Summertime, drink pra matar a saudade do calor

Summertime, pra quem tá praguejando contra o outono e quer mais é que o verão continue!
Drink Summertime

Esse drink apareceu pra mim enquanto eu zapeava pelo site da Absolut (que não tá patrocinando mas tem receitas ótimas, então eu recomendo). E admito que dessa vez mudei bastante a receita. Mas eu já contei que gosto de coisas doces?

Drinks refrescantes e docinhos são meus favoritos, e esse não tinha nenhum ingrediente puxando pro doce! Então resolvi trocar o vermouth seco por um doce. Se você não faz questão de suavizar o seu Summertime fique com o vermouth seco que tá tudo certo!

Eu também reduzi a quantidade de limão porque esse que usei estava extremamente ácido. (a natureza não segue padrões as vezes) Pode usar a mesma quantidade de limão do que de vodka? Pode. Te conselho a provar antes? Aconselho! Coloca metade de limão, prova e se achar necessário aumenta a quantidade.

No mais é só ter atenção pro tamanho do copo e quanto gelo vai nele. Num copo pequeno, ou com muito gelo, vai pouca quantidade de água tônica e o drink fica mais forte e menos amargo. Num copo grandão, ou com menos gelo, as bebidas serão mais diluídas mas o sabor da água tônica ficará ais forte.

PS: procurando pela história do drink (que não achei) encontrei essa outra versão, beem diferente. Essa leva licor de laranja, grenadine e suco de laranja e sim, já está na lista de testes daqui do Cozinha.

Summertime – original aqui

1 dose de vodka
1 parte de vermouth*
1/2 parte de limão*
agua tônica
gelo
fatia de limão pra decorar

*pra maiores detalhes sobre esses ingredientes tem o texto ali em cima

Encha um copo alto com gelo. Adicione a vodka, o vermouth e o limão, nessa ordem. Complete com a água tônica e enfeite com uma fatia fina de limão.

——————————
Em 2015: Bolo de chocolate – o meu favorito da vida, o bolo da minha infância, aquele que eu nem preciso ler a receita…

Salvar

Salvar

Salvar

Amêndoas doces e um truque pra fazer petiscos

Amêndoas doces pra serem servidas como petisco!
Amêndoas doces

Eu confesso que essas não são as amêndoas mais bonitas que eu já vi na vida…. Mas como elas são gostosas! Sabe aquele amendoim salgadinho que você não consegue parar de comer? É o caso dessas amêndoas, só que em uma versão docinha e um pouco mais crocante.

A ideia veio de uma outra receita (aqui em breve) que usa clara, açúcar e amêndoas pra criar uma casquinha crocante. E o resultado foi tão gostoso que deu vontade de experimentar só a casquinha. E funcionou: a clara ajudar o açúcar a grudar na amêndoa de forma mais consistente, o que garante uma casquinha ainda mais crocante.
Amêndoas doces

Um detalhe sobre a receita: a quantidade que dá pra fazer varia imensamente conforme o tamanho do ovo. No primeiro teste uma clara foi o suficiente para 100g de amêndoas. Já na gravação do vídeo abaixo o ovo era tão grande que dava pra ter usado 200g. Clara demais não é um problema, e de menos só complica se você não conseguir cobrir bem cada amêndoa, porque aí o açúcar não gruda.

Um última dica? Dá pra fazer a versão salgada. Já testei com amendoins e é só trocar o açúcar por uma quantidade radicalmente menor de sal que ele ficam ótimos!

Petisco de Amêndoas doces

100-200g de amêndoas cruas
1 clara
1/4 xícara de açúcar cristal
mais açúcar cristal para cobrir

Misture todos os ingredientes e espalhe em uma assadeira.  Tenha certeza de que todas as amêndoas estão cobertas pela mistura de clara e açúcar. Cubra com mais um pouco de açúcar e leve ao forno aquecido a 180°. Depois de cerca de 15minutos misture novamente e volte ao forno por mais uns 15 minutos.
Deixe esfriar antes de servir. Para guardar uma lata ou um vidro que vede bem são as melhores opções.

