Bolo de chocolate com cobertura, aka poke cake

Bolo de chocolate com cobertura, servido na travessa que é pra facilitar a vida. E ainda tem truque fácil pra multiplicar a deliciosidade!
bolo de chocolate com cobertura

Já ouviu falar em poke cake? É um tipo de bolo comum nos States da vida, e em outros países de língua inglesa. A grande diferença? Você fura o bolo, já assado, antes de colocar a cobertura! Daí que vem o nome poke cake: poke quer dizer cutucar, e é exatamente isso que você faz pra furar o bolo. A ideia é fazer furos bem grandes, como com o cabo de uma colher de pau, para que fiquem preenchidos com a cobertura. Entendeu a delícia? E dá pra fazer com várias combinações de sabores.

Inclusive, aqui já apareceu um bolo de cenoura com falso pudim de chocolate que é um poke cake!

Hoje a combinação é a mais simples de todas: chocolate com chocolate. Pro bolo escolhi a receia base da casa: o bolo de chocolate da minha mãe. A única diferença é que usei leite no lugar da água quente. Isso dá um pouco mais de sustância pro bolo. E a cobertura foi inspirada no recheio da torta de leite. Amei a textura daquele creme! Então só adaptei a receita pro sabor chocolate. Fica a dica caso você queira uma torta de chocolate.
bolo de chocolate com cobertura

Bolo de chocolate com cobertura

Bolo
1 xícara de açúcar
1 xícara de chocolate em pó
2 xícaras de farinha de trigo
1/2 colher sopa de fermento em pó
2 ovos
1/4 xícara de óleo
1 xícara de leite

Misture todos os ingredientes secos. Adicione os ovos e o óleo e misture até ficar parecendo uma farofa. Então junte o leite e misture até a massa ficar homogênea. Transfira para um refratário untado e leve ao forno, a 200C, até que asse completamente.

Cobertura
2 xícaras de leite
25g de manteiga sem sal
1 1/2 colher sopa de amido de milho
1/2 xícara de açúcar
2 ovos
4 colheres sopa de chocolate em pó

Misture todos os ingredientes e leve ao fogo médio até engrossar.

Montagem
Com o cabo de uma colher de pau (ou algo semelhante) faça furos em toda a superfície do bolo. Cubra com o creme ainda quente, espalhando bem pra cobrir todo o bolo. Se quiser pode cobrir tudo com granulado ou seu confeito favorito.

—————————–

Em 2014: Bolo Mármore

Bolachinhas de gengibre com limão

Bolachinhas de gengibre com limão, juntando dois extremos pra mim: o frescor do limão que lembra o verão chegando, com o conforto do gengibre, ainda em clima de inverno!
bolachinhas de gengibre com limão

Essas bolachinhas são mais uma receita anotada as pressas num caderninho durante um dos cursos da Eduk. Por acaso o mesmo curso do Tom Abrahão onde aprendi o Cantuccini de amêndoas. E justamente por terem sido anotadas na pressa, não tenho ideia se são bolachinhas, ou biscotti, ou biscoito, ou rosquinhas… No caderno tava só gengibre com limão. Sim, já me dei uma bronca por isso!

Deduzindo a partir dos ingredientes e das poucas informações de passo a passo, decidi fazer como bolachinhas de gengibre com limão mesmo. E, antes que a dúvida biscoito ou bolacha apareça, já explico: por aqui bolacha é um tipo de biscoito. Mais especificamente: bolacha é quando você modela uma bolinha de massa pra depois achatar, seja com o dedo, uma xícara ou um carimbo.

Histórias a parte, o resultado é delicioso! Gengibre e limão combinam muito bem, e ainda tem um toque muuito leve do cravo, deixando as bolachinhas perfumadas mas leves. E  textura é quase que de um bolinho, tipo cookie macio sabe? E dá pra deixar mais crocante? Até dá, é só deixar no forno até dourar bem. Mas essa maciez funcionou pra mim, já que saiu do óbvio crocante da maioria dos biscoitos.

