Bolo de casca de abóbora

Mais um daqueles bolos simples e fofinhos, bons pra acompanhar o café da tarde. A grande diferença é a casca de abóbora!

Essa receita reúne um monte de características que eu adoro, tanto no resultado final quanto na história da receita:

– quem me passou foi uma prima minha (Valeu Aline!)
– eu anotei num papelinho guardado no bolso
– segundo o papelinho ela viu a receita numa embalagem de açúcar
– o bolo reaproveita casca de abóbora (que eu usei pra fazer doce)
– o bolo tem o sabor suave e textura fofinha, ideal pra comer com o doce feito da abóbora!

Claro, ainda tem o fato de que as cascas adicionam um bocado de fibras pra receita. Nutricionistas agradecem, creio eu. Só uma dica: se for polvilhar açúcar por cima, como eu fiz, espere o bolo esfriar e dê preferência para o açúcar de confeiteiro que resiste mais.

Bolo de Casca de Abóbora

1 1/2 xícara de casca de abóbora em cubinhos
3 ovos
1/2 xícara de óleo
1 1/2 xícara de açúcar cristal
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de amido de milho
1 colher sopa de fermento em pó

Em uma vasilha peneire a farinha, o amido de milho e o fermento e misture ligeiramente.
No liquidificador bata os ovos, as cascas, o óleo e o açúcar até formar uma massa homogênea.
Transfira aos poucos a mistura batida para a vasilha com a farinha e misture delicadamente. Quando estiver tudo incorporado passe para uma forma untada.
Leve ao forno aquecido a 180° até que doure.

Salvar

Xarope de peras perfumadas, e um drink

As peras tem feito sucesso aqui em casa, então quando vi um drink feito com xarope de peras e especiarias corri pra fazer o mais rápido possível. E ficou ótimo!

Esse drink vem do site da revista Sweet Paul (que tem cada foto linda) e foi apenas ligeiramente adaptada. Na verdade ainda tô com vontade de fazer a receita original, mas receitas estrangeiras muitas vezes tem ingredientes mais difíceis, ou caros, de encontrar por aqui. Sendo assim, mantive o procedimento e a maior parte da receita, mas adaptei algumas especiarias.

Claro que dá pra fazer com o seu mix favorito. Não gosta ou tá difícil achar cardamomo? Anis no lugar também fica bom. Quer um gosto mais natalino? Acrescenta um punhadinho de cravos. E por aí vai. Não preocupa com o gengibre que o gosto fica muito suave, mas se não gosta de jeito nenhum também dá pra cortar.

E quem viu a receita do início da semana já percebeu que dá pra juntar as duas né? Faz o xarope com a pera inteira e dobra a receita e pronto, duas Peras quase Bele Hélene só faltando cobrir de chocolate!

Xarope de Peras Perfumadas – original aqui

1 pera
1 canela em pau
1 cm de gengibre descascado e fatiado
5 sementes de cardamomo
1 xícara de açúcar cristal
2 xícaras de água

Fatie a pera e junte aos demais ingredientes em uma panelinha.
Leve ao fogo alto até ferver, então baixe o fogo e deixe cozinhando lentamente por 20minutos. Deixe esfriar ainda com as especiarias.
Depois de frio coe e transfira o xarope para uma garrafa fechada que pode ser guardada na geladeira por uma semana.
A pera vira uma sobremesa deliciosa.

Drink de peras perfumadas – serve 1 dose

1/4 xícara de xarope de pera
1/4 xícara de vodka gelada
suco de 1/2 limão
gelo para bater
fatias de pera para guarnecer

Em uma coqueteleira (ou vidro com tampa) bata os ingredientes com pedras de gelo até ficar bem gelado.
Sirva no copo escolhido com algumas fatias de pera.
(melhor ainda se for a pera usada pra fazer o xarope!)

—————————–
Em 2015: Salada crocante

Salvar

leite frito

Mais uma receita de nome estranho, e formulação estranha também já que é basicamente mingau frito. Mas puxa vida, é uma delícia!

