Biscoitinhos integrais, feitos com fermento natural

Biscoitinhos integrais mega crocantes, no estilo cracker. Sabe, aquele que tem um nome nesse estilo? Simplificando essa receita dá pra fazer beeem parecido.
biscoitinhos integrais

Isso porque esses biscoitinhos crocantes são bem mais ricos que os crackers comprados prontos. Eles são integrais, então são mais complexos nutricionalmente. Mas podem não ser se você preferir usar apenas farinha branca. E são saborizados com ervinhas secas, o que deixa o sabor bem mais atraente. Quer biscoitos neutros que vão bem com tudo? É só pular as ervas.

E são feitos com levain não alimentado! Sabe quando tá no dia de alimentar seu fermento mas você não tá afim de fazer pão? E aí tem que jogar parte do fermento fora…. E dá uma dó…. Oooou você faz esses biscoitos! A massa é super simples de fazer, aproveita o levain que iria embora e eles ainda duram bem quando guardados em uma lata!

Agora algumas dicas:

Faça bem fininhos! Eles são mais gostoso quando bem crocantes e um biscoito crocante de massa espessa fica impossível de morder.

E não esqueça de furar a massa antes de levar ao forno. Isso vai garantir ainda mais crocância; que é o maior charme dessa receita.
biscoitinhos integrais

Biscoitinhos integrais – original aqui

1/2 colher chá de sal
1 xícara de farinha de trigo*
1 xícara de levain – sem alimentar
40g de manteiga pommade
1 colher sopa de ervas secas – usei orégano
sal e azeite

*você pode usar farinha branca e/ou integral. Normalmente a proporção é 40% integral e 60% branca, mas eu usei 25% (1/4 xícara) de farinha integral para 75% (3/4 xícara) de farinha branca.

Misture a farinha, o levain, e a manteiga. Acrescente a meia colher de sal e as ervas e amasse até a a massa se juntar. Faça um quadrado com a massa, cubra com filme plástico e leve para a geladeira por cerca de 30min.

Sobre um pedaço (grande) de papel manteiga abra a massa, com um rolo, até consegui um quadrado de massa de1-2mm. É bem fininha mesmo. E tente formar um quadrado direitinho; eu precisei cortar a massa e rearranjar uns pedaços pra isso. Não tem problema. Transfira o papel com a massa para uma forma e corte os biscoitos; é mais fácil cortar já na forma do que transferir cortado. E não precisa separar cada quadradinho, é só quebrar no corte depois. Fure cada biscoito com um garfo pra garantir mais crocância. Pincele tudo com azeite e salpique um pouco de sal por cima. E então leve ao forno, aquecido a 200C, por cerca de 30min; ou até eles fazerem um estalo quando você quebrar.

—————————–
Em 2015: Abóbora assada

Salvar

Salvar

Salvar

Carolinas de Queijo e calabresa

Carolinas de queijo e calabresa pra, honestamente, comer tudo e uma vez só porque esse trem é bom demais!
Carolinas de Queijo e Calabresa

Primeiro uma confissão: carolinas na verdade são doces… A carolina típica é uma mini éclair, recheada e glaceada. Ou seja, é feita da mesma massa das famosas bombas de chocolate, a tal pate a choux,  mas no lugar do formato alongado é feita em formato redondo e menorzinha. Elas também são a base dos profiteroles, aquela sobremesa famosona.

Favor não confundir com a carolina, doce típico da Paraíba, feito com açúcar e coco queimado. Esse só conheço de nome, mas pretendo fazer um dia…

A receita de hoje é uma massa muito parecida com a pate a choux, com algumas ligeiras mudanças nas proporções. Mas com a massa pronta, antes de montar pra assar, é adicionado um “recheio salgado”; no caso queijo, calabresa e uns temperinhos. A original leva apenas queijo e cebola, mas eu me empolguei…

Por aqui (MG) também tem as tais broas carolinas, é uma carolina meio salgada meio doce também, mas feita com fubá e erva doce.