Por último as mudanças: Adaptei as medidas pois estava tudo em gramas. E troquei a cobertura! Originalmente iriam pedacinhos de gengibre cristalizado, mas preferi usar o meu gengibre em calda mesmo. Pra quem quiser fazer, a receita tá nesse post, e é bem fácil. Pra quem preferir a versão cristalizada é só colocar por cima de cada bolachinha antes de ir ao forno.
bolachinhas de gengibre com limão

Bolachinhas de gengibre com limão

2 xícaras de farinha de trigo
1 colher sopa de gengibre em pó
1 1/2 colher chá de cravo em pó
3/4 xícara de açúcar refinado
180g de manteiga pommade
1 ovo pequeno
2 colheres chá de raspas de limão
10ml de suco de limão
fatias de gengibre em calda – opcional

Bata a manteiga com o açúcar até ficar bem fofo. Acrescente o limão, os temperos e o ovo e bata novamente até ficar homogêneo. Vá adicionando a farinha aos poucos e misturando delicadamente até incorporar totalmente. Se a massa ficar muito mole pra enrolar leve para a geladeira por cerca de meia hora. Modele bolinhas de massa e amasse ligeiramente. Eu usei uma xícara com o fundo enfarinhado, mas vale o método que você preferir. Se for usar o gengibre em calda, coloque uma fatia em cima de cada bolachinha depois de achata-las. Leve ao forno já aquecido a 200C até que o fundo doure; não precisa esperar o topo dourar. Espere que esfriem completamente antes e guardar em uma lata com tampa.

——————————

Em 2014: Bolo formigueiro
Em 2015: Condessa refrescante

Limonada de alecrim, ainda inventando com limões

Limonada de alecrim? É isso mesmo, e fica gostoso! Diferentão mas, pra quem já cansou da limonada normalzinha, é uma opção ótima!

Essa é mais uma das receitas que eu olhei a foto, achei linda, li o original e achei que a gringa tava louca. Onde já se viu juntar água quente com limão inteiro? Mesmo assim a água quente fazia sentido pra hortelã. É que essa erva libera muito mais aroma quando quente. Resolvi experimentar.
limonada de alecrim

E deu certo! Até porque, não tivesse dado não estaria aqui né? Mas enfim, deu certo com observações e adaptações, claro. Ignorei a baunilha; não me entra na cabeça misturar baunilha com cítricos. Pra quem gosta da combinação é só misturar 1 colher sopa de essência na hora de fazer a infusão.

Agora adaptações pra deixar a limonada de alecrim no seu gosto. Quando você colocar água quente junto da casca de limão ela libera muuuuito aroma/sabor, que não é igual ao aroma/sabor da poupa. Se você não gosta do sabor da casca, esprema todos os limões mas usar apenas metade das “metades” pra infusão. Se a mera ideia do aroma da casca te faz desistir dessa receita, não desista. Esquente a água com as ervas e o açúcar, fazendo um chá. Então esfrie essa mistura e junte o sumo de limão.

Seja qual for o método escolhido, não esqueça de tampar a vasilha. O aroma/sabor da hortelã é muito volátil, e se não tampar a vasilha passou meia hora não tem mais sabor de nada. E como sempre é bom lembrar: cada limão uma limonada. Eu usei capeta (cravo?) e ficou bem ácida. Com sicilianos fica mais suaves, com galegos mais cítrica, e por aí vai….

Mas Sabrina, nenhuma recomendação sobre o alecrim? Gente, se alguém não gosta de alecrim não vai nem chegar até aqui no texto né? Taca alecrim que fica gostoso.

Limonada de Alecrim – original aqui

4 xícaras de água fervendo
4 limões grandes
1/2 xícara de açúcar
5 ramos de hortelã
1 ramo de alecrim

Em uma vasilha esprema os limões, junte as metades espremidas, as ervas e o açúcar. Cubra com a água quente e tampe. Deixe descansando por cerca de 30min. Coe e transfira para uma vasilha com gelo. Se quiser também acrescente algumas fatias de limão e ramos de hortelã e alecrim par enfeitar.

—————————–

Em 2014: Pudim de Tapioca

Torta de Leite, e como um básico pode ser gostoso!

Torta de leite, que também pode ser chamada de torta de creme, ou de baunilha já que todos esses sabores se encontram no recheio.
torta de leite

A princípio fiquei tentada a traduzir essa receita para torta de mingau. É que o passo a passo do recheio se parece muito com o mingau de Maizena, que conheço desde pequena; e achei que o resultado também seria muito parecido. Só que não, o creme dessa torta é bem mais rico e cremoso que o mingau, e de certa forma mais leve também! Acabei decidindo por deixar o nome como no original em inglês: torta de leite.
torta de leite

A massa  é básica também, mas chama atenção por não usar manteiga gelada como a maioria. O resultado é que não fica tão crocante quanto as outras também. Pra um recheio tão levinho, acabei gostando da massa mais macia; mas pra quem não abre mão de massas crocantes, vale a pena experimentar a da torta de pêssegos.