Salvar

Salvar

Salvar

Bolo crepe prestígio, e vai ter mais sabores viu…

Bolo crepe é isso aí né: um monte de crepe empilhado com recheio entre eles, formando um bolo. E nem precisa mais nada pra ficar gostoso! Mas ainda tem uma coberturinha porque eu não tenho juízo….
bolo crepe prestígio

Eles ficaram na moda algum tempo atrás, mas acabou que eu nunca tinha experimentado o tal bolo crepe. Principalmente porque a maioria das receitas que eu tinha visto eram com buttercream, recheio que não faz muito sucesso aqui em casa. Então estava eu pensando qual recheio usar pra esse tipo de bolo quando me aparece uma foto de um beijinho (deve ter sido no Pinterest…)

Pronto, problema resolvido: bolo crepe recheado com beijinho. E pra ficar mais bonito com massa de chocolate que aí já vira um bolo crepe prestígio!
bolo crepe prestígio

A receita da massa veio de uns crepes smores gringos e tudo que eu fiz foi dobrar a receita pra render um bolo de altura decente. Aliás, a ideia dos crepes smores é bem boa: recheia com marshmallows derretidos, biscoitos quebrados e pedaços de chocolate. Não tem como não ficar bom.

Uma dica: não use receita de massa de panqueca. Ela não tem a elasticidade necessária pra fazer os discos tão fininhos quanto os crepes.

Ainda nos crepes: a quantidade deles varia de acordo com o tamanho que você fizer. Os meus tem cerca de 15cm e a massa rendeu uns 25, mais ou menos. O suficiente pra usar todo o recheio e ainda sobrarem uns 4 discos. Falando em recheio: é o beijinho clássico; tudo que eu fiz foi acrescentar creme de leite pra enriquecer e diminuir a doçura. A cobertura foi improvisada, e meu conselho mor é: guarde essa receita de cobertura! Ela é mega simples, com dois ingredientes só, fica uma delícia e serve pra um mundo de receitas!
bolo crepe prestígio

Bolo crepe de prestígio

Recheio

1 lata de leite condensado
100g de coco ralado fino- usei não adoçado
25g de manteiga
1/2 caixinha de creme de leite – 100g

Misture todos os ingredientes e leve ao fogo médio, mexendo sempre, até atingir o ponto de brigadeiro. Não precisa atingir o ponto de enrolar pra não ficar difícil de montar o bolo, só não pode ficar muito mole. Transfira o doce para um prato e cubra com filme plástico. Deixe esfriar mas não leve para a geladeira para não ficar muito duro.

Crepes – original aqui

1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 1/2 xícara de leite
8 colheres sopa de chocolate em pó 50%*
4 colheres sopa de açúcar*
2 colheres sopa de essência de baunilha
4 ovos

*se preferir usar cacau puro ajuste as medidas para 4 colheres sopa de cacau e 8 colheres sopa de açúcar

Bata os ovos até espumarem. Adicione o leite e a baunilha e bata novamente. Junte todos os ingredientes secos e misture delicadamente até que sejam totalmente incorporados. Cubra a massa com um filme plástico e leve a geladeira por pelo menos 30min.
Esquente uma frigideira, de preferência antiaderente, e unte com manteiga. Derrame uma pequena porção de massa na frigideira e espalhe bem; a intenção é fazer uma camada bem fina de massa. Deixe cerca de 1 minuto até que a parte de cima não esteja mais líquida e então, com cuidado, vire e deixe até dourar o outro lado. Repita até acabar a massa.

Cobertura

50g de chocolate – seu favorito
50ml de leite

Misture os dois e leve ao fogo baixo até que o chocolate derreta e forme um creme. Use imediatamente.

Montagem

Basicamente é só empilhar crepes e recheio alternadamente até um deles acabar, terminando com um crepe. Espalhe a cobertura sobre esse último crepe e finalize com algumas raspas de chocolate ou seu confeito preferido.

