Suco de morango com melancia

Suco de melancia com um twist de morango, ou suco de morango com base de melancia?

Esse suco vermelhão foi mais um teste que deu certo. Tô querendo fazer mais sucos, mais misturas diferentes, e tava pensando no que podia combinar com o que tinha na cozinha… E a melancia e os morangos pareceram uma boa ideia!!
O morango rouba bem o sabor da melancia, principalmente se você usar o xarope pra adoçar. Mas ainda assim dá pra perceber que não é só morango… Então se melancia é sua favorita, minha sugestão é mexer um pouco nas proporções abaixo. Pra quem não tiver o xarope disponível sempre vale adoçar com açúcar. E sempre fica a dica, experimente antes de adoçar, vai que nem precisa…. 😉

Suco de morango com melancia

2 xícaras de melancia
1 xícara de morangos
1/2 xícara de água bem gelada
2 colheres de xarope de morango – receita aqui

É só bater as frutas com a água no liquidificador e acertar o doce com o xarope e pronto.

——————————
Em 2014: trem de minuto
Em 2015: fudge fácil

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Bolo salgado de abóbora

Por aqui já teve bolo de abóbora (reparem na toalha das fotos desse…), bolo da casca da abóbora, e finalmente chegou a vez da versão salgada!

Conheci essa receita como torta salgada da abóbora, lá no Gordelícias, e apaixonei com a ideia. (Já deu pra perceber que eu sou fã do ingrediente né?)
E com algumas mudanças que fiz, como o formato da assadeira e a troca de recheio por cobertura a torta acabou meio que virando um bolo! Muito parecido com a textura do pudim/bolo de pão daqui de casa: bem úmido, quase um pudim… Só que salgado e com uma casquinha de queijo por cima! Delicioso!

Além do formato também troquei o caldo pronto por caldo caseiro que sempre tem por aqui. Pra quem não tiver, e/ou não gostar dos cubinhos de caldo, vale usar água com sal e caprichar mais nos temperos depois. Também não usei noz moscada, mas tinha na receita original, então fica a dica. E ainda diminui a quantidade de óleo, não sei bem porque mas reduzi 1/4. E como gostei do resultado final acho que pode ficar assim mesmo, bom que fica menos gordura pra gente ingerir…


Ah, e minha intenção era cortar em quadradinhos e servir como petisco meio fora de hora… Mas o pessoal aqui gostou mesmo foi de comer a noite com café! Vai entender…rs
Bolo salgado de abóbora – original aqui

500g de abóbora sem casca
caldo ou água para cozinhar
3/4  de xícara de óleo
1 xícara de leite
3 ovos
1 colher sopra de fermento químico
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher chá de sal
1 colher chá de orégano + 1 pouco pra cobrir
queijo minas curado ralado – a vontade

Cozinhe a abóbora no caldo ou na água, se for usar água ou se o seu caldo não tiver temperos acrescente um pouco de sal.
Quando a abóbora estiver bem macia transfira (sem a água) para o liquidificador. Acrescente os ovos, óleo, leite, sal e orégano e bata até obter uma mistura homogênea.
Em uma vasilha misture a farinha com o fermento e então junte o conteúdo do liquidificador e misture delicadamente até incorporar tudo.
Transfira para uma assadeira untada e cubra com o queijo ralado e mais um pouco de orégano. Leva ao forno aquecido a 200° até que doure. Esse bolo é mais úmido e não ficará completamente seco quando assado.

——————————
Em 2015: Bialys – meio que uma esfirra aberta

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

French Toast, ou rabanadas pro dia-a-dia

Já ouviram falar em French Toast? E rabanada todo mundo conhece né? Agora vamos as diferenças….
french toastFrench toast, ou torrada francesa, é uma fatia de pão envolvida em ovo e leite e grelhada com manteiga. A gente vê muito em filmes e séries americanos, coisa típica de lá mesmo. A rabanada é fatia de pão, banhada no leite com açúcar (ou leite condensado), passada no ovo, frita em óleo e depois coberta com açúcar e canela. Iguaria que sabe-se lá porque, só comemos no natal.