Não mudei quase nada na adaptação, apenas diminuindo pra metade e acertando as medidas para valores comuns por aqui. E aí que eu achei que poderia ter um pouquinho mais de recheio. Então se sua forma for de 20cm exatos a quantidade vai dar certinho, mas se for pouco maior, como a minha de 21,5cm, pode parecer que ficou faltando recheio. Minha ideia? Faça receita e meia de recheio e se sobrar alguma coisa deixe gelar num potinho tampado. Fica uma sobremesa mais simples, e ainda assim gostosa.

Um último detalhe: como dá pra ver no vídeo, eu uso britas como peso para massa. É possível usar todo tipo de coisa: feijões, bolinhas de cerâmica, pesos próprios, e até pedras, como eu. Se elas forem a sua escolha, basta lavar um punhado de britas novas e deixar de molho no álcool por algumas horas. Depois é só secar e guardar em uma vasilha fechada.

Torta de Leite – original aqui

Massa
100g de manteiga pommade
1/2 xícara de açúcar refinado
1 gema
2 colheres chá de água gelada
1 xícara de farinha de trigo

Bata a manteiga e o açúcar até conseguir um creme. Junte a água e a gema e bata novamente. Adicione a farinha e amasse apenas até conseguir uma massa homogênea, que vai estar bem grudenta. Enrole em filme plástico e leve a geladeira por 1 hora. Em uma superfície enfarinhada abra a massa e forre o fundo e as laterais de uma forma de cerca de 20cm. Volte a geladeira por mais 30min para a massa firmar um pouco. Cubra com papel alumínio e coloque pesos em cima (mais detalhes no texto acima). Leve ao forno, aquecido a 180C, até que as bordas dourem.

Recheio
1 xícara de leite
10g de manteiga
2 colheres chá de farinha de trigo
2 colheres chá de amido de milho
4 colheres sopa de açúcar
1 ovo
1/2 colher chá de baunilha
Açúcar com canela pra cobrir

Cozinhe todos os ingredientes em fogo baixo até conseguir um creme liso. Vale dissolver farinha e amido no ovo antes de qualquer coisa, pra evitar pelotas. Cubra a massa da torta com o recheio ainda quente. Cubra com açúcar e canela imediatamente se quiser que derretam e formem uma calda por cima. Ou cubra na hora de servir pra que não derreta.

——————————-
Em 2014: Bolo Cítrico

Bolo de rocambole, aka baunilha e doce de leite

Bolo de rocambole é um bolo montado normalzinho (bolo, recheio bolo) mas seguindo os sabores do tradicional rocambole mineiro: massa de baunilha e recheio de doce de leite. E ainda tem cobertura de chocolate pra finalizar!
bolo de rocambole

Esse foi o bolo de aniversário da cozinheira mor da casa (oi mãe!) e, creio eu, foi escolhido pra aplacar vontade de comer rocambole… Embora o nome sirva pra qualquer bolo assado baixo e enrolado sobre um recheio, por aqui rocambole quer dizer uma receita bem específica: pão de ló simples, enrolado com doce de leite. E pronto. No máximo um doce de leite por cima pra dar uma cobertura. E foi quase isso que eu fiz, só que sem enrolar, então bolo de rocambole!

O bolo não é um pão de ló de verdade porque leva mais do que farinha, açúcar e ovo. Mas chega bem perto, e é uma ótima opção de bolo básico e leve pra combinar com qualquer recheio! A receita abaixo é o suficiente pra 2 formas de 20cm de diâmetro. A que eu tenho é de 21,5 e deu tudo certo. Ficou um pouco mais baixo do que eu gostaria? Ficou, mas não o suficiente pra atrapalhar o equilíbrio do bolo, nem sua beleza. Só não aconselho a assar tudo em uma só e partir o bolo depois. Essa massa tende a esfarelar bem antes de molhada, então é melhor fazer meia receita assar e depois repetir.

