Canapés de aranha – Halloween 2015

Pra fechar o especial Halloween aqui do Cozinha tem receita de petisco fácil e que fica lindão na mesa:

Tá, lindão pode não ser bem a palavra, mas combina bem com o tema né. Só cuide para que nenhum dos comensais tenha fobia de aranhas. De longe e em grande número elas podem ficar bem aflitivas…
Essa receita é pra você que não tinha pensado em fazer nada e de repente ficou com vontade preparar algo temático. Fácil de fazer, essas aranhas não passam de azeitonas e alecrim, coisas bem tranquilas de encontrar.
O biscoito e o molho usados são ambos receitas que já apareceram aqui no Cozinha: o biscoito de queijo do início desse mês, e a maionese de leite do ano passado. Mas dá pra improvisar com qualquer biscoito salgado que você tenha a disposição, ou mesmo com fatias de pão cortadas. E o molho vai mudando de acordo com o gosto do freguês. Só aconselho que tenha mesmo molho e que não cubra ele com queijo porque aí as azeitonas/aranhas não saem rolando por aí…
Ah sim, eu usei azeitonas verdes sem caroço pela comodidade de serem as que eu já tinha na geladeira… Imagino que com azeitonas pretas e/ou recheadas deve ficar um resultado bem interessante também!

Canapés de aranha

Biscoitos redondos – minha sugestão
patê a gosto – minha sugestão
azeitonas – 1 pra cada canapé
folhas de alecrim – 8 pra cada azeitona
palito de dente – como ferramenta mesmo

Use o palito para fazer 4 furos em cada lado da azeitona, isso vai ajudar na hora de colocar as folhinhas de alecrim.
Agora pegue um ramo de alecrim e separe os pares de folhas. Dá pra perceber que as folhas nascem sempre em pares, uma folha de frente pra outra (bateu saudade do lado bióloga aqui). Respeitando esse pareamento das folhas o resultado final fica mais bonitinho. Ou dá pra fazer patas loucas e descoordenadas de aranhas mutantes também…
Espete uma folhinha em cada buraco feito com o palito de dente e coloque sua aranha sobre o biscoito já com molho.
Ah gente, as fotos são bem autoexplicativas né, deu pra entender vai…. A dica mor aqui é ter delicadeza pra não destroçar a azeitona enquanto tenta encaixar as folhas de alecrim, e uma música/podcast/programa bom tocando porque 8 patas por aranha é coisa pra caramba… 😉

Salvar

Maçã envenenada, quero dizer, caramelada – Halloween 2015

Elas são conhecidas como maçãs do amor por conta da cobertura vermelha…. mas alguém lembra dessa cena?
maca swA receita veio de site gringo, encontrado em passeios incansáveis no pinterest, e eu fiz um pouquinho mais do que traduzir a receita….

Pra variar mudei um detalhe. A receita original usa glucose líquida, e bom, não tenho o costume de usar glucose… no lugar dela costumo usar mel. Acabei usando a mesma quantidade indicada na receita e deu certinho. Não ficou aquele caramelo mega duro, impossível de morder, sabe? Ficou super crocante, mas “mordível”, muuito bom e praticamente sem gosto do mel… só um aroma bem suave…

No mais, aqui usei corante em gel* preto simples, que puxa um pouco pro cinza-esverdeado quando em fundo branco. Se a possibilidade de tons esverdeados te incomoda tem corantes preto-ameixa que puxam mais pro roxo quando em fundo branco. Detalhes pra preciosistas (eu). E claro, sempre dá pra fazer a maçã do amor tradicional usando corante vermelho!

Ah sim, usei maçãs verdes porque gosto da combinação do ácido dessa maçã com o doce da cobertura. Mas dá certo com qualquer uma.