Mas pera que ainda não acabou! Na França tem o Pain Perdu, que é como eles chamam a torrada francesa, até porque usar esse nome seria meio redundante… Em portugal as rabanadas são fritas no azeite e continuam com o mesmo nome. Já na espanha o leite é acompanhado de vinho e o nome é torrija. Enquanto isso na Argentina a corruptela é torreja.

Já deu pra perceber que todo mundo tenta aproveitar aquele pão que sobrou de anteontem né? E por aqui a gente continua comendo rabanada só no natal… Talvez porque elas passem a impressão de serem difíceis de fazer. Pelo menos aqui em casa, rabanada era coisa de fazer de baciada, levando o dia inteiro na tarefa. Mas quando a gente mentaliza a french toast fica um pouco mais fácil. Não precisa fritar em imersão, então fica mais leve e faz menos sujeira… Sendo só pãozinho, fica pronto rápido e aí o café da manhã já ganha um gosto especial!

E claro, sempre dá pra cobrir com açúcar e canela e matar a saudade do natal, mas eu sugiro passar um pouquinho de mel logo que ela sair da frigideira. Porque sim, a frigideira faz o serviço e é bem mais fácil de manusear que a chapa.
french toastFrench Toast, ou torrada francesa

1 pão
1 ovo
1 colher de leite
1 bocado de manteiga

Em um prato bata o ovo com o leite.
E em um frigideira aqueça um bocado de manteiga, só o suficiente pra untar o fundo da frigideira. Vale usar uma chapa pra dar aquelas marquinhas de grelhado se quiser.
Daí é só fatiar o pão, no formato que você preferir, molhar no leite/ovo em todos os lados e fritar/grelhar.
Eu gosto de comer com mel, mas também pode ser pura, com mais manteiga ou polvilhando açúcar com canela, ou o que quiser né..

——————————
Em 2014: Peras ao vinho

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Sidecar

Mais um jeito de deixar o conhaque mais suave, dessa vez com toque cítrico duplo!

Vez em quando eu vagueio por sites especializados em drinks e procuro por ingredientes específicos… Dessa vez procurava por receitas com conhaque e acabei achando esse tal de sidecar*. Claro que acabei mudando uma coisinha na hora de preparar, porque senão não seria essa cozinha não é mesmo?
O Sidecar original é feito com Contreau, um licor amargo de laranja. E por aqui usei o meu licor caseiro de mexerica, que é mais doce mas ainda tem um fundo amargo bem (bem, bem, bem) suave, então estaria valendo. E tava mesmo porque ficou ótimo!

*sidecar é aquele carrinho acoplado na lateral de algumas motocicletas, e é dele que vem o nome do drink. Mas também pode ser outra coisa: quando a gente faz mais bebida do que cabe no copo é comum servir o excesso num copinho a parte, que leva esse nome também. Aprendi aqui. 😉

Sidecar de mexerica – original aqui

50ml de conhaque
10ml de suco de limão
10ml de licor de mexerica

Bata tudo em uma coqueteleira com gelo e sirva em taças com gelo picado.

——————————-
Em 2014: Grissini
Em 2015: Bolo invertido de peras

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Espiral de salsicha

Espiral de salsicha é um petisco meio bobo: salsicha com massinha de pizza. Mas o visual, ó que lindo:

Não vai ter muito o que enrolar hoje que a receita é muito simples! É mais um twist numa receita que todo mundo conhece, seja como enroladinho de salsicha, seja como cachorro quente de forno. Só que no palito! E enrolados numa espiral que parece impossível de fazer mas é moleza!
Eu usei a massa de pizza dos livros da Dona Zizi, que estão nessa casa desde antes de eu nascer, e é a massa de pizza caseira que conheço. Mas vale usar a massa de salgado assado que você tiver costume. Só não usa massa comprada pronta, mesmo. Não vale a pena…. A receita abaixo é tão simples que vale o (mínimo) esforço!
E caso o meu passo a passo descrito estiver meio confuso, aqui tem o link pro vídeo original onde aprendi a fazer!
E com a massa que sobrou eu fiz uma massa pré-assada pra deixar congelada. Apenas abri a massa com as mãos e levei ao forno por uns 10min, numa assadeira untada. Tirei do forno antes que começasse a dourar e esperei esfriar antes de embalar e levar pro congelador!