Dicas: faça camadas finas de recheio. Vai parecer pouco, mas como são muitas camadas no final fica bem equilibrado. Falando em equilíbrio, dependendo dos crepes algumas camadas podem ficar meio tortas. Um jeito de arrumar é partindo um crepe e colocando uma camada a mais no lado mais baixo. Vide a foto abaixo.
bolo crepe prestígio

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Limonada com mel, e será que é bom pra garganta?

Limonada com mel, porque eu adoro uma limonada diferente!
limonada com mel

Por aqui já teve uma limonada de abacaxi, limonada refrescante (com hortelã) e até uma limonada de festa que era pra ter lavanda e nem rolou… Mas a de hoje é pra quem tá com dor de garganta!

Brincadeira? Nem tanto. Se você esquentar essa limonada com mel e tomar como se fosse chá vai estar seguindo os conselhos de metade das avós e bisas do país… Então acho que dá pra colocar como opção também…rs

Mas a verdade é que essa é uma boa ideia pra quem tá evitando açúcar branco. Cortou industrializados? Tá procurando alternativas mais naturais e menos refinadas? OU (meu caso) simplesmente quer um sabor a mais na limonada de sempre? Vale a pena experimentar essa então! Depois me conta o que achou!

PS: a receita original tinha hortelã e eu aposto que fica uma delícia. Pra quem quiser experimentar é só medir 1/4 de xícara de folhas e amassar no mel antes de começar tudo

Limonada com mel – original aqui

200ml de limão – use seu favorito
1/2 xícara de mel
6 xícaras de água
1 pitada de sal
gelo

Pra ficar mais fácil misture o limão com o mel primeiro, até dissolver completamente. Então acrescente a água e o sal e sirva numa jarra cheia de gelo e com algumas fatias de limão.

——————————
Em 2015: Creme de ervilha com peixe frito

Salvar

Salvar

Salvar

Cantuccini de amêndoas, ou biscoito de vó italiana

Cantuccini de amêndoas, assim mesmo sem o s no final porque é em italiano, é nada mais que um biscoito de vó. Só que a vó é lá da Itália…
cantuccini de amêndoa

Pra ser mais exata, cantuccini são uma forma de biscotti, e biscotti é a expressão para massa que vai ao forno duas vezes. Basicamente você faz uma massa, assa até ela parecer um pão, tira do forno e fatia, e então volta ao forno até parecer um biscoito.

Repararam que biscoito deriva de biscotti? O mesmo vale pro espanhol e francês e inglês (biscuit)

Os cantuccini em específico são da região da toscana, mais especificamente ainda de uma cidade chamada Prato. E são bem típicos de lá, igual as rosquinhas de sal amoníaco são típicas daqui de Minas. Ou seja, uma receita comum nas casas, feita pela família mesmo, pra comer junto do café. Aliás, o jeito mais comum de comer cantuccini é molhando no café, ou em algum vinho licoroso. No entanto, aqui no Brasil eles ganharam ares chiques de coisa europeia difícil de ser feita e cara pra comprar.
cantuccini de amêndoa

Mas tudo isso mudou depois de mais um curso do eduk! E não, eles não me patrocinam… Mas é que eu já vi muitos cursos de lá, e sempre com um caderninho do lado anotando todas as receitas. Esse curso em específico era com o Tom Abrahão, e teve vários tipos de rosquinhas e biscoitos (ou bolachas dependendo de onde você mora).