*O corante em gel é bom porque pode ser usado em praticamente qualquer receita, inclusive com alguns ingredientes difíceis (ex: chocolate) que não aceitam outros tipos de corante. Não é proibido fazer caramelo com outros tipos de corante (pó ou líquido) mas eu nunca testei, então não posso garantir.
maçã envenenada cozinharoman pt2Maçã caramelada – original aqui

2/3 xícara de açúcar
1/4 xícara de água
40ml de mel* – ou 2 colheres sopa + 2 colheres chá
1 tanto de corante em gel preto**
2 maçãs verdes grandonas – ou 3 médias
Termômetro***

*ou o mesmo tanto de glucose líquida

** varia dependendo do corante, mas é até a mistura ficar bem preta.

*** é chato eu sei, mas vai precisar sim…. Tem gente que usa o tamanho e a velocidade das bolhas formadas na panela pra saber se o caramelo tá no ponto. Todas as vezes que fiz assim deu errado, então sempre recomendo o termômetro.

Prepare uma assadeira (ou bandeja) forrando com papel manteiga e untando o papel com óleo. Se for usar um palito/espeto pra segurar as maçãs já deixe-as preparadas também. Eu usei palitos de churrasco e um hashi coberto com fita isolante (menos a parte que vai encostar na maçã né gnt), mas vale também palito de picolé e/ou aqueles garfinhos pra fondue/petisco.

Misture os ingredientes do caramelo em uma panela/leiteira alta e leve ao fogo baixo mexendo até o açúcar dissolver. Aumente o fogo e deixe ferver. Para evitar cristais no meio do seu caramelo vá pincelando água limpa nas laterais da panela conforme o caramelo sobe. E não mexa o caramelo. Monitore a temperatura com o termômetro sem deixar que ele encoste no fundo da panela.

Quando o caramelo atingir 150° desligue o fogo e banhe as maçãs deixando que elas sequem na assadeira preparada. Aqui dá pra escolher se vc vai fazer a cobertura simples, assim:
maçã envenenada cozinharoman ptOu uma cobertura dupla, derramando um pouco de caramelo por cima da maçã já coberta. Daí vai da sua vontade mesmo…
maçã envenenada cozinharoman pt3

Múmia de carne moída – Halloween 2015

Já tivemos múmias de salsicha por aqui no Halloween passado, lembram? Mas esse ano é uma múmia única, bem grandona!

Essa receita não tem muito segredo, é basicamente uma almôndega gigante em formato de crânio. Fatias de bacon pra fazer as faixas e pedaços de cebola para o rosto acabam o serviço. Foi tudo feito meio no instinto; eu dei uma olhada no Pinterest de sites gringos e parti pra cozinha. Aliás, se alguém souber de um link com receita pra deixar aí nos comentários, fique a vontade!

Tem uma pseudo receita abaixo, mas vale temperar a carne moída com o que você preferir. Eu usei a redução de balsâmico que já apareceu aqui para pincelar o bacon, e deu um sabor muuuuito bom mas, como sabemos, bacon por si só já vale a pena.
E é sempre bom lembrar que a múmia pode virar um mundo de outras coisas, a depender da sua imaginação e/ou da data comemorativa.

Múmia de carne moída

cerca de 600g de carne moída
1 cebola
3 dentes alho
1 ovo
5 colheres sopa de farinha de rosca
salsinha a gosto
sal a gosto
1/2 cebola para enfeitar
fatias de bacon para mumificar
redução de balsâmico para pincelar

Pique a cebola, o alho e a cebolinha bem miúdos. Junte com a carne moída e o ovo e misture bem. Vá adicionando a farinha aos poucos pois pode ser que precise de menos, dependendo da carne, do tamanho do ovo…etc, etc.
Só coloque o sal no final, e lembre de provar (só um pedacinho vai) antes de finalizar a receita.

