Bolo de Fubá – receita de mãe

Sabe bolo de mãe? E bolo de fubá? Pois é, hoje é dia de confort food, aquela comida que te leva de volta a infância e dá aquela sensação boa de colo…
bolo de fuba ptEsse bolo de fubá, que aqui em casa a gente chama de broa mas é bolo mesmo, veio não sei de onde. Mas desde que me entendo por gente que bolo de fubá é essa receita, de massa fofinha e bem amarela e casquinha crocante e dourada. Normalmente acompanhadas de um gostinho suave de erva doce.

As vezes a gente varia e troca a erva doce por queijo (mineiros né), ou canela… Pra quem quer um bolo mais docinho, é só cobrir a massa com açúcar com canela antes de levar pro forno. Pra quem prefere um bolo mais salgado pedacinhos de queijo meia cura no meio da massa, ou queijo ralado por cima também ficam ótimos.

Também é uma massa que aceita bem mudanças. Dá pra ajustar a proporção de fubá e farinha a vontade, desde que o resultado continue sendo 2 xícaras e meia. Apenas fiquem conscientes de que quanto mais fubá mais seca a massa vai ficar. Se quiser também dá pra trocar por fubá branco, ou colocar um pouco de farinha integral. Aí a imaginação manda!
bolo de fuba pt3Bolo de Fubá
xícara de 240ml

1 xícara de açúcar
1 pitada de sal
2 ovos grandes
2 colheres sopa de óleo vegetal
25g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 xícara de fubá*
1 colher chá de erva doce – opcional
1 colher sopa de fermento químico
cerca de 1 xícara de leite**

* pode ser fubá tanto moído fino quanto moído grosso, vai da textura final desejada.
** depende de vários fatores, desde o tamanho real do ovo, a qualidade da farinha até o tipo de fubá escolhido

Ligue o forno a 230° para ir aquecendo.

Em uma vasilha bata os ovos com o açúcar até formar um creme claro. Acrescente o sal, o óleo e a manteiga e bata até ficar homogêneo. Acrescente a farinha e misture delicadamente. Vá adicionando aos poucos o fubá e o leite, um pouco de cada um de cada vez e misturando. A massa não precisa ficar muito líquida. Se for usar a erva doce aproveite para colocar meia colher na massa e misture bem. Por último junte o fermento e misture apenas o suficiente para incorporar.

Transfira para uma assadeira untada e espalhe o restante da erva doce por cima da massa. Leve ao forno até que doure bem.
bolo de fuba pt2

Salvar

Salvar

Crocante de Polvilho do Panelinha

Hoje tem receita de petisco fácil e versátil por aqui! E nem preciso falar que ficou bom pra caramba né? Dá uma olhada na buniteza:

Essas são lascas de polvilho, que são meio que primas do pão de queijo e do biscoito de polvilho. Essa receita veio lá do Panelinha, e eles fizeram inspirados na Chef Helena Rizzo que serve esses crocantes de polvilho no restaurante dela. Receita famosa aparecendo hoje aqui no Cozinha…

Eu não mexi na receita por vontade própria. Alterei um pouco as proporções apenas na hora porque acabei fazendo apenas meia receita. Daí sabem como é, sem balança, improvisando… metade de 3/4 acaba virando 1/2, meio ovo vira um ovo pequenininho… Aquela coisa de cozinha de vó que não fica muito exata sabe? Creio que isso só depõe a favor da receita. Afinal, se ela aguenta o tranco de não ter medidas exatas e ainda assim fica boa é porque qualquer um mesmo pode fazer!

Quanto a minha experiência fazendo a receita deixo só duas ressalvas:

Primeira que a massa leva mais açúcar do que sal então naturalmente não é um petisco super salgadinho. Se a sua preferência é sal inclua algum ingrediente salgado ou o próprio sal grosso triturado na cobertura.
Segunda que meu forno é uma gracinha que só funciona como quer. Então enquanto a receita original fala de cerca de 10minutos de forno, eu precisei deixar pelo menos 30. Como é uma mudança muito grande resolvi não colocar tempo nas instruções abaixo, e deixar o próprio ponto da massa como medida de tempo de forno.

No mais, inventem coberturas conforme seu  próprio gosto, são elas que fazem dessa receita algo tão versátil. Dependendo da cobertura escolhida essas lascas acompanham desde o café da tarde até a cerveja do fim de semana.

