Bolo temperado de rum, e tchau inverno!

Bolo temperado de rum que também pode ser apenas bolo temperado ou só bolo de rum com canela… Ou a variação que você quiser!
bolo temperado de rum

É verdade que o rum faz diferença no sabor? É. É verdade que o álcool evapora no forno e só sobra o sabor da bebida? É. Mas se você não gosta de bebida de jeito nenhum, ou não tá afim de comprar uma garrafa só pra fazer esse bolo, tem solução! Dá pra fazer um bolo só temperado e ignorar a parte do goró na massa. Não vai ficar a mesma coisa mas continuar gostoso. Também dá pra alterar a bebida. Não tem rum vai o que tiver no bar. De novo: o bolo vai sair diferente? Vai, mas vai continuar gostoso e você terá sua versão exclusiva.

E falando em versão exclusiva, o mesmo vale pros temperos! O original é um all spice cake, o que quer dizer não só um punhado de especiarias, como uma que é feita de vários temperos juntos. Não tenho all spice, mas sei do que é feito e dei uma adaptada pra ficar parecido. Quem não tem cravo ou gengibre em pó, pode ferver um pedacinho de cada um no leite e deixar esfriar antes de usar. Não tem ideia de onde arranjar páprica doce? Ignora ela! Seu bolo vai continuar fofinho e perfumado.

O mesmo vale pra quem não é fã de canela. Melhor bolo temperado de rum sem a canela que você sem bolo né?
bolo temperado de rum

Tirando todas essas modificações possíveis, a receita parece enorme mas é bem simples. E o resultado é um bolão! Pra quem tiver na dúvida do tamanho da forma, essa massa cabe com folga em uma forma de 12 xícaras, e é a conta pra uma forma de 10 xícaras. Maior ou menor que isso pode não dar um resultado tão bom.

E pra terminar esse post enorme com duas dicas que são sempre boas de relembrar. Se sua forma de fundo falso não veda muito bem é só forrar por fora com papel alumínio. Tomando cuidado pra não ficar nenhum espaço descoberto, vai ficar tudo bem. E pra quem não tiver memória igual eu, ou resolveu fazer o bolo e só tem manteiga gelada: use o ralador! Rale a manteiga no ralo grosso e bata ela sozinha um pouco antes de acrescentar o açúcar.

Bolo temperado de rum – original aqui

2 1/3 xícaras de farinha de trigo
1 1/4 colher chá de fermento em pó
1 colher chá de bicarbonato de sódio
1 colher chá de sal
1 1/2 colher chá de canela
1 colher chá de gengibre em pó
1/2 colher chá de cravo em pó
1/4 colher chá de noz moscada
1/4 colher chá de páprica doce
100g de manteiga pommade
1 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de açúcar cristal
2 ovos
2 colheres chá de baunilha
1 1/4 xícara de leite
1 1/2 colher chá de limão – ou vinagre
2 colheres sopa de rum

Misture o leite com o limão e deixe descansando por pelo menos 20min.
Misture todos os ingredientes secos, exceto os açúcares, e reserve.
Bata a manteiga com os açúcares até conseguir um creme fofo. Ainda batendo vá adicionando a mistura seca e o leite azedo, alternando um pouco de cada um de cada vez. Quando tudo estiver misturado e homogêneo, acrescente o rum.
Asse em forno aquecido a 200 e em um forma untada e enfarinhada. Espere esfriar antes de desenformar.
bolo temperado de rum

—————————–
Em 2014: Doce de laranja

Chá com rum, simples assim e gostoso também!

Chá com rum, e sim, é tão simples quanto parece. Mas é tão gostoso que não podia deixar essa passar…
chá com rum

Essa receita veio do livrão de drinks daqui de casa, o Guia Internacional do Bar, do Michael Jackson. E sim, esse livro é mais velho que eu. E não, não é aquele Michael Jackson, é um bem menos famoso…. Acontece que, quando faltam ideias pro drink do fim de semana, eu abro esse livro ao acaso e procuro alguma coisa legal pra testar. E da última vez apareceu esse chá com rum.

No início achei que era muita encheção colocar um simples chá batizado num guia internacional. Mas como o inverno tem se mostrado animado esse ano, achei que valia pelo menos tentar. E sim, vale muito a pena! Vale ser colocado no livro. E vale você experimentar!