A primeira vez que ouvi falar no tal leite frito foi numa foto da Roberta Sudbrack e achei que era coisa de alta gastronomia experimental e larguei mão… (na época eu tava ouvindo o nome dela pela primeira vez e não tinha ideia do tipo de cozinha que ela praticava)

Na segunda vez foi através de uma cena de novela passada numa cidade pequena do interior. Daí fiquei mais curiosa ainda. E descobri que essa é uma sobremesa do norte da Espanha e que, como boa receita tradicional, existem milhares de versões. Algumas são mais básicas, com poucos ingredientes, outras tem uma lista enormes de coisas pra juntar na panela. Já algumas são mega perfumadas com diversas especiarias enquanto outras tem apenas um ingredientes pra saborizar o leite.

Acabei fazendo um meio termo entre todas as opções que encontrei. Preferi as versões mais simples, com poucos ingredientes. E na hora de saborizar o leite escolhi as raspas de limão, principalmente porque achei muito diferente colocar limão no mingau e queria experimentar. Outra variação é na hora de fritar. As principais opções são passar na farinha de trigo, passar na farinha de trigo e então no ovo, ou passar na farinha de rosca. Optei pela farinha de rosca por dois motivos: minha receita é pequena e eu detesto quando sobra ovo de empanar, e a farinha de rosca sempre deixa uma casquinha crocante que eu gosto.

Na hora de servir o mais comum é cobrir com açúcar e canela. Pra quem quer algo mais festivo, eu vi muitas fotos do doce puro sendo servido com doce de leite molinho. E pra quem quer algo mais leve, a gente provou sem o açúcar por cima e ficou muito bom também!

Leite frito

500ml de leite
1/2 xícara de amido de milho
1/2 xícara de açúcar cristal
1 ovo
raspas de 1/2 limão
farinhas de rosca e óleo para fritar

Prepare uma vasilha, de preferência quadrada, forrando o fundo e as laterais com filme plástico.
Em uma panela dissolva completamente o amido em um pouco de leite. Acrescente o restante do leite, as raspas de limão e o açúcar. Peneire o ovo para retirar a película da gema e transfira para a panela. Misture tudo muito bem e leve ao fogo médio, mexendo sempre até formar um mingau espesso.
Transfira para a vasilha preparada e leve para a geladeira por algumas horas, até firmar.
Corte quadrados do tamanho desejado, passe na farinha de rosca e frite, por imersão, em óleo bem quente. Não mexa enquanto não estiver dourado, para evitar que ele se desmanche na panela. Depois de dourados deixe escorrer em papel toalha. Logo antes de servir passe no açúcar com canela.

—————————
Em 2015: Bolo de Capim Limão

Salvar

Peras quase Belle Hélène

Peras cozidas numa calda mega perfumada e cobertas com outra calda de chocolate…nhaaam

Essa sobremesa pode ser considerada um aprimoramento das peras ao vinho… Ou as Peras Belle Hélène do Le Plat du Jour feitas sem cuidado. É que eu gostei da ideia de cobrir as peras cozidas com chocolate, mas não contava nem com sorvete nem com chantilly em casa no dia. Resolvi fazer assim mesmo, e já que não seguiria a receita a risca acabei fazendo uma calda que tenho mais costume.

Acaba que essa versão é bem mais fácil de fazer (oba!) mas não conta com nem metade da sofisticação das originais. Minha dica? Comece com essa, mas não deixe de tentar as Poire Belle Hélène de verdade. Eu já coloquei os ingredientes na lista do mercado…

Peras (quase) a Belle Helene – original aqui

4 peras
1 xícara de açúcar
2 xícaras de água
4 cravos
1 pedaço canela
1 punhado de pimenta rosa
1/2 xícara de chocolate meio amargo picado

Descasque as peras e transfira para uma panela junto dos demais ingredientes, exceto o chocolate.
Não use uma panela muito grande para que a calda cubra a maior parte das peras, e caso elas não fiquem cobertas lembre-se de vira-las de tempos em tempos. Leve ao fogo alto e quando começar a ferver baixe o fogo e conte pelo menos 20-30min.
Quando as peras estiverem macias mas ainda firmes desligue o fogo. Transfira cada pera para um prato. Coe a calda que se formou para separar as especiarias.
Derrame um pouco da calda ainda quente sobre o chocolate e misture para formar uma ganache. A quantidade de calda vai depender de textura que você quer para a ganache, portanto acrescente calda aos poucos.
Mergulhe cada pera nessa calda de chocolate e sirva.