Hora de moldar a múmia. As fotos acima mostram mais ou menos a forma que precisa fazer. É basicamente brincar de massinha. Comece com uma forma oval de cabeça para baixo, e vá afinando a parte de baixo para formar a mandíbula. Lembre de achatar por cima para ficar mais fácil visualizar o rosto quando estiver pronto. Coloque os olhos e os dentes, feitos com pedaços de cebola. Eu escolhi olhos meio fechados (triângulos) para deixar uma cara de mal e dentes tortos porque né, múmia não vai no dentista…

Cubra com as fatias de bacon lembrando de deixar os olhos e os dentes aparecendo.
Daí é só levar ao forno até assar a carne e dourar o bacon. Quem for usar a redução de balsâmico é melhor pincelar depois que o bacon já estiver pelo menos cozido. Eu pincelei apenas uma vez.

Salvar

Pirulito fantasma de banana – Drops de Halloween 2015

E o título já disse tudo, é um pirulito (doce no palito) feito de banana e fantasiado de fantasma.

E ele quase não veio pra cá pq eu sou perfeccionista e queria coberturas mais fofinhas e lisinhas e etc etc. E aí lembrei que

1 – são fantasmas, e fantasmas provavelmente não se preocupam se seus corpos astrais não estão tão lisos quanto deveriam. Alguns devem achar que quanto mais grotescos mais assustadores
2 – isso é um drops, e a ideia do drops é justamente passar a ideia do prato e não uma receita perfeitinha, tim-tim por tim-tim.

Então aqui estão eles, diretamente do Pinterest (como a maioria do especial desse ano) e sem muito segredo. A parte mais chatinha é temperar o chocolate, mas pra quem foge dos chocolates hidrogenados não tem jeito. Se você não foge dos hidrogenados deixa eu te lembrar que eles são tão artificiais quanto margarina. Se você não tem problemas com margarina, bom aí é tranquilo usar o hidrogenado (também conhecido como cobertura de chocolate).

Os olhos e boca podem ser feitos com confeitos ou chocolate meio amargo. Preferi usar o corante pois estava fazendo apenas 3 pirulitos. Não valia a pena derreter e temperar chocolate para tão pouca quantidade. Se a sua ideia é fazer pra festa inteira o chocolate tem um acabamento mais fino. Basta usar um saco de confeiteiro pequeno (ou uma sacolinha, ou uma caneta de confeiteiro) com um bico bem fininho.

Fantasma de Banana

3 bananas pequenas
200g de chocolate branco
corante preto
palitos de picolé
termômetro*

* o termômetro é necessário para a temperagem, se você for usar chocolate hidrogenado não precisa.

Comece temperando o chocolate:
pique todo o chocolate em pedaços pequenos e separe um terço. Derreta os dois terços restantes em banho-maria, no micro-ondas fica mais difícil ter controle da temperatura.
Quando o chocolate atingir entre 36° e 38° retire do calor. Junte aquele terço de chocolate picado que foi separado e misture até que derreta completamente. Comece a monitorar a temperatura pois ela precisa baixar para entre 23° e 24°. Para isso você pode misturar o chocolate em uma pedra, misturar bem na vasilha, fazer um banho-maria invertido (coloque a vasilha com o chocolate em uma vasilha com gelo) ou colocar na geladeira. Eu escolhi a geladeira pois tinha certeza que meu chocolate não ficaria úmido, mas isso varia de geladeira para geladeira, então pode ser arriscado.

Quando o chocolate chegar aos 23°-24° aqueça novamente. Basta voltar ao banho-maria rapidamente até que atinja entre 27°-28°. Nesse ponto o chocolate já está pronto para ser usado. Corte uma das extremidades da banana para fazer a base do fantasma. Finque o palito de picolé nessa base e banhe cada uma no chocolate. Lembre de só tirar a casca da banana logo antes de banhar no chocolate para que ela não oxide.

Depois do chocolate seco é só pintar os olhos e bocas com o corante preto e um pincel fino ou mesmo um palito de dente.
Deixe na geladeira até a hora de servir.

Salvar

Monstro de Espaguete – Drops de Halloween 2015

Hoje é drops sem um pingo de receita, e com ideia mega fácil de repetir. E, suspeito eu, que as crianças da casa vão gostar bastante:

O monstro de espaguete só tem dois ingredientes secretos, além das azeitonas que fazem as vezes de olhos: corante preto e corante vermelho.

