Sour Vodka, e é pra por ovo no drink?

Sour é com ovo ou não? Clara crua faz mal? Clara de ovo no drink não vai ficar gosmento? Do que diabos eu estou falando? Eu tenho respostas pra todas essas perguntas?
sour

Na verdade não, só pra algumas delas. E vamos logo para as respostas pra poder passar pra parte da receita do drink. Em teoria um sour só seria verdadeiro se feito com a adição da clara, mas quem liga pra isso não é mesmo? Até porque alguns drinks ficam bem melhores sem a espuma por cima; como o nosso Bloody Sour por exemplo.

Agora se você resolver usar a clara, o drink fica gosmento? Não. Mesmo. Esse era meu maior medo: que parte da clara virasse espuma e o resto deixasse tudo uma meleca. Mas dá uma olhada na receita ali embaixo e você vai ver que tem tempo pra ficar batendo na coqueteleira. Isso vai garantir que a clara vai espumar o tanto que precisa pro drink ficar bom. Tem até uns drinks que usam um acessório na hora de bater (tipo um mini batedor sem cabo) que é pra espumar mais ainda. Então é só seguir a receita que vai ficar tudo bem.

Mas e a salmonela? Pois é. Eu sei de onde vem os ovos que uso e confio na origem deles, então consumo ovo cru aqui em casa sem medo. Mas pra quem quer se assegurar de todos os lados: dá pra usar clara pasteurizada. Inclusive dá pra encontrar em garrafa, é só medir 30g da pasteurizada e usar.

E os veganos? Bom, eu nunca testei (mas fiquei curiosa e vou) as duas opções que conheço: abacaxi e aquafaba. O abacaxi gera espuma quando batido então, se você não se importar de acrescentar o sabor dele ao drink, é só juntar uns pedaços da fruta na coqueteleira no lugar da clara. Também tem receitas que levam aquafaba, como esse Pisco Sour (em inglês), pra quantidade da receita abaixo a clara seria trocada por 45ml de aquafaba.

Pra quem nunca ouviu falar, aquafaba é a água do cozimento do grão de bico. Ela é rica em proteína e espuma e monta neve igual clara. Dá até pra fazer suspiro!

Ufa! Agora, porque colocar clara no drink? Eu achei que equilibrou a bebida. E a espuminha que forma no topo é gostosa também. Não senti nenhum cheiro de ovo, e nenhuma viscosidade no drink. Aliás, usei pra esse teste o que seria um Sour de Capim Limão, que virou uma Sour Vodka mesmo (a infusão não funcionou). E fica a dica: se não for usar a clara inverta as medidas do xarope com o limão que vai ficar bem melhor! Foi o que fiz com o drink da taça, que não levou clara e precisou de ajustes no final…

Sour Vodka – inspirado aqui

60ml de vodka
45ml de limão
30ml de xarope simples
1 clara de ovo

Bata todos os ingredientes em uma coqueteleira sem gelo por cerca de 30segundos. Adicione algumas pedras de gelo e bata por mais 30segundos. Sirva em seguida e finalize com raspas de limão.

————————-

Em 2014: Bolo de pão de mel

Salvar

Salvar

Barrinhas de limão e biscoito – doce e azedo juntos

Barrinhas de limão, que na verdade são quadradinhos, com base de biscoito e cobertura cremosa e azedinha… É só tomar cuidado pra não comer todos de uma vez!
barrinhas de limão

Esse tipo de receita é bem comum em boards (quadros) internacionais do Pinterest, mas essa me chamou a atenção por ter o nome de lime bars. É que quando procurando receitas em inglês tem que atentar pra um detalhe: em inglês lemon é só limão siciliano. O nosso limão verdinho é chamado de lime, que traduz como lima. Aquela confusão linda de nomes comuns em regiões diferentes.

Enfim, lime bars viram barrinhas de limão (o verde); e eu adaptei pra limão capeta que é laranja. E mais ácido ainda! Não reduzi a quantidade de limão pedida na receita, mas se você prefere doces menos ácidos é melhor trocar o limão. Só tem o limão capeta mas tá com medo do poder da acidez dele? Diminui umas 2-3 colheres na quantidade que vai ficar tudo bem.