Eu acabei não mudando nada na receita, já que morro de medo de mexer em massa de biscoito e o trem desandar. Apenas mudei as medidas pra xícaras e colheres, pra facilitar a vida, e fiz meia receita. As quantidades que fiz são as que estão na receita abaixo e, apesar de biscoito durar bem, acho que já dá uma quantidade razoável pra uma família pequena como a minha. Minha única sugestão de mudança? Corte as amêndoas ao meio. Elas realmente ficam lindas inteiras, mas fica muito mais fácil modelar a massa e partir depois com elas já picadas…
cantuccini de amêndoa

Cantuccini de Amêndoas

2 xícaras de farinha de trigo
60g de manteiga pommade
90g de amêndoas
1/2 xícara de açúcar refinado
2 ovos
raspas de meio limão
1/8 colher chá de fermento em pó
1 gema e açúcar cristal para cobrir

Esquente as amêndoas em uma frigideira no fogo médio. Não precisa torrar, é só aquecer pra liberar todos os aromas possíveis. Deixe elas de lado, esfriando, enquanto prepara a massa.

Junte os ingredientes secos e misture. Acrescente os demais ingredientes e amasse tudo junto até formar uma massa. Junte as amêndoas e misture o melhor que puder.  Forme rolinhos de massa, com cerca de 3cm de espessura. Na minha assadeira deu pra fazer dois rolinhos, não importa a quantidade, distribua de acordo com a sua assadeira.

Pincele uma gema batida e cubra com açúcar cristal. Leve ao forno aquecido a 180° até que asse, vai ficar parecendo um pãozinho. No meu caso foram 20min, mas esse tempo varia. Deixe esfriar 2 minutos pra não queimar a mão e então fatie com a faca na diagonal ou reta. Vire cada pedacinho com a parte partida pra cima e então volte ao forno até que sequem. Pra ter certeza é só olhar o fundo, que vai estar dourado. E espere esfriar antes de guardar na lata.

Salvar

Salvar

Salvar

Bolo de avelã e eu quase queimei a manteiga

Bolo de avelã com manteiga noisette, que seria francês para pequena noz, ou avelã Então basicamente é um bolo de avelãs com manteiga disfarçada de avelã?

Mais ou menos isso. A manteiga noisette é uma manteiga que foi levada ao fogo e “cozida” até dourar. Além da cor ficar dourada ela começa a exalar um aroma que lembra (adivinha só) avelãs!
bolo de avelã

A versão original desse bolo de avelã, que veio do sal de bolinha, era um bolo inglês (a forma, não a receita) com a tal manteiga noisette na massa, e avelãs trituradas e gotas de chocolate enriquecendo mais ainda. Fiz tudo isso? Não fiz… O bolo ficou bom mesmo assim? Ficou ótimo!

O que me leva a pensar que da próxima vez vou seguir a receita original a risca…

Vamos ao que eu mudei na receita, que é sempre a maior parte dos escritos dessa Cozinha. Primeiro eu tirei o chocolate. Sim, eu sei. Mas a páscoa vem aí, já vai ter chocolate o suficiente na minha vida e eu acabei tirando. E, como eu disse, continuou muito bom. Fica um bolo mais simples, com cara de bolo pro café da tarde; então é só escolher qual seu objetivo e decidir se vai colocar o chocolate ou não.

No lugar onde iria o chocolate eu coloquei mais avelãs, então é só dividir o peso entre os dois e pronto.
bolo de avelã

Agora uma mudança contra minha vontade. Eu triturei as avelãs no liquidificador então algumas ficaram num tamanho bom (imagine gotas de chocolate como referência) e outras viraram farinha. Isso acaba interferindo na textura final da massa. Então aí vai a dica:

Quer bolo levinho com muitos pedaços de avelãs? pique com uma faca pra controlar melhor os tamanhos dos pedaços.

Quer um bolo mais massudo e com massa mais homogênea? Triture as avelãs até conseguir um pouco de farinha.