O nome original é em inglês, e dá spoiler: Ginger Rum Tea, que daria pra ser traduzido como chá de gengibre com rum. Mas adivinha só? O chá não é de gengibre! A raiz entra como coadjuvante pra esquentar ainda mais a bebida. Então fiquemos com a versão chá com rum mesmo. E além do nome mudei um detalhe também. O livro manda usar gengibre seco, que não tenho, nem sei se quero. Então usei gengibre em calda, que todo mundo ama por aqui. E aproveitei e adocei o chá com um pouco dessa mesma calda.

Quer fazer seu próprio gengibre em calda? Aqui tem a receita!

Pra quem não tiver gengibre em calda em casa, dá pra usar o cristalizado; e adoçar o chá com açúcar mesmo. Ou não adoçar. Depende do eu gosto. Dá pra suar gengibre fresco? Até dá. Mas eu aconselharia a fazer o doce em calda primeiro e aproveitar a maravilha que ele é…rs

Chá com Rum

250ml de água
1 saquinho de chá preto
1 1/2 dose de rum
1/2 dose de calda – mais nas notas acima
fatias de gengibre em calda – receita aqui

Esquente a água até começar a ferver. Desligue o fogo, junte o chá e deixe descansando por 3 minutos. Enquanto isso em uma caneca junte as fatias de gengibre, a calda e o rum. Complete com o chá e sirva em seguida.

——————————
Em 2014: Leite condensado caseiro

Salvar

Salvar

Salvar

Bacardi, o drink não a marca

Bacardi não é só marca de rum, é um drink e do meu tipo favorito: suave e fácil de fazer!
Bacardi

Ficou meio difícil achar a história desse drink, mas pelo menos eu consegui uma versão original meio que respeitada: a do IBA!

O IBA é o órgão internacional dos Barmen, e tem várias receitas de drinks. Dá pra acreditar que a receita deles vai ser a mais original possível né? Só que lá não encontrei nada quando a origem do drink ou porque ele tem esse nome, nem nada. Foi a marca Bacardi quem criou o drink? Ou eles se inspiraram nele pra criar a marca?Talvez um fã querendo homenagear seu rum favorito? Não faço ideia…

A tia Wikipédia não ajuda muito, só afirmando que nos primórdios do drink ele era feito com açúcar ficando igual um daiquiri, e só depois foi adicionado o grenadine. Já o que descobri no site da Bacardi foi que esse drink se tornou bem popular depois da Proibição do Álcool e que, assim, certos locais serviam o drink feito com qualquer outro rum mais barato!

(atitude que eu aconselho em duas hipóteses: você prefere outro rum, você só encontra ou só pode comprar outro rum.)

Com história ou não, eu não mexi nos ingredientes da receita original. Só aumentei drasticamente a receita (2,5 vezes o que o site indica) pra conseguir completar, com muita parcimônia, as duas taças que queria servir.

Bacardi – original aqui
serve 2

165ml de rum branco
75ml de limão
45ml de grenadine

Bata todos os ingredientes com bastante gelo em uma coqueteleira e divida em duas taças já geladas.

Salvar

Salvar

Mojitos de Laranja, porque sim, nós amamos mojitos!

Mojitos de laranja! Sim, mais um sabor diferente para mojitos… Já deu pra perceber que esse é um dos drinks favoritos da casa?
mojitos de laranja

Esse é um mojito pouco mexido, por assim dizer, quando comparado com outras receitas que já apareceram por aqui, como os especiais de São Patrício. Mojitos de laranja são basicamente mojitos tradicionais feitos com laranja no lugar do limão. Fácil né?

O resultado acaba sendo mais suave na acidez mas ainda assim bem refrescante. A hortelã cuida disso e acaba combinando bem com a laranja. Aliás, fica a dica pra quem não bebe álcool mas por um acaso do destino chegou até aqui: suco de laranja com hortelã deve ficar uma delícia!! Experimentem. Vocês  que bebem drinks alcoólicos, experimentem também!

Mojitos de Laranja

1 dose de suco de laranja
2 doses de rum
cerca de 10 folhas de hortelã
2 colheres chá e açúcar*
gelo

*essa quantidade pode diminuir caso a sua laranja não seja ácida (como a laranja serra d’água por exemplo)

Em uma coqueteleira (ou jarro que tenha tampa) amasse o açúcar e as folhas de hortelã juntos até o açúcar ficar verde e as folhas todas quebradas. Junte o rum e o suco e bata bem com algumas pedras de gelo.
Sirva em 2 copos baixos, com mais pedras de gelo. Se quiser enfeite com folhinhas de hortelã e/ou fatias de laranja.