Lascas de Polvilho – original aqui
xícaras de 240ml

1 3/4 xícara de polvilho azedo
2 colheres chá de açúcar
1 colher chá de sal
1/2 xícara de água
1/2 xícara de óleo
1/2 xícara de leite
1 ovo pequenininho
queijo parmesão e orégano pra cobertura

Em uma vasilha misture o polvilho, o açúcar e sal e reserve. Em uma panelinha junte a água e o óleo e leve ao fogo até começar a querer ferver. Não precisa ferver, só começar a aparecerem bolhas. Tire do fogo e junte com a mistura do polvilho. Misture bem até formar uma espécie de farofa. Acrescente o leite e misture bem até formar uma massa homogênea. E por último junte o ovo e misture bem, vigorosamente mesmo, até que incorpore. Vai ficar uma massa molenga, bem desajeitada. Cubra com filme plástico, encostando na massa e leve para a geladeira, e deixa dormir a noite toda lá.

Na manhã seguinte….
Ligue o forno a 200° pra ir aquecendo. Prepare uma assadeira (ou duas, três…) forrando com tapete de silicone, ou use assadeiras antiaderentes. Vale untar assadeiras comuns, mas dada minha experiência com pão de queijo, vai ficar meio difícil espalhar a massa.
Com a ajuda de uma colher espalhe a massa sobre a assadeira formando uma camada fininha. Fininha mesmo que é pra ficar crocante. Pra quem quiser um resultado mais uniforme vale espalhar já formando tirinhas ou círculos ou o que for. Pra quem prefere um resultado mais rústico, como eu, espalhe a massa por toda a forma e quebre depois de assada, formando as lascas. Cubra a massa com a cobertura desejada e leve ao forno até que comece a dourar. Dá pra ver que a massa já está mais seca e mais crocante. Retire do forno e espere esfriar um pouco, pra ficar mais crocante, antes de quebrar. Guarde em um pote hermeticamente fechado. Hermeticamente mesmo! Meu pote acabou ficando meio aberto e metade da fornada ficou murcha… (temos um problema com potes por aqui)

Salvar

Salvar

Torta trufada de chocolate

Mais uma segunda cheia de chocolate! Dessa vez com uma torta trufada que na verdade é o maior truque da história!

Esse nome dá uma ideia bem pomposa né? Torta trufada de chocolate! Mas a verdade é que a receita é daquelas fáceis demais, pra fazer quando a gente tá sem ideias.
O nome trufada é por conta do recheio. Qualquer recheio/cobertura/receita em geral que leve a mistura de chocolate com creme de leite (trufa/ganache) como base acaba recebendo o nome de trufada(o). E como o recheio dessa torta é basicamente uma trufa gigante…

Pra não ficar uma trufa flutuando no prato vamos de casquinha de biscoito, aquela que acaba virando um farofinha sabe? Os biscoitos que usei foram aquelas rosquinhas de chocolate. Sabe aquelas que vem em embalagens com 4 pacotes dentro? Essa mesmo. Mas vale qualquer biscoito de chocolate, inclusive os recheados, é só tirar o recheio e pronto.

Já os morangos são apenas uma sugestão. Vale usar qualquer outra coisa que você acredite que  combina com trufa de chocolate.

Torta Trufada de Chocolate

25 biscoitos de chocolate sem recheio
40g de manteiga sem sal
150g de chocolate
4 colheres sopa de creme de leite sem soro*
morangos picados pra decorar

* essa quantidade é para uma trufa bem firme, para uma trufa mais macia use 5 ou 6 colheres.

Bata os biscoitos no processador até não sobrar nenhum pedaço. Derreta a manteiga e bata junto dos biscoitos até formar uma farofa fina. Cubra o fundo e as laterais de uma forma de fundo falso de 20cm com a mistura de biscoito. Pressione bem para grudar bem na forma. Leve a forma ao forno, a 200°, por 10min e depois deixe esfriar.

Para o recheio derreta o chocolate e misture com o creme de leite. Derrame sobre a massa da torta. Se for colocar os morangos aguarde 5 minutos, fora da geladeira, para que eles não “cozinhem” em contato com o chocolate quente. Leve a geladeira por pelo menos 1h antes de servir.

Salvar

Salvar

Licor de Mexerica – drops + drinks

Essa sexta tem misto de drops com drinks!!! É drops porque não é receita nova, mas sim uma dica de como subverter a receita pro seu gosto. E é drink porque a receita em questão é o licor de laranja que hoje virou licor de mexerica!
O licor de laranja é bem fácil de fazer, a única parte chatinha é descascar a laranja. No caso do licor de mexerica ficou um pouco mais chato ainda pois a casca da mexerica carioca (melhor pra fazer licor) é ainda mais fina. Então achei interessante testar fazer o licor com a casca tirada normalmente, com parte branca e tudo. Mas para tirar o amargor também resolvi testar deixar a casca de molho 2 semanas antes, igual faz com doce de laranja.

