocolate, manteiga temperada com açúcar e canela, e um patê de maionese com queijo parmesão. Todos eles foram feitos sem medidas muito exatas. E ideia é aproveitar o que tem em casa. Sabe aquele chocolate que sobrou dos suspiros marmorizados? Ou aqueles sachês de maionese que vieram com a pizza e ninguém quis? Só tenha cuidado para que a textura do recheio não fique muito molenga já que não queremos recheio escorrendo pro fundo da forma.

Falando na forma: eu usei uma de cupcakes tradicionais. Vale usar aquelas forminhas de silicone individuais? Vale. Vale usar forma para mini cupcakes? Vale. Vale usar o que você tiver na cozinha!

rolinhos folhados de chocolate

Aliás, esse é o princípio do Cozinha gente: pegar aquelas receitas maravilhosas que a gente vê internet afora ou na cozinha das nossas avós e deixar possíveis pras nossas cozinhas não tão experientes assim.

E ainda tem dica sobre a massa. Conheça a sua massa! Fui testar uma massa comprada pronta, e congelada, que eu nunca tinha experimentado e me dei mal: o meio dos rolinhos não folhou. Então vale assar um rolinho antes de todos, pra ver se o forno precisa estar mais baixo (ou alto), se você nunca usou a massa escolhida. Ou vale fazer a massa em casa, na base do truque, usando essa receita aqui. Ou usar a massa que você já conhece e sabe que funciona bem.
rolinhos folhados de queijo

Uma última coisa: teoricamente nenhuma massa folhada vai grudar na forma, já que elas são cheias de manteiga. Só que alguns recheios podem grudar. Vide o delicioso rolinho de canela, cujo açúcar caramelizou na forma e, enquanto esfriava, grudou e destruiu o fundo do rolinho. Se for usar algum recheio com açúcar lembre de retirar o rolinho da forma assim que ele sair do forno!

Rolinhos folhados – original aqui

Massa folhada
Recheios a vontade

Ligue o forno a 180°C.
Abra a massa folhada e corte fatias com a mesma largura da altura da forma que será usada. Passe o recheio em cada tira e enrole. Se sua massa for pequena vale emendar duas tiras num rolinho só. Coloque cada rolinho em uma forma de cupcake, e leve ao forno já aquecido até que dourem.

Dica mor: não coloque sabores de recheio diferentes na mesma forma. Cada  um vai pedir tempos diferentes de forno e aí você complica a sua vida.
rolinhos folhados

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

biscoito estrela de vidro – especial de natal

Biscoito estrela com o centro em “vidro” colorido!
biscoito estrela de vidro

Quando vi esses biscoito estrela achei que era impossível, que a pessoa tava inventando e que nunca que ia dar certo. Como acontece na maioria desses casos, eu estava errada. Não só é possível fazer esse centro semitransparente nos biscoitos, mas ainda por cima é bem fácil.

A parte mais difícil por aqui foi achar as balas. Jolly Rancher não é vendida por aqui, então a nãos ser que você more no exterior ou em cidade grande (como São Paulo) pode ser complicado usar a bala original. Eu usei essas Sweet Kiss, últimas encontradas no baleiro de um mercado. Mas a notícia boa é que qualquer bala tipo vidro (colorida transparente e dura) serve pra essa receita. E, bem mais fáceis de achar, aqueles pirulitos de coração vermelho funcionam também!

(Não encontrou nem bala nem pirulito? Relaxa que no final da receita tem jeito alternativo de fazer um biscoito bonito com centro colorido também)
biscoito estrela de vidro

Balas encontradas, é só escolher seu biscoito favorito! Dê preferência para massas que não deformam no forno. Aqui usei o sugar cookie, ou biscoito de açúcar, que já apareceu por aqui e é um dos meus mais confiáveis pra não deformar. Apenas dei um toque natalino com os temperos. Pra quem quiser ainda mais gosto de natal, tem os Biscoitos de Especiarias, que também viraram estrelas por aqui em 2014!