Por último: guarde um pouquinho de avelãs pra colocar em cima da massa que fica ótimo!
bolo de avelã

Bolo de avelã com manteiga noisette – original aqui

100g de avelãs
60g de manteiga sem sal
1/2 xícara de açúcar mascavo
2 ovos pequenos – ou um jumbo
1 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento em pó

manteiga noisette

manteiga noisette esfriando (quaaase queimada)

Primeiro prepare a manteiga noisette: Em uma panela de fundo claro (pra poder ver bem a cor dela) leve a manteiga ao fogo baixo. Ela vai derreter e começar a parecer ferver. Vai surgir espuma e a espuma vai embora. E durante todo o processo você não tira o olho dela. Quando ela começar a ficar um tom de caramelo claro é porque tá pronta. Eu quase passei do ponto, e você sabe disso porque começam a aparecer pontinhos escuros, que são os sólidos da manteiga queimando. Tente muito não chegar a esse ponto. O aroma vai ser de castanhas, o que é muito estranho e mágico. Reserve a manteiga pra ela esfriar antes de entrar na massa.

Triture as avelãs grosseiramente. Para um maior controle a faca é a melhor opção, mas se quiser pedaços bem pequenos, quase uma farinha vale o liquidificador.

(pra maiores detalhes dá uma olhada no texto ali em cima)

E finalmente, ligue o forno a 180° pra ir aquecendo.

Em uma vasilha bata os ovos com o açúcar até formar um creme mais claro. Junte a farinha e o fermento e bata até formar uma massa homogênea. Só então acrescente a manteiga. A massa vai ficar com uma textura diferente, meio oleosa, mas misture bem até incorporar tudo. Por último acrescente as avelãs e misture bem. Transfira para forminhas de cupcake, lembrando que essa massa cresce bem, e leve ao forno até que assem completamente. Se preferir também dá pra fazer em forma e bolo inglês.

——————————
em 2015: Quadradinhos de palha-italiana

Salvar

Salvar

Mojitos especiais pra São Patrício

Por aqui somos fãs de mojitos e isso não é segredo pra ninguém, certo? Já tivemos mojitos a moda da casa, de melancia, e até de cerveja! E agora é hora de um especial pro feriado do mês: St. Patrick’s Day. Ou dia de São Patrício; No original em inglês ou em português a história é a mesma:

Os irlandeses católicos reservam o dia 17 de março para celebrar o dia de Patrício, missionário cristão, que depois virou bispo, e acabou se tornando o Santo padroeiro da Irlanda. Calma que eu já chego nos mojitos. A festa acabou chegando aqui bem despida do caráter religioso e mais como uma celebração da cultura irlandesa. E isso pode incluir as cores verde, laranja e branco, da bandeira, e dourado das moedas de ouro dos leprechauns. Além dos símbolos do trevo de quatro folhas e do arco-íris.

(eu falo um pouquinho mais disso no post dos biscoitos arco-íris)
mojitos especiais pra São Patrício

A bebida mais comum no St. Patrick’s Day é a cerveja, especialmente a Guinness que é tradicional da Irlanda, seguida imediatamente do Whiskey. Mas por aqui não teremos nenhum dos dois esse ano. Pra quem quer comemorar mas não é fã nem de whiskey nem de cerveja preta dá pra escolher drinks com a cor verde. E o que não falta é receita com licor de menta! Aqui em casa o escolhido foi o mojito. Bastou trocar o açúcar e as folhas de hortelã pelo licor de menta e pronto, drink completamente diferente.

Puristas dirão que isso não é um mojito. Por mim tudo bem, eu só peço que experimentem e deem sugestões de um nome novo então. 😉

Mojitos de St Patrick
serve 1

caldo de 1 limão – escolha seu favorito
1 dose de rum
1/3 dose de licor de menta
soda limonada
muito gelo

Em uma coqueteleira cheia de gelo bata o rum, o licor e o limão até que tudo esteja bem gelado. Transfira para um copo e complete com soda limonada. Se o drink vai ser longo ou curto fica a seu critério. Num dia muito quente sirva em um copo cheio de gelo.

——————————-
Em 2015: Patê de ricota (ou seria molho?)

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Biscoitos Arco-íris pro Dia de São Patrício

Biscoitos arco-íris! Mega coloridos e bem docinhos, esses biscoitos são pra homenagear São Patrício, mas bem podem figurar em qualquer festa né?
biscoitos arco-íris

Mas dia de São Patrício? Arco-íris? Biscoitos arco-íris? Como assim gente?

