Bolo de Chocolate dos deuses – Páscoa 2015

O melhor bolo de chocolate do mundo! (será que eu já falei isso aqui?!?!)
Eu sei que a receita do bolo ficou boa quando preciso pedir pro povo aqui não comer tudo pra eu poder tirar foto…rs
bolo de chocolate

Essa receita de bolo me acompanha desde sempre, era a massa dos bolos de aniversário daqui de casa. E já até apareceu aqui no Cozinha disfarçada de cupcake no Halloween, mas saborizada. Dessa vez fiz a massa básica, mas cobri com a mesma casquinha usada no bolo de laranja. Ideia da linda da minha mãe, pessoa que me apresentou pra esse bolo. (Em 2017 eu refiz essa receita e troquei as fotos por novas; na ocasião eu não fiz a casquinha por motivos de falta de açúcar de confeiteiro. O bolo continua uma delícia, mas realmente a casquinha faz diferença!)

(Bota mais essa na lista dos motivos de gratidão eterna mãe!)

Pra quem quiser um bolo mais simples vale ignorar a casquinha de açúcar e ainda vai ficar uma delícia. Pra quem quer algo mais com cara de ocasião especial vale usar a cobertura que a gente ensinou ontem… De um jeito ou de outro o protagonista continua sendo um bolo super leve, fofinho e, apesar do gosto de chocolate mais forte ainda assim docinho.
bolo de chocolate

Bolo de Chocolate
xícara de 240ml

2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de chocolate em pó
1 xícara de açúcar refinado
1 colher sopa de fermento em pó
2 ovos grandes
1/2 xícara de óleo vegetal
3/4 xícara de água fervente

Em uma vasilha misture todos os ingredientes secos. Acrescente os ovos e o óleo e misture até que forme uma espécie de farofa. É esquisito mesmo. Acrescente a água e misture até ficar uma massa homogênea. Transfira para uma forma untada e leve ao forno a 180° por cerca de 40min.

Para fazer a cobertura é só misturar o açúcar de confeiteiro com suco de laranja até formar uma pasta mole. Não tem medidas mesmo, vai de espessura que você quiser na casquinha.

Calda de chocolate – páscoa 2015

Próximo domingo é páscoa e a gente já pode começar a se empanturrar de chocolate né? Eu ainda não consegui me acertar com a temperagem do chocolate e ainda não consegui um ovo bom… :/

Mas em compensação sobram receitas que levam chocolate como ingrediente, muitas como personagem principal. Uma delas é essa calda que imita uma ganache já que né, creme de leite é leite e gordura e… oi leite + manteiga…

Dessa vez eu usei como calda de sorvete, servindo assim que ficou pronta (ou aquecendo no micro depois). Mas ela também funciona como calda seca pra bolos (quando a cobertura fica seca formando uma casquinha), ou mesmo como recheio e cobertura para um bolo mais de festa. Também já estou imaginando como cobertura de uma mousse azedinha, ou de um pavê… Mas a verdade é parte dela a gente comeu foi assim mesmo:
calda chocolate 1
Enfim, receita hiper fácil (tá quase virando um drops), rápida, gostosa e versátil e eu já tô me sentindo a vendedora então bora pra receita:

Calda de Chocolate

200g de chocolate meio amargo
2 colheres sopa de manteiga sem sal
4 colheres sopa de leite

Derreta tudo junto no micro-ondas parando a cada 20 segundos para mexer. Quando estiver homogêneo e com brilho é porque está pronto.
Para usar como calda sempre aqueça.
Para usar como recheio/cobertura de bolos espere esfriar, fora da geladeira, para ficar numa consistência mais fácil de trabalhar.
calda chocolate 2PS: combinação linda com sorvete de leite de coco mais coco ralado por cima….

Salvar

Pudim de padaria – aquele mesmo

pudim de padariaSempre achei que pudim de padaria era aquele pudim de leite, que algumas pessoas fazem com leite condensado. E nunca consegui entender porque o meu pudim não ficava igual o da padaria. Daí descobri a resposta…

(Atenção para obviedade a frente)

A receita é outra!! Pudim de leite é uma coisa, que em algumas casas fica mais “gourmet” sendo feito com leite condensado. Já pudim de padaria é outra coisa! E que coisa deliciosa!! Pudim beeem denso, pesado mesmo. Quase que doce de colher mais firme. Sem nenhum furinho…  Com aquela calda dourada bem tradicional escorrendo por cima… bom demais!