Espiral de Salsicha – original aqui

cerca de 2 xícaras de farinha de trigo
25g de manteiga sem sal pommade
120ml de leite
1 colher sopa de fermento em pó
1 pitada de sal
salsichas
palitos de churrasco

Misture os ingredientes da massa, adicionando a farinha aos poucos e amassando até conseguir uma massa lisa e coesa. Deixe descansando em uma superfície enfarinhada enquanto prepara as salsichas.
Para formar a espiral coloque uma salsicha no palito como um espetinho. Com uma faca afiada faça um corte na diagonal até o palito; com cuidado continue o corte ao longo da salsicha, sempre usando o palito como referência. É mais fácil usar a faca menos inclinada formando faixas mais largas, mas o resultado fica mas bonito com faixas mais finas. Escolha o que te parecer melhor.
Divida a massa na quantidade de espetinhos que você for fazer (eu fiz doze e sobrou massa). Com cada bolinhas de massa faça um cordão longo e fino e coloque no corte feito na salsicha. Comece pela ponta do espetinho e no final enrole a massa no próprio palito para não soltar, se preciso aperte um pouco pra prender bem.
Asse em forno aquecido a 200° em uma assadeira untada até a massa dourar.

———————————-
Em 2015: Fake Pringles

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão de batata doce

Sabe aquele pãozinho doce, bem fofinho, caseiríssimo? Esse pão de batata-doce é assim!

Esses pãezinhos são uma adaptação do pão de abóbora que já apareceu por aqui muuito tempo atrás. A massa pode ser usada com qualquer tipo de tubérculo/raiz/legume como batata, baroa, cenoura, beterraba e por aí vai… A única mudança é a quantidade de farinha que vai depender muito da quantidade de água presente no legume escolhido.
Outra mudança que fiz nesse pão foi o fermento. Dessa vez usei o Levain, o que deu um toque integral pro resultado, mas não muito forte. Pra quem quiser usar o fermento de pacotinho na receita abaixo tem as quantidades também!

Pão de batata doce

250g de batata doce cozida
1 pitada de sal
1 ovo
2 1/2 colheres sopa de óleo
6 colheres sopa de açúcar
45ml de água
150g de levain* – receita aqui
cerca de 3 xícaras de farinha de trigo

*ou 10g de fermento biológico seco

Em um processador faça um purê com as batatas e adicione, ainda processando, o restante os ingredientes, exceto a farinha, até obter um creme homogêneo.
Se não tiver um processador amasse as batatas com um garfo e junte os demais ingredientes amassando/misturando bem até ficar homogêneo.
Vá adicionando a farinha aos poucos e comece a sovar a massa antes de adicionar tudo. Dependendo de muitos fatores pode precisar mais ou menos farinha, e é durante a sova que a gente percebe isso.
Quando a massa estiver lisa e coesa transfira para uma vasilha com tampa e deixe descasar até dobrar de volume. O tempo varia muito conforme a temperatura do dia e o fermento usado, então fique de olho.
Modele os pãezinhos e transfira para uma forma untada e enfarinhada. Pincele com uma gema batida, e se quiser uma casquinha mais escura misture uma colherinha de café na gema. Asse em forno aquecido a 200º até que dourem.

——————————
Em 2014: Hambúrguer de soja

Salvar

Salvar

Salvar

Short flower, ou como é difícil nomear drinks

Uma mistura suave de morango e manga que consegue ficar refrescante por conta da hortelã!

E eu ainda não sei nomear drink algum! Então ficamos com uma adaptação do nome original, já que esse drink é uma adaptação do original também!

No site da Absolut tem um mundo de receitas, dentre elas a Absolut Vanilia Flower. Eu não faço ideia do porque do flower no nome, mas gostei da mistura de ingredientes!
Ele é um drink longo, desses que a gente bate na coqueteleira e completa com água com gás no copo em que vai servir. E eu resolvi ignorar a água com gás e fazer uma versão curta (short) e mais concentrada dele. E usei outra vodka, que era o que tinha em casa, então corta o absolut do nome. E minha vodka não era saborizada com baunilha, então tira o vanilia também…

E aí ficamos com short flower, apesar da base da bebida ser morango e manga!! De qualquer forma, com nomes estranhos ou não, é uma delícia! Docinho, mas nada enjoativo. Quem quiser algo mais suave, é só colocar num copo longo, em vez da taça, e completar com a água com gás. Aposto que fica bom também!

