Poção de bruxa – #cozinhadebruxa

Poção de bruxa, bem verdinha e ligeiramente espumosa… Mas também tá valendo fazer fora do Halloween e chamar de Martíni de Pepino porque é uma delícia!
poção de bruxa

Tá, eu vou começar reclamando do nome. Sim, até no Halloween. Poção de bruxa é invenção minha mesmo. Achei que combinava com a época do ano e tal.. Mas a receita original chama de Martíni de Pepino. Só que: não leva Martíni!! A única bebida alcoólica aqui é vodka!

Se bem que pensando enquanto escrevo esse texto, uma dose de vermute doce ali deve ficar bom pra caramba… Experimentarei!

Confusões de nomes a parte, não desiste por conta do pepino! Eu sei que a gente tem o costume de ver ele só na salada e olhe lá. Mas o sabor é uma delícia, apesar de diferentão sim. O drink fica leve, refrescante, o sabor do pepino é suave e o açúcar equilibra tudo! Tá certo que eu mudei algumas coisinhas, mas isso nem é mais novidade né?

Eu aumentei um tico de nada de açúcar; e tive que acrescentar água porque o pepino tava meio seco… Mas ignore a água se puder, seu drink vai ficar ainda mais saboroso! E eu usei o pepino japonês descascado. Vale usar com casca, e vale usar o comum  também. Só que aí é melhor descascar mesmo. 😉

Poção de bruxa – original aqui

5 folhas de hortelã
1 pepino pequeno
2 doses de vodka
2 colheres chá de açúcar

No liquidificador bata o pepino com o açúcar, a hortelã e o mínimo de água possível. Se conseguir bater sem a água, nem precisa adicionar.
Coe esse suco e transfira para uma coqueteleira junto da vodka e um punhado de gelo. Bata até tudo ficar gelado e sirva em um copo baixo com gelo.
Para mais enfeites molhe a borda do copo e passe no açúcar colorido.

Salvar

Salvar

Beijo do Vampiro – #cozinhadebruxa

Beijo do Vampiro, podia ser novela mas é drink mesmo. E só com dois ingredientes. Que são do tipo fácil de ter em casa!
beijo do vampiro

Vinho e Coca-Cola e pronto, já temos um drink! Tá com dificuldade de acreditar? Eu também estava. Mas o incrível é que essa mistura fica gostosa. É claro que tudo depende de você gostar do vinho escolhido e, de preferência, de ele não ser doce. É que a Coca já é um ingrediente bem doce, então um vinho mais seco vai equilibrar melhor os sabores e o resultado não ficará enjoativo.

O grande Tchan desse drink é o efeito visual dele. O vinho com a Coca ficam em um tom de vinho mais escuro muito bonito. E o pó dourado dá um charme lindo, sem atrapalhar o sabor! Esse pó pode ser encontrado em lojas de confeitaria, junto dos corantes. Em algumas lojas pode ser chamado de pó pérola, ou corante dourado. O nome não tem problema, o importante é ser em pó. Assim ele dissolve fácil no drink e não altera a textura.

Só fica a dica: esse trem espalha que é uma beleza; cuidado pra não ficar com toda a cozinha dourada!

E pra quem não gosta de Coca-Cola: eu também não gosto. Hoje em dia não consigo beber pois acho muito doce; mas mesmo assim gostei do drink. Como disse, o vinho mais seco equilibra o sabor e não parece que você está bebendo refrigerante. Aliás, eu servi a Coca sem fazer espuma pois queria o efeito vampiresco do dourado na superfície. Mas vale sim servir em um copo alto e deixar o refrigerante espumar bastante!

Beijo do Vampiro – original aqui

1 parte de vinho tinto
1 parte de Coca-Cola
pó dourado – opcional

Em uma taça alta misture o vinho com uma pitada do pó dourado. Complete com o refrigerante e sirva em seguida.

—————————–

Em 2014: Bolo de chocolate sem farinha

Tequila e mel, drink simples com drops de bônus

Tequila e mel em mais uma combinação simples que resulta num drink gostoso e fácil de tomar. O truque? Xarope de mel! E tem receita dele também…
tequila e mel

Esse é daqueles drinks que apareceram por acaso na minha frente, e que de tão simples ficou largado no caderninho. Mas aí um dia tava com uns limões na geladeira, mel dando bobeira em cima da mesa…. E claro, tava atrás de um drink que fosse fácil de fazer e gostoso de beber mais geladinho. Foi quando esse Tequila e mel me ganhou!