——————————
Em 2015: Taça floresta negra

Salvar

Salvar

Salvar

Mojitos especiais pra São Patrício

Por aqui somos fãs de mojitos e isso não é segredo pra ninguém, certo? Já tivemos mojitos a moda da casa, de melancia, e até de cerveja! E agora é hora de um especial pro feriado do mês: St. Patrick’s Day. Ou dia de São Patrício; No original em inglês ou em português a história é a mesma:

Os irlandeses católicos reservam o dia 17 de março para celebrar o dia de Patrício, missionário cristão, que depois virou bispo, e acabou se tornando o Santo padroeiro da Irlanda. Calma que eu já chego nos mojitos. A festa acabou chegando aqui bem despida do caráter religioso e mais como uma celebração da cultura irlandesa. E isso pode incluir as cores verde, laranja e branco, da bandeira, e dourado das moedas de ouro dos leprechauns. Além dos símbolos do trevo de quatro folhas e do arco-íris.

(eu falo um pouquinho mais disso no post dos biscoitos arco-íris)
mojitos especiais pra São Patrício

A bebida mais comum no St. Patrick’s Day é a cerveja, especialmente a Guinness que é tradicional da Irlanda, seguida imediatamente do Whiskey. Mas por aqui não teremos nenhum dos dois esse ano. Pra quem quer comemorar mas não é fã nem de whiskey nem de cerveja preta dá pra escolher drinks com a cor verde. E o que não falta é receita com licor de menta! Aqui em casa o escolhido foi o mojito. Bastou trocar o açúcar e as folhas de hortelã pelo licor de menta e pronto, drink completamente diferente.

Puristas dirão que isso não é um mojito. Por mim tudo bem, eu só peço que experimentem e deem sugestões de um nome novo então. 😉

Mojitos de St Patrick
serve 1

caldo de 1 limão – escolha seu favorito
1 dose de rum
1/3 dose de licor de menta
soda limonada
muito gelo

Em uma coqueteleira cheia de gelo bata o rum, o licor e o limão até que tudo esteja bem gelado. Transfira para um copo e complete com soda limonada. Se o drink vai ser longo ou curto fica a seu critério. Num dia muito quente sirva em um copo cheio de gelo.

——————————-
Em 2015: Patê de ricota (ou seria molho?)

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Sorvete de Pina Colada, abacaxi com coco com rum

Sorvete de Pina Colada, é coco com abacaxi (amamos!) com rum (amamos também!) feito pra tomar na casquinha ou amontoar um monte num potão!
sorvete de pina colada na casquinha

Vamos as principais vantagens do sorvete caseiro, mesmo que você não tenha sorveteira:

– você sabe tudo que tem ali dentro. Isso quer dizer um sorvete de pina colada, ou qualquer outro sabor, sem acidulantes, conservantes, aromatizantes e por aí vai. Se qualquer desses ingredientes entrarem na receita é porque você quis. Com ou sem dieta, saber tudo quanto é ingrediente que vai na comida é sempre uma boa ideia, e quanto menos nomes complicados nessa lista melhor ainda!

– você pode inventar como quiser! Troque sabores, acrescente algum tempero, pedacinho de chocolate, hortelã, algum licor… O que a imaginação mandar e pronto, seu sorvete ficou único!

Essa receita sofreu muitas alterações desde a original até a que aparece aqui, inclusive no nome; Sorvete de Pina Colada é ideia minha, a original chama sorvete de coco com abacaxi.

O abacaxi em lata virou in natura já que por aqui só encontramos abacaxi em calda. O creme de coco, que não encontramos por aqui também, virou um leite de coco caseiro mega concentrado, quase um creme mesmo. Leite de coco em pó? Tirei. O leite em pó continua que ajuda a dar mais sustância pra massa. Aliás já fica a primeira dica: tem leite em pó sem lactose? Então pronto, sorvete sem lactose pra quem não pode!

Podia ter mais rum? Podia. Com apenas duas colheres o sabor não aparece, e ele contribui só com a textura. Então já fica a segunda dica: o sorvete é só pra adultos? Pode dobrar a quantidade de rum; com 4 colheres ele vai ficar mais cremoso e com sabor de drink!