Short Flower – original aqui

1 dose de suco de manga
1 dose de xarope de morango
1 dose de vodka
1 punhado de folhas de hortelã
gelo
morango e hortelã pra guarnecer

Em uma coqueteleira (ou pote com tampa) misture as 3 bebidas com as folhas de hortelã e bastante gelo, e bata até ficar gelado.
Transfira para uma taça cheia de gelo e enfeite com um morango e folhas de hortelã. Sirva em seguida.

—————————
Em 2014: (quase) Brownie saudável
Em 2015: Paçoca de rolha

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Bolo invertido de maçã e caramelo

Um bolo amanteigado com toque de canela, coberto por fatias de maçã e caramelo!
bolo invertido de maçãEsse bolo faz parte dos upside down cakes, ou seja bolos invertidos, que são assados com a fruta e o caramelo no fundo da forma pra conseguir esse resultado. E eu custei a conseguir fazer esse!
Na primeira tentativa o caramelo vazou e cobriu o fundo do fogão resultando num cheiro de queimado horrível e um bolo seco no topo. E foi quando eu aprendi a sempre forrar a assadeira com papel alumínio por fora.
Em outra tentativa o caramelo ficou muito líquido e queimou o papel alumínio, vazando novamente. Foi quando comecei a colocar outra forma por baixo.
Quando finalmente acertei nisso tudo o papel manteiga ainda grudava nas maçãs, resultando num bolo pelado! Isso dá pra resolver acertando o ponto do caramelo e untando o papel mesmo assim.
Tudo isso tá resolvido na receita abaixo, inspirada em uma do LiveWellBakeOften, e com alguns ajustes pra garantir que vai dar tudo certo! Pra quem não gosta do caramelo tão escuro dá pra tirar a canela dele e cuidar do açúcar. Não aconselho trocar pelo refinado porque os pontos deles levam tempos diferentes, mas existem mascavos mais claros e mais escuros. Eu usei um bem escuro dessa vez, mas com um mais clarinho o caramelo vai ficar mais suave.
bolo invertido de maçãBolo de maçã caramelada – original aqui

25g de manteiga sem sal
4 colheres sopa de açúcar mascavo
1/4 colher chá de canela em pó
1 maçã grande – a sua favorita

3/4 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento em pó
1 pitada de sal
1/4 colher chá de canela em pó
50g de manteiga sem sal pommade
1/3 xícara de açúcar refinado
1 ovo grande
1/2 colher chá de extrato de baunilha
1/4 xícara de leite

Unte uma forma redonda de fundo removível, e cerca de 15cm, e forra o fundo com papel manteiga, e depois unte o papel também. Tudo isso pra garantir que o bolo vai desenformar bonitinho. Se quiser garantir ainda mais: forre a forma por fora com papel alumínio e asse com ela dentro de outra assadeira.
Fatie as maçãs e cubra com limão para não escurecerem, e reserve.
Junte o açúcar mascavo, a canela e a manteiga e leve ao fogo até ficar homogêneo. Transfira para a forma preparada e espalhe uniformemente. Cubra esse caramelo com as maçãs fatiadas, formando o desenho que quiser e reserve.
Bata a manteiga com o açúcar até formar um creme fofo. Enquanto isso em outra vasilha peneire a farinha e os demais ingredientes secos.
Quando tiver um creme fofo junte o ovo e a baunilha e bata novamente até ficar homogêneo. Ainda batendo vá acrescentando a mistura de secos e o leite, aos poucos e alternando cada um. Transfira a massa para a forma cobrindo todas as maçãs e leve para assar em forno aquecido a 180°.
Não deixe esfriar completamente antes de desenformar para que o papel não grude novamente no caramelo.
bolo invertido de maçã——————————
Em 2015: Pate à choux

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pavê de abacaxi (com coco)

Pavê de abacaxi, e se quiser com coco também!

