Geleia de goiaba

Geleia caseira feita com goiabas do quintal da vó, tem coisa melhor? Dias atrás postei no instagram essa foto do panelão de goiabas que veio parar aqui em casa, e hoje é dia de finalmente postar a receita dessa geleia!

O método que escolhi pra fazer é com a goiaba inteira, com casca, semente e tudo, pois acho um horror desperdiçar metade da fruta no processo. Algumas outras receitas utilizam apenas a polpa e a semente e algumas não utilizam nem as sementes. Como aqui elas são cozidas e então batidas fica bem mais fácil passar na peneira depois. Pra quem preocupar com machucadinhos na casca, relaxa que não tem problema e eles não influem no resultado final. Só é preciso ter o cuidado de lavar bem as frutas.

(Bora lembrar da campanha Gente bonita come fruta feia)

Pra terminar uma dica: esse geleia não é super doce, na verdade é bem leve, então se você prefere geleias bem doces experimente quando ela estiver quase pronta e se for o caso acrescente mais açúcar. O mesmo vale pro limão, eu usei apenas o suficiente para acertar a textura, mas muita gente gosta de um azedinho e, se for o caso, pode colocar mais sim.

Geleia de goiaba

goiabas
água
açúcar cristal
limão

Antes de tudo coloque um pires no congelador. Não é piada, coloca mesmo.
Lave bem as goiabas e tire apenas as sépalas, aquela parte sequinha no topo da fruta, não precisa descascar. Corte as goiabas ao meio (ou em 4 se forem grandonas) e coloque em uma panela com água apenas o suficiente pra cobri-las. Leve ao fogo médio até que elas estejam bem cozidas.

Transfira todo o conteúdo da panela para o liquidificador e bata até ficar homogêneo. Eu fiz um panelão de geleia, então tive que bater de pouco em pouco pro liquidificador dar conta, e tudo bem se for o seu caso também. Depois de tudo batido passe por uma peneira e meça o volume do purê de goiaba; transfira para um panela, ou tacho, e acrescente o açúcar na proporção de 3 medidas de açúcar pra cada 4 de goiaba. Ex: 1 xícara de purê precisa de 3/4 de xícara de açúcar. Leve ao fogo médio e vá mexendo até começar a ferver.

Nesse momento acrescente o limão, pra uns 3 litros de geleia eu usei 1 limão capeta grandão. Ele não serve exatamente para o sabor e sim pra textura, por isso não precisa preocupar com azedume na geleia. Deixe cozinhando em fogo baixo e vá mexendo de vez em sempre. Quando começar a engrossar você começa a ver o ponto. Pra isso pingue um pouco de geleia no pires que estava no congelador, espere 30 segundos e vire o pires de pé. O ponto certo é quando a geleia demorar a escorrer. Outro jeito é esperar os 30 segundos e passar o dedo no meio da geleia, o ponto é quando o corredor feto pelo seu dedo se mantém.

Tudo pronto é só envasar, de preferência potes de vidro, e guardar na geladeira. Só pode ficar fora da geladeira se você esterilizar vidros e tampas.

————————-
Em 2015: calda de chocolate que vai bem com tudo

Salvar

Salvar

Tortinhas de carne

Tortinhas de carne pra ser almoço, lanche, janta, a salvação quando não tem nada e você encontra uma perdida no congelador…. esse tipo de coisa.

Depois de tanto chocolate deu vontade de postar alguma coisa salgada, e daí lembrei das tortinhas de carne! Elas são bem práticas porque você pode fazer uma fornada grande, assar tudo e depois congelar algumas. Quando der vontade pode levar ao forno baixo pra descongelar e esquentar ou deixar descongelar em temperatura ambiente pra quem gosta delas frias. Ou seja, receita boa pra fazer num domingo sem nada pra fazer e forrar o congelador pro resto do mês.

A primeira receita que tentei veio do A Cozinha Coletiva (pra variar quando o assunto é torta) mas sofreu algumas alterações desde então. Mudei um bocado a massa pois achava a primeira mais difícil de manusear, a atual é bem maleável e fácil de formatar as tortinhas. Já o recheio acabou simplificado embora mantenha a ideia de carne bovina cozida com cerveja.