O recheio foi a velha (e boa) mistura de doce de leite com creme de leite sem soro, apenas pra tirar o excesso de doçura. Nunca o suficiente pra deixar o doce mole demais. Outra dica? Se o bolo for ficar exposto na mesa da festa acrescente gelatina em pó no recheio. Acho que uma colher de chá pra essa quantidade deve ser o suficiente. Hidrate conforme a embalagem e vá adicionando o creme de leite aos pouquinhos, só depois junto no doce de leite. O recheio vai ficar um pouco menos cremoso do que o original, mas o seu bolo vai durar mais fora da geladeira sem risco de afundar com o calor.

Por último a cobertura que forma uma das minhas combinações favoritas: chocolate e doce de leite. A ganache aqui foi de chocolate ao leite, mas pode ser de qualquer tipo. Se for usar chocolate branco mantenha as proporções abaixo, se for usar chocolate meio amargo precisa de mais creme. Normalmente a proporção 2:1 funciona, isso quer dizer 300g de chocolate pra 150g de creme.

Também acho sempre bom lembrar dois detalhes: não deixe a ganache na geladeira pra agilizar o processo, fica um saco alisar o bolo depois. E vale sim usar creme fresco, caso você tenha por aí, vai ficar um pouco mais cremoso, mas nada absurdamente diferente.
bolo de rocambole

Bolo de rocambole

Bolo – original aqui

6 ovos – clara e gema separadas
1 pitada de sal
1 xícara de açúcar refinado
1 colher chá de baunilha
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher chá de fermento em pó

Comece preparando duas formas redondas, com cerca de 20cm de diâmetro: unte as formas, forre com papel manteiga e então unte o papel manteiga.
Bata as claras em neve junto do sal e reserve.
Em outra vasilha bata as gemas com o açúcar e a baunilha até obter um creme bem fofo e claro. Peneire por cima dessa mistura a farinha e o fermento e bata apenas até incorporar. Adicione as claras em neve aos poucos, misturando delicadamente a cada adição. Quando a mistura estiver homogênea divida entre as duas formas e asse em forno já aquecido a 200C. Não precisa esperar dourar, apenas assar completamente. E espere esfriar totalmente antes de desenformar.

*Se tiver apenas uma forma faça metade da massa, asse, espere, desenforme e então faça a outra metade.

Recheio

800g de doce de leite
4 colheres sopa de creme de leite sem soro

Misture os dois e reserve. Se quiser salve 1/2 xícara para enfeitar o bolo depois.

Cobertura

300g de chocolate ao leite
100g de creme de leite sem soro

Derreta o chocolate em banho-maria. Retire do calor, acrescente o creme de leite e misture até conseguir uma mistura homogênea. Guarde em um recipiente com tampa até que firme. Não precisa gelar.

Montagem

1 xícara de água
1 xícara de açúcar

Leve água e açúcar ao fogo apenas até ferver. Deixe esfriar antes.

Se os bolos estiverem muito desnivelados acerte-os deixando os topos mais retos. Molhe bem os bolos com o xarope. Vale molhar o topo, virar o bolo de cabeça pra baixo e molhar o outro lado também. Transfira um bolo para o prato/prancha/base que for usar mantendo o topo pra cima. Cubra com o recheio, deixando o doce de leite o mais nivelado possível e sem deixar transbordar por cima do bolo.

Cubra com o segundo bolo, deixando o topo pra baixo, assim a parte mais reta (fundo) fica pra cima. Aperte ligeiramente, apenas pra assentar tudo, e cubra com papel manteiga (ou acetato) untado. Esse papel eu untei com óleo mesmo, e usei uma fita crepe pra segurar o papel no lugar. Isso vai impedir que o doce escape entre as camadas e seu bolo de rocambole desmorone. Leve para a geladeira por pelo 2 horas, ou de uma dia pro outro.

Misture bem a cobertura e cubra o bolo com ela. Eu gosto de usar uma espátula para espalhar e uma  régua de plástico (exclusiva da cozinha) pra deixar as laterais o mais lisinhas que consigo. Enfeite como preferir e volte pra geladeira bem rapidinho. A ganache vai endurecer e segurar o doce de leite no lugar. Pra quem prefere uma cobertura bem macia, retire o bolo da geladeira 30min antes de servir.
bolo de rocambole

—————————–

Em 2014: Curau de milho

Delícia de manga, o drink

Delícia de manga, que é pra manter os nomes dos drinks bem objetivos: é um drink, feito de manga e é uma delícia.
delícia de manga

Eu vou arriscar dizer que dá pra fazer delícia de a fruta que você quiser… É que essa receita além de bem fácil é bem versátil, tendo uma base que combina com tudo: gelo, vodka, xarope simples e limão.