A receita veio do mesmo curso, com a Janaína Barzaneli, de doces de padaria de onde vieram as broinhas caxambu. E, como fiz com as broinhas, reduzi  receita pra metade e troquei as medidas de peso pra volume. Por conta dessa troca algumas medidas tiveram que ser arredondadas, portanto se a sua ideia é fazer pra vender vale procurar a receita original e ver os pesos direitinho. Aqui fica uma receita pra fazer em casa mesmo, pra sobremesa do almoço de domingo, sabe?
pudim de padaria 1Pudim de Padaria
xícara de 240ml

250ml de leite – usei integral
1 ovo
1 xícara de açúcar refinado
1/2 xícara de farinha de trigo – estranhei muito!!!!!
manteiga e açúcar cristal para a forma
1 xícara de açúcar cristal
120ml de água quente*
mais água quente pro banho maria

*a água estando quente o caramelo vai espirrar menos na hora de fazer a calda

Bata o leite, o açúcar refinado, o ovo e a farinha no liquidificador. Quando ficar homogêneo desligue e deixe descansar por no mínimo uns 30-40minutos. Enquanto isso prepare a calda: leve o açúcar cristal ao fogo médio até que ele derreta e fique da cor de caramelo. Cuidado pra não deixar ele queimar. Adicione a água quente. O caramelo vai borbulhar, espirrar e endurecer. Daí é só deixar em fogo médio até o caramelo voltar a dissolver e a calda engrossar. Nesse momento desligue o fogo e reserve.

Unte uma forma de pudim de uns 20cm com a manteiga e cubra com o açúcar cristal (fica linda!). Com muito cuidado pra não se queimar derrame a calda de caramelo no fundo da forma. E depois com muito cuidado, e aos poucos, verta a mistura do pudim sobre o caramelo. Todo esse tempo de descanso e cuidado pra passar pra forma é pra que o pudim fique bem denso e sem furinhos.
pudim de padaria 2(Se você gosta de furinhos bata loucamente essa mistura até que incorpore muito ar.)
Cubra a forma com papel alumínio e coloque em um pirex com água até metade da forma. Eu gosto de só colocar a água no pirex com a forma já nele e todo mundo já na grade do forno. É que eu sou meio (só meio) estabanada. Leve ao forno já aquecido a 180° e deixe lá por pelo menos 1h. Só fique de olho pra que a água do pirex não seque completamente e  ele acabe quebrando… Já aconteceu comigo…

O pudim vai estar pronto na hora que você balançar a forma e ele não estiver mais líquido. Como estava coberto não vai dourar. Deixe dormir uma noite na geladeira na forma e coberto.  Desenforme momentos antes de servir!

Salvar

Pipoca com chocolate com limão

Vocês sabem que eu adoro uma bizarrice quando se trata de combinar ingredientes né? Quando vi o nome dessa receita, que tá em inglês no original, achei que tinha entendido errado alguma expressão lá das bandas da Vanessa. Entendi errado nada, é isso mesmo: pipoca coberta com chocolate e limão.

Sendo que a receita tá aqui nem preciso dizer que deu certo… Super certo! Nem tô acreditando! Como o chocolate branco é bem mais doce que o meio amargo, que eu tô acostumada a comer, pense que ficaria bem enjoativa. Mas as raspas e as gotinhas de limão dão uma cortada no doce em excesso e resolvem o caso. Essa pipoca continua sendo daquelas que a gente come a vasilha inteira sem ver.

Pra quem ainda não tá acreditando proponho o seguinte: façam apenas meia receita. É como eu costumo fazer com receitas duvidosas aqui em casa. Assim vocês ficam conhecendo essa combinação incrível, e se não for muito do paladar de vocês (duvido!!) não fica um vasilhão de pipoca encalhado em casa.
pipoca chocolate limaoPipoca com chocolate com limão – original aqui

1/2x de milho pra pipoca
óleo e sal pra estourar
150g de chocolate branco
raspas de 2 limões galegos*
caldo de 1/2 limão galego*

Aqueça o óleo e junte o milho pra pipoca e uma pitada de sal. Estoure a pipoca normalmente.