Eu sei que muita gente não gosta de corantes por serem químicas artificiais. Pelas internets a fora a gente encontrar diversas receitas de corantes naturais, mas como halloween é só uma vez por ano e não pretendo comer macarrão colorido em outras épocas, achei que tava tudo bem. Pro espaguete ficar preto coloquei o corante junto da água de cozimento, que aqui sempre é bem salgada.

Já o molho de carne moída foi o molho básico de sempre, mas com corante vermelho. Tentei de tudo pra colorir o molho com ingredientes normais: o próprio molho do tomate, coloral, páprica… a única coisa que funcionou pra esse vermelho aterrorizante foi o corante gel. E nem precisa de muito, uma pitadinha já foi o suficiente.

Pra quem não gosta de azeitonas fica a sugestão dos ovos de codorna cozidos. É só partir no meio pra conseguir um par de olhos, e ainda dá pra colocar um grãozinho de gergelim preto no meio pra quem tiver com ânimo pra tanto.

Salvar

Salvar

Bolo Red Velvet Sangrento – Halloween 2015

Final do mês é Dia das Bruxas e a partir de hoje é só receita inspirada. E pra começar com grande estilo o escolhido foi esse red velvet sangrento:

Eu sempre vi o bolo red velvet associado ao dia dos namorados, normalmente em formato de coração ou com confeitos românticos. Mas gostei muito de algumas opções de decoração ligadas aos vampiros, e me apaixonei quando vi no Pinterest algumas inspirações dele com cobertura vermelha.

O red velvet é na verdade um bolo de chocolate que fica com a cor avermelhada por conta da reação do cacau com os ingredientes ácidos da receita. No entanto o mais comum hoje é usar corantes (artificiais ou naturais) para conseguir um vermelho mais forte. Isso que foi feito aqui. Além disso, pra variar, não encontrei cacau, e já estava cansada de querer fazer esse bolo e nunca ter cacau. Então fui de chocolate em pó 50% respeitando as proporções de açúcar (tá tudo bonitinho na receita abaixo). A receita escolhida pra sofrer essas alterações foi a da Dani Noce, que aliás fez uma versão vampiresca pro Halloween do ano passado.

Já a cobertura escolhida foi a do naked red velvet da Raiza do Dulce Delight. (Pra quem não gosta de corantes artificiais ela usou corante caseiro de beterraba no bolo dela)
Na cobertura foram duas mudanças meio gigantes. Primeiro troquei o queijo de cabra, que é impossível aqui, por ricota. E com certeza o gosto não é o mesmo, mas gostei muito da combinação com ricota. A segunda mudança foi um desastre.

A receita é bem explícita quanto ao açúcar: tem que ser de confeiteiro. Não tinha, não tinha onde comprar, então bati o cristal no liquidificador e rezei. E minha reza não é boa não viu… Funcionar funcionou porque o bolo tá aí, de pé, bonitão e gostoso. Mas dá pra sentir a areia de açúcar no creme sabe? Então favor seguir a receita abaixo e usar o açúcar de confeiteiro pra dar tudo certo contigo! E não esquece de postar uma foto do seu bolo e marcar o #cozinharoman nas redes sociais pra eu poder ver! Qualquer dúvida nessa que foi a maior receita já postada aqui, é só perguntar nos comentários!

Bolo Red Velvet

Bolo – original aqui

1 1/4 xícara de açúcar cristal
2 2/3 xícara de farinha de trigo
9 colheres sopa de chocolate em pó – 50%
1 pitadinha de sal
1/2 colher chá de fermento em pó
3 ovos pequenos
160g de manteiga sem sal
130ml de água
200g de iogurte natural
1 1/2 colher chá de bicarbonato
2 1/2 colher sopa de vinagre branco – usei de arroz
1 1/3 colher sopa de essência de baunilha
corante vermelho

Essa receita é o suficiente para duas formas redondas de fundo removível de 20cm; se você só tiver uma forma (meu caso) dá pra fazer a receita inteira e tem truque mais abaixo pra hora de assar. Comece preparando as formas: unte o fundo e as laterais com manteiga. Cubra o fundo com um disco de papel manteiga e unte o papel também. Depois enfarinhe tudo e reserve.