O da esquerda é o licor tradicional feito com as cascas finas. E o da direita é o feito com as cascas que ficaram de molho

O da esquerda é o licor tradicional feito com as cascas finas.
E o da direita é o feito com as cascas que ficaram de molho

E deu certo, em partes, o amargor foi todo embora, só que parte do gosto de mexerica também. Então esse é o drops de hoje! Tanto pro licor de mexerica, quanto pro de laranja ou de limão. Se você acha que o gosto do limão fica muito proeminente, ou que o de laranja amargou muito, é só deixar as cascas de molho. Pra quem não quer tirar o amargor totalmente é só deixar as cascas de molho por uns 4 dias, trocando a água a cada dia. E a partir daí fazer o licor normalmente, deixando de molho na vodka e depois misturando com o xarope, ou deixando de molho na vodka já com açúcar.
Mas pera, ainda não fez o nosso licor de laranja??? Corre nesses links todos espalhados ao longo do texto (e aqui) e vai fazer! E depois me conta o que achou! 😉

Trança amanteigada de nozes

Todxs lembram da trança de nutella né? Essa aqui é prima-irmã dela, com uma massa um pouquinho diferente (mais fofinha) e recheio de creme de nozes.

Esse é mais um monstro de Frankenstein aqui do Cozinha, juntados um pedaço de uma receita aqui, mais um de outra ali, com sorte (e planejamento) deu tudo certo!
A massa é bem parecida com a dos cinnamon rolls, apenas a proporção fermento/farinha que mudou. Fiz isso pra que a massa ficasse mais parecida com um pão caseiro mesmo, mais fofinha do que os rolls ficaram.
Já o recheio era pra ter sido o recheio de uma torta que não rolou… Acabou sobrando esse creme de manteiga com nozes e eu não sabia mais o que fazer com ele quando essa ideia surgiu na minha mente.
E por fim a técnica de trançar a massa é a mesma da rosca trançada de nutella, só que em vez de tentar fazer uma rosca resolvi simplesmente colocar em uma forma de bolo inglês. Como dá pra ver nas fotos, metade ficou trançada bonitinha e metade desmanchou durante o segundo crescimento. Pra evitar que isso aconteça não deixe a trança muito folgada dentro da forma.

Trança Amanteigada de Nozes
xícara de 240ml

3 ovos minúsculos – ou 2 normais
1/4 xícara de óleo
1/2 xícara de água
1/2 xícara de leite
1/2 xícara de açúcar refinado
1/2 pacote de fermento biológico seco
+- 4 xícaras de farinha de trigo*

100g de manteiga
açúcar refinado
nozes picadas

Comece preparando o recheio: bata a manteiga com um pouco de açúcar até obter um creme fofo. Acrescente as nozes picadas e misture até incorporar totalmente. Não tem medidas para o açúcar e para as nozes porque vai de gosto. Eu usei mais ou menos 50g de açúcar e 1/2 xícara de nozes que eu piquei grosseiramente. Mas é possível usar mais açúcar, mais nozes, e até mais manteiga. Vai de como e de quão recheada você quer a trança.

Para a massa: Esquente juntos o leite e a água, apenas até amornar. Transfira para o liquidificador junto dos ovos e do óleo e bata até ficar homogêneo.
Em uma bacia misture o fermento com o açúcar e vá acrescentando a mistura do liquidificador aos poucos e misturando. Quando tudo estiver incorporado comece a adicionar a farinha. Vá acrescentando aos poucos e sovando a massa. Talvez não precise de tudo, talvez precise de um pouco mais, mas tente não colocar muito a mais. Quando mais farinha mais pesado o pão fica. Sove a massa até que forme uma bola lisa e elástica. Ainda vai estar meio mole e se segurar por muito tempo ela acaba grudando na mão, é assim mesmo. Volte para a bacia e deixe descansar, coberta por um pano, por 30minutos pelo menos.
Para montar: Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês, ou que você preferir e reserve. Enfarinhe a bancada e comece a trabalhar a massa. Não é preciso sovar novamente, com um rolo de macarrão abra um retângulo de no máximo 0,5cm de espessura. Para um acabamento mais bonito tente deixar as bordas do retângulo bem certinhas. Espalhe a mistura de manteiga e nozes sobre toda a massa* e enrole como um rocambole. Você pode enrolar no sentido do comprimento ou da largura, isso depende se você quer uma trança mais comprida ou mais gordinha. Corte o rocambole ao meio no sentido do comprimento, e enrole as duas tiras formando a trança. Transfira para a forma enfarinhada e deixe crescer por mais 10 minutos. Enquanto isso ligue o forno a 200° para ir aquecendo. Passados os 10minutos leve a trança ao forno até que doure.

