Bolo de leite ninho

Bolo de leite ninho!! Ou pão de ló e um creme delícia pra usar como quiser!

Esse bolo é uma adaptação de uma receita que me mandaram essa semana, e bota adaptação nisso. A receita original é um bolo no estilo do bolo gelado de coco, e eu tava afim de um bolo montado. Mas a ideia do recheio/cobertura com o leite ninho tava muito apetitosa! Então troquei a massa do bolo pelo falso pão de ló daqui de casa; e a calda que deixa o bolo extra úmido por um xarope simples porque o pão de ló é leve demais pra aguentar uma calda mais pesada.

O creme recheio/cobertura eu fiz conforme a receita original mas mudaria o tipo de creme usado. O creme de leite de caixinha (ou de lata misturado) funciona bem para um creme bem molinho, bom pra comer de colher, mas é terrível caso o objetivo seja um bolo montado tipo o que eu fiz. Olhando as fotos da pra perceber que o bolo tá meio tortinho, isso é o recheio mole demais que não dá sustentação pro bolo. Então na receita abaixo já deixo o creme de leite sem soro e a dica de acertar o ponto do creme colocando mais leite ninho, se preciso.

E pra quem quiser cobrir o bolo todo, sem esse efeito meio naked, é só dobrar a receita do recheio/cobertura. Vai sobrar um pouquinho mas garanto que ninguém vai reclamar!

Bolo de leite ninho

Massa
4 claras
4 gemas
1/2 xícara de açúcar refinado
1 1/4 xícara de farinha de trigo
100ml de água – ou suco se preferir
1 colher sopa de fermento em pó

Bata as claras em neve e acrescente as gemas uma a uma. Ainda batendo acrescente o açúcar e a água. Diminua a velocidade da batedeira (ou o seu braço) e acrescente a farinha e o fermento, batendo apenas o suficiente para incorporar tudo. Asse em 2 formas de 15cm untadas com manteiga e forradas com papel manteiga, em forno aquecido a 180° até que dourem.

Creme de leite ninho  (original aqui)
100g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1/2 lata de leite condensado
100ml de creme de leite sem soro
cerca de 1xícara de leite ninho – ou o leite em pó da sua preferência

Bata a manteiga até que forme um creme fofo. Anda batendo vá acrescentando os demais ingredientes deixando o leite ninho por último. Dessa forma você pode acertar o ponto do creme (mais firme ou mais mole) dosando a quantidade. Leve para a geladeira por pelo menos 2h antes de usar.

Montagem:
Os bolos ficam mais fáceis de cortar e empilhar quando frios, então embale as formas assim que esfriarem e deixe na geladeira por algumas horas. Depois de frios desenforme e nivele, cortando o topo. Se quiser corte cada bolo em dois, como eu fiz. Molhe todos os discos de massa com um xarope simples*. Depois é só intercalar uma camada de bolo com uma de creme. Para o efeito meio naked meio coberto é só colocar um pouco do creme em uma espátula ou faca e espalhar por toda a lateral raspando os excessos. Deixe na geladeira sempre coberto para não secar o creme.

*xarope simples é quando você junta 1 medida de açúcar e 1 medida de água e leva ao fogo apenas até ferver.

Salvar

Salvar

Tortinhas do dia dos namorados – drops

Massa crocante de chocolate + bicho de pé (o doce gente!!) + confeitos fofos = sobremesa temática do dia dos namorados pronta em 2 minutos!
tortinhas bicho de pé cozinharoman ptTá, eu não sou a maior fã de comidas temáticas dessa data, mas essa pode muito bem dispensar os confeitos fofos e virar apenas uma sobremesa improvisada deliciosa…
Eu gosto dessa massa de torta específica porque ela não é muito doce e congela bem. Na verdade todas as tortinhas da foto foram assadas com algumas semanas de antecedência (junto de uma torta maior) e ficaram dormindo no congelador até então. Eu apenas tirei do congelador e levei direto pro forno (180°) pra descongelar e voltar com a crocância.