Pra quem tá confuso com os nomes, limão capeta também é chamado de limão cravo; é aquele da casca laranja que mais parece uma mexerica. Ou tangerina dependendo de onde você mora…
barrinahs de limão

Ainda nas mudanças, eu mexi nos biscoitos da base. A receita original pede Graham Crackers, que não temos por aqui. Normalmente a gente troca por biscoito maria e fica tudo certo. Mas muita gente acha o sabor dessa base meio enjoativo; então decidi trocar parte do biscoito maria por cream cracker. Ele tem o sabor mais salgadinho, e meio que mais neutro também. E isso balanceou os sabores de um jeito lindo! Vale tentar com Salpete pra quem prefere mais salgadinho ainda. Ou você pode usar o biscoito que achar que vai combinar, como rosquinhas de chocolate por exemplo.

Por último, o detalhe da forma. Pra essa quantidade de receita a forma tem que ter 22x22cm ou uma medida equivalente, tipo 20x24cm. Caso não tenha nenhuma forma do tamanho é só fazer com papel manteiga. Dobre o papel formado uma caixinha do tamanho certo e coloque entro de uma forma e alumínio maior que o papel. Qualquer que seja a escolha, unte com manteiga. Eu não untei e o meu grudou.

Barrinhas de limão e biscoito – original aqui

100g de biscoito maria
30g de biscoito cracker
2 colheres sopa de açúcar mascavo
75g de manteiga derretida
4 gemas
1 lata de leite condensado
1/2 xícara de limão

Unte uma forma, de 22x22cm, com manteiga. Caso não tenha uma forma do tamanho veja notas acima, ou o vídeo.

Triture os biscoitos e misture com o açúcar e a manteiga. Quando estiver parecendo com areia molhada transfira para a forma preparada e aperte bem. Vale usar uma vasilha/copo/etc para ajudar a apertar e nivelar a massa.

Em outra vasilha misture as gemas com o leite condensado e o limão. Quando estiver homogêneo cubra o biscoito com essa mistura. Leve ao forno, já aquecido a 200C, até que o recheio firme; cerca de 30min. Deixe gelar antes de cortar e servir.

Dica extra: se quiser contrastar os sabores, sirva cada quadradinho com um pouco de chantilly bem docinho.

Salvar

Bloody Sour – #cozinhadebruxa

Bloody Sour é aquele drink que dá pra você adaptar pra birita que tiver no bar… E que ainda dá um efeito lindo (e assustador) quando servido!
bloody sour

Esse drink é uma mistureba de adaptações baseada no New York Sour. E esse drink já é uma variação de outro mais antigo: o Whiskey Sour. Como (quase) todo sour, esse é uma mistura de limão, açúcar e uma birita; as vezes com um bitter, as vezes com clara, mas sempre com essa base. A variação que transforma o drink no New York Sour é fazer um float com vinho tinto.

Float é quando você finaliza o drink derramando uma bebida mais leve no topo, e ela não se mistura completamente com o drink.

Beleza, e quando que isso virou tudo virou Bloody Sour? Quando eu gostei muito mais de tequila que de Whiskey. E quando percebi que essa vai ser a maior diferença de um drink pro outro: as biritas escolhidas. Mesmo que você siga a receita passo a passo, o vinho escolhido vai mudar tudo. E o whiskey (ou tequila) também. Então a receita de hoje virou o Bloody Sour: um drink tipo sour que você pode adaptar pra sua birita favorita! É só fazer um float com vinho e pronto!

Fora que o visual combina muito com Halloween, e Bloody (sangrento) é um nome que combina muito mais…rs

Deixando toda essa história de lado, vamos a receita. É mega simples! A única coisa que não vem pronta é o xarope, mas esse todo mundo já sabe né? Uma parte de açúcar, uma parte de água e fogo até ferver. Favor só usar quando frio pra não esquentar o drink… E pra quem quiser um float mais delicado, que se misture menos no drink, tem dica também. Use pedras de gelo que preencham toda a boca do copo, assim o vinho vai ficar sobre elas e demorar mais a se misturar.