*existem duas formas de lidar com o recheio. Você pode usá-lo cremoso e aí fica mais difícil espalhar na massa, mas fica mais fácil de enrolar a trança sem desmanchar nenhuma parte. Ou você pode usá-lo derretido (15seg no micro-ondas) e aí fica mais fácil espalhar sobre a massa mas aí fica mais difícil enrolar a trança. Veja o que é mais fácil pra você.

Em 2014: Kibes

Salvar

Chocohotpots da Nigella

Certo, a receita de hoje é o meio termo entre o brownie e o petit gateau. Tudo vai depender de quanto tempo você deixar no forno. O que é bom pq né, tirando antes ou depois da hora, vai ficar delicioso de qualquer jeito…

A receita veio de um programa da Nigella que vi muuito tempo atrás, tanto tempo que não lembro mais qual programa foi… Pra variar, a receita foi anotada num papelinho e colocada junto das outras pra testar. Não consegui mais encontrar o video do programa legendado ou a receita em português, mas consegui o link da original em inglês. E como não mudei nada na receita, ela fica aqui mais por conta da tradução.
Os chocohotpots são literalmente potinhos de chocolate quentes. Ainda não saquei se o nome foi dado em função de serem servidos em potinhos, ou em função do bolinho murchar assim que sai do forno e acabar formando realmente um potinho de chocolate.
Como disse antes, a textura é de um brownie meio cru. Mas quem quiser pode deixar menos tempo no forno e conseguir um creme de chocolate quentinho, ou deixar mais tempo e conseguir um bolinho mais consistente.
Sorvete de flocos e morangos são só sugestões de acompanhamento, não lembro exatamente como ela serviu. Mas vai, alguém aí vê um bolinho quente de chocolate e não pensa em colocar uma bola de sorvete do lado??

Chocohotpots – original aqui
xícara de 240ml

100g de manteiga
125g de chocolate meio amargo
3/4 xícara de açúcar refinado
2 ovos
3 colheres sopa de farinha de trigo

Ligue o forno a 200° para já ir aquecendo. Unte 4 ramekins com capacidade para 250ml usando manteiga sem sal e reserve.
(Qualquer receita que seja assada em potinhos eu gosto de usar uma assadeira como anteparo para facilitar a colocação e a retirada do forno.)
Em uma tigela de vidro derreta o chocolate e a manteiga, isso pode ser feito tanto no microondas (de 30 em 30 segundos) ou em banho-maria. Reserve para que vá amornando.
Enquanto isso bata os ovos com o açúcar até formar um creme claro. Adicione a farinha e misture até que incorpore totalmente. A essa altura o chocolate já deve estar morno. Junte o chocolate aos ovos batidos e misture ligeiramente. A ideia não é incorporar muito ar, apenas deixar a mistura homogênea.
Divida a massa entre os ramekins previamente untados e leve ao forno por cerca de 25minutos. Eles estarão prontos quando o topo rachar. Se tirar um pouco antes o resultado será um creme de chocolate quentinho. Se tirar um pouco depois um brownie bem molhadinho. De qualquer forma fica bom.
Não se assuste com o comportamento deles: vão sair lindos do forno e em 30 segundos terão murchado e o meio vai se quebrar e separar das bordas. Daí é só aproveitar e colocar uma bola de sorvete por cima.