Sim, dá pra usar açúcar no lugar do xarope. Mas, se você tem costume de fazer drinks sempre, é mais fácil deixar uma garrafa de xarope na geladeira. É só ferver açúcar e água, na mesma quantidade, e deixar esfriar antes de engarrafar. Dura mais de semana na geladeira.

Outra vantagem do xarope? Fica mais fácil acertar o doce da bebida. A minha manga estava bem madura  bem docinha, então essas medidas foram exatas. Mas sempre é bom experimentar antes de servir; e se precisar de mais doce é só acrescentar um pouco de xarope (mais fácil de dissolver que açúcar). Se estiver doce demais é só acrescentar mais limão.

Mais uma opção de mudança? Tira a vodka e pronto, um slush de manga delicinha pra todo mundo!

Agora é só pegar suas frutas favoritas e fazer a sua combinação! Enquanto isso vou ver se esse drink vira picolé…

Delícia de Manga – original aqui

2 1/2 doses de vodka
1 dose de limão
1 1/3 dose de xarope simples
1 xícara de manga em cubos
2 xícaras de gelo

Junte todos os ingredientes em um liquidificador e bata até obter uma mistura homogênea. Sirva em duas taças.
Se seu liquidificador não aguenta bater o gelo, tem truque! Enrole as pedras de gelo em um pano e bate com um martelo ou o rolo de macarrão. Daí é só transferir para o liquidificador e pronto!

—————————–

Em 2014: Patê de berinjela

Cookies de chocolate e menta pra se apaixonar!

Cookies de chocolate e menta, porque eu amo essa combinação! Ainda mais no formato de cookies macios e com pedaços de chocolate no meio…
cookies de chocolate e menta

Esses cookies vieram do site da Nigella e, como a maioria das receitas dela, é beeeeem rica! Os cookies são macios, com bastante chocolate em pó e ainda mais pedaços de chocolate. Pra quem ama cookies ricos essa é a receita ideal. Mas pra quem prefere cookies mais crocantes, finos ou leves, é melhor procurar outra. Isso porque a ideia aqui é adaptável pra outras receitas.

Já falei que amo um adaptável, substituível, customizável?

Pra isso basta pegar a receita do glacê de menta e usar na sua receita favorita de cookie de chocolate. Agora, adorou a ideia dos cookies mega ricos mas odeia o menta do cookies de chocolate e menta? Tranquilo! O licor só vai no glacê, então é só pular essa parte e pronto: cookies deliciosos pra você também!
cookies de chocolate e menta

Não tem licor de menta? Dá pra usar extrato. A receita original tem o glacê beeem diferente e usa extrato de menta, então tudo bem. Só não umedece o açúcar apenas com o extrato porque vai ficar super forte. Começa com água pura e vai acrescentando a menta aos poucos. E se quiser verdinho é só acrescentar um pouco de corante junto. O segredo nesse caso é o “aos poucos” já que não tem medida exata.

Agora que todos os poréns e todas as mudanças foram abordados… Vai fazer esse biscoito que ele é uma delícia!! E não esquece de tirar uma foto e marcar a gente (cozinharoman em TODAS as redes sociais) pra eu poder ver!

Cookies de chocolate e menta – original aqui

100g de manteiga pommade
6 colheres sopa de açúcar mascavo
1 colher chá de baunilha
1 ovo
1 xícara de farinha de trigo
2/3 xícara de chocolate em pó 50%
1/2 colher chá de fermento em pó
1 xícara de chocolate em gotas – ou picado

1/2 xícara de açúcar de confeiteiro
licor de menta – quanto baste

Bata a manteiga e o açúcar até formar um creme. Junte o ovo e a baunilha e bata novamente. Quando conseguir uma mistura homogênea junte farinha, chocolate em pó e picado e fermento e misture apenas até incorporar. Divida a massa em colheradas, formando uma bolinha com cada uma, e transfira para uma assadeira com papel manteiga. Deixe cerca de 2cm entre cada uma. Asse em forno, já aquecido a 200C, por cerca de 15min. Deixe esfriar na forma mesmo.

Enquanto isso prepare o glacê: vá adicionando o licor ao açúcar de confeiteiro e misturando até obter uma consistência de mel. Espalhe o glacê sobre os biscoitos como preferir e espere secar antes de servir.