Já o bicho de pé tem, pra mim, gostinho de infância e por isso é sempre bem vindo. Mas claro que se o tema é dia dos namorados o rosa entra no clima. Pra dar o formato deixe o doce bem firme, em ponto de enrolar mesmo e use um saco de confeitar (ou sacola plástica) e um bico pitanga.

Por fim os confeitos. Minha única dica aqui é: não escolha confeitos muito duros, tem umas mini pérolas douradas que são bonitinhas, mas o diabo pra conseguir mastigar!
E lembrando que é sempre melhor fazer no dia e deixar na geladeira (pro recheio não derreter) até o momento em que for servir. 😀
tortinhas bicho de pé cozinharoman pt2

Salada de grão de bico

Cozinha de volta!!! (com toda a parte elétrica renovada enfim…) E pra celebrar vai ter é saladinha light de grão de bico mesmo…

Baita plot twist né? Minha vontade era voltar com uma mega receita, super elaborada, com cara de sobremesa de festa! Mas a realidade é cruel e uma saladinha fácil de adaptar foi o que deu pra sair. Mas gente, juro que é salada mas é gostosa tá?
A base é grão de bico e aí dá pra acrescentar o que quiser, a de hoje é só uma sugestão de temperos que funcionam bem. (ou uma desculpa esfarrapada porque eu tava doida pra voltar a postar…rs) Pra quem procura uma salada mais colorida ainda, eu tive a ideia de fazer a minha depois de ver essa aqui lá no Presunto Vegetariano.

Salada de Grão de Bico

grão de bico
cenoura
salsinha
sal
limão
cominho em pó

Se você usar grão de bico em lata pode pular esse parágrafo. Pra quem usa cru é bom saber que tem que deixar de molho antes. Então escolha um punhado, uma xícara mais ou menos, de grãos e deixe de molho numa vasilha com água durante toda a noite (ou umas 8h). Passado o tempo escorra a água do molho e coloque pra cozinhar em água com sal até ficarem quão macios vocês quiser. Se você tem medo de panela de pressão não preocupa que não precisa tá?
Grãos cozidos é só ralar uma cenoura e misturar com os grãos e bastante salsinha! Por fim tempere com sal, limão e um pouco de cominho (vai por mim!).

————————————–
Em 2015: Torta de banana caramelada (boa pro frio que chegou!)

Salvar

Salvar

Sequilhos

Sabe aquele sequilho docinho, bem quebradiço que desmancha na boca? Facinho de fazer!
sequilhos cozinharoman ptEssa receita tá no caderno da família já tem alguns anos e eu faço nem ideia da origem, embora imagine que seja alguma embalagem de um dos produtos usados ou coisa parecida.

Mas sequilho é quitanda tradicional então a gente já sabe né? Milhares de versões! Essa é bem básica (o que eu gosto), com poucos ingredientes e método de preparo fácil e adaptável. Um exemplo é a quantidade de amido de milho: pra quem quer sequilhos mais sequinhos e quebradiços é só deixar a massa bem sequinha com um pouco mais de amido; e pra quem quer biscoitos um pouco mais macios e úmidos é só colocar apenas a quantidade de amido que tá na receita, ou até menos.

Outra mudança que pode acontecer? Fécula de mandioca no lugar do amido de milho. Fica a mesma coisa? Não, o gosto é outro. Mas funciona e fica um sequilho de mandioca bem gostoso. E é uma boa saída caso você, assim como eu, tenha um pacote de fécula de mandioca sobrando na despensa. 😛
sequilhos cozinharoman pt2Sequilhos

150ml de leite condensado
80g manteiga em temperatura ambiente
1 gema
cerca de 2 1/2 xícara de amido de milho

Misture bem o leite condensado com a manteiga e a gema, até ficar homogêneo. Se você tem problema com gosto de ovo vale peneirar a gema.
Vá acrescentando o amido de milho e amassando até formar uma massa coesa e mais sequinha. Quanto mais farinha mais sequinho e quebradiço fica o resultado final, então você pode dosar de acordo com o resultado desejado e com o tamanho da gema.