Dicas pra facilitar a vida na hora de fazer suas carolinas de queijo: eu queria o queijo aparecendo na massa, e não totalmente diluído. Então usei cubinhos de queijo e aproveitei e cortei a calabresa do mesmo jeito. Só que isso dificulta horrores na hora de fazer a carolina com saco de confeitar. Então prefira usar colheres pra modelar a massa. Se preferir carolinas mais homogêneas, dá pra ralar o queijo e desfiar a calabresa e vai dar tudo certo. E sim, essa massa é mais chatinha de dourar, a minha nem chegou perto. Então se quiser garantir uma cor mais bonita aumente bem a temperatura do forno nos últimos 5 minutos, ou use o grill.
Carolinas de queijo e calabresa

Carolinas de Queijo e Calabresa – original aqui

1/2 xícara de água
25g de manteiga
1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de sal
2 ovos
1/2 xícara de queijo prato – ralado ou em cubos
1/2 xícara de calabresa em cubos
2 colheres sopa de cebola picadinha
1 colher chá de orégano

Junte a água e a manteiga em uma panela, e aqueça em fogo alto até que comece a ferver. Baixe um pouco o fogo e junte o sal e a farinha, de uma vez, e misture rapidamente até incorporar totalmente. Ainda em fogo médio amasse a bola de massa que se formar por cerca de 1 minuto, para cozinhar a farinha.

Tire do fogo e acrescente os ovos, um a um, batendo bem a cada adição. Com a massa já homogênea junte os demais ingredientes e misture bem. Se tiver um saco de confeiteiro com bico bem largo, transfira a massa para o saco e faça pequenas bolinhas de massa em uma forma untada.

Se não tiver, ou preferir não usar, deixe a massa, coberta, na geladeira por 20min só para firmar um pouquinho. Com duas colheres untadas forme as bolinhas, ou quenelles, e transfira para a forma untada. Asse em forno aquecido a 200C por cerca de 30min, elas podem ou não dourar. Caso seu forno não doure e você tenha um grill disponível, vale usar por 5 minutinhos.

——————————
Em 2015: Bolo de cenoura com pudim de chocolate

Salvar

Salvar

Pastel de Angu, pra congelar e fritar sempre que quiser

Pastel de angu, aquele petisco que ficou famosão uns tempos atrás mas resistiu ao hype e continua valendo a pena experimentar!
pastel de angu

Contexto: cresci tendo angu quase todo dia na mesa do almoço; quando não tinha angu fresco a gente fritava o do dia anterior partido em pedaços. Fritava não, frita até hoje: angu frito (ou polenta frita como algumas partes do país chamam) ainda é uma constante aqui em casa. Preciso dizer mais alguma coisa pra vocês entenderem como a ideia de pastel de angu parece maravilhosa pra mim? É o angu frito de todo dia com recheio!!!

E eu já tinha tentado fazer uma vez com alguma receita que encontrei internet afora. Essa usava farinha no lugar do polvilho e, por isso mesmo, a massa ficava ultra seca, quebradiça mesmo. Terrível. Não usem farinha no lugar do polvilho. Fui atrás da receita mais original, lá de Itabirito. E pronto. Deu super certo!

Super certo se você não considerar um pequeno acidente com óleo espirrando no meu rosto. Calma, é fácil evitar isso; basta prestar atenção agora: não coloque o seu rosto em cima da panela quando estiver testando uma receita frita. Nunca! Principalmente se você estiver testando um pastel de angu com recheio de queijo! Mesmo. Fique longe da panela!

Pra quem tem experiência na cozinha parece meio óbvio, mas é a gente que corre mais risco justamente por subestimar a receita. Então sempre preste atenção.

Agora que já assustei todo mundo: façam a receita. Mantenham o recheio de carne, principalmente se você não tem costume de lidar com fritura e massa seladas (como coxinha). Vegetarianos: façam um recheio com soja texturizada. Em ambos os casos é só garantir que o recheio esteja bem sequinho. Mas façam, porque é uma delícia! E essa quantidade rende muitos pasteis, que podem ser congelados já facilitando a vida no futuro!
pastel de angu

Pastel de Angu – original aqui

1 litro de água
2 colheres sopa de óleo
1 colher chá de sal
4 xícaras de fubá
1 ovo
1 pitada de bicarbonato
1/4 xícara de polvilho azedo
recheio a gosto

Ferva a água junto do óleo e o sal. Adicione o fubá e o bicarbonato e misture rapidamente, com fogo baixo. Se achar mais fácil misture o fubá com o bicarbonato em outra panela, ligue o fogo baixo, adicione a água fervente e misture rapidamente. Misture em fogo baixo até cozinhar. Retire do fogo e adicione o polvilho e o ovo e sove e misture bem. Assim que conseguir colocar a mão na massa sove até que ela fique lisa e coesa. Cubra com um pano úmido e comece a modelar os pasteis.