—————————

Em 2014: Lemon Curd Misto

Cocadinha Assada – receitas de famílias

Cocadinha assada, um quitute, uma quitanda, um docinho… que de cocada mesmo só tem o coco! Mas que não é por isso que vai ser menos gostosa!
cocadinha assada

Essa receita veio pra mim num caderno de receitas de família de uma amiga da minha mãe… (amo esses caminhos que as receitas fazem!) E eu meio que me enganei com ela. Quando li a receita imaginei uma cocada mais úmida, tipo um doce de leite com coco versão pra cortar. Só que quando fiz vi que não é nada disso!

Essa cocadinha assada parece mais um híbrido de quindim com queijadinha! Ela forma um bolinho cheio de coco, igual a queijadinha. Mas com base, ou topo se você preferir desenformar, bem parecendo um pudim, tipo quindim! É docinha, é úmida, tem muito coco… Enfim, me enganando ou não essa cocadinha é uma delícia! Pra quem for mais formiga ela até vai no café, ou na boquinha do meio da tarde, mas pros mais normais acho que ela vira uma boa sobremesa.

Mudanças? Quase nenhuma. Adaptei as medidas pra padrão que é pra facilitar a vida. E não usei coco fresco. Sim, fica mais gostoso com ele, mas tava sem paciência pra ralar coco. Hidratei o de pacotinho mesmo. É só medir a quantidade pedida na receita e deixar de molho na água morna (nunca fervendo) por cerca de 2h. Depois é só passar por uma peneira beeem fina, ou um pano, ou espremer com a mão mesmo. Dá um jeito de tirar o líquido que sobrou.

Dá pra deixar de um dia pro outro? Dá, mas não precisa. Pode deixar de molho no leite? Pode, e fica uma delícia.  Pode usar o coco sem hidratar? Não recomendo, vai puxar a umidade da massa e sua cocadinha assada vai ficar ressecada. Pode usar o coco fresco? Pooooode, deve, vai fundo!

cocadinha assada

Cocadinha assada

10g de manteiga pommade
4 colheres sopa de açúcar
4 ovos – claras e gemas separadas
1 lata de leite condensado
1 1/4 xícara de coco ralado*

*dá uma olhada no texto ali em cima

Bata a manteiga com o açúcar até formar um creme fofo. Adicione as gemas e bata novamente até ter um creme homogêneo. Junte o coco e o leite condensado, misture bem e reserve.
Bata as claras em neve, ponto firme. Vá adicionando a mistura de coco, em 3 partes, misturando delicadamente entre cada adição.
Divida a massa em forminhas de cupcake. Para desenformar unte bem as forminhas ou use de silicone. Asse em forno aquecido a 200C até que comecem a dourar. E sempre espere esfriar bem antes de desenformar.

PS: o forno TEM que estar aquecido, do contrário sua cocadinha vai separar demais e ficar um pudim de ovos embaixo e coco seco por cima.

——————————–
Em 2014: Bolo de abóbora
Em 2015: Couve Flor gratinada

Slush de melancia – com ou sem álcool

Slush de melancia, mas pode chamar de raspadinha chique porque é isso mesmo: drink, alcoólico ou não, meio congelado e mais gostoso que um suco normal!
slush de melancia

Então começando do começo, slush é qualquer tipo de suco batido com muito gelo. Muito sendo o suficiente pra que o suco fique quase que na consistência de um sorvete. A diferença de um drink frozen? Nenhuma. Mesmo. Normalmente usam slush pra quando o suco de fruta é a maior parte do drink e frozen pra quando a bebida alcoólica é a maior parte. Mas dá pra chamar drink congelado não alcoólico de frozen? Dá sim, o drink é seu e coloca o nome que quiser… Certo?

A diferença pra raspadinha? Nesse caso você serve o gelo puro no copo e cobre com o suco líquido. E isso acaba mudando muito o resultado final.

E ainda dá pra escolher se esse drink vai ser alcoólico ou não. É que o outro detalhe do slush é que você pode completar com uma bebida borbulhante pra adicionar mais uma textura! Em casos alcoólicos o mais comum é um espumante ou um vinho frisante branco. Pra quem prefere sem álcool soda é o mais comum, mas pode ser água com gás mesmo.

Favor não confundir essa bebida caseira com os slushies vendidos em máquinas… É a mesma coisa que dizer que aquela casquinha do palhaço é igual um sorvete de creme feito em casa….