Modele bolinhas e coloque um uma forma com papel manteiga (ou silicone), amasse cada uma com um garfo achatando ligeiramente e deixando a marcação típica. Leve ao forno já aquecido a 200º até que sequem. Eles não douram, se o fundo começou a escurecer é porque já tá na hora de tirar do forno.

Salvar

Gim Tônica

Um dos drinks mais fáceis que eu já fiz, do estilo taca tudo no copo e bebe, mas não é que esse tal Gim Tônica é bom?
gin tonica cozinharoman ptJá apareceram muitos drinks fáceis por aqui mas acho que tão fácil quanto o Gim Tônica não tem como. É só colocar as coisas na ordem, já no copo que for servir, e pronto: drink leve, simples e gostoso.

(vale dizer que eu não levei fé pq não vai açúcar nem xarope, mas fica uma delícia até pra quem é formiga tipo eu)

E pra facilitar mais ainda os ingredientes são relativamente fáceis de ter em casa. O gim é uma bebida que rende bastante por ser muito forte, esse drink por exemplo usa apenas uma dose por copo. Então é só comprar uma garrafa e deixar lá no bar fazendo aniversário. A água tônica é fácil de encontrar nos mercados, fica do lado dos refrigerantes e tem de várias marcas. Também é só deixar uma latinha sempre na geladeira e pronto.

E limão né gente. Conselho pra vida: se você cozinha, tenha sempre limão em casa, de qualquer tipo, o seu favorito, o da época, o que nasce no quintal dos vizinhos, qualquer um. Agora é só seguir o passo a passo abaixo e pronto.

Gim Tônica

1 dose de gim
1 fatia (ou 1/4) de limão
gelo o bastante pra encher o copo
água tônica

Encha um copo alto com gelo até a boca. Adicione uma dose de gim e o limão. Complete com a água tônica.

—————————
Em 2015: Bolo de menta com chocolate

Salvar

Panquecas de ricota

Panquecas pro café da manhã! E pra fugir do tradicional essas são de ricota!
panquecas de ricota cozinharoman ptNormalmente as panquecas caem no lado doce da cozinha, mas essas podem facilmente virar almoço. A ricota na massa e a (quase total) ausência de açúcar fazem com que as panquecas fiquem levemente salgadas, nada em excesso pro café da manhã, principalmente se forem servidas com mel ou geleia. Mas fiquei imaginando que basta uma pitada maior de sal e uns temperinhos e elas bem podem virar meu almoço vegetariano da semana…

A receita veio do site da Nigella e só fiz duas modificações:

Acrescentei uma colher de açúcar, apenas pra ajustar o sabor ao meu gosto. Essa ficou como opcional na receita abaixo, provem antes de montar as panquecas e decidam por vocês mesmos. E também aumentei um pouco o leite porque a minha ricota era bem seca. Isso vai variar bastante dependendo da qualidade da ricota escolhida, por isso vale começar com a quantidade indicada na receita e só adicionar mais no final, caso precise. O mesmo vale pra farinha, caso a sua ricota seja úmida demais.

Uma última dica? Essa massa é bem instável na hora de fritar. Então se as panquecas ficarem muito grandes vai ficar difícil na hora de virar. O mais fácil é fazer panquequinhas pequenas e mais gordinhas.