Bloody Sour

2 doses de tequila
3/4 dose de limão
3/4 dose de xarope*
1 dose de vinho tinto

*eu usei xarope saborizado com gengibre, mas vale o simples ou o que você preferir!

Em uma coqueteleira (ou vidro com tampa) bata a tequila, o limão e o xarope com algumas pedras de gelo. Quando essa mistura estiver gelada sirva em um copo largo e baixo. Sirva e em seguida derrame a dose de vinho por cima, com cuidado para não misturar demais.

————————————

Em 2014: Sorvetão Cemitério

Salvar

Salvar

Bombons de menta e limão – #cozinhadebruxa

Bombons de menta e limão com um pequeno detalhe especial pra esse Halloween: o formato de olhos!!
bombons de menta e limão

Esses bombons são um bom exemplo de equilíbrio de sabores! A refrescância da menta e do limão formam um contraponto exato para a doçura do chocolate branco. E a base do creme usado como recheio pode ser adaptada para qualquer tipo de sabor. Combinado com as possibilidades de chocolates diferentes na casquinha: infinitas opções de bombons!!

Isso porque a base é uma ganache de chocolate branco com leite saborizado. Então, no lugar de ferver folhas de hortelã, você pode usar qualquer outro saborizante que quiser. Um exemplo de combinação? Raspas de laranja no lugar da hortelã e chocolate meio amargo para a casquinha! Isso também acontece com o suco de limão e o licor. Na receita original eram duas colheres de limão, mas queria um sabor de menta mais forte e troquei uma por licor. Dá pra usar só limão, ou outra bebida qualquer!
bombons de menta e limão

Agora o charme mesmo é o formato né? O passo a passo pra montar esse olhão está na receita abaixo, mas aqui fica o detalhe da forma: é de bombom cereja! Você pode adaptar para formar  de círculo inteiro sem problema. Mas pra quem não tem nenhuma, essas de meio círculo são mais fáceis de encontrar, e normalmente mais baratas. E claro, você pode fazer bombons de menta no formato que quiser né?

Último detalhe: esse post já tá enorme, então foquei na montagem do bombom. Pra quem não tem experiência em temperagem de chocolate (e pra quem nunca ouviu falar nisso) tem um post completo AQUI. Lá tem como eu faço, como evitar erros e mais alguns links interessantes pra quem quer aprender.
bombons de menta e limão

Bombons de menta e limão – original aqui

1/2 xícara de leite
10 folhas de hortelã
150g chocolate branco
1 colher sopa de limão
1 colher sopa de licor de menta*
corantes preto, verde e branco (uso dióxido de titânio)
250g de chocolate branco – para a casquinha
Forminhas redondas ou meio círculo

*pode ser opcional, veja texto acima

Ferva o leite com as folhas de hortelã picadas. Assim que ferver desligue o fogo, e tampe a vasilha. Espere cerca de 5min. Enquanto isso derreta os 150g de chocolate branco. Coe o leite, descartando as folhas, e misture com o chocolate derretido, o limão e o licor. Quando tiver uma mistura homogênea leve para a geladeira para firmar.

Pra facilitar minha vida já coloquei o creme no saco de confeiteiro, com o bico fechado com um pregador, e fechei bem a parte de cima também. Mas se preferir você pode deixa-lo esfriar em uma vasilha e depois transferir para o saco, ou usar uma colher para rechear os bombons.

Enquanto o recheio esfria prepare as casquinhas: Divida o restante do chocolate branco em três partes: 20g, 50g e 180g. Tempere e adicione os corantes a cada uma individualmente, pra não ter confusão. Primeiro a menor parte: adicione corante preto e tempere o chocolate. Então faça pequenas bolinhas no centro de cada forminha e leve para a geladeira.