A receita abaixo é a base. Daí você pode escolher: servir o slush puro, adicionar soda ou espumante. Oooou o mais comum quando é bebida pra festa toda: Slush puro em uma jarra, e garrafas de refri, água, espumante, etc, pra cada um montar seu drink!

Slush de Melancia

3 xícaras de melancia em cubos
2 colheres sopa de limão
1-2 colheres sopa de açúcar
1 xícara de cubos de gelo
complemento a gosto: soda, água com gás, espumante, vinho branco, etc

Em um liquidificador bata a melancia, o limão, o açúcar e o gelo.
Para servir individualmente: sirva o slush em uma jarra, apenas até a metade, e complete com o complemento escolhido.
Para servir versão festa: sirva o slush em uma jarra e os complementos ao lado, pra cada um montar o seu.

—————————
Em 2014: Bolo surpresa de maracujá

Bolo temperado de rum, e tchau inverno!

Bolo temperado de rum que também pode ser apenas bolo temperado ou só bolo de rum com canela… Ou a variação que você quiser!
bolo temperado de rum

É verdade que o rum faz diferença no sabor? É. É verdade que o álcool evapora no forno e só sobra o sabor da bebida? É. Mas se você não gosta de bebida de jeito nenhum, ou não tá afim de comprar uma garrafa só pra fazer esse bolo, tem solução! Dá pra fazer um bolo só temperado e ignorar a parte do goró na massa. Não vai ficar a mesma coisa mas continuar gostoso. Também dá pra alterar a bebida. Não tem rum vai o que tiver no bar. De novo: o bolo vai sair diferente? Vai, mas vai continuar gostoso e você terá sua versão exclusiva.

E falando em versão exclusiva, o mesmo vale pros temperos! O original é um all spice cake, o que quer dizer não só um punhado de especiarias, como uma que é feita de vários temperos juntos. Não tenho all spice, mas sei do que é feito e dei uma adaptada pra ficar parecido. Quem não tem cravo ou gengibre em pó, pode ferver um pedacinho de cada um no leite e deixar esfriar antes de usar. Não tem ideia de onde arranjar páprica doce? Ignora ela! Seu bolo vai continuar fofinho e perfumado.

O mesmo vale pra quem não é fã de canela. Melhor bolo temperado de rum sem a canela que você sem bolo né?
bolo temperado de rum

Tirando todas essas modificações possíveis, a receita parece enorme mas é bem simples. E o resultado é um bolão! Pra quem tiver na dúvida do tamanho da forma, essa massa cabe com folga em uma forma de 12 xícaras, e é a conta pra uma forma de 10 xícaras. Maior ou menor que isso pode não dar um resultado tão bom.

E pra terminar esse post enorme com duas dicas que são sempre boas de relembrar. Se sua forma de fundo falso não veda muito bem é só forrar por fora com papel alumínio. Tomando cuidado pra não ficar nenhum espaço descoberto, vai ficar tudo bem. E pra quem não tiver memória igual eu, ou resolveu fazer o bolo e só tem manteiga gelada: use o ralador! Rale a manteiga no ralo grosso e bata ela sozinha um pouco antes de acrescentar o açúcar.

Bolo temperado de rum – original aqui

2 1/3 xícaras de farinha de trigo
1 1/4 colher chá de fermento em pó
1 colher chá de bicarbonato de sódio
1 colher chá de sal
1 1/2 colher chá de canela
1 colher chá de gengibre em pó
1/2 colher chá de cravo em pó
1/4 colher chá de noz moscada
1/4 colher chá de páprica doce
100g de manteiga pommade
1 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de açúcar cristal
2 ovos
2 colheres chá de baunilha
1 1/4 xícara de leite
1 1/2 colher chá de limão – ou vinagre
2 colheres sopa de rum

Misture o leite com o limão e deixe descansando por pelo menos 20min.
Misture todos os ingredientes secos, exceto os açúcares, e reserve.
Bata a manteiga com os açúcares até conseguir um creme fofo. Ainda batendo vá adicionando a mistura seca e o leite azedo, alternando um pouco de cada um de cada vez. Quando tudo estiver misturado e homogêneo, acrescente o rum.
Asse em forno aquecido a 200 e em um forma untada e enfarinhada. Espere esfriar antes de desenformar.
bolo temperado de rum

—————————–
Em 2014: Doce de laranja