Enquanto isso, derreta o chocolate no micro-ondas ou em banho-maria. Quando a pipoca estiver pronta retire o máximo de piruás que conseguir. Derrame metade do chocolate sobre as pipocas e misture bem. Cubra com o resto do chocolate, fica bem mais fácil assim, e certifique-se de que não ficou nenhuma sem chocolate. Espalhe sobre uma folha de papel manteiga ou um tapete de silicone e polvilhe as raspas de limão por cima.
Espere uns 10minutos até que o chocolate comece a cristalizar e espalhe por cima o suco de limão.

Você pode comer imediatamente com o chocolate meio grudento, ou pode esperar ele cristalizar completamente. Mas não espere muito para que as pipocas não fiquem murchas.
pipoca chocolate limao 2* A receita original pedia limão siciliano. Mas como é um produto importado, e mais difícil de achar em alguns lugares, eu preferi tentar com o galego que é mais fácil. Mas, como sempre, vale usar qualquer tipo de acordo com o seu gosto. Lembrando que cada limão dará um nível de acidez e um aroma diferentes para a pipoca.

Creme de Ervilha com Peixe frito

O título meio que já diz tudo né? É um creme de ervilha bem lisinho servido com iscas de peixe frito. Meio inventado pra servir de almoço num dia de chuva, o creme acabou ficando uma delícia e combinando muuuito com o peixe! E peixe frito é sempre bom né…
Eu usei ervilhas congeladas e insisto sempre por elas porque eu sinto muita diferença delas pras de lata. Mas se você não sente diferença entre elas ou não encontra ervilhas congeladas onde está vale usar as de lata sem problema.


E o peixe aqui foi Merluza mas, de novo, vale qualquer peixe! Acho que pra quem não tá acostumadx a comer peixe acho que a Merluza é um tipo tranquilo de achar e de fácil preparo. Aquele peixe branco que depende mais do tempero do que de tudo pra ter gosto sabe?
Creme de Ervilhas com Peixe Frito

400g de ervilhas congeladas
1 cebola
3 dentes de alho
1 xícara de caldo de carne/legumes/frango *
1 batata
2 xícaras de leite
cebolinha para servir
3 filés de peixe branco
1 limão grande
sal e pimenta
fubá pra empanar
óleo pra fritar

*se não tiver caldo é só usar água quente e acrescentar os temperos de sua preferência.

Limpe o peixe, se for o caso, e corte em iscas de cerca de 5cm. Tempere com o limão e sal e pimenta e deixe descansando por cerca de 30min. Escorra bem cada pedaço de peixe e passe no fubá para empanar e frite em óleo bem quente até ficarem dourados.
Para o creme, corte a batata e cozinhe em água com sal. Enquanto isso pique a cebola e o alho em cubos e doure em um pouco de óleo (2 colheres mais ou menos). Quando a cebola estiver translúcida acrescente a batata, as ervilhas e o caldo. Refogue até que o caldo evapore quase todo. Transfira tudo para o liquidificador e bata junto do leite até formar um creme liso. Volte para a panela e cozinhe até adquirir a consistência que você quiser. Acerte o sal e sirva com cebolinha e os filés de peixe.

Salvar

Salvar

Bolo de Laranja

A receita de hoje é de família, ou quase. Era o bolo de laranja de minha mãe, dessas receitas bem fáceis de bater os ingredientes no liquidificador e depois só misturar com a farinha. E ainda ia laranja inteira. E o resultado era um bolo enorme, bem massudo (adoro) com gosto de laranja e aquele amarguinho bem suave no final do gosto, sabe?
Daí que eu que fui fazer o bolo, e eu não me aguento se não mexer na receita né… “E se” no lugar da laranja inteira fosse só o suco? E se no lugar do liquidificador só misturasse tudo? Afinal, não tinha mais que bater a laranja…*