Panquecas de ricota – original aqui

125g de ricota
65ml de leite*
1 ovo grande
7 colheres sopa de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento em pó
1 pitada de sal
1 colher sopa de açúcar – opcional

*se a massa estiver muito seca acrescente mais um pouco aos poucos

Separe as claras das gemas e reserve claras e o sal em uma vasilha.
Amasse a ricota com um garfo e misture com os demais ingredientes, exceto o açúcar.
Bata as claras em neve com o sal e incorpore na mistura delicadamente.
Prove a massa e veja se precisa do açúcar, se for o caso adicione delicadamente.
Esquente uma frigideira pequena e, se ela não tiver teflon, coloque uma gotinha de óleo. Frite colheradas de massa até que dourem em ambos os lados. Cuidado pra não fazer panquecas muito grandes para que não quebrem.
Sirva com mel ou geleia.

——————————
Em 2015: nuvem de melancia

Salvar

Pudim de pão

Pudim! Sabe pudim de leite? Esse é primo-irmão dele, praticamente idêntico, só que ele leva pão velho na receita!

Essa receita é velha conhecida daqui de casa, sendo feita muito mais vezes que o pudim de leite tradicional. Por isso mesmo não faço ideia de qual sua origem… E por isso mesmo as medidas são mais ou menos mutáveis. Na receita abaixo deixei a receita média pra ser usada com pão de sal (também conhecido como francês) e pro resultado ser um pudim grandão pra alimentar a família toda.

Dependendo do pão o pudim pode sair mais firme ou mais leve, ou mais amarelo como o da foto se você usar um pão que era amarelo (sabe-se lá pq). Então se for usar um pão muito doce vale diminuir um pouco o açúcar. Só tentem evitar pães muito recheados ou confeitados, aqui quanto mais simples melhor pra textura ficar mais próxima do pudim tradicional.

E dica sobre a textura: quando o pudim é grandão como esse ele demora mais pra assar, e aí acaba ficando com essa textura dupla: mais leve embaixo e mais denso em cima. Já uma receita menor (metade desse por exemplo) vai assar mais rápido e ficar com uma textura mais homogênea. Dica extra: vale congelar o pão. Sempre! Sobrou pão murcho e ninguém vai comer? É só colocar numa sacolinha bem fechada e deixar no congelador pela eternidade. Quando der vontade de uma sobremesa é só lembrar desse pudim.

mas se quiser um lanche tem essa versão, outra receita do caderno da mãe…

E pra deixar tudo ainda mais em família as fotos do post de hoje (e as que estarão nas redes sociais) são cortesia do Bart Roman (tb conhecido como meu irmão). 😛

Pudim de pão

1 litro de leite
6 ovos
2-3 pães
2 xícaras de açúcar cristal ou refinado
Açúcar refinado e água para o caramelo

Primeiro prepare o caramelo: em uma panelinha leve o açúcar refinado ao fogo até derreter e adquirir um tom dourado. Adicione a mesma quantidade de água e espere até derreter completamente as pedras de açúcar que se formarem. Quando a calda estiver em ponto fio cubra uma forma de furo no meio  e deixe o excesso no fundo. Reserve.
Segundo prepare o banho-maria: escolha um refratário no qual caiba a forma do pudim e coloque água. Dica pra não derramar: coloque a água no refratário com a forma do pudim já dentro dele, assim você não coloca demais nem de menos. Coloque o refratário (sem a forma do pudim) no forno e ligue a 200°.

Por último bata o pudim: junte todos os ingredientes no liquidificador e bata até ficar homogêneo. Transfira para a forma caramelizada e cubra com papel alumínio. Leve ao banho-maria e deixe assando pelo menos 45minutos. Depois desse tempo retire o papel alumínio e vá controlando o tempo de forno até o pudim não estar mais líquido. Retire do forno e tampe novamente com o papel alumínio. Deixe dormir na geladeira até o dia seguinte e só então desenforme.

Salvar

Salvar

Biscoito 123 saborizado – drops

Já apareceu por aqui um dos biscoitos mais fáceis de fazer, o 123, e agora tem dica pra dar sabor a mais e ainda vestir o dito cujo pra festa.

Essa versão apareceu (num papelinho num caderno velho) pra mim como biscoitinho de limão, mas quando fui ver a receita direito percebi que era o tal biscoito 123 acrescido de limão. E achei que dava um bom drops por aqui: uma receita que já apareceu, mas com uma roupagem diferente.