Última dica porque o post já tá longo: não caia na preguiça de usar leite de coco de garrafinha. Ele é muito ralo e você teria que ficar cozinhando ele toda vida pra reduzir e conseguir a textura. Pelo trabalho vale mais a pena fazer o leite/creme em casa mesmo. E já que deixou a preguiça de lado, ignora o coco ralado de pacotinho também vai… O coco fresco dá muuuito mais sabor e com um martelo fica facinho de abrir. Sério gente, eu não tinha ideia o quão mais fácil é quebrar o coco com um martelo. Segura ele bem firme e capricha na mira e pronto!
sorvete de pina colada na casquinha

Sorvete de Pina Colada – original aqui

2 1/2 xícaras de abacaxi em cubos
3 xícaras de coco ralado
1 1/2 xícara de água quente
1/2 xícara de açúcar
4 colheres sopa de leite em pó
2 gemas grandes
1 colher chá de essência de baunilha
2 colheres sopa de rum

Leve o abacaxi para uma panela em fogo médio e deixe cozinhar por cerca de 10min. Reserve. Bata o coco com a água e filtre em um pano (ou coador). Reserve também.

Em uma panela junte o açúcar, o leite em pó e metade do leite de coco e esquente; enquanto isso bata as gemas até formarem um creme claro. Tempere esse creme com a mistura quente, bem aos poucos pra não cozinhar. Volte essa mistura ao fogo e cozinhe, mexendo sempre, até que comece a engrossar. Retire do fogo e junte o restante do leite de coco e a baunilha e misture bem. Bata essa mistura com o abacaxi e rum no liquidificador até ficar homogêneo.

Leve ao congelador até começar a congelar e então bata na batedeira ou no processador até ficar homogêneo. Volte ao congelador até congelar completamente e então bata novamente. Siga com essa rotina até ficar cremoso.

PS1: Se você tiver uma sorveteira é bater no liquidificador e ir direto pra sorveteira.

PS2: Para fazer as casquinhas eu derreti um pouco de chocolate branco, passei na borda e cobri com coco ralado bem fininho. Você ainda pode trocar ambos pra algo que contraste com o sorvete caso prefira.

——————————

Em 2015: Pepilancia Twist

Salvar

Salvar

Salvar

Kahlua caseiro, também conhecido como licor de café

Kahlua caseiro é basicamente a versão artesanal de um licor de café com rum originalmente feito no México chamado (adivinha só) Kahlúa.

O sabor do café é suave e não amarga; como bom licor ele é bem doce mas não enjoativo; e o rum branco não adiciona sabor marcante, só no final você sente que tem algo alcoólico. O licor tem diversos usos, desde drinks como White Russian e Touro Bravo, até saborizar trufas e bolos e sorvetes e tudo que você quiser. Mas a verdade é que sozinho com uma pedra de gelo ele já fica ótimo. Pra quem gosta de café após a refeição ele pode ser uma boa opção em tempos de calor.
kahlua caseiro

Alguns pontos valem ser observados antes de passar a receita:

– O café: O sabor vai variar intensamente conforme o café, tanto o pó usado quanto o jeito de fazer. Eu fiz o café de sempre daqui de casa, pó de supermercado e coado no filtro de papel. Pessoas mais exigentes com o café podem querer investir mais nessa parte. O mesmo vale para as medidas que usei de pó e água. As da receita são apenas sugestões e o melhor seria você preparar o café do jeito que já tem costume.

– A baunilha: Eu uso essência por 3 motivos: preço, acessibilidade e rapidez. Eu não tenho acesso a fava por aqui, o que acaba encarecendo. Mas se você puder usa-la, sugiro que o faça. Nesse caso prepare o licor e deixe maturando com a fava embebida nele por 2-3 semanas, e então coe. Se você não tem acesso não se preocupe, com extrato ou essência ainda fica uma delícia.

– O Rum: usei a mesma regra que uso toda bebida alcoólica que não é base de receita: nem a mais cara e top do mercado, nem a mais furreca barata que encontrar; uso as que posso pagar e tenho costume de usar nos meus drinks.

Agora vai lá, passa um café e guenta que já já tem receitas com sabor café por aqui…. 😉

Kahlua caseiro – original aqui

1 1/4 xícara de café forte*
2 xícaras de açúcar
1 xícara + 2 colheres sopa de rum – usei o branco
3 colheres sopa de essência de baunilha

* faça o café conforme o seu gosto; eu usei 1 1/4 xícaras de água quente para 6 colheres sopa de pó e coei, como é o costume por aqui.

Passe o café e, com ele ainda quente, misture o açúcar. Quando o açúcar dissolver misture o rum e a baunilha. Guarde em uma garrafa tampada e na geladeira e assim ele dura alguns meses.