O resultado foi um bolo completamente diferente! Mais fofinho (adoro também) e com o gosto de laranja mais suave, e sem amarguinho no final. Boa notícia pra quem não gosta (pena, eu gosto…). Pra aumentar o gosto de laranja fiz essa cobertura, de açúcar com laranja, bem simples, que também serve pra dar um charme. Tipo um acabamento sabe…
bolo de laranjaBolo de Suco de Laranja
xícara de 240ml

2 1/2 xícara de farinha de trigo
1 xícara de açúcar refinado
1 colher sopa de fermento químico
3/4 xícara de óleo
2 ovos grandes
250ml de suco de laranja – espremido na hora, não me vá usar suco de caixinha hein…

Em uma vasilha misture todos os ingredientes secos. Espalhe essa mistura para as laterais da vasilha e no meio coloque os ovos e o óleo. Vá misturando e acrescentando o suco de laranja aos poucos. Com essa massa não precisa preocupar em misturar delicadamente, é pra bater mesmo, até começar a formar bolhas. Transfira para uma assadeira de cerca de 20x35cm untada, e leve ao forno a 180° por cerca de 40 minutos, até dourar.

Para a cobertura usei açúcar de confeiteiro e suco de laranja. Não tem medida, acrescente o suco a cerca de 1 xícara de açúcar até que forme uma pasta mole, e então espalhe sobre o bolo, já frio. Se não quiser o gosto de laranja muito forte vale trocar metade ou todo o suco por água.
bolo de laranja 2* Pra quem quiser experimentar a receita original é só trocar o suco por uma laranja Bahia, das grandes, inteira. Pique-a e bata no liquidificador com os outros ingredientes, menos a farinha e o fermento. Depois em uma vasilha misture a farinha, o fermento e a mistura batida. Leve pra assar do mesmo jeito que a nova versão.

Salvar

Quadradinhos de Palha Italiana

Eu queria muito poder dizer que é Palha Italiana.. mas não é. Ao mesmo tempo, não deixa de ser, de certa forma, a própria já que é basicamente brigadeiro com biscoito maria.
Então fica assim, Quadradinhos de Palha Italiana e você pode entender como palha italiana em quadradinhos, ou quadradinhos sabor palha italiana. E agora que eu já deixei todas as ferramentas de busca e professores de português loucos com tanta repetição na mesma frase… eis como eu cheguei a essa bagunça:
palha italiana 1E ideia era fazer uma palha italiana quase tradicional, mas menos puxenta. Pra conseguir isso eu ia acrescentar creme de leite no brigadeiro e depois bater no liquidificador pra ficar bem cremoso. Porque quando você bate o leite condensado no liquidificador ele fica cremoso… Então tinha uma chance de isso acontecer com o brigadeiro mole também. Depois era só misturar o biscoito e pronto! Pelo menos na minha cabeça…

O resultado foi um brigadeiro mole demais, que apenas serviu pra amolecer os biscoitos (que deveriam ficar crocantes) e nunca pegar forma, mesmo depois de uma noite na geladeira… Desastre né? Nem foi… numa tentativa de não desperdiçar brigadeiro (isso jamais!!) voltei com tudo pra panela e fui misturando até pegar ponto de brigadeiro de enrolar. Só que aí o biscoito sumiu. E no lugar da palha italiana eu fiquei com esses quadradinhos deliciosos com textura macia, nem um pouco puxentos, e com gostinho de brigadeiro mesmo!!! E acaba assim o conto da quase palha italiana desconstruida, major, ainda estamos trabalhando em um nome pra esse trem. Na receita abaixo eu resumo bastante a história, pulo toda a saga do liquidificador e deixo tudo direitinho pra vocês chegarem no mesmo resultado sujando bem menos vasilha… 😉

Só eu ou essa textura lembra muito o bolo bananada?

Sou só eu ou essa textura lembra muito o bolo bananada?