Peneire em uma vasilha todos os ingredientes secos, exceto o bicarbonato, e misture tudo muito bem. Em uma panelinha leve ao fogo a água e a manteiga até que a manteiga tenha derretido completamente e reserve. Em uma terceira vasilha dissolva o corante no iogurte até que esse fique com uma cor bem forte. Junte a baunilha e os ovos, um a um, mexendo a cada adição pra ficar bem homogêneo. Ainda misturando acrescente a água e a manteiga, cuidado com a temperatura para não cozinhar a coisa toda.

Depois que estiver tudo homogêneo acrescente essa mistura colorida aos ingredientes secos e misture delicadamente. Não bata a massa, misture apenas para incorporar tudo.
Se for usar duas formas misture o bicarbonato com o vinagre em uma tigelinha e junte na receita. Misture rapidamente, transfira para as formas e leve ao forno a 180°.
Se só tiver uma forma divida a massa em duas partes iguais. Misture metade do bicarbonato com metade do vinagre e misture em uma das partes da massa. Transfira essa parte para a forma e leve ao forno a 180°. A outra parte deve ser coberta com filme plástico (encostando nela) e levada a geladeira, isso vale apenas pelo tempo que a primeira parte leva pra assar. Quando o primeiro bolo estiver pronto desenforme, limpe a forma e prepare-a novamente. Misture o restante o bicarbonato com o vinagre e misture na massa refrigerada. Transfira para a forma e leve ao forno.

(é bom lembrar que dá pra fazer meia receita e depois mais meia receita, essa dica fica pra quando você acha que vai caber na forma e não cabe, sabe?) Deixe ambos os bolos esfriarem bem antes de rechear.

Recheio/Cobertura – original aqui

200g de ricota fresca
200g de cream cheese
100g de manteiga sem sal
4 xícaras de açúcar de confeiteiro

Todos os ingredientes precisam estar em temperatura ambiente.
Amasse bem a ricota com o cream cheese até que vire um purê, se tiver um mixer/liquidificador bem potente vale usar.
Bata todos os ingredientes até que vire um creme fofo e homogêneo. A batedeira não é pré-requisito mas facilita muito a vida.
Use metade como recheio e leve a outra metade para a geladeira para ser usado mais tarde como cobertura.

Ganache vermelha

200g de chocolate branco
50ml de creme de leite de caixinha
corantes vermelho, amarelo e preto

Derreta o chocolate e misture o creme de leite até ficar homogêneo.
Vá acrescentando os corantes aos poucos e misturando sempre para testar a cor. No meu caso foi apenas uma pitada de amarelo e preto para uma colher de vermelho, mas isso varia de corante para corante. Use ainda em temperatura ambiente.

Montagem – inspirada aqui

Acerte os bolos para que fiquem nivelados. Forre a forma usada para assa-los com uma tira de acetato pouco mais alta que ela. Se não tiver a tira de acetato dá pra usar papel manteiga untado, não vai funcionar tão bem mas vai funcionar. Coloque um bolo, o recheio (metade da receita) e o outro bolo e aperte ligeiramente, apenas para acertar. Essa receita de bolo não precisa ser molhada. Deixe algumas horas na geladeira, eu gosto de deixar a noite toda, para que o bolo se acerte.