A parte mais diferentona dele é o bitter que, além de opcional, dá pra fazer em casa. Eu tenho uma garrafa com cascas de lima da Pérsia e vodka que deixei marinando algumas semanas atrás e pronto: bitter caseiro. Dá pra fazer com laranja, limão, mexerica… ou pra comprar pronto também! A escolha é sua.

Outra parte que dá pra fazer em casa é o xarope de mel. É tão fácil quando o xarope simples, e bem mais gostoso. Tanto que já está anotado pra ser testado em bolos futuros! Não aconselho deixar guardado muito tempo pois não tive tempo de testar a durabilidade. Mas se quiser adiantar a vida, vale preparar no dia anterior e deixar descansando na geladeira, sempre tampado, até a hora de preparar o drink.

Xarope de mel

1 parte de mel
2 partes de água

Leve o mel e a água ao fogo baixo até começar a ferver e então desligue. Espere esfriar antes de guardar em um vidro tampado e na geladeira.

Tequila e mel – original aqui

60ml de tequila ouro
30ml de xarope de mel
20ml de limão
2 dashes de bitter – ver texto acima

Junte todos os ingredientes em uma coqueteleira com gelo e bata bem. Sirva em uma taça longa, com algumas pedras de gelo.

—————————–

Em 2014: Taça Bicolor

Limonada de alecrim, ainda inventando com limões

Limonada de alecrim? É isso mesmo, e fica gostoso! Diferentão mas, pra quem já cansou da limonada normalzinha, é uma opção ótima!

Essa é mais uma das receitas que eu olhei a foto, achei linda, li o original e achei que a gringa tava louca. Onde já se viu juntar água quente com limão inteiro? Mesmo assim a água quente fazia sentido pra hortelã. É que essa erva libera muito mais aroma quando quente. Resolvi experimentar.
limonada de alecrim

E deu certo! Até porque, não tivesse dado não estaria aqui né? Mas enfim, deu certo com observações e adaptações, claro. Ignorei a baunilha; não me entra na cabeça misturar baunilha com cítricos. Pra quem gosta da combinação é só misturar 1 colher sopa de essência na hora de fazer a infusão.

Agora adaptações pra deixar a limonada de alecrim no seu gosto. Quando você colocar água quente junto da casca de limão ela libera muuuuito aroma/sabor, que não é igual ao aroma/sabor da poupa. Se você não gosta do sabor da casca, esprema todos os limões mas usar apenas metade das “metades” pra infusão. Se a mera ideia do aroma da casca te faz desistir dessa receita, não desista. Esquente a água com as ervas e o açúcar, fazendo um chá. Então esfrie essa mistura e junte o sumo de limão.

Seja qual for o método escolhido, não esqueça de tampar a vasilha. O aroma/sabor da hortelã é muito volátil, e se não tampar a vasilha passou meia hora não tem mais sabor de nada. E como sempre é bom lembrar: cada limão uma limonada. Eu usei capeta (cravo?) e ficou bem ácida. Com sicilianos fica mais suaves, com galegos mais cítrica, e por aí vai….

Mas Sabrina, nenhuma recomendação sobre o alecrim? Gente, se alguém não gosta de alecrim não vai nem chegar até aqui no texto né? Taca alecrim que fica gostoso.

Limonada de Alecrim – original aqui

4 xícaras de água fervendo
4 limões grandes
1/2 xícara de açúcar
5 ramos de hortelã
1 ramo de alecrim

Em uma vasilha esprema os limões, junte as metades espremidas, as ervas e o açúcar. Cubra com a água quente e tampe. Deixe descansando por cerca de 30min. Coe e transfira para uma vasilha com gelo. Se quiser também acrescente algumas fatias de limão e ramos de hortelã e alecrim par enfeitar.

—————————–

Em 2014: Pudim de Tapioca

Delícia de manga, o drink

Delícia de manga, que é pra manter os nomes dos drinks bem objetivos: é um drink, feito de manga e é uma delícia.
delícia de manga

Eu vou arriscar dizer que dá pra fazer delícia de a fruta que você quiser… É que essa receita além de bem fácil é bem versátil, tendo uma base que combina com tudo: gelo, vodka, xarope simples e limão.