Quadradinhos de Palha Italiana

1 lata de leite condensado
1 colher generosa de manteiga
1 colher (das de mãe) de chocolate em pó
1/2 caixinha de creme de leite
+- 80g de biscoito maria

Despedace os biscoitos grosseiramente e reserve.
Em uma panela junte o leite condensado, o chocolate em pó e a manteiga. Leve ao fogo baixo e mexa até formar um brigadeiro mole. Junte o creme de leite e os biscoitos e mexa até secar bem. A massa me lembrou bastante massa de cajuzinho, quem já fez vai reconhecer. Forre uma forma/vasilha/assadeira pequena com papel manteiga e unte-o com manteiga, isso vai facilitar depois. Deixe na geladeira, coberto, por algumas horas, ou uma noite inteira. Daí é só desenformar, cortar e passar no açúcar. O açúcar de confeiteiro funciona melhor, mas o refinado também serve.
palha italiana

Salvar

Broinhas Caxambu

Hoje é receita que sempre gostei de comprar na padaria e agora tô super feliz de ter aprendido a fazer!! Pra quem não reconheceu de nome, a broinha caxambu é bem comum, por essas bandas pelo menos, nas padarias. Uma broa mais sequinha, mas macia, bem amarelinha e com gosto suave de erva doce. Uma delícia pra tomar com café!
broa caxambuA receita veio de um curso de doces de padaria que assisti pela Eduk. Eu já comentei deles aqui antes, e não, eles ainda não me descobriram e resolveram me patrocinar… Mas eu acho a proposta bem legal: você pode comprar o curso e aí recebe apostila, pode acessar os vídeos quando quiser e acho que ganha certificado também. OU você pode, como eu faço, assistir de graça ao vivo! E tem reprise no mesmo dia em outro horário! Eu  faço propaganda feliz porque é sempre legal ter formas de aprender sem ter que gastar os tubos (ou, no caso, de graça).

Enfim, a receita veio de um curso pra profissionais e não pra fazer em casa, então os ingredientes são todos medidos em peso. Eu transferi tudo pra volume porque acho mais fácil a pessoa ter uma xícara que uma balança em casa (meu caso). E claro, tive que arredondar umas coisinhas. Outra mudança é que na padaria se usa margarina de uso geral e aqui em casa só uso manteiga. Não aconselho de forma nenhuma e usar aquela margarina que passa no pão. A margarina de uso geral é outra coisa, e se você não tiver acesso, use manteiga.

Eu fiz apenas meia receita que rendeu 17 broinhas de cerca de 6cm de diâmetro. Mas vale fazer mini broinhas ou broas gigantes. Escolha o seu favorito e experimente!
broa caxambu 1Broinhas Caxambu – original da Janaína Barzaneli
xícara de 240ml

1 xícara de açúcar refinado
90g de manteiga
1/2 ovo
1 1/4 xícara de farinha de trigo
1 1/4 xícara de fubá
3/4 colher chá de fermento químico
1 colher chá de erva doce – opcional
100ml de leite – usei integral
óleo para untar
fubá para a assadeira

Comece “meiando” o ovo. É estranho mesmo, mas é fácil. É só quebrar o ovo em uma tigelinha e mistura bem até ficar homogêneo. Não é bater, é só misturar. Daí tira metade da mistura e guarda (dá pra transformar em crepioca) e a outra metade vai pra receita.
Em uma vasilha junte a farinha, o fubá, o fermento e a erva doce e misture.

Em outra tigela bata a manteiga e o açúcar até formar um creme claro. Junte o ovo e bata novamente. Vá adicionando os ingredientes secos e o leite alternadamente enquanto mistura. Dá pra fazer na batedeira, mas eu fui amassando na mão e foi bem tranquilo. A massa fica parecendo massa de pão de queijo: meio mole, não gruda na vasilha mas gruda muito na mão.

Polvilhe um pouco de fubá em uma assadeira. Unte as mãos com óleo, modele as bolinhas, do tamanho que quiser, e transfira para a assadeira. Para fazer as marcas usei as costas de uma faca de manteiga, mas vale qualquer instrumento disponível na cozinha. Marque o jogo da velha, esse movimento vai também baixar um pouco a broa, dando o formato mais tradicional. Depois é só polvilhar com fubá, ou farinha de trigo se preferir, e levar ao forno a 180° até dourar.

Como vocês sabem meu forno é um teimoso que se recusa a dourar qualquer coisa. Daí resolvi usar o truque do grill… e me distrair enquanto esperava olhando o Instagram (segue lá) ao mesmo tempo… não façam como eu ou o resultado pode ser esse:
broa caxambu 2

Bolo Bananada

Mais uma receita da turma do “e se…”. A ideia era um bolo beem úmido tentando combinar banana, chocolate e café… Tudo pra aproveitar bananas hiper maduras e um mundo de café congelado dando sopa por aqui.