Então, o dia de São Patrício é uma data muito comemorada na Irlanda (ou República da Irlanda) que tem maioria católica, justamente por conta do dito santo. Dizem que foi Patrício que levou a religião católica para aquela ilha e por isso todo dia 17 de março os irlandeses comemoram o seu dia.
biscoitos arco-íris

E o que isso tem a ver com a gente, certo? Meio que a gente mora num mundo globalizado, com acesso a vários traços culturais de diferentes regiões… E a gente adora uma festa né? E os irlandeses adoram cerveja. Então aqui no Brasil essa festa acabou ganhando ares bem mais festivos e menos religiosos, com direito a muito chope verde. A festa se popularizou mais por aqui no últimos anos, mas mesmo quem não quer passar o dia a base de cerveja pode entrar na farra de outras formas.

E é aí que entram os biscoitos arco-íris! Alguns símbolos da Irlanda são os Leprechauns, uma espécie de duende pequeno ser mágico que pode te ajudar ou ferrar com sua vida. Eles que guardam o pote de ouro no fim do arco-íris. Por isso tanto o arco-íris, quanto a moeda de ouro, o trevo de quatro folhas e a cor verde em geral se tornaram símbolos dessa data.

Um último detalhe: essa massa é a mesma dos sugar cookies, só com um pouquinho a mais de farinha pra ficar mais fácil modelar. Mas dá pra usar qualquer massa que seja tranquila para modelar e manter a forma no forno.

biscoitos coloridos com retalhos de massa

Os retalhos de massa que não foram aproveitados no arco-íris podem virar esses biscoitinhos psicodélicos

Biscoitos Arco-íris

1 3/4 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento em pó
1/4 colher chá de sal
100g de manteiga pommade
3/4 xícara de açúcar refinado
1 ovo
1 colher chá de extrato de baunilha
corantes em gel ou pó, nas cores desejadas

Bata a manteiga com o açúcar até formar um creme fofo. Junte a baunilha e o ovo e bata até ficar homogêneo. Junte a farinha, o fermento e o sal e amasse bem. Quando a massa estiver coesa divida em 6 partes não iguais. Você pode fazer isso apenas olhando o tamanho das partes de massa ou pesando cada uma.

Eu pesei a massa total, dividi por 21 e consegui 22 gramas. E fui multiplicando cada porção por um número a mais. Assim a menor porção tinha 22 gramas, a segunda tinha 2×22, ou seja 44 gramas, a próxima 3×22, ou seja 66 gramas e assim por diante até chegar a 6×22, ou seja 132 gramas. Parece complexo né? Mas assim fica mais garantido que os arcos tenham todos a mesma espessura.

Tinja cada parte de massa seguindo a ordem do arco-íris, da menor para a maior: roxo, azul, verde, amarelo, laranja, vermelho. Ou das cores e ordem que você preferir.

Com a menor porção forme um cordão de massa de cerca de 25cm. Forme outro cordão de massa do mesmo tamanho e abra a massa com um rolo. Cubra o primeiro cordão com a segunda massa formando um cordão mais largo. Repita essa operação, respeitando a ordem das cores, até terminar co um cordão bem mais largo e vermelho.
Durante esse trabalho enfarinhe a bancada e suas mãos sempre que necessário, e se a massa ficar muito mole volte com ela pra geladeira por alguns minutos.

Se preciso corte pedaços da massa para que o cordão fique uniforme. Esses retalhos podem se unidos depois e formar biscoitos mega coloridos.

Leve a massa para congelar por 30min. Fatie o rolo de massa e depois corte cada disco ao meio conseguindo assim os arco-íris. Leve ao forno a 180°, em forma com papel manteiga, até que a parte de baixo comece a dourar. Deixe que esfriem antes de retirar da forma e então guardar em uma lata.