Sim, dá pra usar açúcar no lugar do xarope. Mas, se você tem costume de fazer drinks sempre, é mais fácil deixar uma garrafa de xarope na geladeira. É só ferver açúcar e água, na mesma quantidade, e deixar esfriar antes de engarrafar. Dura mais de semana na geladeira.

Outra vantagem do xarope? Fica mais fácil acertar o doce da bebida. A minha manga estava bem madura  bem docinha, então essas medidas foram exatas. Mas sempre é bom experimentar antes de servir; e se precisar de mais doce é só acrescentar um pouco de xarope (mais fácil de dissolver que açúcar). Se estiver doce demais é só acrescentar mais limão.

Mais uma opção de mudança? Tira a vodka e pronto, um slush de manga delicinha pra todo mundo!

Agora é só pegar suas frutas favoritas e fazer a sua combinação! Enquanto isso vou ver se esse drink vira picolé…

Delícia de Manga – original aqui

2 1/2 doses de vodka
1 dose de limão
1 1/3 dose de xarope simples
1 xícara de manga em cubos
2 xícaras de gelo

Junte todos os ingredientes em um liquidificador e bata até obter uma mistura homogênea. Sirva em duas taças.
Se seu liquidificador não aguenta bater o gelo, tem truque! Enrole as pedras de gelo em um pano e bate com um martelo ou o rolo de macarrão. Daí é só transferir para o liquidificador e pronto!

—————————–

Em 2014: Patê de berinjela

Slush de melancia – com ou sem álcool

Slush de melancia, mas pode chamar de raspadinha chique porque é isso mesmo: drink, alcoólico ou não, meio congelado e mais gostoso que um suco normal!
slush de melancia

Então começando do começo, slush é qualquer tipo de suco batido com muito gelo. Muito sendo o suficiente pra que o suco fique quase que na consistência de um sorvete. A diferença de um drink frozen? Nenhuma. Mesmo. Normalmente usam slush pra quando o suco de fruta é a maior parte do drink e frozen pra quando a bebida alcoólica é a maior parte. Mas dá pra chamar drink congelado não alcoólico de frozen? Dá sim, o drink é seu e coloca o nome que quiser… Certo?

A diferença pra raspadinha? Nesse caso você serve o gelo puro no copo e cobre com o suco líquido. E isso acaba mudando muito o resultado final.

E ainda dá pra escolher se esse drink vai ser alcoólico ou não. É que o outro detalhe do slush é que você pode completar com uma bebida borbulhante pra adicionar mais uma textura! Em casos alcoólicos o mais comum é um espumante ou um vinho frisante branco. Pra quem prefere sem álcool soda é o mais comum, mas pode ser água com gás mesmo.

Favor não confundir essa bebida caseira com os slushies vendidos em máquinas… É a mesma coisa que dizer que aquela casquinha do palhaço é igual um sorvete de creme feito em casa….

A receita abaixo é a base. Daí você pode escolher: servir o slush puro, adicionar soda ou espumante. Oooou o mais comum quando é bebida pra festa toda: Slush puro em uma jarra, e garrafas de refri, água, espumante, etc, pra cada um montar seu drink!

Slush de Melancia

3 xícaras de melancia em cubos
2 colheres sopa de limão
1-2 colheres sopa de açúcar
1 xícara de cubos de gelo
complemento a gosto: soda, água com gás, espumante, vinho branco, etc

Em um liquidificador bata a melancia, o limão, o açúcar e o gelo.
Para servir individualmente: sirva o slush em uma jarra, apenas até a metade, e complete com o complemento escolhido.
Para servir versão festa: sirva o slush em uma jarra e os complementos ao lado, pra cada um montar o seu.

—————————
Em 2014: Bolo surpresa de maracujá

Gin Fizz, ou um jeito chique de chamar refri com gin

Gin Fizz é um drink curto, simples, fácil (de fazer e degustar) e beeeem levinho. Bom pra quem quer algo refrescante e suave!

Gin Fizz

Decoração com o limão capeta mais laranjinha do mundo!