Mantenha a massa coberta enquanto formata os pasteis, para que ela não fique quebradiça. Se o pano começar a secar umedeça novamente. Pasteis formatados é só fritar. Cuidado que espirra!

Esquente uma panela com óleo e frite dois pasteis por vez no máximo. Use uma escumadeira de cabo longo para retirar os pasteis da panela, assim que dourarem.

Salvar

Salvar

Chips de parmesão, o drops mais fácil de todos

Chips de parmesão, fininho e crocante, bom pra acompanhar uma cerveja ou um drink (ou um suco vai) e feito com apenas um ingrediente!
chips de parmesão

Tá, você pode usar temperos junto do parmesão Eu usei orégano, a receita original usava páprica, e você pode adicionar o tempero que quiser! Até porque, parmesão meio que combina com tudo né?

Mas se não tiver ideia de usar nenhum, tudo bem também. O parmesão sozinho já fica uma delícia!

E é meio que isso mesmo, rala o parmesão, modela, tempera e assa. Moleza né? Tô até sem assunto… Então vamos direto pras dicas e pra receita.
chips de parmesão

Dica 1: eu gostei de usar um cortador de biscoito pra moldar os chips de parmesão. Mas vale usar qualquer molde que quiser, inclusive molde nenhum. É só fazer um montinho baixo e pronto.

Dica 2: unte o papel manteiga. Isso tá na receita mas eu preciso enfatizar: UNTE O PAPEL MANTEIGA. Eu sei que parmesão tem bastante gordura, sei que papel manteiga não deveria grudar nas coisas. Mas gruda. Então taca óleo no papel! E também não rola de reaproveitar o papel pra uma nova leva sem untar de novo. Mas a parte boa: dá pra usar tapetes de silicone! 😀

Chips de parmesão – original aqui

parmesão ralado
temperos a gosto – usei orégano

Rale o parmesão no ralo médio para chips mais delicados, ou no ralo grosso para chips mais consistentes. Se for usar um tempero em pó, como páprica misture agora no parmesão.
Prepare uma assadeira com papel manteiga untado. Sim, precisa untar o papel manteiga. Espalhe os montinhos de parmesão pela assadeira. Eu usei duas colheres e sopa pra cada chip, e usei um cortador de biscoito para que ficassem redondinhos. Mas nada disso é realmente necessário. Se for usar um tempero que não seja em pó, como orégano, polvilhe por cima do parmesão nesse momento.
Leve ao forno, já aquecido a 200C, por cerca de 10min, ou até que dourem. Eles são mais gostoso logo em seguida, mas se for guardar a melhor opção é na geladeira, em um pote bem vedado.
chips de parmesão

Salvar

Salvar

Salvar

Pipoca Temperada de forno, agora só falta a netflix

Pipoca temperada em nova versão aqui no cozinha: agora ela vai no forno!
pipoca temperada de forno

Calma que não é pra você estourar a pipoca no forno. Quer dizer, se quiser experimentar tenta aí, e depois me conta o que que rolou. Mas aqui o forno serve pra secar o tempero e deixar a pipoca quentinha e crocante de novo.

Isso porque primeiro você estoura a pipoca, depois prepara o tempero e só então mistura tudo. Igual a nossa primeira receita de pipoca temperada. Só que ou você tem uma certa desenvoltura na cozinha pra preparar o tempero enquanto tá estourando a pipoca, e misturar tudo rapidinho antes que ela esfrie.Ou você come pipoca bem temperada mas fria… O forno acaba com esse problema: dá pra fazer tudo com calma e ainda assim comer pipoca temperada e quentinha.