Retire da forma, passe para o prato e desenrole o acetato. Cubra todo o bolo com a cobertura (outra metade da receita) e acerte com uma espátula. O topo não precisa estar perfeito, mas precisa estar nivelado. O mais importante é que as laterais estejam retas para a ganache escorrer. Leve de volta a geladeira por mais 3h para a cobertura firmar no lugar. Prepare a ganache e coloque uma parte num saco de confeitar. O bico pode ser do tamanho que você preferir que as gotas escorridas fiquem. Com o saco de confeitar vá colocando a ganache na quina do bolo de modo que ela escorra pelas laterais. Cuidado para não colocar ganache demais e cobrir todo o bolo. Por fim cubra o restante do topo do bolo e leve de volta para a geladeira até a ganache acabar de endurecer.

Salvar

Caipirinha de abacaxi com hortelã

Drink rápido que junta duas coisas deliciosas: suco de abacaxi com hortelã e caipirinha!
caipirinha abacaxi hortela cozinharoman ptNão tem muito o que falar né? Se você nunca experimentou suco de abacaxi com hortelã sugiro que pare tudo e vá experimentar! Se já conhece sabe o quão refrescante esse suco é, ou seja combina super com uma caipirinha.

O modo de fazer pode ter dois resultados diferentes. o da foto foi batido na coqueteleira e coado na mesma. Pra quem prefere o drink mais in natura é só macerar tudo no próprio copo e servir com o abacaxi e a hortelã no copo.

Caipirinha de abacaxi com hortelã

1 fatia de abacaxi sem miolo
1 ramo de hortelã
2 doses de vodka
1 colher sopa de açúcar
muito gelo

Macere o abacaxi com a hortelã e o açúcar na coqueteleira até conseguir um purê. Junte a vodka e o gelo e bata bem. Sirva em copos cheios de gelo.

Salvar

Outro bolo de coco

Mais um bolo de coco! Dessa vez bem diferente do último que apareceu por aqui. A ideia desse é ter o coco de verdade, em pedaços mesmo! E ainda assim ter uma receita mais simples, um bolo pra tomar com café.

Essa receita veio do bolo de fubá que já apareceu aqui. Mudei meio mundo de coisas, lógico que tirei o fubá e troquei por coco ralado… E o resultado foi um bolo fofo mas ligeiramente elástico, com muuuitos pedacinhos de coco pra dar um textura ainda melhor.
Se você não gosta de massas mais elásticas é só trocar uma clara por uma gema e vai dar uma aliviada.

No mais, dá pra usar coco desidratado de supermercado no lugar do coco fresco mas se for trocar vale hidratar o coco antes de usar pra ficar mais gostoso. Para isso é só colocar o coco ralado em uma vasilha e cobrir com água filtrada, deixe de molho pro algumas horas e drene todo o líquido antes de usar. Aperta o coco com as mãos ou pressione em uma peneira para ter certeza que todo o excesso de líquido se foi.

Bolo de coco
copo de requeijão (é essa a medida mesmo…)

1 copo de açúcar
1 pitada de sal
3 claras
2 colheres sopa de óleo vegetal
25g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 1/2 copo de farinha de trigo
1 1/2 copo de coco ralado
1 colher sopa de fermento químico
cerca de 1 copo de leite

Bata o açúcar com a manteiga e o óleo até ficar homogêneo. Vá acrescentando a farinha e o leite aos poucos e misturando até ficar uma massa lisa. Acrescente 1 copo de coco ralado e misture bem. Reserve.

Junte as claras com a pitada de sal e bata até formar picos firmes. Junte o fermento a massa feita previamente e misture ligeiramente. Por fim acrescente as claras batidas, 1 terço de cada vez, misturando delicadamente a cada adição. Transfira para uma assadeira untada e cubra com o restante do coco ralado. Leve ao forno a 200° por cerca de meia hora.

————————
Em 2014: cestinhas de carne

Salvar

Cozinha com crianças

Segunda com feriado e a cozinheira aqui aproveitou pra adiantar varias receitas especiais pro halloween tirar uma folga… Mas como não queria deixar essa segunda sem nenhum post resolvi fazer um apanhado de receitas legais pra levar as crianças pra cozinha.