Nessa última fornada, em específico, o recheio ganhou 2kilos a mais e sal do que devia, então aproveito pra deixar a dica. Caso aconteça com vocês também acrescente água e uma batata e deixe no fogo até a batata cozinhar. Ela vai absorver o sal do caldo e equilibrar tudo. Ou você pode picar a batata em cubinhos e simplesmente deixa-la no recheio que também fica gostoso.

Tortinha de carne – original aqui

500g patinho picado em cubinhos minúsculos
1 litro de caldo de carne ou legumes
1/2 cebola picada em cubinhos minúsculos
2 colheres sopa de molho de tomate
1 latinha de cerveja – dessas comuns mesmo

Na panela de pressão doure a cebola em um pouco de gordura (a que vc quiser) até que ela fique transparente. Acrescente a carne e deixe dourar sem mexer muito.
Quando a carne estiver dourada acrescente o molho de tomate e o caldo e tampe a panela. Quando começar a chiar baixe o fogo e conte 20minutos. Depois que sair toda a pressão confira o ponto da carne, ela não precisa estar totalmente macia porque ainda vai ficar mais tempo no fogo, mas se estiver muito dura deixe na pressão mais uns minutinhos.

Quando a carne estiver macia acrescente a cerveja e deixe apurando, com a panela destampada mesmo, até o caldo engrossar. Quando o molho já não tiver muito caldo confira o sal e pronto. Deixe esfriar antes de usar nas tortinhas.

3 3/4 xícaras de farinha de trigo
1 1/2 colher chá de sal
1/2 colher chá de pimenta do reino
125g de manteiga sem sal gelada
1 ovo
cerca de 1 xícara de água

1 gema pra pincelar
gergelim pra enfeitar – só se quiser

Misture a farinha com o sal e a pimenta. Pique a manteiga em cubinhos e misture com a farinha formando uma farofa. Adicione o ovo e misture até incorporar totalmente. Então vá acrescentando a água aos poucos e amassando até formar uma massa lisa e coesa. Talvez não precise de toda a água, e cuidado pra não sovar a massa. Reserve por cerca de 30min para descansar a massa.Enquanto isso unte as forminhas escolhidas, que podem ser forminhas de cupcakes, de empada ou mesmo ramekins.

Com um rolo (ou uma garrafa) abra a massa bem fininha e forre as forminhas. Recheie cada uma e cubra com um disco de massa. Com os dedos aperte a base com a tampa pra fechar bem. As aparas de massa você junta e deixa descansar uns 10minutos antes de abrir novamente. Faça um corte no centro do topo de cada tortinha pra ajudar o vapor a sair. Pincele todas com a gema e salpique o gergelim por cima. Leve ao forno já aquecido a 180° até dourar.

Pra congelar não precisa dourar muito já que elas voltarão ao forno depois. Depois de frias leve ao congelador em pote ou sacola fechados.

 

Salvar

Salvar

Taça improvisada de chocolate – drops

Mais um drop de sobremesa improvisada! Dessa vez uma taça com cara de chique e mega fácil de fazer, e super recheada de chocolate por motivos de páscoa tá ali na esquina já…

Como bom drops esse não tem receita específica e sim sugestão de combinações, e a dessa taça é:

Bolo de chocolate – bolo dos deuses; chocolate com café; pode ser até vegano

Creme de chocolate – o mais fácil do mundo: creme de leite fresco com nutella batidos juntos; ou esse creme de ricota com chocolate; pode ser sorvete também…

Crocante – nozes, amêndoas, castanhas, etc, etc

Daí é só escolher um recipiente com cara chique, no caso uma taça de martíni mas pode ser qualquer taça, ou mesmo uma travessa pra família toda e empilhar igual pavê: bolo, creme crocante, bolo, creme, crocante. Só lembra de manter na geladeira até a hora de servir, e se for esperar várias horas cubra com um filme plástico pra não ressecar.

——————-
Em 2015: pipoca com chocolate e limão

Salvar

Ovocake, e temperagem de chocolate

Primeira vez na vida que consigo temperar chocolate decentemente! Finalmente eu descobri onde eu tava errando, e pra comemorar tem ovo recheado com bolo e brigadeiro!