—————————–
Em 2015: Biscoito de fubá com limão
Em 2016: Bolo de baunilha

Salvar

Salvar

Salvar

Mojito de Melancia

Mojito é o tipo de drink com a cara do verão: longo, leve e refrescante! E se puder, com toques especiais como a melancia…
Mojito de melancia

O mojito tradicional já apareceu por aqui, e sempre é uma boa opção. Mas o xarope de melancia dá um docinho a mais pro drink, que ainda assim não deixa de ser refrescante por conta da hortelã.
O xarope é a coisa de sempre: fruta mais açúcar fervidos juntos; e pode ser guardado na geladeira por alguns dias. E isso facilita muito a vida! Eu preferi fazer o xarope simples, mas quem quiser pode já ferver a hortelã junto, pra aumentar ainda mais o seu sabor no resultado final.

Xarope de Melancia

1 parte de melancia batida
1 parte de açúcar

Bata a melancia no liquidificador sem acrescentar mais nada. Meça a melancia e transfira para uma panela junto da mesma medida de açúcar. Aqueça em fogo alto até começar a ferver. Baixe o fogo e deixe reduzir por cerca de 3 minutos. Deixe esfriar completamente antes de usar. Pode ser guardado em vidro fechado, na geladeira.

Mojito de Melancia – inspirado nesse aqui

1 dose de rum
1 1/2 dose de xarope de melancia
1 1/2 dose de água com gás*
Folhas de hortelã
gelo

*água comum ou soda limonada ou água tônica, conforme o seu gosto.

Macere as folhas de hortelã com o xarope de melancia em uma coqueteleira, ou vidro com tampa. Junte o rum e complete o recipiente com gelo. Bata bem até gelar tudo.
Encha um copo com gelo e verta a mistura sobre ele. Complete com a água com gás.
Para uma versão mais verão substitua os cubos de gelo do copo por gelo triturado; vai ficar parecendo uma raspadinha.

——————————
Em 2014: Geleia de Pimenta
Em 2015: Amor em Pedaços

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Piña Colada de Verão

Ainda com a combinação coco e abacaxi na mente hoje tem mais um drink da seção “pulamos a primavera e fomos direto para o verão escaldante”.

Hoje a conversa é rápida:
A Piña colada é um drink normalmente feito com leite de coco mas, pra aumentar a cremosidade, aqui eu troquei por sorvete. Eu usei sorvete de leite de coco, mas qualquer sorvete de coco funciona.
Uma outra forma de servir, em dias ainda mais quentes, é em uma taça larga com mais uma bola de sorvete por cima do drink…

Piña Colada de Verão

2 rodelas grandes de abacaxi
10 pedras de gelo
2 doses de rum – ou mais se quiser
2 bolas de sorvete de coco

Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva em um copo alto enfeitado com abacaxi.

————————————–
Em 2014: Sorvete de Banana

Salvar

Toddy – o drink, não o achocolatado

Sabe toddy? Eu também achei que sabia… Tirando achocolatados cheios de açúcar do caminho, nesse caso estamos mais para um chá temperado e com um toque alcoólico. Quase um quentão importado.

Estava eu lendo um livro da Agatha Christie (aquela dos detetives, sabe?) e um personagem estava bebendo um toddy. E no pé da página a explicação: bebida aquecida feita da mistura de whiskey, chá e limão. Ou coisa parecida. Fiquei mega curiosa e fui atrás do tio google. E aí achei um mundo de opções!
Tem Toddy feito com whiskey, com rum e outros destilados, o chá pode ser qualquer um, a gosto do freguês. E pra adoçar, embora o tradicional seja mel, também vale açúcar. A única constante era o limão, todos sendo feitos com algumas gotas de limão e uma rodela da fruta na hora de servir.

Já deu pra pensar no quentão? Não usamos o limão é verdade, mas a diferença é basicamente essa. O destilado (pinga) tá lá, o açúcar também, e até o chá que, apesar de não ser em forma de saquinho, vai na forma das folhas aqui chamadas de temperos.
Minha ideia portanto era fazer um mix dos dois, um toddy com pinga. Aqui em casa já não tinha mais pinga, mas ainda tinha uma garrafa de rum prata. E daí lembrei do Grog, que é como algumas pessoas chamam o toddy feito com rum. Fica aí então a receita do meu quentão/toddy/grog, receita boa pra aquecer o peito e bem suave pra quem não gosta de bebida forte.
toddy twToddy – ou grog
serve duas pessoas

2 doses de rum prata – ou pinga
2 colheres sopa de mel
1/2 limão – usei capeta
500ml de água
2 chás de saquinho – usei maçã

Esquente a água e faça o chá conforme o seu gosto.
Cubra o fundo de cada caneco com uma colher de mel e o suco de 1/4 de limão.
Junte uma dose de rum em cada caneco e complete-os com o chá. Guarneça Enfeite com uma rodela do limão e sirva bem quentinho.

 

Salvar