PS: a receita original diz que é sem glúten, mas usa uma farinha especial sem glúten; e não especifica de que é feita essa farinha. Mas quem tiver uma receita similar, que não deforme e não tenha glúten…. Por favor, compartilhe nos comentários pra gente deixar essa receita mais acessível! 😉

Biscoito estrela de vidro – original aqui

1 1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento químico
1/4 colher chá de sal
100g de manteiga em temperatura ambiente
3/4 xícara de açúcar refinado
1 ovo
1 pitada de canela em pó
1 pitada de cravo em pó
1 pitada de noz moscada
Balas tipo vidro*

*Eu usei uma chamada Sweet Kiss e as mais famosas são as Jolly Ranchers. Também funciona com aqueles pirulitos vermelhos em formato de coração.

Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme claro. Junte o ovo e bata até ficar homogêneo. Junte então a farinha, o fermento, o sal e os temperos e misture até incorporar totalmente. Embale a massa em plástico filme e leve para a geladeira por pelo menos 1h.
Abra a massa, já fria, em uma bancada levemente enfarinhada ou entre duas folhas de papel manteiga. Esse biscoito não cresce então abra a massa na espessura final que desejar, a minha foi cerca de 3mm. Corte os biscoitos e o centro deles e transfira para uma assadeiras com papel manteiga. Junte os retalhos de massa, amasse-os juntos e abra novamente. Se a massa começar a ficar mole, enrola no plástico de novo e volte pra geladeira por alguns minutos.
biscoito estrela de vidro

Corte as balas na metade e coloque os pedaço no centro recortado e cada biscoito. Leve ao forno, aquecido a 200°, até que o biscoitos estejam assados. Retire o forno e espere esfriar antes de retirar da forma. A bala terá derretido e estará muito quente, então cuidado ao manusear os biscoitos recém saídos do forno. Guarde os biscoito já frios em uma lata bem fechada por até 1 semana.

Pra quem não encontrou em bala nem pirulito: corte o centro de apenas metade das estrelas, e coloque uma estrela cortada sobre uma não cortada. Quando assar o biscoito vai formar uma tigelinha. Daí é só colocar um pouco de geleia no meio e pronto.
biscoito estrela de vidro

——————————
Em 2014: Pão de Queijo 2

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Rolinhos de abóbora

Eu já falei que adoro um pãozinho recheado? E esses são de abóbora com canela!

Tem certas coisas que tem cara de inverno e pra mim algumas delas são temperos como cravo, canela e noz-moscada. Então quando vi esse vídeo ensinando a fazer rolinhos de abóbora (que eu amo!) recheados com todas essas especiarias juntas fiquei doida pra experimentar!
Só que eu acabei fazendo várias mudanças. A receita original é vegana (e do outro lado do mundo), então leva alguns ingredientes com os quais não tô acostumada a trabalhar, como o açúcar de palma. Minha solução foi fazer a receita de forma mais “tradicional” adaptando os ingredientes.

Pra quem quiser fazer a versão vegana basta trocar:
-o leite por leite de soja (ou qualquer leite vegetal)
-o açúcar comum pelo de palma, ou de coco, ou o adoçante que você tiver costume
Além disso eu usei apenas óleo de girassol enquanto a original usa metade de óleo de coco e metade de canola.

Eu também usei apenas farinha branca enquanto a original use 30% de farinha integral, mas isso foi por pura vontade mesmo. O resultado acabou ficando um pouco menos doce do que eu gostaria, mas ainda assim muito gostoso. A massa fica macia e o recheio é equilibrado. Não lembra nem um pouco os cinnamon rolls que mais parecem uma sobremesa de tão recheados e doces que são. Mas se uma sobremesa for a sua intenção é só aumentar a quantidade de açúcar no recheio e polvilhar mas um pouco por cima antes de assar. E se a ideia for enfiar o pé na jaca mesmo também vale trocar a água do recheio por manteiga derretida. Vai mudar completamente a receita? Vai. Mas garanto que também vai ficar gostoso.

Rolinhos de abóbora – original aqui

2 1/2 xícaras de farinha de trigo
100g de abóbora*
100ml de leite
2 colheres sopa de óleo
1 colher sopa de açúcar
5g de fermento biológico seco – meio pacote
30ml de água morna
1 pitada de sal

*a sua abóbora favorita, com ou sem casca

3 colheres sopa de açúcar
1 colher chá de canela em pó
1/4 colher chá de noz moscada
1/4 colher chá de cravo em pó
cerca de 2 colheres sopa de água

Cozinhe a abóbora até ficar macia.
Enquanto isso misture o fermento na água por 5 minutos.
Transfira a abóbora para um processador (ou liquidificador) e bata com o leite até ficar homogêneo. Junte o óleo, o açúcar, o fermento e o sal e bata novamente.
Se estiver usando um processador já adicione a farinha e processe até a massa começar e se juntar em uma única bola. Transfira para a bancada de pedra e sove a massa até ela ficar elástica e lisa.