Primeiro as primeiras informações:

(antes de tudo, se você não tá nem aí pra temperagem, lá no final eu conto como fiz o ovo recheado que não precisa de nada disso já que fica guardado na geladeira)

Chocolate é chocolate e precisa temperar. Cobertura de chocolate é outra coisa e não precisa temperar. Digamos que a cobertura está para o chocolate como a margarina está para a manteiga. Ou seja, fuja dela!
Temperagem é o processo de derreter, resfriar e esquentar novamente o chocolate para só então coloca-lo na forma. A gente faz isso pra evitar que a cobertura do bombom ou o quadradinho de chocolate fique derretendo na mão. Cada chocolate tem temperaturas adequadas pra temperagem, e tem cada uma explicadinha abaixo.*
E por último, nem toda receita precisa que o chocolate seja temperado. Isso só rola pra quando o seu bombom ou similar vai ficar fora da geladeira, como pães de mel por exemplo.

Agora começando com o erro bobo que me impediu de conseguir temperar o chocolate de forma correta durante os últimos anos: a temperatura da sua cozinha importa! Eu fazia tudo direitinho, seguindo todas as temperaturas do chocolate, com termômetro e tudo, mas ignorava o quão calor tava o ambiente geral. E um ambiente com mais de 20° (mais ou menos) acaba com todo o trabalho. Você pode ter uma cozinha com ar condicionado, ou seguir a minha gambiarra: peguei o maior ventilador que achei e coloquei do meu lado. Funciona: os mini ovos de chocolate ficaram fora da geladeira 6 dias e ficou tudo bem.

*Eu sei que parece chato o lance das temperaturas certinhas, e nem todo mundo tem termômetro, mas isso faz toda a diferença. Se você não tem termômetro, na internet tem (aqui uma lista de lojas) e os de açúcar são caros mas os de chocolate são bem mais em conta.

A Temperagem em si:

Prepare um banho-maria: uma panela com água no fogo baixo e uma vasilha que encaixe na panela, sem encostar na água, pra colocar o chocolate picado.
Enquanto o chocolate não derrete prepare o banho-maria invertido: uma vasilha com um pouco de água e bastante gelo, onde caiba a vasilha com o chocolate sem correr risco de a água entrar em contato com o chocolate (isso nunca pode acontecer)
Agora é só derreter o chocolate no banho-maria até ele atingir a temperatura certa (primeira coluna). Transfira a vasilha com o chocolate para o banho-maria invertido e misture o chocolate até que ele resfrie pra temperatura certa de novo (coluna do meio). E por último volte o chocolate para o banho-maria até aumentar a temperatura (terceira coluna).

tabela

Os dados dessa tabela vieram lá do ICKFD

Assim que você esquentar o chocolate novamente ele pode ir pra forma e depois é só deixar secar, eu prefiro na geladeira pra poder finalmente desligar o ventilador. Você sabe que ele já secou totalmente quando a forma fica opaca (na área em contato com o chocolate) ou quando ele tá seco e firme ao toque. Desenforme e guarde fora da geladeira e longe do calor.

Pra quem tá fazendo ovos de páscoa: faça uma camada de chocolate na forma do ovo, retire o excesso e leve a geladeira por uns 3-5min. Tire da geladeira e faça uma nova camada pra não ficar uma casquinha fina demais.

Aqui tem vídeo do Panelinha mostrando esse processo direitinho

Ovocake – original na internet inteira esse ano

Ovo de chocolate
Bolo
Brigadeiro (pode ser nutella? pode, mas eu prefiro com brigadeiro)

Com o ovo pronto cubra todo o interior dele com uma camada fina de brigadeiro. Cubra com fatias finas de bolo, e repita a ordem brigadeiro-bolo até preencher todo o ovo. Deixe na geladeira por cerca de 20min. Derreta mais um pouco de chocolate e feche cada metade de ovo para servir apenas metade. Para servir o ovo inteiro junte as duas metades e com chocolate derretido e uma faquinha vá “colando” as metades.
Mantenha sempre na geladeira primeiro pra durar mais, segundo porque fica bem mais gostoso.

———————————
Em 2015: Bolo de laranja (que deve ficar muito bom com uma casquinha de chocolate por cima)

Salvar

Pastel de brigadeiro

Massa frita de chocolate bem crocante, e recheio de brigadeiro, e um açúcar polvilhado por cima porque eu fiquei sem imaginação pra montar o prato….