Salvar

Caipirinha de Cerveja a la Roman

Sexta feira de drinks!! E drink fácil sem ingrediente difícil ou caro: cerveja e vodka é tranquilo de encontrar né? Então dá um olhada no resultado primeiro:
caipirinha de cervejaA ideia veio lá do MeuDrink, mas acabou servindo mais de inspiração já que mudei um pouquinho os ingredientes e o preparo. Nada que quem frequenta aqui não esteja acostumadx né? rs
Enquanto a original fala pra misturar vodka, cerveja e limão eu preferir fazer a caipirinha normal, com açúcar mesmo. E em vez de misturar tudo junto fiz a caipirinha separada e só coloquei a cerveja na hora de servir, pra dar aquela espuma suja da foto.
Quanto ao limão, eu usei o capeta que é meu favorito, mas vale usar o que quiser. Só lembrando que o capeta dá uma cor mais amarelada ao drink e o taiti, siciliano ou o galego não vão alterar tanto a cor final.
caipirinha de cerveja 2Caipirinha de Cerveja a la Roman – original aqui

1 dose de vodka
1 limão grande
1 colher sopa de açúcar refinado
1 lata de cerveja
sal
gelo a vontade

Comece preparando a caipirinha: esprema o suco do limão e retire as semente. Junte o açúcar e a vodka e misture até dissolver o açúcar. Não precisa macerar os gomos do limão como na caipirinha tradicional porque a cerveja já é meio amarga.
Molhe a boca das taças/copo scom o limão já espremido e mergulhe no sal pra fazer a borda. Aqui vale uma borda mais delicada ou mais rústica, vai do gosto e de quanto sal você quer provar na bebida.
Preencha cada taça/copo com gelo e derrame metade da caipirinha em cada. Complete cada uma com a cerveja e sirva de imediato.

Biscoito de Polvilho

Eu fiz biscoito de polvilho! E deu certo!! Biscoitos sequinhos e crocantes e muito fáceis de fazer, sem nenhum ingrediente raro/caro ou método difícil.

A receita veio lá do panelinha e adorei porque não precisei alterar nenhum ingrediente. Passei dois pequenos apertos com o modo e preparo mas nada desesperador. E agora conto pra vocês que aí fica fácil pra todo mundo. 😉

O primeiro foi com a batedeira. A minha é das antiguinhas, não tem gancho e nem planetária é, mas mesmo assim deu conta. Só tive que tomar cuidado porque a massa vai ficando mega elástica quando começa a bater, e aí corre o risco de subir pelas pás da batedeira e embolar tudo. Falando assim parece um alien, mas a massa fica linda. É só ter cuidado pra não afundar demais as pás na massa. Claro que se a sua for uma batedeira mais robusta, ou que tenha gancho pra bater esse tipo de massa não precisa preocupar com nada.

O segundo aperto foi o ponto. É que esse biscoito é muito fácil de ficar duro além do desejado. E é exatamente isso que acontece quando ele fica tempo demais no forno. Só que se tirar muito antes da hora, eles ficam meio muchibentos, tipo pão de queijo de padaria no dia seguinte. Eu gosto dessa textura, mas vamos combinar que não é o esperado num biscoito de polvilho né? A gente quer é aquele biscoito crocante que quebra quando a gente morde. Pra resolver isso, só testando. Não caia na tentação de aumentar a temperatura do forno pra ir mais rápido. E com o forno baixinho vá testando cada fornada.

Biscoito de Polvilho – original aqui
rendeu mais de 50 biscoitos

500g de polvilho azedo
250ml de leite integral
250ml de óleo vegetal
250ml de água
1 ovo
1 colher sopa de sal

Misture o polvilho com o sal em uma vasilha e reserve. Leve o leite e o óleo ao fogo até ferver. Cuidado que assim que ferve sobe e é aquela bagunça. Junte essa mistura ao polvilho e misture com uma colher grande. Vai virar uma goma. Acrescente o ovo e misture como der. Não precisa ficar aqueeeela homogeneidade, só precisa o ovo sumir na massa. Junte a água a misture novamente. Vai ficar um meio termo entre massa de bolo e massa de biscoito, e parece que deu mega errado.

Leve essa massa pra batedeira (de preferência que tenha gancho) e bata bastante. A massa vai ficando cada vez mais elástica e lisa. Parece uma massa de pão que ficou mole demais, mas tem que ficar mole mesmo. Enquanto a massa bate ligue o forno a 180° e unte e enfarinhe algumas assadeiras. Quando a massa não tiver mais nenhum grumo de polvilho é hora de modelar os biscoitos. Transfira a massa para um saco de confeitar sem bico* ou mesmo para uma sacola com um dos cantos cortados. Não faça como eu que quis fazer a massa toda com um saco pequeno e cobri minha cozinha com massa de biscoitos. Melhor fazer um pouco de cada vez…rs

Faça palitos ou argolas nas formas. Não precisa preocupar em deixar um espaço grande entre cada biscoito, eles não crescem nem espalham muito. E leve ao forno por tempo indeterminado. Depois de uns 20minutos eles devem estar começando a ficar opacos. Daí tem que ir testando o ponto. Eles tem que quebrar e não rasgar, mas o interior ainda tem que estar um pouquinho úmido. Espere esfriar e guarde em um pote de vidro para que não murchem muito rápido.