Os drinks tipo fizz são bem antigos e variados; isso porque Fizz quer dizer drink com borbulhas, normalmente graças a água com gás ou um refrigerante neutro. Talvez o Gin Fizz seja o mais antigo e mais tradicional desses drinks, e por isso tem algumas variações tanto na apresentação quanto no jeito de fazer.

Embora a base seja sempre a mesma (gin, limão, doce, borbulha) tem quem prefira usar açúcar e quem prefira xarope; alguns usam água com gás, enquanto outros escolhem soda limonada… Detalhes que vão deixar cada drink com a cara de quem fez. Por aqui escolhi seguir a receita do IBA (chefão dos bartender por assim dizer) e usei xarope e soda. Pra quem não tiver xarope, vale trocar por açúcar? Vale! Só mais cuidado na hora de bater, pra garantir que vai derreter bem o açúcar. E quem não bebe refrigerante nem por decreto pode usar a água com gás sim; vai ter menos borbulhas mas vai funcionar.

E pra quem tá se perguntando se esse drink não é muito parecido com o Tom Collins… Sim ele é! Na verdade eles são drinks irmãos. Os dois tem os mesmos ingredientes, mudando apenas a proporção. Com isso o Tom Collins é mais ácido e mais suave que o Gin Fizz.

E em teoria tinha que ser feito com um tipo específico de Gin, mas isso não é lá muito respeitado… Ainda mais pra quem tá fazendo o drink em casa, não profissionalmente….

E por fim, na receita as medidas estão em partes. Isso porque você pode usar colheres de sopa, de chá, de vó, doses ou xícaras pra fazer seu drink. Para copos baixos como o da foto as medidas foram em colheres de sopa (tipo padrão)

Gin Fizz – original aqui

4 1/ partes de gin
1 parte de xarope simples
3 partes de limão
soda limão pra completar

Em uma coqueteleira, cheia de gelo, junte o gin, o xarope e o limão e bata até ficar bem gelado. Sirva em um copo baixo com uma rodela de limão e complete com  soa limonada.

—————————–
Em 2014: Frango na crosta de Ervas

Caipirinha de Tangerina – sem álcool

Caipirinha de tangerina, mas sem álcool que é pra todo mundo poder aproveitar! E ainda tem hortelã no meio pra deixar mais gostoso!
caipirinha de tangerina sem álcool

E acho que já contei praticamente tudo que tinha pra falar desse drink. Ele saiu da minha cabeça, enquanto procurava jeitos de ter drinks legais e bonitões mas que não tivessem álcool. Normalmente quando se fala em drinks não alcoólicos, a gente já pensa logo em sucos. Mas eu tava querendo algo que não fosse apenas frutas batidas, e que tivesse um efeito visual similar aos drinks tradicionais.

E pensando em drinks tradicionais quem ganha é a caipirinha né? E tinha uma montanha de tangerinas (ou mexericas como chamamos aqui) dando sopa na mesa…. E meu pé de hortelã tá lindo, exuberante e chamando a atenção… E pronto, junta tudo e completa com soda que é sabor neutro mas dá um borbulhante que anima todos os drinks!

Pra quem não é fã de tangerinas/mexericas e ficou até agora, vale usar limão ou laranja; é só partir como se faz na caipirinha tradicional e seguir a receita abaixo. Pra quem não é de soda, ou qualquer refrigerante, é só usar água com gás. E pra quem é da cachaça, gostou do drink mas quer uma birita no meio… quem sou eu pra te impedir de colocar uma dose de cachaça ou vodka ali no meio, não é mesmo?

só peloamordedeus tenha mais de 18 pra eu não estar incentivando menor a beber…

Caipirinha de Tangerina – sem álcool

1 tangerina pequena – usei candongueira
2 colheres sopa de açúcar – varia
6 folhas de hortelã
gelo
soda limonada

No próprio copo junte a hortelã e o açúcar e macere um pouco; acrescente os gomos a tangerina cortados ao meio, e macere mais um pouco. Junte alguns cubos de gelo e complete com a soda limonada. Enfeite com folhas de hortelã e uma tirinha da casca da tangerina

——————–
Em 2014: Cookies duplos

Shriner de conhaque, ou algo parecido

Shriner de conhaque, ou algo parecido, pode parecer um nome beem estranho para um drink tão gostoso… Mas já passamos desse ponto certo?
shriner

No lugar de reclamar de como esse nome é estranho, intraduzível ou qualquer coisa do tipo, hoje dá pra contar a história do drink! Ou pelo menos o que pode ser uma versão dela, já que ninguém confirmou….