Então, essa receita eu conheci com o nome de ravióli de chocolate, no site da Casa e Jardim. Só que pra mim ravióli é cozido, se frita automaticamente a minha cabeça transforma em pastel. Então chamemos de pastel de chocolate.
Eu não precisei modificar a receita, só a textura da massa que sempre varia por conta da farinha mesmo. E eu tenho certa resistência em publicar receitas que eu fiz praticamente igual a original (com exceção pra receitar estrangeiras que eu acho bom traduzir). Mas essa eu fiz questão porque eu tava jurando que o trem ia dar errado. Quando li achei as instruções simples demais, com cara de parece fácil mas só encarnando 5 gerações de cozinheiras pra conseguir…

Só que nada, é facinho facinho. A única parte mais chatinha é abrir a massa no rolo, porque ela não é das mais fáceis, mas com paciência dá. Claro, com cilindro pra abrir massas também dá, então se você tem ponha pra uso!

Uma coisa só quanto a massa. Não acho boa ideia trocar o chocolate em pó por achocolatado, que tem muito mais açúcar. Como essa é a parte da receita que vai ficar justamente em contato com o óleo quente não acho boa ideia aumentar muito a taxa de açúcar pra não caramelar demais. Já pra quem quiser trocar por cacau, pode, mas a massa já é sem doce então cuidado pra não ficar amarga demais.

E, como sempre, o recheio é uma sugestão né. Isso pode virar pastéis de nutella,de creme, de morango, geleia, e por aí vai.

Pastel de brigadeiro – original aqui

1 1/2 xícara de farinha de trigo
2 ovos
2 colheres sopa de chocolate em pó 50%
1/2 receita de brigadeiro*

*Todo mundo entende que uma receita é com uma lata de leite condensado e só vai precisar metade e o resto pode comer de colher na frente da sua tela favorita né?

Faça o brigadeiro no ponto que preferir e deixe esfriando antes de começar a fazer a massa. Misture a farinha com o chocolate e acrescente os ovos. Vá misturando com uma mão até formar uma massa coesa. Caso esteja muito molenga vá adicionando farinha bem aos pouquinhos e amassando.

A minha ficou foi muito dura, quase não absorvendo toda a farinha. Nesses casos apenas molhe a mão e vá misturando a massa até ficar homogênea. Não adicione água diretamente na massa pra não correr o risco de colocar demais.

Deixe a massa descansar por uns 10 minutos, pra que não fique elástica demais na hora de abrir. Passado o tempo divida a massa em duas e abra bem fininha, eu consegui uns 3mm mas ainda achei grossa. Quem tem máquina de passar massa fique a vontade pra usar. Daí tem dois jeitos de modelar:

Igual ravióli: Modele porções de brigadeiro do tamanho que quiser os pastéis, eu fiz um pouco menor que um brigadeiro convencional, e coloque distanciando uns 3cm uns dos outros sobre uma das massas. Cubra com a outra metade da massa e aperte entre cada brigadeiro formando os pastéis. Pra isso você pode usar o rolete próprio, as costas de uma faca ou mesmo os seus dedos. Corte para separar os pastéis e com os dedos garanta que todos estão fechados.

Igual pastel: corte círculos ou retângulos da massa, recheie e dobre ao meio para fechar. Com os dedos ou um garfo aperte as bordas pra garantir que estão fechados.
Os retalhos de massa (de ambos os métodos) você junta numa bola de massa e deixa descasando mais 10minutos antes de abrir novamente.

Depois dos pastéis modelados é só fritar em óleo quente. E comer ainda quentinho e crocante que é em mais gostoso.

 

Salvar

Salvar

Shake de banana com nutella

Sexta é dia de drink e/ou drops e hoje tem um shake fácil, gostoso e (creio eu) meio que saudável. E com chocolate já que né, esses dias vai ser tudo com chocolate.

Eu não tô chamando de milk shake porque normalmente a gente associa diretamente a sorvete, e esse não é exatamente um ingrediente desse shake. Explico.
Bananas congeladas batidas tem sido conhecidas como sorvete saudável hoje em dia. Não é sorvete mas a gente acha gostoso e dá esse nome pra enganar o cérebro. E é isso que rola no shake de hoje, a base são bananas congeladas, e não sorvete. A consistência acaba sendo a mesma de um milk shake convencional, mas bem mais saudável.

Pra completar o gosto e combinar com a onda de chocolate que tá no Cozinha, acrescentei algumas colheradas de nutella! E porque nutella nunca é demais, vamos considerar a quantidade da receita apenas uma sugestão e usar o quanto der vontade…
O mesmo vale pro creme batido e pra calda usada no copo: são gulodices pra deixar a bebida com aquela carona de milk shake clássico e que também deixam mais gostoso. Mas a primeira vez que fiz esse shake não teve nada disso e, além de mais amigo de nutricionistas, ficou muito bom também.