*Ou use o bico que quiser já que o biscoito é seu e pode ter o formato que você preferir né….

Salvar

Bolo de chocolate de batata doce

Calma. Sem preconceito. A batata doce nem aparece. É só um bolo de chocolate comum. Bem escuro, forte e úmido. Um bolo bom! Gostoso mesmo! Era pra ser um brownie saudável, com base de batata doce. Mas daí a receita foi dando errado e eu fui modificando pra forçar a dar certo.E aí o resultado foi esse bolo:
bolo batata doce ptA ideia aqui não é fazer um bolo menos calórico, com menos glúten, com menos lactose ou seja lá qual for o vilão da vez. A ideia é fazer um bolo mais nutritivo, só isso. A batata doce é velha conhecida do povo da maromba (alô batata doce com peito de frango) como uma boa fonte de carboidratos. E é isso que ela faz nesse bolo, acaba substituindo, em parte, farinha e açúcar que em outro caso seriam usados em maior quantidade.

Creio que a vontade na receita original era não usar lactose já que não tem nada de leite. Não rolou por aqui já que a textura tava muito estranha, basicamente uma farofa, e quando isso acontece meu instinto é tacar leite na receita. Na receita original também não foi usado chocolate em pó e sim cacau. E uma quantidade pequena de açúcar. Como não encontro cacau por aqui, resolvi não colocar açúcar e usar o chocolate 50%. Só que o gosto ficou muuito chato, sem nada de doce apesar do mel. Então taca-lhe açúcar nessa receita, apenas o suficiente pra deixar meu paladar formiga minimamente feliz…
E nessas mudanças todas acabou que a textura ficou de um bolo denso, desses bem pesados mesmo. Quase que um brownie que assou demais…

Só mais uma coisa: eu preferi não bater no liquidificador até a batata ficar completamente triturada e a mistura bem lisa. Queria saber como ficariam pedacinhos de batata na massa. Acontece que eles basicamente somem. Não dá pra identificar direito mesmo, então não precisa preocupar com isso.
bolo batata doce pt2Bolo de chocolate de batata doce – original aqui

1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de chocolate em pó 50%
1 colher chá de fermento em pó
1 pitada de sal
1 xícara de batata doce em cubos
1 ovo
4 colheres sopa de óleo vegetal
2 colheres sopa de mel
6 colheres sopa de açúcar
3/4 xícara de leite – usei desnatado

Descasque e corte a batata doce antes de medir na xícara. Cozinhe direto na água ou no vapor, vai da preferência de cada pessoa.
Bata no liquidificador a batata já cozida, o ovo, óleo, mel e o leite.
Em uma vasilha misture os demais ingredientes e acrescente a mistura batida aos poucos. Não é preciso bater muito a massa, apenas misturar até ficar homogênea.
Unte uma forma de bolo inglês com óleo e cubra com chocolate em pó (ou cacau se preferir). Transfira a massa para a forma e leve ao forno já aquecido a 180°.

Abóbora assada – drops

Mais um drops mega rápido. Dá uma olhada na travessa da abóbora da foto abaixo:

Não tem nada de muito especial no preparo, mas o resultado final é bem diferente: abóbora mais firme, e muito menos aguada. E com temperos que mudam tudo!
No lugar de cozinhar  a abóbora normalmente eu apenas assei. Com um pouco de azeite, mel, sal grosso, e sálvia. Mel porque eu queria um gosto mais docinho mesmo, mas dependendo do tipo de abóbora nem precisa. O sal grosso é por ser mais saudável mesmo. E a sálvia é porque eu gosto da combinação também, mas vale qualquer erva que você preferir.

O azeite pode ser substituído por um óleo neutro. Mas a presença dessa gordura é necessária. É ela que vai impedir a abóbora e grudar totalmente na travessa, e que vai grudar os temperos na abóbora. Aliás, qualquer que seja a erva escolhida, tenha certeza de que cobriu cada folha com o azeite pra não queimar.

Truque mega parecido com o da beterraba no forno, lembram? E claro, tudo meio que sem medida, é no olho mesmo! E agora que já ferrei com os mecanismos de busca e com a paciência de vocês repetindo abóbora 2 milhões de vezes… bom fim de semana pra todxs!

Salvar