O resultado foi realmente um bolo super úmido, daqueles que nem dá pra fazer o teste do palito, quase que a textura desses doces de corte que tem na roça (aka bananada…). A combinação de banana com chocolate deu certo como sempre… já o café sumiu do bolo coitado! Não sei se o café não tava muito forte, ou se foi muita banana, sei que ele só serviu pra ajudar a escurecer a massa.

O que não é de todo mal já que:
1 – o bolo fica com uma cor linda, parecendo que foi feito com cacau
2 – é sempre bom ter jeitos de aproveitar o café que sobrou, e congelar pra usar depois é bem fácil.

Se quiser usar café fresco dá certo, e se quiser usar água no lugar do café tá tranquilo também.
bolo bananada 1Escolha bem o tipo de banana que for usar, pra quem prefere sabores mais suaves aconselho a prata. A que eu tinha era caturra, que tem o sabor bem mais proeminente e é um pouco mais doce também. Enfim, dá pra variar bastante de acordo com as opções disponíveis.

Detalhe também, como era receita nova fiz um mini bolo. As medidas abaixo resultam num bolo inglês de 20x8cm que, apesar de subir, murcha depois. É o tipo de prato que dura só uma refeição mesmo: forte e em pouca quantidade.

Bolo Bananada
xícara de 240ml

1 banana média
1 ovo
100ml de café
3 colheres sopa de açúcar
3 colheres sopa de chocolate em pó
1 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento em pó

Em uma vasilha misture a farinha e o fermento e reserve.
Bata os outros ingredientes no liquidificador até ficar homogêneo. Se o café for congelado, vale descongelar no microondas antes, pra facilitar.
Junte os líquidos aos secos e misture delicadamente até incorporar tudo.
Transfira para uma forma untada e leve ao forno a180° por cerca de 50min. O teste do palito funciona meio torto, o palito vai sair sujo, mas dá pra perceber quando a massa passou de líquida pra assada. Tipo brownie, mas sem a casquinha quebradiça…
Se quiser cobrir com o açúcar de confeiteiro espere esfriar completamente para não melecar tudo.
bolo bananada 2

Patê-molho de ricota

Essa receita foi meio no improviso, e deu muito certo! Um dia abri a geladeira e encontrei uma embalagem inteira de ricota congelada. O sabor continuava o mesmo, mas a textura (que na ricota já não é lá essas coisas) estava horrível. O “queijo” esfarelava muito fácil, sem nenhuma liga. Então resolvi improvisar alguma coisa com ele, e saiu esse patê super gostoso pra comer com biscoitos, pães, ou mesmo pra servir como molho da salada.
pate ricota 1
Com as proporções usadas o patê fica beeem leve, tanto que antes de ir pra geladeira ele parece que vai ficar líquido. Não precisa preocupar que depois de algumas horas de geladeira ele fica mais firme. Mas ainda assim, se quiser uma patê mais consistente é só usar menos leite. Comece com apenas metade da medida e vá acrescentando aos poucos pra ver qual o seu gosto.

O mesmo vale pro manjericão. Usei porque gosto e  porque os daqui de casa estão enormes. Mas vale qualquer erva que quiser, ou nenhuma erva também. Pode trocar por pimenta, ou algum outro tempero, ou trocar o azeite comum por um saborizado… o que a imaginação inventar…

Patê de Ricota
xícara de 240ml

2 xícaras de ricota esfarelada
1 xícara de leite – usei desnatado
cerca de 4 colheres sopa de azeite
sal a gosto
um punhado de folhas de manjericão – opcional

Comece esfarelando a ricota pra poder medir, fica mais fácil com um garfo mas pode ser com as mãos mesmo. Coloque no liquidificador junto do leite e comece a bater. Ainda batendo vá acrescentando o azeite ao poucos. Se for usar o manjericão coloque junto do azeite. Prove pra acertar o sal e o azeite. Vai estar bem líquido mas é assim mesmo.
Coloque em um pote fechado e leve pra geladeira por pelo menos 2h pra poder ficar na consistência mais firme.
pate ricota 2

Salvar