Dessa vez eu fiz uma versão bem simples, com páprica e orégano só, mas dá pra colocar os temperos que quiser. E ainda pode adicionar queijo! Depois que misturar a manteiga temperada experimente adicionar parmesão ralado bem fino. Fica uma delícia! Só lembra que parmesão é salgado então talvez seja melhor diminuir o sal do tempero…
pipoca temperada de forno

E ficou afim de compartilhar essa receita com alguém? Você pode usar os botões abaixo pra escolher sua rede social favorita, ou compartilhar o vídeo pra facilitar a vida!

Pipoca Temperada de forno – original aqui

9 xícaras de pipoca estourada
60g de manteiga sem sal
3/4 colher chá de páprica picante*
1/2 colher chá de sal
1/2 colher chá de orégano*

*Vale trocar por outros temperos que você prefira

Derreta a manteiga e misture com os temperos. Derrame essa mistura sobre a pipoca e misture bem, tentando cobrir todas as pipocas. Espalhe-as sobre uma assadeira formando apenas uma camada de pipocas. Leve ao forno já aquecido a 180C por 5 minutos, misture e deixe mais 5 minutos. Sirva logo em seguida.

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Amêndoas doces e um truque pra fazer petiscos

Amêndoas doces pra serem servidas como petisco!
Amêndoas doces

Eu confesso que essas não são as amêndoas mais bonitas que eu já vi na vida…. Mas como elas são gostosas! Sabe aquele amendoim salgadinho que você não consegue parar de comer? É o caso dessas amêndoas, só que em uma versão docinha e um pouco mais crocante.

A ideia veio de uma outra receita (aqui em breve) que usa clara, açúcar e amêndoas pra criar uma casquinha crocante. E o resultado foi tão gostoso que deu vontade de experimentar só a casquinha. E funcionou: a clara ajudar o açúcar a grudar na amêndoa de forma mais consistente, o que garante uma casquinha ainda mais crocante.
Amêndoas doces

Um detalhe sobre a receita: a quantidade que dá pra fazer varia imensamente conforme o tamanho do ovo. No primeiro teste uma clara foi o suficiente para 100g de amêndoas. Já na gravação do vídeo abaixo o ovo era tão grande que dava pra ter usado 200g. Clara demais não é um problema, e de menos só complica se você não conseguir cobrir bem cada amêndoa, porque aí o açúcar não gruda.

Um última dica? Dá pra fazer a versão salgada. Já testei com amendoins e é só trocar o açúcar por uma quantidade radicalmente menor de sal que ele ficam ótimos!

Petisco de Amêndoas doces

100-200g de amêndoas cruas
1 clara
1/4 xícara de açúcar cristal
mais açúcar cristal para cobrir

Misture todos os ingredientes e espalhe em uma assadeira.  Tenha certeza de que todas as amêndoas estão cobertas pela mistura de clara e açúcar. Cubra com mais um pouco de açúcar e leve ao forno aquecido a 180°. Depois de cerca de 15minutos misture novamente e volte ao forno por mais uns 15 minutos.
Deixe esfriar antes de servir. Para guardar uma lata ou um vidro que vede bem são as melhores opções.

Salvar

Salvar

Salvar

Pesto, de patê a molho e mais variações

Pesto é um molho italiano feito, normalmente, com folhas de erva aromática (usualmente manjericão), castanha (tradicionalmente pinoli), queijo (italianamente pecorino) e temperos.
pesto em patê e biscoitos

Como adoramos fazer aqui no Brasil, essa receita já foi modificada inúmeras vezes e, hoje, encontramos pesto até de salsinha com nozes. Os sabores mudam drasticamente conforme mudam tanto a erva, quanto o queijo, quanto a castanha; e também os temperos claro. Mas acho que ficar discutindo se isso ou aquilo é ou não pesto dá na mesma que discutir se brigadeiro de capim-limão é brigadeiro ou não. A receita ficou gostosa? Cumpriu o dever de alimentar e deixar feliz? Então pronto né?

Por aqui o pesto manteve o manjericão italiano, trocou ligeiramente o queijo pra parmesão e abrasileirou completamente com a castanha de caju. E também mudei um pouco a textura. Normalmente o pesto é feito mais mole, como um molho, bom pra comer com macarrão. Eu fiz bem mais firme, na consistência de um patê, que era justamente o uso que eu tinha em mente no dia.