Se estiver usando o liquidificador transfira a mistura para uma vasilha e junte a farinha manualmente, já sovando a massa até que ela fique lisa e elástica. Vale começar a misturar na vasilha e sovar na bancada de pedra se preferir.
Deixe descansar até dobrar de volume; em um dia frio mas no sol foi cerca de 1hora.
Misture o açúcar com os temperos e vá adicionando a água aos poucos, até formar uma pasta. Reserve.

Abra a massa em um retângulo de espessura máxima de 3mm e cubra com a pasta de temperos; a minha ficou bem líquida e sobrou então pincelei depois de enrolar também, mas isso é opcional. Enrole formando um rocambole fino e corte triângulos. Vire cada um com a ponta pra cima e pressione o meio pra formar dois redemoinhos. Transfira cada rolinho para uma assadeira untada ou com silicone; não use papel manteiga porque gruda tudo.
Deixe crescer novamente até dobrar de tamanho, por aqui foram cerca de 40min.
Asse em forno aquecido a 180° até que dourem. Não precisa deixar dourar taaanto quanto esses.

————————-
Em 2015: Pão de Batata

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Babka de canela

Passeando pelo meu feed de notícias atrás de inspiração para as panelas me deparei com esse nome estranho. A Babka é uma espécie de pão parente do brioche bem comum no leste europeu, feita normalmente em festas como a páscoa. Essa receita é a corruptela da versão judaica da babka, mais comum com canela ou chocolate.
Se para alguém o nome estiver soando familiar como foi comigo é por conta de um episódio de Seinfeld, que você encontra aqui.

Enfim, achei essa receita no A Cozinha Coletiva, fiquei encantada com as fotos do Richie e resolvi experimentar. Só que por essas bandas cream-cheese tem valor de ouro ou mais. Mascarpone acho que maioria nem ouviu falar. Na falta de queijo, vai manteiga mesmo! rs Se você tiver acesso ao cream cheese, ou melhor ainda ao mascarpone, aconselho seguir a receita dele. Se, como eu, não tiver, vai de manteiga que fica gostoso também!

babkaBabka de canela – original aqui
xícara de 240ml

1/2 xícara de leite em temperatura ambiente
1 colher sopa de cream cheese – usei manteiga sem sal
1/4 xícara de açúcar refinado1 ovo inteiro
1 gema
1/4 colher chá de sal
2 xícaras de trigo + 2 colheres sopa
1 pacote de fermento biológico seco
75g de manteiga sem sal em temperatura ambiente

para recheiar:
2 colheres sopa de manteiga em temperatura ambiente
1/4 xícara de açúcar refinado
1/2 colher sopa de canela em pó

1 gema + 1 colher sopa de leite para pincelar

Em uma tigela misture o leite, o cream cheese/manteiga, o ovo, a gema e o sal e misture até ficar homogêneo. De uma vez adicione a farinha e o fermento e misture bem até incorporar. Vá adicionando a manteiga aos poucos e misturando entre cada colherada até incorporar tudo. Sove a massa até que ela fique elástica e não grude mais na vasilha. Resista a tentação de simplesmente jogar mais farinha, vá sovando que a massa vai secar. Unte a tigela com óleo, coloque a massa, cubra com um pano e deixe crescer por 1 hora.

Abra a massa em uma superfície enfarinhada formando um quadrado. Pincele a manteiga sobre toda a massa, e cubra com o açúcar misturado com a canela. Enrole como um rocambole, divida ao meio no sentido do comprimento e trance. Se tiver dificuldade para manusear a massa pode deixar apenas enrolado como um rocambole, vai dar certo também. Coloque em uma forma alta (bolo inglês), cubra e deixe crescer por mais 1:40h.
Pré-aqueça o forno a 180°. Pincele a babka com a gema batida com o leite e leve para assar até dourar.

babka3

Salvar