Salvar

Frappuccino basicão sem lactose

Então, é isso mesmo, uma base pra Frappuccino* só que feita sem lactose. Basicão assim.

Por aqui já teve frappuccino tradicional, feito com cubos de gelo de café e enfeitado com calda de chocolate. Delícia. Vale experimentar. Mas fiquei encucada com o monte de gente que tá aparecendo reclamando de desconfortos quando consome lactose.
Apesar de eu não ter intolerância a nenhum tipo de alimento (até onde eu sei) e não restringir minha dieta por nada nesse mundo, acho legal ter sempre opções variadas.
Nesse caso eu usei leite de coco, que pode ser industrializado ou caseiro (vale clicar no link e aprender que é facinho facinho de fazer). Mas vale usar o leite vegetal da sua preferência, eu que gosto mais do de coco mesmo.

Falando em gosto, essa base por si só já é uma delícia mas vale acrescentar o que quiser: banana, chocolate em pó ou em gotas, aveia, etc, etc, etc. Só é bom tomar cuidado, principalmente no caso de chocolate em pedaços, pra ter certeza de que não tem lactose.

E por último, enfeitei a garrafa com calda de caramelo. Que leva manteiga e leite, eu sei. Mas no ICKFD tem uma receita de caramelo sem nenhum desses ingredientes, vai na fé que é bom!

* o google jura que é assim que escreve frappuccino, mas eu acho horrível esse mundo de letra repetida…

Frappuccino sem lactose

200ml de Leite de coco gelado
6 cubos de café congelado
Açúcar a gosto
calda pra enfeitar o copo

Moleza das molezas: é só bater tudo no liquidificador, acertar o doce e colocar no copão enfeitado com calda.

——————————-
Em 2015: Pipoca Caramelada

Salvar

Bolinhas de Queijo

Bolinhas crocantes de puro queijo…

Normalmente não confio muito em receitas que chegam através de vídeos rápidos em redes sociais. Preconceito idiota meu. Fui tentar essas bolinhas de queijo e levei um tapa mental de “aprende menina!”. E além de aprender ainda fiquei com um tira gosto bom pra caramba!

Mas realmente eu jurava que na hora de fritar as bolinhas se desmanchariam completamente, afinal são 90% queijo! O caso é que não desmancham. E eu nem mexi muito na receita… Mexi porque sou curiosa mesmo…

Na primeira tentativa usei parmesão e mussarela como a original, mas numa proporção diferente: meio a meio. Na segunda tentativa usei 1 1/4 xícara de queijo do reino e o restante de mussarela. Ambas as versões ficaram ótimas, então na receita coloquei apenas queijo, daí cada um usa o que quiser.

A maior diferença na verdade é a textura antes de fritar: a original usa farinha até desgrudar das mãos.Eu usei menos e untei as mãos para modelar a massa mais molenga, tipo massa de pão de queijo. E é sempre bom lembrar: prove um  pouco da massa antes de fritar pra ver se está bom de sal.

Bolinhas de queijo – original aqui

2 xícaras de queijo ralado
2 ovos
1 colher chá de orégano
sal a gosto
1/3 xícara de farinha de trigo – mais ou menos
Farinha de rosca e óleo pra fritar

Misture todos os ingredientes e amasse até formar uma massa coesa. Forme as bolinhas e passe cada uma na farinha de rosca. Frite por imersão em óleo bem quente e sirva.

Salvar

Bolo de iogurte

Consegui, com uma tia minha, aquela gororoba que vc vai alimentando e vai gerando iogurte… E o que fazer com tanto iogurte? Bolo ué!

Essa receita foi anotada num papelinho muito tempo atrás, vinde de uma reportagem que listava alguns bolos da loja Entreposto. Nunca fui na loja, nem provei os bolos, mas fui com a cara desse bolo de iogurte.