Também dá pra fazer uma textura meio termo e usar como recheio de pão trançado. 😉

Quer usar essa receita mas como molho? Sem problema! Adicione um pouco mais de azeite, e se quiser limão, até atingir a consistência preferida e pronto. O mesmo vale pra quem quiser trocar o queijo… Ou a castanha… Ou acrescentar uma salsinha..
Enfim como sempre por aqui: a base tá aí, agora é ó deixar sua imaginação comandar!

Pesto

3/4 xícara de parmesão ralado
1 xícara de manjericão*
3 colheres sopa de azeite
1 colher chá de sal
4 colheres sopa de castanha de caju picada
1 colher sopa de suco de limão

*Para medir o manjericão aperte bem as folhas na xícara

É só bater tudo no liquidificador; se achar que ficou muito firme acrescente um fio de azeite aos poucos.
Para um pesto rústico pique tudo com uma faca bem afiada até o tamanho desejado.

——————————-
Em 2016: Bicho de pé (aquele docinho de gelatina, sabe?)

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Quiabo com bacon – especial de natal

Quiabo é sempre babento? É servido só ensopado com frango? Não e não. Hoje honrei minhas raízes mineiras e coloquei como ingrediente principal do petisco da festa justamente o quiabo! E tem vídeo também, que é pra mostrar o quão fácil esse trem é!
quiabo-com-bacon

O quiabo pode parecer difícil de lidar, justamente por conta da baba que muita gente não gosta. Mas já vou começar com dica pra quem quer frango com quiabo não babento: é só secar muito bem e fritar ligeiramente o dito cujo que pronto, adeus baba!
A fritura evapora totalmente a água presente nele, e sem água não tem baba. E por isso mesmo esse petisco também fica sequinho! Como ele é assado em forno baixo a água evapora toda e o quiabo fica sequinho. E claro, envolto em uma deliciosa camada de bacon, que no forno fica dourado e crocante!

Agora que já te convenci que quiabo pode ser um bom petisco pra qualquer festa, bora pra receita mega simples de hoje.

Quiabo com Bacon

Quiabos
fatias de bacon
palitos

Lave e seque bem os quiabos. Corte cabinhos e pontas quebradas e então corte os quiabos mais ou menos do mesmo tamanho da largura da fatia de bacon que estiver usando. Enrole cada pedaço em uma fatia, ou em metade se elas forem bem longas. Prenda com um palito e transfira para uma forma. Nem precisa untar, a gordura do bacon dá conta. Leve ao forno, já aquecido a 180°, até que o bacon doure e fique crocante. Sirva ainda quentinho.
Dica: para um petisco menos gorduroso asse em uma daquelas formas que tem grade dentro, assim a gordura pinga e não fica em contato com os rolinhos. Ou então deixe os rolinhos escorrem 1 minutinho em uma peneira (de preferência de metal) antes de servir.

—————————–
Em 2014: Doce de leite ninho
Em 2015: Chocotone (ou panetone)

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Espiral de salsicha

Espiral de salsicha é um petisco meio bobo: salsicha com massinha de pizza. Mas o visual, ó que lindo:

Não vai ter muito o que enrolar hoje que a receita é muito simples! É mais um twist numa receita que todo mundo conhece, seja como enroladinho de salsicha, seja como cachorro quente de forno. Só que no palito! E enrolados numa espiral que parece impossível de fazer mas é moleza!
Eu usei a massa de pizza dos livros da Dona Zizi, que estão nessa casa desde antes de eu nascer, e é a massa de pizza caseira que conheço. Mas vale usar a massa de salgado assado que você tiver costume. Só não usa massa comprada pronta, mesmo. Não vale a pena…. A receita abaixo é tão simples que vale o (mínimo) esforço!
E caso o meu passo a passo descrito estiver meio confuso, aqui tem o link pro vídeo original onde aprendi a fazer!
E com a massa que sobrou eu fiz uma massa pré-assada pra deixar congelada. Apenas abri a massa com as mãos e levei ao forno por uns 10min, numa assadeira untada. Tirei do forno antes que começasse a dourar e esperei esfriar antes de embalar e levar pro congelador!