Enquanto ninguém avisa pro verão que a primavera ainda nem começou, por aqui as sobremesas geladas já começam a dar as caras. E a de hoje pra mim já é vintage porque eu nem tinha nascido e ela já marcava presença por aqui.
O nome no caderno da minha mãe é de torta de abacaxi, mas já que não tem casquinha de massa chamemos de pavê que é todo doce em camadas. E a original também não tem coco, mas me parece meio que um sacrilégio fazer um doce de abacaxi e não juntar coco em algum lugar. Pra quem não gosta da combinação, ou do coco em geral, é só ignorar e parar a montagem no creme de claras.
Se por algum milagre você não gosta de abacaxi mas ainda está aqui: troca o doce de abacaxi por alguma fruta em calda, ou por alguma geleia diluída e me conta o resultado! 😉

Pavê de abacaxi (com coco)

1 lata de leite condensado
2 latas de leite*
1 xícara de açúcar
1 abacaxi – cerca de 5 xícaras em cubinhos
4 ovos
1 lata de creme de leite sem soro
coco fresco – ralado ou em fitas**

*todo mundo ciente que é a lata de leite condensado usada como medida né?
** usei um descascador de legumes pra fazer fitas de coco, mas vale usar no formato que preferir

Pique o abacaxi em cubinhos, descartando o miolo* e junte com o açúcar em uma panela. Misture apenas de vez em quando, tomando cuidado para “sujar” as laterais da panela com a calda formada para que não tenha cristalização. Quando a água secar e o abacaxi começar a dourar desligue e deixe esfriar.
Junte o leite condensado, leite e as gemas em uma panela e cozinhe, misturando quase sempre, até engrossar. O ponto varia de acordo com o gosto de cada um, mas é bem parecido com o do creme de confeiteiro.
Transfira o creme formado para o recipiente escolhido e cubra com filme plástico até esfriar totalmente. Vale deixar na geladeira se quiser acelerar tudo. Quando o creme e o doce de abacaxi já estiverem frios retire o plástico de cima do creme e cubra com o doce de abacaxi.
Bata as claras em neve e quando atingir picos firmes junte o creme de leite, ainda batendo. Quando estiver homogêneo cubra o abacaxi com esse creme. Por fim cubra tudo com o coco e leve para a geladeira. Costuma ficar ainda mais gostoso se dormir na geladeira antes de servir.

*descartando é modo de dizer né gente, por aqui o miolo é cortado em cubinhos e vira um ótimo petisco pra comer fora de hora

———————————
Em 2014: Palitos de cebola

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Quase Magali

Sexta é dia de drink e o de hoje mistura melancia com gin!

Drink docinho, no estilo suco batizado, pra passar a tarde bebendo: somos fãs, certo?
Essa é uma variante do Magali, lá do MeuDrink, que já uma variante do Gin Tônica. Explico. O Magali é meio que um Gin Tônica com melancia. Mas eu cortei a água tônica e fiz meio que uma melancia atômica de gin. Ou um quase Magali.
(Nomes de drinks e eu não combinamos…)
O resultado é uma delícia e pode ser ou suave ou mega forte de acordo com o gosto de cada um. E claro, dá pra dobrar, triplicar a receita do suco, deixar a jarra na mesa e cada um montar seu drink com a quantidade de gin escolhida!

Quase Magali – original aqui

4 xícaras de melancia em cubos
10 folhas de menta*
2 colher sopa de limão
100ml de água gelada
açúcar – opcional
gin
gelo

*eu usei menta pq eu tenho na horta de casa, mas hortelã dá o mesmo resultado.

Bata a melancia com a água o limão e a menta até conseguir um suco. Prove pra ver se precisa de açúcar, isso vai depender muito da melancia usada.
Coloque algumas pedras de gelo em um copo longo, adicione uma dose de gin e complete com o suco de melancia.
A proporção de gin e suco depende do gosto de cada um.

————————————
Em 2014: Pão de abóbora
Em 2015: Pato com Laranja

Salvar

Salvar

Salvar