E dei sorte porque realmente ele é uma delícia! A massa é fofa mas não tem a textura tradicional de bolos amanteigados. Esse é mais um pouco mais leve e esponjoso. O gosto de iogurte pode ser bem pronunciado, deixando o bolo um pouco azedinho, se você usar o iogurte caseiro, como eu fiz. Se usar o iogurte de potinho, comprado no mercado, o gosto fica bem mais suave, mas não menos gostoso.

O toque do açúcar com canela na forma também é ideal, já que o doce da casquinha equilibra o azedinho do iogurte. Imagino que a baunilha da receita original também tenha esse papel, mas eu ignorei a presença dela na receita e não senti falta. Se você prefere algo mais doce o acompanhamento perfeito é uma calda de caramelo simples! Falta só a xícara de café e pronto, refeição completa.

Bolo de Iogurte da Entreposto – original aqui

2 ovos
1/2 copo de iogurte
1/2 xícara de óleo
1 xícara de açúcar
1 xícara de trigo
1/2 colher sopa de fermento em pó

Em uma vasilha misture o trigo e o fermento e reserve.
Bata no liquidificador o restante dos ingredientes até ficar homogêneo. Acrescente essa mistura a farinha e misture delicadamente até incorporar tudo.
Unte uma forma e cubra com a mistura de açúcar com canela. Transfira a massa para a forma e leve ao forno a 180° até que doure.
Pra finalizar cubra com um pouquinho de açúcar com canela, mas apenas depois que esfriar.

Salvar

Drink refrescante de limoncello

Mais um drink de nome bizarro! Pelo menos dessa vez além de não ser brega é bem descritivo: é um drink, refrescante, que leva limoncello!

Mas Sabrina, onde eu arranjo limoncello? É só fazer gente! É bem fácil e a única parte chata é que tem que esperar maturar uns dias. A receita é a mesmíssima do nosso Licor de Laranja, só que no lugar da casquinha de laranja você usa de limão siciliano.
Claro, você pode sempre comprar uma garrafa de licor pronto. Nada impede, e facilita a vida…

Com limoncello em mãos o drink fica super fácil, e realmente é bem refrescante, tem cara de limonada alcoólica. Ou caipirinha chiquetosa. A receita original veio de uma busca no google que resultou em um site gringo e eu acabei mudando as proporções e outros detalhes. É que quando fiz o original ficou muuito limão pra pouco tudo, então abaixo já estão as proporções modificadas pra ficar mais equilibrado. Também mudei o vinho, que originalmente era frisante, para um branco comum, que era o que eu tinha. Não duvido de que com o frisante também fique uma delícia!

Também coloquei as quantidades da receita em partes. Você pode fazer uma única dose ou uma jarra pra festa toda!

Drink refrescante de limoncello – original aqui

8 partes de vinho
1 parte de limão
1 parte de limoncello
Casquinhas de limão/laranja para guarnecer

Caso esteja tudo gelado já: apenas misture tudo e sirva com as casquinhas pra guarnecer.

Caso NÃO esteja tudo gelado: bata tudo com gelo em uma coqueteleira (ou outro recipiente com tampa) até gelar. Sirva com as casquinhas para guarnecer.

——————————————-
Em 2015: torta de frutas vermelhas com negresco

Salvar

Muffins de banana com gotas de chocolate

Muffins fofinhos, com banana e iogurte na massa e gotas de chocolate pra fechar com chave de ouro. Olha que lindos:

Comecemos do começo, o que difere um muffin de um cupcake?
Teoricamente o muffin tem uma massa mais simples de ser feita, apenas misturando todos os ingredientes, e com “pedaços” de algum ingrediente imersos na massa, como gotas de chocolate, frutas, castanhas, etc. Já os cupcakes teriam a massa mais amanteigada e mais complexa, feita em diversas etapas e com final mais homogêneo, ou seja, nada de gotas de chocolate. Na prática mesmo a gente acaba chamando de muffins os bolinhos que não tem cobertura e recheio e os cupcakes são os vestidos pra festa.
Tanto na prática quanto na teoria esses bolinhos se classificam como muffins: a massa é fácil, do tipo vai batendo a acrescentando tudo, tem gotas de chocolate por todo o bolinho, e não teve nem recheio nem cobertura. Ou seja, é aquele bolinho ideal pra deixar dando bobeira em cima do fogão e beliscar ao longo do dia… Mas também fica ótimo pra um café da manhã rápido.
A receita veio de um site gringo e eu fiz mudanças muito pequenas mas meio essenciais pro resultado final. A receita original levava baunilha (não senti falta) e cranberries, e as gotas de chocolate eram apenas opcionais. Por aqui cranberries são opcionais e o chocolate é essencial! Mas vale sempre lembrar que dá pra trocar o chocolate pelo que você achar que combina com bolinho de banana.