Shriners International é uma organização ligada a maçonaria mais conhecida por ajudar/fundar hospitais infantis… E pelo fez vermelho que seus integrantes usam. E esse acessório parece ter dado o nome do drink, já que ambos teriam a mesma coloração. Pois é, uma teoria meio furada…. Mas  minha situação piora.

O drink Shriner teria sua cor característica por conta de um tipo especial de Gin. Até aí tudo bem né? Só que a receita que eu vi, e começou toda essa loucura, não tem Gin!!! Tudo começou comigo achando uma receita (ali embaixo) quando procurava um drink com conhaque. Achei que parecia bom e resolvi experimentar. Só depois de decidir trazer o Shriner pra cá que fui procurar sua origem; e achei só receitas com Gin.

Fiquemos então com o Shriner de conhaque. É gostoso, equilibrado e fácil de fazer, então porque não?

Detalhes da receita? Meu bitter é caseiro: cascas de Lima da Pérsia curtindo em vodka por mais de 2 meses. Dá pra comprar pronto, mas eu aconselho fazer o seu próprio e deixar a garrafinha pronta pra ocasiões como essa. E da pra usar casca de qualquer cítrico. E xarope todo mundo já sabe né? Uma parte de açúcar pra uma parte de água e ferve só pra derreter o açúcar. Também gosto de deixar uma garrafinha pronta na geladeira pra quando precisar.

Shriner – original aqui

2 dashes de bitter
1 dose de conhaque
2 dashes de xarope simples
1 tira de casca de limão

Em uma coqueteleira cheia de gelo junte o conhaque, o bitter e o xarope, e bata até ficar bem gelado. Verta em uma taça rasa de drink e complete torcendo a tira de casca de limão sobre o drink. Enrole a tira e enfeite a taça com ela.

—————————–

Chá com rum, simples assim e gostoso também!

Chá com rum, e sim, é tão simples quanto parece. Mas é tão gostoso que não podia deixar essa passar…
chá com rum

Essa receita veio do livrão de drinks daqui de casa, o Guia Internacional do Bar, do Michael Jackson. E sim, esse livro é mais velho que eu. E não, não é aquele Michael Jackson, é um bem menos famoso…. Acontece que, quando faltam ideias pro drink do fim de semana, eu abro esse livro ao acaso e procuro alguma coisa legal pra testar. E da última vez apareceu esse chá com rum.

No início achei que era muita encheção colocar um simples chá batizado num guia internacional. Mas como o inverno tem se mostrado animado esse ano, achei que valia pelo menos tentar. E sim, vale muito a pena! Vale ser colocado no livro. E vale você experimentar!

O nome original é em inglês, e dá spoiler: Ginger Rum Tea, que daria pra ser traduzido como chá de gengibre com rum. Mas adivinha só? O chá não é de gengibre! A raiz entra como coadjuvante pra esquentar ainda mais a bebida. Então fiquemos com a versão chá com rum mesmo. E além do nome mudei um detalhe também. O livro manda usar gengibre seco, que não tenho, nem sei se quero. Então usei gengibre em calda, que todo mundo ama por aqui. E aproveitei e adocei o chá com um pouco dessa mesma calda.

Quer fazer seu próprio gengibre em calda? Aqui tem a receita!

Pra quem não tiver gengibre em calda em casa, dá pra usar o cristalizado; e adoçar o chá com açúcar mesmo. Ou não adoçar. Depende do eu gosto. Dá pra suar gengibre fresco? Até dá. Mas eu aconselharia a fazer o doce em calda primeiro e aproveitar a maravilha que ele é…rs

Chá com Rum

250ml de água
1 saquinho de chá preto
1 1/2 dose de rum
1/2 dose de calda – mais nas notas acima
fatias de gengibre em calda – receita aqui

Esquente a água até começar a ferver. Desligue o fogo, junte o chá e deixe descansando por 3 minutos. Enquanto isso em uma caneca junte as fatias de gengibre, a calda e o rum. Complete com o chá e sirva em seguida.

——————————
Em 2014: Leite condensado caseiro

Salvar

Salvar

Salvar