Shake de banana com nutella

2 bananas pequenas congeladas
2 colheres de nutella – ou quanto você quiser
200ml de leite
creme batido e calda pra ficar bonitão

É só bater tudo no liquidificador, enfeitar o copo com a calda, e servir. Termina com uma pequena montanha de creme batido e um canudo.

——————————-
Em 2015: Bolo bananada (sim, por aqui amamos bananas)

Salvar

Salvar

Creme de ricota com chocolate

Ontem teve massa pra torta, hj tem recheio/cobertura pra tudo que quiser!

O post de hoje é rapidinho porque a receita também é: creme de ricota com chocolate! Eu já tinha descoberto que gostava das tais coberturas de queijo lá com o bolo red velvet, mas ainda não tinha me passado pela cabeça misturar chocolate. Enquanto isso encontrei essa receita de mousse de ricota com chocolate e resolvi experimentar. Acontece que de mousse a receita não tem nada, o resultado é um creme bem espesso que acaba ficando bem firme depois de gelado. Ou seja, ideal pra ser usado como recheio ou cobertura!

O sabor é uma delícia, podendo ficar mais doce ou mais intenso conforme o chocolate usado. Aqui usei o meio amargo, que é minha base de comparação quase sempre, e acho que já fica doce o suficiente pra balancear o sabor de queijo que já fica bem suave.
Tão gostoso que a primeira leva virou sobremesa pra comer de colher mesmo, quase não sobre pra usar em outras receitas…

Creme de ricota com chocolate – original aqui

1 3/4 xícara de ricota “desfiada”*
125g de chocolate meio amargo derretido
2 colheres sopa de açúcar de confeiteiro
leite o suficiente para bater

*Também conhecida como amassada com o garfo, esfarelada, destruída, etc

É possível bater esse creme tanto no liquidificador quanto no processador, dependendo do resultado final desejado e do equipamento disponível. Normalmente o processador vai bater mais fácil, por ser mais potente, mas o resultado vai ser um creme mais caroquento. Já o liquidificador pode apanhar um pouco pra conseguir bater o creme, mas o resultado é mais liso.

É só bater os ingredientes todos juntos, acrescentando o leite aos poucos, até formar um creme homogêneo. A quantidade de leite vai depender da textura desejada, lembrando que depois de gelado o creme endurece bastante.
Tem que guardar na geladeira, em pote tampado, mas pode deixar em temperatura ambiente umas duas horas antes de servir pra ficar mais macio.

——————————–
Em 2015: sugar cookies

Salvar

Salvar

Massa de chocolate pra torta

Começando o intensivão chocolate, duas semanas só com receitas com o melhor ingrediente do mundo. E pra começar uma bem versátil: massa de chocolate para torta, pra combinar com qualquer recheio!

Eu sei que páscoa pode ser bem mais do que chocolate, em mais de uma religião esse é um feriado que reúne a família em volta da mesa. Mas aqui no Cozinha quem reina é o doce mesmo, então pulemos direto pro cacau e suas variações. A ideia é dar sugestões pra quem (como eu) tá fugindo dos ovos comprados prontos, e a preços exorbitantes, mas que não quer abrir mão de ter chocolate na sobremesa, no lanche, no café….

E pra começar tem essa massa de chocolate, perfeita pra uma torta pra família toda, ou pra tortinhas individuais. A original veio lá do Technicolor Kitchen e faz parte de uma torta de caramelo com cobertura de chocolate, combinação maravilhosa por sinal. Eu fiz apenas duas pequenas mudanças: ignorei a baunilha, já que sempre ignoro quando a receita é de chocolate, e troquei o açúcar de confeiteiro por refinado, que era o único que eu encontrei. A massa continuou dando certo, e ficou com uma cor linda, bem escura, depois de assada.

A receita toda rendeu cerca de 25 mini tortinhas, enfornadas em formas de empadinha, e eu aproveitei pra testar congelar algumas. Dá super certo, é só ter cuidado pra congelar primeiro embalar depois e assim não correr risco de quebrar a massa. Adorei essa parte porque é o tipo de coisa que gosto de ter no congelador. É só bater um chantilly, abrir um vidro de geleia, e pronto, sobremesa em dois tempos pra quando a visita inesperada aparece…ou pra quando a vontade de comer doce surge!