Eu concordo com a Rita Lobo quando ela diz que “gente que cozinha acaba se tornando mais saudável”, e acredito mesmo que é importante levar os pequenos desde cedo pra cozinha. Falo por experiência própria já que lembro de ficar rodeando as pernas da minha mãe na cozinha e de, desde sempre, querer fazer as mesmas receitas que ela. E ainda pensando nas coisas que gostava de fazer na cozinha (sujar as mãos) escolhi coisas fáceis e que envolvam colocar as mãos na massa.

bolosPra começar, bolos são um clássico né. Os pequenos podem misturar a massa enquanto adultos cuidam do forno. Melhor ainda se for daquelas receitas que é só ir misturando os ingredientes e pronto. Na foto temos O bolo de chocolate dos deuses (aquele que eu ficava rodeando a minha mãe na cozinha), o bolo baiano que eu ainda não sei pq tem esse nome e um bolo de fubá receita de família também, com gostinho de casa dos avós.

biscoitosPra sujar as mãos os biscoitos são boas opções. O cookie duplo de chocolate é uma bomba de açúcar e tem sabor bem intenso, então o ideal são bolinhas pequenas para um grande número de pessoas. Já os biscoitos de açúcar são mais simples e podem ser da cor que as crianças quiserem! Pra terminar uma opção salgada: os biscoitos de queijo levam cobertura de queijo que pode ser incrementada com alguma erva (já acostumando todo mundo a comer o verdinho da comida). Preciso nem dizer que os meus são sem graça e alguns cortadores em formatos diferentes podem tornar tudo mais divertido né?

frutasE pra não ficarmos sem nenhuma fruta no cardápio afinal não quero bronca de nutricionista tem 3 opções que podem ser lanche ou sobremesa. A vitamina de morango com coco é daquelas receitas de só bater no liquidificador, moleza. O sorvete de banana assada pode ser comido antes de virar sorvete (!!!) e o sorvete comum de banana pode ser saborizado com chocolate pra quem tem o paladar mais enjoadinho. O importante é a farra na hora de servir os confeitos!

Suco laranjão, mas sem laranja

Eu tava pensando em fazer uma temporada de sucos refrescantes quando o verão chegasse… Mas o calor anda tão aparecido nessa primavera que teremos alguns spoilers por aqui…

Esse suco eu conheci em uma lanchonete de sucos naturais daqui dessa cidadezinha do interior da qual vos escrevo. E adorei tanto que fiquei doida pra reproduzir em casa. O tal suco tem o nome de calmante e leva cenoura, maçã e aipo.
Só que aipo não é bem algo que eu tenha sempre em casa… E a vontade de tenta fazer* o suco tava grande. Então fui de adaptações porque é assim que funciona por aqui, e acredito que na casa de muita gente…

Sai o aipo, entra a água de coco que tava dando sopa na geladeira e pronto! Mas ó, falta de água de coco não é desculpa pra não fazer o suco. Ela serve pra dar um gosto beeem suave e quem não tem, ou não gosta, não precisa usar pra conseguir um suco mega gostoso! E nem precisa preocupar de não ter açúcar na lista de ingredientes. Tanto a cenoura quanto a maçã são vegetais bem doces, sozinhas elas dão conta de adoçar o suco. 😉

* A vontade de tentar fazer, como bem sabem os cozinheiros por hobbie, é bem diferente da vontade de comer. No segundo caso bastaria ir a lanchonete e comprar o suco. A vontade de fazer vem acompanhada do desafio de reproduzir a receita de cabeça, da expectativa se vai dar certo ou não, e da sensação maravilhosa de conseguir reproduzir a receita.

Suco quase calmante
serve 2

1 cenoura média
2 maçãs pequenas
300ml água de coco
gelo a vontade

Bate tudo e serve em seguida. De preferência não coar pra manter a ingestão de fibras.
(Suco normalmente é molezinha fazer né, o chato é lavar o liquidificador…)

Salvar