Se não ficou muito claro no texto é só conferir no vídeo 😉

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Brigadeiro de Pistache, um novo favorito

Brigadeiro de pistache! Simples assim: um brigadeiro feito com chocolate branco e pistache triturado. E coberto com pistache quebrado também pra quem quiser servir enroladinho e na forminha.
brigadeiro de pistache

Eu nunca tinha cozinhado com pistache, então achei que pra começar era melhor escolher uma receita que eu já conhecesse: Brigadeiro! O sabor do brigadeiro de pistache é bem suave, nem um pouco parecido com o pistache do sorvete self-service. (que na verdade nem é pistache mesmo né?)

E ainda assim dá pra controlar o quão forte você quer o sabor no brigadeiro. Eu usei apenas 50g porque enrolei os brigadeiros no próprio pistache, mas quem quiser pode usar mais e enrolar em confeitos comuns. Ou usar mais e ainda enrolar no pistache se você gostar do sabor mais marcante.

E pra quem ficar na dúvida se isso é brigadeiro mesmo ou não: essa é uma discussão longa, onde cada pessoa pensa uma coisa. Por aqui eu adotei a regra do chocolate. Tem chocolate, independente de qual tipo? É brigadeiro. Não tem chocolate? É docinho. E por aqui chocolate branco entra na categoria sim… 😉
brigadeiro de pistache

Brigadeiro de pistache

1 lata de leite condensado
20g de manteiga sem sal
50g de chocolate branco
50-75g de pistache para a massa
pistache quebrado ou chocolate ralado para cobrir

* se for cobrir com chocolate no lugar do pistache quebrado, meu conselho é usar 75g de pistache na massa para que o sabor não fique muito fraco. Se for cobrir com pistache 50g são o suficiente para a massa. Se encontrar ele já moído, facilita bem a vida.

Se o seu pistache for inteiro, ou quebrado, bata no liquidificador até virar uma farinha fina. Eu bati bem, passei pela peneira e então voltei os pedaços maiores pro liquidificador pra bater de novo.
Junte essa farinha de pistache com o chocolate, a manteiga e o leite condensado em um panelinha e leve ao fogo baixo. Cozinhe, mexendo sempre, até atingir o ponto de enrolar. Você sabe porque ele começa a soltar sozinho da panela. Transfira para um prato e cubra com papel filme. Deixe esfriando em temperatura ambiente, de um dia pro outro, ou na geladeira, por apenas algumas horas.
Depois de frio enrole os brigadeiro e passe no pistache quebrado* ou no chocolate branco raspado, ou no confeito que você quiser.

*Eu comprei pistaches crus que vieram quase que inteiros, então piquei com uma faca até ficarem mais ou menos do tamanho de castanha de caju quebrada (aquela que se coloca no sorvete)
brigadeiro de pistache

——————————-
Em 2015: Licor de Laranja

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pink Martíni, pelo menos a versão da casa

Pink martíni, do jeito mais simples que eu encontrei e, ainda assim, gostoso e bonitão!
pink martíni

Procurando receitas pra usar um vermouth que tá no barzinho daqui de casa, eis que dou de cara com esse tal pink martíni. Nessa primeira versão que encontrei são 4 ingredientes, e chacoalhou tudo pra gelar tá pronto. Experimentei e adorei.

Só que aí fui buscar a história da receita e pronto: milhares de versões diferentes! Tem pink martíni com suco de cranberry, com grenadine (eu fiz esse), com purê de morango, com vodka ou rum, suco de abacaxi, laranja ou maracujá…. Enfim, teremos muitas versões futuramente. Mas por agora ficamos com a versão martíni colorido com grenadine, sem Angostura.

(Pra quem tem Angostura em casa, e gosta, vale acrescentar um dash.)

Pink Martíni – original aqui

1 1/3 dose de vodka
2/3 dose de vermute
1/3 dose de grenadine – tem receita aqui
gelo

Bata todos os ingredientes em uma coqueteleira cheia de gelo até que tudo esteja bem gelado. Sirva em uma taça rasa de martíni.

——————————
Em 2015: Rosca de Nutella

Salvar

Salvar

Salvar