Essa aliás é a sugestão das fotos, as bases foram recheadas com uma colherada de geleia de cereja cada uma, e por cima é apenas creme de leite fresco batido com açúcar. A ideia é uma sobremesa pro almoço de páscoa? Escolha uma forma grande e decore com raspas de chocolate pra dar um ar mais festivo. 😉

Massa de chocolate pra torta – original aqui

1 xícara + 1 colher sopa de farinha de trigo
1 xícara de chocolate em pó 50%
1 colher sopa de açúcar
1 pitada de sal
125g de manteiga sem sal gelada em cubos
3 gemas
1 colher sopa de água – talvez

No processador coloque todos os ingredientes secos e pulse apenas para misturar.
Junte a manteiga e processe até virar uma espécie de farofa. Ainda processando vá adicionando as gemas uma a uma. Caso a massa ainda esteja seca e esfarelenta acrescente a água. Se a massa já tiver formado uma bola coesa então não precisa.
Enrole a massa em filme plástico e leve para a geladeira por pelo menos 2 horas, mas pode ser até o outro dia também.
Unte uma forma grande, ou várias pequenas, com manteiga e cubra com a massa. Fure toda a massa, fundo e laterais, e volte para a geladeira por pelo menos uns 30minutos. Cubra com papel alumínio* e leve ao forno por 10minutos.
Se for congelar espere esfriar e então leve ao congelador separadinhas (em uma forma/bandeja) até que congelem, só então coloque-as em uma vasilha com tampa ou em um saquinho tipo zip lock. Descongele em temperatura ambiente e depois leve o forno baixo por mais 10min para que fiquem crocantes novamente.

* Eu coloquei as forminhas de empada em uma assadeira e cobri toda a assadeira com o papel, pra facilitar.

Salvar

Bolo de coco com doce de abóbora – drops

Drops rapidinho bem no estilo original da coisa, só uma ideia de combinação de sabores: bolo de coco com doce de abóbora!

Eu não sei bem se chamo o que tá na foto de naked cake, torre de bolo, verrine sem taça…. enfim, o importante é o que eu usei:

– o bolo é o  basicão de baunilha que perdeu a essência de baunilha e ganhou leite de coco no lugar do leite comum. Pra quem prefere também dá pra manter o leite comum e só trocar a essência de baunilha por uma de coco.
– e o doce é um doce simples de abóbora com coco, sem muito segredo, apenas apertando o doce o suficiente pra que ele não fique muito mole.
– não usei cobertura porque queria um prato simples, sem muita cara de festa. (Mas claro que dá pra mudar isso e usar qualquer cobertura que você ache que combine com os sabores.)

Salvar

Biscoitinhos de queijo e sal amoníaco

Lembra das rosquinhas de sal amoníaco? Eis a versão salgada delas!

Essa é mais uma receita vinda de cadernos antigos de família, daquelas que vem com o nome de uma tia do lado, indicando que ela criou ou trouxe a receita pra família.
E como boa receita de caderno de família ela era em quantidade suficiente pra alimentar um batalhão inteiro. Eu diminui para pelo menos 1/4 da original, e com isso acabei alterando um pouco as proporções pra adequar quantidades. Tirando isso a única alteração foi o queijo, que eu não sei se é bem uma alteração. A receita dizia apenas queijo ralado e eu optei por usar metade parmesão (ralado na hora) metade minas curado. Mas dá pra usar quase qualquer queijo, desde que seja desses mais secos, um minas frescal dificilmente vai dar certo.

E claro, pra variar, essa é apenas a base que vai muito bem com um cafezinho. Mas sendo o queijo um sabor meio que super combinante, dá pra acrescentar algumas ervas ou temperos ao seu gosto e criar um belo petisco pros drinks do fim de semana.

Biscoitinhos de queijo com sal amoníaco

2 xícaras de farinha de trigo
50g de queijo ralado
10g de manteiga sem sal
1/2 colher sopa de sal amoníaco
100ml de leite
1 ovo
1 gema
1 pitada de sal

Misture todos os ingredientes e amasse até formar uma bola coesa de massa. Deixe descansar por uns 10 minutos, isso vai facilitar a modelagem.
Enrole em rosquinhas, ou o formato desejado e transfira para formas untadas e enfarinhadas. Leve ao forno aquecido a 200° até que dourem.

—————————————-
Em 2015: Berinjelas a parmegiana

Salvar