Derreta então a porção de 50g e se quiser adicione 1/4 colher chá de dióxido de titânio, mas é opcional já que o chocolate já é claro. Tempere o chocolate e faça círculos no fundo de cada forminha, cobrindo totalmente o chocolate preto. Volte com eles para a geladeira. Só então adicione o corante verde ao restante do chocolate e tempere. Preencha cada forminha com um pouco do chocolate verde e espalhe pelas laterais. Como a forma vai estar gelada o chocolate vai segurar mais fácil, só tenha certeza de cobrir toda a lateral de cada forminha. Daí é só voltar para a geladeira.

Quem tem o hábito de fazer bombons e tem outra técnica, fique a vontade pra contar nos comentários. Quanto mais jeitos melhor!

Deixe o chocolate secar totalmente e só então recheie com o creme de menta. Com o restante do chocolate cubra os bombons e retire o excesso com uma espátula (ou o lado liso de uma faca). Espere algumas horas para que tudo firme junto e só então desenforme seus bombons de menta e limão.

Dica: o chocolate está pronto para desenformar quando a forma fica opaca; isso quer dizer que ele já soltou da forma!

—————————–

Em 2014: Babka de canela
Em 2015: Suco laranjão

Salvar

Salvar

Salvar

Tequila e mel, drink simples com drops de bônus

Tequila e mel em mais uma combinação simples que resulta num drink gostoso e fácil de tomar. O truque? Xarope de mel! E tem receita dele também…
tequila e mel

Esse é daqueles drinks que apareceram por acaso na minha frente, e que de tão simples ficou largado no caderninho. Mas aí um dia tava com uns limões na geladeira, mel dando bobeira em cima da mesa…. E claro, tava atrás de um drink que fosse fácil de fazer e gostoso de beber mais geladinho. Foi quando esse Tequila e mel me ganhou!

A parte mais diferentona dele é o bitter que, além de opcional, dá pra fazer em casa. Eu tenho uma garrafa com cascas de lima da Pérsia e vodka que deixei marinando algumas semanas atrás e pronto: bitter caseiro. Dá pra fazer com laranja, limão, mexerica… ou pra comprar pronto também! A escolha é sua.

Outra parte que dá pra fazer em casa é o xarope de mel. É tão fácil quando o xarope simples, e bem mais gostoso. Tanto que já está anotado pra ser testado em bolos futuros! Não aconselho deixar guardado muito tempo pois não tive tempo de testar a durabilidade. Mas se quiser adiantar a vida, vale preparar no dia anterior e deixar descansando na geladeira, sempre tampado, até a hora de preparar o drink.

Xarope de mel

1 parte de mel
2 partes de água

Leve o mel e a água ao fogo baixo até começar a ferver e então desligue. Espere esfriar antes de guardar em um vidro tampado e na geladeira.

Tequila e mel – original aqui

60ml de tequila ouro
30ml de xarope de mel
20ml de limão
2 dashes de bitter – ver texto acima

Junte todos os ingredientes em uma coqueteleira com gelo e bata bem. Sirva em uma taça longa, com algumas pedras de gelo.

—————————–

Em 2014: Taça Bicolor

Bolachinhas de gengibre com limão

Bolachinhas de gengibre com limão, juntando dois extremos pra mim: o frescor do limão que lembra o verão chegando, com o conforto do gengibre, ainda em clima de inverno!
bolachinhas de gengibre com limão

Essas bolachinhas são mais uma receita anotada as pressas num caderninho durante um dos cursos da Eduk. Por acaso o mesmo curso do Tom Abrahão onde aprendi o Cantuccini de amêndoas. E justamente por terem sido anotadas na pressa, não tenho ideia se são bolachinhas, ou biscotti, ou biscoito, ou rosquinhas… No caderno tava só gengibre com limão. Sim, já me dei uma bronca por isso!

Deduzindo a partir dos ingredientes e das poucas informações de passo a passo, decidi fazer como bolachinhas de gengibre com limão mesmo. E, antes que a dúvida biscoito ou bolacha apareça, já explico: por aqui bolacha é um tipo de biscoito. Mais especificamente: bolacha é quando você modela uma bolinha de massa pra depois achatar, seja com o dedo, uma xícara ou um carimbo.

Histórias a parte, o resultado é delicioso! Gengibre e limão combinam muito bem, e ainda tem um toque muuito leve do cravo, deixando as bolachinhas perfumadas mas leves. E  textura é quase que de um bolinho, tipo cookie macio sabe? E dá pra deixar mais crocante? Até dá, é só deixar no forno até dourar bem. Mas essa maciez funcionou pra mim, já que saiu do óbvio crocante da maioria dos biscoitos.

Por último as mudanças: Adaptei as medidas pois estava tudo em gramas. E troquei a cobertura! Originalmente iriam pedacinhos de gengibre cristalizado, mas preferi usar o meu gengibre em calda mesmo. Pra quem quiser fazer, a receita tá nesse post, e é bem fácil. Pra quem preferir a versão cristalizada é só colocar por cima de cada bolachinha antes de ir ao forno.
bolachinhas de gengibre com limão

Bolachinhas de gengibre com limão

2 xícaras de farinha de trigo
1 colher sopa de gengibre em pó
1 1/2 colher chá de cravo em pó
3/4 xícara de açúcar refinado
180g de manteiga pommade
1 ovo pequeno
2 colheres chá de raspas de limão
10ml de suco de limão
fatias de gengibre em calda – opcional

Bata a manteiga com o açúcar até ficar bem fofo. Acrescente o limão, os temperos e o ovo e bata novamente até ficar homogêneo. Vá adicionando a farinha aos poucos e misturando delicadamente até incorporar totalmente. Se a massa ficar muito mole pra enrolar leve para a geladeira por cerca de meia hora. Modele bolinhas de massa e amasse ligeiramente. Eu usei uma xícara com o fundo enfarinhado, mas vale o método que você preferir. Se for usar o gengibre em calda, coloque uma fatia em cima de cada bolachinha depois de achata-las. Leve ao forno já aquecido a 200C até que o fundo doure; não precisa esperar o topo dourar. Espere que esfriem completamente antes e guardar em uma lata com tampa.

——————————

Em 2014: Bolo formigueiro
Em 2015: Condessa refrescante

Limonada de alecrim, ainda inventando com limões

Limonada de alecrim? É isso mesmo, e fica gostoso! Diferentão mas, pra quem já cansou da limonada normalzinha, é uma opção ótima!

Essa é mais uma das receitas que eu olhei a foto, achei linda, li o original e achei que a gringa tava louca. Onde já se viu juntar água quente com limão inteiro? Mesmo assim a água quente fazia sentido pra hortelã. É que essa erva libera muito mais aroma quando quente. Resolvi experimentar.
limonada de alecrim

E deu certo! Até porque, não tivesse dado não estaria aqui né? Mas enfim, deu certo com observações e adaptações, claro. Ignorei a baunilha; não me entra na cabeça misturar baunilha com cítricos. Pra quem gosta da combinação é só misturar 1 colher sopa de essência na hora de fazer a infusão.

Agora adaptações pra deixar a limonada de alecrim no seu gosto. Quando você colocar água quente junto da casca de limão ela libera muuuuito aroma/sabor, que não é igual ao aroma/sabor da poupa. Se você não gosta do sabor da casca, esprema todos os limões mas usar apenas metade das “metades” pra infusão. Se a mera ideia do aroma da casca te faz desistir dessa receita, não desista. Esquente a água com as ervas e o açúcar, fazendo um chá. Então esfrie essa mistura e junte o sumo de limão.

Seja qual for o método escolhido, não esqueça de tampar a vasilha. O aroma/sabor da hortelã é muito volátil, e se não tampar a vasilha passou meia hora não tem mais sabor de nada. E como sempre é bom lembrar: cada limão uma limonada. Eu usei capeta (cravo?) e ficou bem ácida. Com sicilianos fica mais suaves, com galegos mais cítrica, e por aí vai….

Mas Sabrina, nenhuma recomendação sobre o alecrim? Gente, se alguém não gosta de alecrim não vai nem chegar até aqui no texto né? Taca alecrim que fica gostoso.