A receita tá explicadinha abaixo porque né, vamos facilitar pra quem visita essa cozinha. Mas se você quiser o original basta ignorar todo e qualquer limão, ou clicar num dos milhares de links pra receita original que aparecem nesse texto. 😉

Biscoito 123 de limão

Massa:
100g de manteiga em temperatura ambiente
1/4 xícara de açúcar refinado
1 1/4 xícara de farinha de trigo
1 colher sopa de raspas de limão

Glacê:
6 colheres sopa de açúcar de confeiteiro
2 colheres sopa de suco de limão
raspas de limão pra decorar

Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme fofo. Junte as raspas de limão e a farinha até obter uma massa coesa. Enrole essa massa num cilindro da espessura que você vai querer os biscoitos e corte fatias também da largura que você vai querer os biscoitos. Aconselho no máximo 1,5cm pra não ficar muito grosseiro. Transfira os discos de massa para uma assadeira com papel manteiga e leve ao forno aquecido a 200° por cerca de 15min, ou até que o fundo dos biscoitos esteja dourado. Depois de assados deixe os biscoitos esfriarem antes de cobrir com o glacê.

Para fazer o glacê apenas misture o açúcar com o suco de limão e cubra os biscoitos com a ajuda de uma colher. Por fim polvilhe algumas raspas de limão sobre os biscoitos antes do glacê secar. Guarde em uma lata para impedir que fiquem murchos.

————————————-
Em 2015: Frango empanado na cerveja

Salvar

Pão de ló sem glúten

Pão de ló, com apenas 3 ingredientes e resultado leve e fofinho, mas sem glúten!!!

Já vou começar cortando a onda de quem tá de dieta: essa não é uma receita light, diet ou baixa em calorias ou carboidratos. Se você tá querendo perder peso, ganhar massa ou mandar a pochete embora corre pra nutricionista. Maaas se você só tá atrás de um bolo fofinho pro café e não pode ingerir glúten, aí sim essa receita é pra você. Na verdade se você só tá afim de um bolo fofinho já tá valendo…

Essa receita veio de um calendário de 1979 cheio de receitas da Maizena que estava no meio dos cadernos de receita mais antigos. E na verdade o nome original é “Almofadas Francesas”, e todos compreendemos porque eu troquei né? Quando fui ler a receita percebi que era exatamente um pão de ló, mas com Maizena no lugar da farinha e um glacê esquisito por cima, cortados em quadradinhos e servido numa bandeja chique.

Como fiquei muito curiosa resolvi não mudar nada na receita do bolo, e ainda bem porque tá tudo na medida direitinho pra dar certo. Mas ignorei o glacê estranho e fiz o meu de sempre de açúcar de confeiteiro misturado com limão. E claro que ele é totalmente opcional já que você pode fazer um bolo simples pro café, ou usar como base para um bolo confeitado ou pavê.

Só tem um porém, temporário, nesse caso todo de substituição: eu ainda não testei essa receita pra fazer rocamboles, então não garanto que esse pão de ló enrolaria tanto quanto o original. Até fazer mais testes fica a recomendação de só usar como bolo mesmo.

Pão de ló sem glúten

4 gemas
4 claras
1 xícara de açúcar
1 1/2 xícara de amido de milho
raspas de 1 limão pequeno – opcional

Ligue o forno a 180° para ir aquecendo.
Bata as gemas com o açúcar até formar um creme claro e bem mais volumoso. Adicione o amido de milho (e as raspas de limão se for o caso) aos poucos e misture até incorporar totalmente.

Bata as claras em neve e adicione a massa em três partes: primeiro adicione um terço das claras e misture vigorosamente até incorporar totalmente. Adicione mais um terço e misture delicadamente também até incorporar. E por fim repita com o último terço.
Transfira para uma forma com papel manteiga e leve ao forno por cerca de 20min até dourar.
Espere esfriar um pouco tanto pra cobrir com o glacê quanto para desenformar e cortar.