Muffins de Banana com gotas de chocolate – original aqui

1 xícara + 3 colheres sopa de açúcar
2 xícara de farinha de trigo
2 colheres chá de fermento em pó
1/2 colher chá de sal
2 ovos
1 xícara de iogurte natural
1/2 xícara de banana amassada
1/4 xícara de óleo
1/2 xícara chocolate em gotas

Aqueça o forno a 200°.
Em uma vasilha misture todos os ingredientes secos e reserve.
Bata os ovos e acrescente os ingredientes úmidos (banana, iogurte e óleo). Vá acrescentando os ingredientes secos, aos poucos, enquanto bate.
Quanto estiver uma massa homogênea acrescente as gotas de chocolate e misture delicadamente.
Divida a massa nas forminhas de muffin/cupcake e leve ao forno até que doure.

PS: pra que as gotas de chocolate fiquem perfeitinhas no topo dos muffins espere até que eles estejam quase prontos, abra o forno rapidamente e coloque algumas gotas no topo e cada um e espere terminarem de assar.

——————————–
Em 2015: Crepioca (presença constante no meu café da manhã das quintas sem carne)

Salvar

Biscoito sablé que vira massa de torta

É biscoito, é massa de torta… tô gostando desse trem de receitas que podem ser várias coisas….

Essa massa é conhecida como massa Sablé na versão abrasileirada do nome, mas vocês também já podem ter visto como Pate Sablée, nome original em francês. Por aqui não tenho uma constância sobre usar  nome em português ou na versão original, vai o que der vontade na hora. Mas acho sempre bom explicar qual é qual, assim cada um pode escolher.

A massa sablé é bem parecida com a massa podre de empadas: esfarela fácil na boca, e não é muito doce. Embora normalmente eu veja receitas de massa sablé apenas como base de torta outra forma de usá-la e como biscoito. Aqui eu mostro as duas formas.
A receita abaixo é uma adaptação da receita que aprendi num curso do Senac. As mudanças foram as menores possíveis, feitas só pra possibilitar fazer a receita com medidas de volume (xícaras) e não de peso (gramas) e pra poder reduzir a receita na metade, como era minha intenção no início.

Só mais uma coisa, eu inventei de fazer os biscoitos com um cortador de flor e isso dificultou bastante minha vida pois o dia tava quente e a massa ia ficando mole enquanto eu cortava. Então fica a dica: pra dicas quentes prefira cortadores simples pra agilizar o trabalho, ou separe bastante tempo pra ficar indo e voltando com a massa da geladeira.

Massa Sablê – original Senac-MG

1 3/4 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de açúcar refinado
2 gemas
150g de manteiga em temperatura ambiente

Bata a manteiga com o açúcar até formar um creme claro e bem fofo. Acrescente as gemas e as raspas e bata até ficar homogêneo. Adicione a farinha e misture delicadamente até incorporar tudo. Não sove a massa.
Leve para a geladeira por pelo menos 12h. Abra a massa entre dois plásticos filme para
que não seja necessário usar mais farinha. Ele também ajuda a evitar que a manteiga derreta com o calor das mãos.
Depois de aberta, transfira a massa para a forma desejada ou corte os biscoitos. Caso a massa esteja molenga volte para a geladeira (já na forma/assadeira) por uns 30min para gelar novamente.
De for assar uma torta já com recheio proteja as bordas com papel alumínio para que não queimem. Esse cuidado não é necessário para assar só a base da torta ou os biscoitos.

Salvar