Limonada de Alecrim – original aqui

4 xícaras de água fervendo
4 limões grandes
1/2 xícara de açúcar
5 ramos de hortelã
1 ramo de alecrim

Em uma vasilha esprema os limões, junte as metades espremidas, as ervas e o açúcar. Cubra com a água quente e tampe. Deixe descansando por cerca de 30min. Coe e transfira para uma vasilha com gelo. Se quiser também acrescente algumas fatias de limão e ramos de hortelã e alecrim par enfeitar.

—————————–

Em 2014: Pudim de Tapioca

Gin Fizz, ou um jeito chique de chamar refri com gin

Gin Fizz é um drink curto, simples, fácil (de fazer e degustar) e beeeem levinho. Bom pra quem quer algo refrescante e suave!

Gin Fizz

Decoração com o limão capeta mais laranjinha do mundo!

Os drinks tipo fizz são bem antigos e variados; isso porque Fizz quer dizer drink com borbulhas, normalmente graças a água com gás ou um refrigerante neutro. Talvez o Gin Fizz seja o mais antigo e mais tradicional desses drinks, e por isso tem algumas variações tanto na apresentação quanto no jeito de fazer.

Embora a base seja sempre a mesma (gin, limão, doce, borbulha) tem quem prefira usar açúcar e quem prefira xarope; alguns usam água com gás, enquanto outros escolhem soda limonada… Detalhes que vão deixar cada drink com a cara de quem fez. Por aqui escolhi seguir a receita do IBA (chefão dos bartender por assim dizer) e usei xarope e soda. Pra quem não tiver xarope, vale trocar por açúcar? Vale! Só mais cuidado na hora de bater, pra garantir que vai derreter bem o açúcar. E quem não bebe refrigerante nem por decreto pode usar a água com gás sim; vai ter menos borbulhas mas vai funcionar.

E pra quem tá se perguntando se esse drink não é muito parecido com o Tom Collins… Sim ele é! Na verdade eles são drinks irmãos. Os dois tem os mesmos ingredientes, mudando apenas a proporção. Com isso o Tom Collins é mais ácido e mais suave que o Gin Fizz.

E em teoria tinha que ser feito com um tipo específico de Gin, mas isso não é lá muito respeitado… Ainda mais pra quem tá fazendo o drink em casa, não profissionalmente….

E por fim, na receita as medidas estão em partes. Isso porque você pode usar colheres de sopa, de chá, de vó, doses ou xícaras pra fazer seu drink. Para copos baixos como o da foto as medidas foram em colheres de sopa (tipo padrão)

Gin Fizz – original aqui

4 1/ partes de gin
1 parte de xarope simples
3 partes de limão
soda limão pra completar

Em uma coqueteleira, cheia de gelo, junte o gin, o xarope e o limão e bata até ficar bem gelado. Sirva em um copo baixo com uma rodela de limão e complete com  soa limonada.

—————————–
Em 2014: Frango na crosta de Ervas

Summertime, drink pra matar a saudade do calor

Summertime, pra quem tá praguejando contra o outono e quer mais é que o verão continue!
Drink Summertime

Esse drink apareceu pra mim enquanto eu zapeava pelo site da Absolut (que não tá patrocinando mas tem receitas ótimas, então eu recomendo). E admito que dessa vez mudei bastante a receita. Mas eu já contei que gosto de coisas doces?

Drinks refrescantes e docinhos são meus favoritos, e esse não tinha nenhum ingrediente puxando pro doce! Então resolvi trocar o vermouth seco por um doce. Se você não faz questão de suavizar o seu Summertime fique com o vermouth seco que tá tudo certo!

Eu também reduzi a quantidade de limão porque esse que usei estava extremamente ácido. (a natureza não segue padrões as vezes) Pode usar a mesma quantidade de limão do que de vodka? Pode. Te conselho a provar antes? Aconselho! Coloca metade de limão, prova e se achar necessário aumenta a quantidade.

No mais é só ter atenção pro tamanho do copo e quanto gelo vai nele. Num copo pequeno, ou com muito gelo, vai pouca quantidade de água tônica e o drink fica mais forte e menos amargo. Num copo grandão, ou com menos gelo, as bebidas serão mais diluídas mas o sabor da água tônica ficará ais forte.

PS: procurando pela história do drink (que não achei) encontrei essa outra versão, beem diferente. Essa leva licor de laranja, grenadine e suco de laranja e sim, já está na lista de testes daqui do Cozinha.

Summertime – original aqui

1 dose de vodka
1 parte de vermouth*
1/2 parte de limão*
agua tônica
gelo
fatia de limão pra decorar

*pra maiores detalhes sobre esses ingredientes tem o texto ali em cima

Encha um copo alto com gelo. Adicione a vodka, o vermouth e o limão, nessa ordem. Complete com a água tônica e enfeite com uma fatia fina de limão.

——————————
Em 2015: Bolo de chocolate – o meu favorito da vida, o bolo da minha infância, aquele que eu nem preciso ler a receita…

Salvar

Salvar

Salvar

Muffins de limão com sementes de papoula

Muffins de limão com sementes de papoula! E não, essa receita não é a mesma do bolo de limão com sementes de papoula.
Muffins de limão com sementes de papoula

Já eu pra perceber que essa combinação é famosa né? E a fama toda é justificada pelo equilíbrio dos sabores. As sementes de papoula tem o sabor muito suave e um bolo com sabor muito forte poderia acabar apagando as coitadas do resultado final. É claro que dá pra fazer um bolo de limão mega ácido cujo sabor vai apagar todo o resto, mas normalmente essa não é a intenção né? Um leve aroma de limão já costuma deixar o bolo uma delícia, e sem brigar com os outros ingredientes.

Então o que esses muffins de limão tem de especial? Eles levam fubá!!! Eu tenho certa dificuldade em imaginar o fubá fora do angu ou da broa, mas foi uma surpresa muito boa. Ele dá mais sustância pra massa e não interfere no sabor (ponto pra ele). Ou seja, se você quer é fazer um bolinho fofinho, aconselho o bolo de limão dividido em forminhas de cupcake. O muffin de hoje é pra quem quer se alimentar com ele. Sabe quando a gente tá com pressa de manhã? Pega uma fruta, pega um muffin e pronto; dá até pra transformar num café em trânsito.

(confesso que ele também ficou ótimo pro lanche da tarde da preguiça)

Mudanças na receita? Dessa vez só o limão. A original é feita com limão siciliano como é costume em receitas estrangeiras. E eu fiz com o limão Taiti, como é costume aqui em casa. Dá certo, e fica gostoso. Mas sinta-se livre pra usar o seu favorito.
Muffins de limão com sementes de papoula

Muffins de limão com sementes de papoula – original aqui

2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de açúcar
5 colheres sopa de fubá
raspas de 1 limão
3 colheres sopa de semente de papoula
2 colheres chá de fermento em pó
1/2 colher chá de sal
2 ovos
75g de manteiga sem sal
1 colher chá de essência de baunilha
1 colher chá de extrato de limão*
3/4 xícara de leite
1/4 xícara de suco de limão

Glacê:
1 xícara de açúcar de confeiteiro
1 colher sopa de limão
2 colheres sopa de leite

* Não é essencial pra receita, mas se quiser dá pra fazer o extrato em casa mesmo: junta raspas de limão e vodka num vidrinho fechado e guarda num armário escuro por umas 2 semanas pelo menos. Pronto, extrato de limão feito.

Derreta a manteiga e reserve para amornar.
Misture, em uma vasilha, a farinha, o açúcar, o fubá, as raspas de limão, as sementes de papoula, o fermento e o sal. Adicione os demais ingredientes e misture tudo até ficar homogêneo.
Divida a massa em 12 forminhas de cupcake e leve para assar em forno aquecido a 200º até que dourem.
Depois de frio cubra com o glacê e, se quiser, decore com mais alguma sementes de papoula.

Salvar

Salvar