Glacê – opcional

açúcar de confeiteiro
suco de limão

É só misturar os dois medindo a consistência com mais ou menos suco e espalhar sobre o bolo.

———————————–
Em 2015: Pudim de pão que parece bolo

Salvar

Salvar

Pão trançado com pesto

Pão macio e fofinho trançado com uma versão simplificada e abrasileirada de pesto:

Tanto a trança de nutella quanto a trança de nozes fizeram bastante sucesso por aqui, mas já tinha um tempo que eu quer tentar uma versão salgada. Foi quando apareceu essa receita da Bromabakery!

A massa é uma delícia de trabalhar, abre fácil e modela numa boa, além de ficar realmente super fofinha depois de assada. E aceitou numa boa a troca de fermentos, do biológico seco da receita original para o Levain daqui de casa. Mas quem não tem Levain não precisa preocupar que na receita abaixo tem as quantidades do fermento seco também.

Já o pesto eu mudei quase completamente. Não temos pinoles (pinholes? pinolis?) por essas bandas, mas a castanha de caju é fácil de encontrar e combina bem com o manjericão. E esquece o queijo, ele fica uma delícia pra fazer molho pesto mas pro pão eu queria algo mais leve e suave. E por fim, não sei se dá pra considerar isso uma mudança mas troquei a buttermilk comprada pronta pela versão caseira com leite e limão; acho que assim fica mais fácil pra todo mundo conseguir fazer. Também tudo explicadinho na receita. 😉

Pão trançado com pesto simples – original aqui

Massa:
40ml de buttermilk*
80ml de água
1/2 colher sopa de açúcar
75g de fermento natural**
1 1/2 colher sopa de azeite
1 ovo pequeno
1/4 colher chá de sal
1 3/4 xícara de farinha de trigo

* para o buttermilk esprema 1/2 colher sopa de suco de limão e junte leite o suficiente para chegar a 40ml. Deixe descansando por 20min antes de usar.

** Também vale usar um pacote de 10g de fermento biológico seco e diminuir o tempo de descanso da massa pela metade

Pesto:
1 xícara de folhas de manjericão*
3 colheres sopa de azeite
1/4 colher chá de sal
1 colher chá de limão
2 colheres sopa de castanha de caju

* para medir aperte bem as folhas na xícara

Para fazer a massa aqueça a água com o açúcar e o buttermilk apenas para a mistura ficar morna. Misture com o fermento e deixe descansar por 10min.
Passado o tempo adicione o azeite e o ovo e misture bem até incorporar. Por último acrescente a farinha e o sal e sove a massa até que ela fique bem lisa e elástica.
Transfira para uma vasilha untada com azeite e passe um pouco de azeite sobre a massa também. Cubra com um filme plástico e deixe descansar por 4h, ou até dobrar de tamanho.

Enquanto isso prepare o pesto:
Para um pesto mais liso bata todos os ingredientes no liquidificador até ficar uma mistura homogênea. Para um pesto mais rústico (meu caso) pique todos os ingredientes com uma faca misturando eles enquanto isso. Assim fica mais fácil controlar o quão rústico ou não você quer o resultado final. Reserve.

Passado o tempo de descanso da massa polvilhe uma superfície com farinha e abra a massa num retângulo. Tente deixar a largura do retângulo com o mesmo tamanho da forma que será usada. Espalhe o pesto sobre a massa e enrole como um rocambole e faça um corte ao longo dele, ficando com dois semi cilindros. Trance-os deixando a parte que aparece o pesto para cima.

Eu cobri com um pouco de parmesão ralado na hora, mas nem fez muita diferença no sabor, fica a critério.

Transfira a trança para uma forma de bolo inglês forrada com papel manteiga e leve ao forno a 200° até dourar.

Salvar

Salvar