Espiral de Salsicha – original aqui

cerca de 2 xícaras de farinha de trigo
25g de manteiga sem sal pommade
120ml de leite
1 colher sopa de fermento em pó
1 pitada de sal
salsichas
palitos de churrasco

Misture os ingredientes da massa, adicionando a farinha aos poucos e amassando até conseguir uma massa lisa e coesa. Deixe descansando em uma superfície enfarinhada enquanto prepara as salsichas.
Para formar a espiral coloque uma salsicha no palito como um espetinho. Com uma faca afiada faça um corte na diagonal até o palito; com cuidado continue o corte ao longo da salsicha, sempre usando o palito como referência. É mais fácil usar a faca menos inclinada formando faixas mais largas, mas o resultado fica mas bonito com faixas mais finas. Escolha o que te parecer melhor.
Divida a massa na quantidade de espetinhos que você for fazer (eu fiz doze e sobrou massa). Com cada bolinhas de massa faça um cordão longo e fino e coloque no corte feito na salsicha. Comece pela ponta do espetinho e no final enrole a massa no próprio palito para não soltar, se preciso aperte um pouco pra prender bem.
Asse em forno aquecido a 200° em uma assadeira untada até a massa dourar.

———————————-
Em 2015: Fake Pringles

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Propoleta de queijo coalho

Mais um petisco no estilo bolinho de queijo, dessa vez com queijo coalho!

Essa receita tava anotada num papelinho já faz um tempo por aqui, e eu ficava buscando uma data legal pra experimentar. Até que deixei isso pra lá e fiz num dia de semana qualquer porque a vida é muito curta pra esperar data especial e é bom começar a por isso em prática logo…rs

A ideia é uma massa cozida, tipo de coxinha, envolvendo um pedaço de queijo e frita depois. Delícia né? E fica mesmo! E é bem fácil de fazer, tanto que fiz uma batelada e congelei um bocado pra ir fritando aos pouquinhos quando desse vontade de comer.
Eu usei queijo coalho porque era o que tinha na geladeira.

(Já repararam como essa frase aparece muito por aqui? Regra de ouro da casa: bora aproveitar o que tem na geladeira)

Vale fazer com outros queijos? Vale! A textura final vai depender disso, então mussarela vai ficar mais puxa por exemplo. Aí é só pensar no resultado final que você quer e escolher o queijo de acordo. A receita original usava queijo minas meia cura, e sim, eu quero tentar com ele na próxima vez.

Falando na receita original, ela tava anotada com o nome “propoleta de queijo do cozinhadibuteco” sem origem. E não encontro em lugar nenhum, nem de onde copiei a receita, nem quem criou. Então, por favor, se alguém aí souber quem fez, quem publicou, alguma pista, comenta pra eu poder dar os créditos direitinho! 🙂

Propoleta de queijo coalho – original do Festival Comida de Buteco

25g de manteiga sem sal
1 xícara de caldo
1 xícara de leite
sal e pimenta a gosto
farinha de trigo quanto baste
queijo coalho – usei uns 2 palitos
ovo e farinha de rosca pra empanar

Em uma panela junte a manteiga, o caldo e o leite e esquente até ficar homogêneo. Desligue o fogo e vá juntando a farinha e misturando muito bem pra tirar todas as pelotas.
Acrescente farinha até a massa ficar na consistência de uma pomada, já vai ser o suficiente pra modelar as propoletas. Prove a massa e acrescente sal e pimenta conforme o seu gosto.

Deixe esfriar o suficiente para conseguir modelar sem queimar as mãos, e enquanto isso corte cubinhos do queijo. Antes de começar a modelar unte as mãos com uma gota de gordura (vale óleo, manteiga, azeite…)

Pegue uma colherada de massa e abra na palma da mão; coloque o cubinho de queijo no meio da massa e feche formando uma bolinha. Repita ad infinitum. Propoletas todas montadas é só passar no ovo batido, na farinha de rosca e fritar!
Se quiser também pode passar no ovo, na farinha e congelar pra depois.

PS: tá vendo aqueles palitinhos nas fotos? É restinho de massa que sobrou quando o queijo acabou. Só enrolei numa tira e cortei os palitinhos e depois empanei e fritei normalmente. Não tem tanto charme quanto a propoleta completa mas é bem gostoso também.

——————————
Em 2015: Bolo de fubá

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar