biscoitinhos crocantes

Pra muita gente sexta é dia e Happy Hour, de drinks e petiscos. E já que essa sexta não tem drink, pelo menos tenhamos petisco! Pra fazer hoje e aproveitar o fim de semana todo já que esses biscoitinhos rendem pra caramba!
biscoito crocante ptA textura me lembrou um pouco o grissini, ainda mais pelo sabor dos temperos. Mas o que me chamou a atenção foram os ingredientes e o modo de preparo. Nunca tinha visto um biscoito crocante que levasse fermento biológico. E também não é comum ver massa de biscoito que precise ser sovada. Normalmente a única massa sovada é a do pão. Tortas e biscoitos que são mais crocantes costumam ter instruções para não misturar a massa demais, quanto mais sovar!

Bem, prepare os braços que essa massa pede pelo menos 10minutos sendo trabalhada! Mas o resultado vale muito a pena. Primeiro pela satisfação de ver uma massa disforme e gruminhenta virar uma bola de massa lisa e elástica. E segundo pelo resultado: palitinhos mega crocantes e temperados que se eu não me segurar vão sumir nas próximas horas….rs

Uma coisa antes do passo a passo: não tenho a origem da receita, ela é mais uma da minha lista de milhões a testar… Se alguém souber de quem é, por favor, deixe nos comentários para que eu possa dar o devido crédito! 😉
biscoito crocante fbBiscoitinhos crocantes
xícara de 240ml

1 1/2 colher chá de fermento biológico seco
1 1/3 xícara de água morna
2 colheres de manteiga sem sal
1 colher chá de açúcar
3 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 colher chá de sal
Temperos para a cobertura (sugestão):
3 colheres sopa de gergelim torrado
2 colheres chá de orégano
2 colheres chá de grãos de mostarda
1 1/2 colher chá de sal grosso temperado
biscoito crocante 1Em uma vasilha misture a farinha e o sal e reserve. Derreta a manteiga e deixe amornando já que não pode usar quente.
Enquanto isso dissolva o fermento na água já morna. Acrescente a manteiga (quando não estiver mais quente) e o açúcar. Misture bem e junte à farinha e o sal.
Misture bem e quando formar uma bola de massa sove por cerca de 10min. Vai formar uma massa lisa e elástica. Deixe descansar por cerca de 1h, até dobrar de tamanho.
Corte a massa em 4 partes iguais. Abra cada pedaço até ficar com cerca de 3mm, e cubra com os temperos. Abra mais um pouco a massa, o peso do rolo vai ajudar o tempero a grudar bem na massa, quando estiver com 1mm é só cortar os palitinhos.
Transfira para uma assadeira com o tapete de silicone, ou untada com óleo e leve ao fono, já aquecido  a 230°, até que dourem.
Guarde em um pote bem fechado, mas bem fechado mesmo que é pra não correr o risco de roubar um cada vez que passar perto!

Salvar

Bolo de mexerica, tangerina, aquela lá

Bora tomar um café com bolo de mexerica? Pra acompanhar uma xícara de café recém passado eu prefiro bolos mais simples, sem recheio nem cobertura. É o que a gente chama por aqui de bolo de vó. Mas esse bolo não veio da vó (se bem que ela já é vovó…) e sim de uma amiga da minha mãe.

Como é meu hábito, fui mexendo na receita a cada vez que fazia. Então não consigo garantir o quanto da original ainda resta…rs A cópia que passo pra vocês abaixo é a mais recente, mas já vou avisando: a quantidade de mexericas pode variar de acordo com o tamanho e com o sabor delas.

Explico, a candogueira (também chamada carioca) tem o sabor bem mais forte que a pokan (aquela da casca grossa), já a murcote é bem mais amarga que as outras duas. A medida de 5 mexericas é pra 5 candogueiras. Se for usar a pokan aconselho provar antes a massa pra ver se não precisa de mais suco. E também, se for usar a murcote coe com certeza e tire todas as pelinhas brancas e sementes antes de bater, como ela é mais amarga é bom tomar cuidado pra não ficar amargor demais. Ou não, tem que adore um bolo cítrico mais amargo. E não esquece de separar uma peça de queijo minas frescal pra acompanhar o bolo! Faz uma diferença danada!

Bolo de Mexerica
xícara de 240ml

5 mexericas
3 ovos
3/4 xícara de óleo
1 colher chá de sal
5 colheres sopa de açúcar – usei uma pra cada mexerica
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher sopa de fermento em pó

Unte uma forma com furo no meio e aqueça a forno a 180°.
Separe os gomos das mexericas e retire o excesso da parte branca e, se tiver paciência, as sementes. Bata as mexericas no liquidificador até não sobrar pedaço. Se quiser um suco mais liso, e um bolo mais leve, passe essa mistura por uma peneira e descarte o bagaço. Junte o suco das mexericas com os ovos, o óleo e o sal e bata novamente até ficar homogêneo.

Em uma vasilha mistura a farinha e o açúcar. Junte a mistura do liquidificador e mexa apenas o suficiente para ficar homogêneo novamente. Acrescente o fermento e misture delicadamente apenas para incorporar. Leve ao forno até dourar. Espere amornar para desenformar e sirva com queijo minas fresco.
bolo de mexerica tw

Salvar

Salvar

Torta de banana caramelada, mas também pode ser maçã

Massa dourada e crocante parecendo um biscoitão e recheio de bananas envoltas em caramelo! Pra esse trem voltar com tudo, hoje a gente tem torta de banana caramelada!!
A original e a minha primeira tentativa era de maçã caramelada (que também fica uma delícia!) mas essa de banana combinou tanto com a massa e com a canela, mas combinou tanto… que pra mim agora é torta de banana caramelada, que pode ser substituída por maçã se for o caso.
torta banana caramelada tw2E eu não tenho a menor ideia de onde essa torta veio… É mais uma que estava perdida no meio do meu milhão de “receitas pra testar um dia”. Mas ainda assim fiz pequenas alterações para ajustar as proporções. Fiz apenas metade da quantidade indicada de massa e rendeu duas tortas de 20cm, sendo que a metade da massa ficou embrulhada na geladeira e só foi usada 3 dias depois. Já pra o recheio precisei usar uma receita inteira em apenas uma tortinha. É que gosto das minhas tortas beeem recheadas.
Na receita abaixo eu deixo a sugestão de fazer o mesmo, guarde metade da massa e faça outra torta, fresquinha alguns dias depois. E não esqueça de deixar um pote de sorvete no freezer, ele é o melhor acompanhamento pra essa sobremesa!
torta banana caramelada ptTorta de banana caramelada
xícara de 240ml

Massa:
1 1/4 xícara de farinha de trigo
100g de manteiga gelada em cubinhos
1/3 xícara de açúcar
1/2 colher sopa de fermento em pó
1/2 ovo*

* para medir meio ovo quebre-o em uma tigelinha e misture apenas o suficiente para ficar homogêneo. Então é só medir metade da mistura. O restante dá pra fazer ovo mexido muito bom daqui.

Misture todos os ingredientes secos. Acrescente a manteiga e vá esfarelando os cubinhos para formar uma farofa. Por último junte o ovo e misture apenas até que forme uma bola de massa. Não sove ou misture demais para não ficar uma massa elástica.
Separe metade e guarde na geladeira, embrulhada em filme plástico por até 3 dias. A outra metade deixe descansar na geladeira por cerca de 20minutos.

Cubra o fundo e as laterais de uma forma (prefiro de fundo removível) de 20cm com a massa descansada. Fure toda a massa, laterais inclusive, e volte pra geladeira até o momento de usar.
torta banana caramelada fbRecheio:

3 xícaras de bananas cortadas em meia lua – usei a prata
5 colheres sopa de açúcar
30g de manteiga
canela a gosto

Em uma panelinha junte a manteiga e o açúcar e leve ao fogo baixo até que o açúcar derreta. Junte as bananas e deixe cozinhando em fogo baixo até que elas tenham começado a cozinhar e não haja mais líquido no fundo da panela. Desligue o fogo e deixe esfriar antes de usar.

Montagem:

Transfira as bananas e o caramelo para a forma com a massa e leve ao forno a 180° até que as laterais da massa fiquem douradas. Sirva quentinha, pura ou com uma bola de sorvete.

Salvar

Bolo de menta com chocolate

Uma das melhores (na minha opinião) combinações de sabores em forma de bolo! E o melhor, em forma de bolo fofinho e com uma cor linda! E o melhor do melhor: sem adição de essências totalmente sintetizadas em laboratório. O gosto de menta vindo direto da planta mesmo!
bolo de menta com chocolate 2Essa receita é mais uma que veio do Projeto Banquete e, como a redução de balsâmico, é uma delícia! A única alteração eu nem sei bem se conta como alteração. No original parece que foi usada hortelã e eu usei menta.

(pausa pra jardinagem: menta e hortelã são meio que primas, de sabor e forma bem parecidos, mas não são exatamente a mesma planta. Normalmente você consegue substituir uma pela outra em qualquer receita e tudo bem. Curiosos cliquem aqui)

Tirando a dúvida menta X hortelã, a única diferença é que no Projeto Banquete o bolo era de festa e ganhou recheio e coberturas, que eu ainda quero provar. Já aqui em casa era bolo pro café e fomos só de calda de chocolate bem da básica mesmo. Aliás, calda que é um truque ótimo pra dar um tchan em qualquer bolo, e melhor amiga do bolo de cenoura aqui em casa.
bolo de menta com chocolateBolo de menta – original aqui
xícara 240ml

1 xícara de farinha
1 xícara de açúcar
3 ovos
⅓ xícara de óleo vegetal
raspas de ½ limão
suco de ½ limão
½ xícara de folhas de menta*
½ colher sopa de fermento químico
50g de chocolate meio amargo picado

* para medir a meia xícara: descarte os galhos e pressione as folhas na xícara até chegar a medida. Sem a pressão da mão parece que é mais, mas é assim mesmo.

Unte e enfarinhe um forma de 20cm de diâmetro e ligue o forno a 180° pra ir aquecendo.
Em uma vasilha peneire a farinha e o açúcar e reserve. No liquidificador bata os ovos, o óleo, as raspas e o suco do limão e as folhas de menta. Quando estiver uma mistura homogênea verta sobre a farinha e o açúcar. Misture delicadamente até incorporar todos os ingredientes. Adicione o fermento e misture apenas um pouco.

Agora, pra adicionar o chocolate existem alguns truques para que ele não fique todo no fundo do bolo, mas nenhum nunca funcionou comigo. Essa receita fala pra colocar um pouco da massa na forma, depois colocar o chocolate no restante da massa, misturar e transferir para a forma. Eu fiz e alguns pedaços realmente não afundaram, mas a maioria sim. De qualquer forma, o bolo fica bom.

Com a massa na forma é só levar ao forno, que já vai estar quente, por cerca de 40-50min, até que passe no teste do palito. Espere amornar antes de desenformar.

Calda de chocolate – original com a minha mãe…

3 colheres sopa de manteiga sem sal
3 colheres sopa de açúcar refinado
3 colheres sopa de chocolate em pó – 50%
9 colheres sopa de leite integral

É só misturar tudo e levar ao fogo até começar a engrossar. Não chega a atingir ponto de fio, só começa a engrossar mesmo. Use ainda quente que depois de fria ela engrossa mais.

Salvar

Torta de Liquidificador

Torta com a massa feita no liquidificador e o recheio ao gosto dx freguês. Eis mais uma receita da família. Essa também tá nos cadernos desde que me entendo de gente, tendo chegado aqui em casa através de uma madrinha minha. Também é uma receita com poucas modificações ao longo do tempo…

Só retirei os temperos prontos, coisa que não aparece mais na cozinha de casa. E realmente não fazem falta já que o recheio é o maior encarregado de dar o sabor ao prato. A massa só leva sal quando o recheio é mais simples, como no caso do queijo minas. Já na torta recheada com linguiça toscana a massa foi sem sal nenhum.
Aliás, o queijo foi uma ótima descoberta. Uma torta leve, e que recebe bem vários tipos de tempero. E vários tipos de queijo também. Dá até pra fazer uma torta a 3-4-5-etc queijos.
Já o recheio de linguiça toscana eu meio que passo a receita abaixo. Mas não se preocupem muito, foi uma coisa meio feita de olho, sem medidas exatas. E claro, vale trocar pelo recheio que tiver na geladeira, ou pelo que for agradar aos convidados!
torta de liquidificadorTorta de Liquidificador
xícara de 240ml

2 1/2 xícaras de farinha de trigo
4 ovos
1 cebola grande
180ml de óleo
2 colheres sopa de fermento
cerca de 300ml de leite
sal – se o recheio não tiver

recheio da sua escolha

Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador, exceto o fermento. Vá acrescentando o leite aos poucos. A massa não deve ficar muito líquida, mas o liquidificador não vai dar conta se ficar muito pesada. Coloque o fermento por último e bata apenas o suficiente para misturar.

Em uma forma, ou forminhas individuais, untada(s) coloque metade da massa, o recheio (já frio) e depois o restante da massa. Se quiser vale passar a colher levemente pra misturar um pouco o recheio com a cobertura de massa.
Leve ao forno já aquecido a 180° até que doure.
torta de liquidificador 2Para o recheio de linguiça toscana (não tem medida…)

Desmanche a linguiça retirando a carne da tripa (ou do invólucro que for) mas sem desmanchar muito os pedaços.
Refogue cebola e alho em óleo quente até que dourem e acrescente a linguiça desmanchada. Acrescente um “punhadinho” (meia colher de chá mais ou menos) de erva doce se gostar, e refogue até a linguiça cozinhar bem.
Junte um pouco de tomate em lata e deixe no fogo baixo até secar, para o recheio não ficar muito líquido. Só depois que tiver secado o excesso de líquido prove e acerte o sal.  Espere esfriar antes de usar.

 

Salvar

Nuvem de melancia

Espuma de melancia é mais uma receita de família, embora essa eu nunca tenha provado antes. Sabe aqueles cadernos cheeios de receitas anotadas ao longo de décadas? Essa tava perdida no meio de um caderno desses de uma outra tia minha, perdendo audiência pra outras receitas mais famosas.

Uma pena, já que a receita é uma delícia! Surpreendentemente com gosto de melancia de verdade! Eu coloquei algumas alterações, como de praxe, principalmente pra balancear o sabor e a consistência. Mas a ideia principal da receita continua a mesma.
E o modo de preparo não foi mudado em nada: bater tudo no liquidificador e levar a geladeira. Dá pra querer coisa mais fácil?

Dessa vez usei tacinhas individuais, mas também vale colocar em uma travessa bonita e deixar cada um se servir.
espuma de melancia 1Nuvem de Melancia
xícara de 240ml

500ml de leite de melancia
1 lata de creme de leite – sem soro
1 1/2 xícara de açúcar
24g de gelatina em pó sem sabor

Hidrate a gelatina conforme as instruções da embalagem. Bata todos os outros ingredientes no liquidificador até que a mistura fique homogênea. Ainda batendo acrescente a gelatina e bata mais um minuto.
Transfira para tacinhas individuais ou para uma travessa e leva à geladeira por uma noite para firmar.

Salvar

Chocolate quente básico

Tá chegando a temporada de frio e, pra mim, uma das melhores partes dela: os chocolates quentes e suas variações!!! E como a ideia é mostrar vários jeitos de transformar o chocolate quente tradicional, melhor começar mostrando como fazer o chocolate né?

Essa receita começou com um vídeo antiiiigo do Jamie Oliver, especial de natal que vi anos atrás no GNT. Não tenho mais aquela receita mas fui adaptando a cada inverno e cheguei nessa aqui.

Não espere canela, especiarias ou muitos sabores especiais. Essa é a base, só o chocolate mesmo, e mais alguns truques claro. Mas os sabores especiais a gente coloca depois. Por isso mesmo essa receita é boa pra quando você vai receber um monte de gente. Vai que tem alguém que não gosta de canela? Ou não suporta conhaque?
Vale algumas notas: Não se preocupe com o amido de milho, ele não empelota na hora de fazer o chocolate. O bicarbonato serve pra dar aquela espuminha e é tão pouco que não altera o sabor. Outro que é só um pouquinho é o café (a ideia não é fazer um cappuccino) só pra realçar ainda mais o chocolate.

Pra quem gosta das misturebas, é só esperar pelo inverno que a gente vai mostrar várias delas.

Chocolate quente – a base
colheres medida padrão

50g de chocolate meio amargo
4 colheres sopa de açúcar refinado
3 colheres sopa de leite em pó
2 colheres sopa de chocolate em pó 50%*
1 colher sopa de amido de milho
2 colheres chá de pó de café instantâneo
1/2 colher chá de bicarbonato

Rale o chocolate em barra no ralo médio. Depois misture tudo. Guarde em um vidro bem fechado, de preferência com tampa hermética para não entrar nenhuma molécula de água e empedrar a coisa toda.
Pra usar é só misturar um pouco com água ou, preferencialmente, leite quente.

* Pra quem quiser usar o cacau puro: se quiser o mesmo sabor altere o cacau para 1 colher de sopa e o açúcar para 5 colheres. Se quiser algo menos doce mantenha as proporções.

Salvar

Frango empanado na cerveja

Isso mesmo, pedacinhos bem temperados de frango empanados em uma massa super crocante feita com cerveja! Bom demais né? E se você for mais espertx que eu e picar o frango em pedaços pequeno, é até rápido de ser feito.

A massa é feita em 1 minuto, e o tempero do frango é express, mas como eu piquei pedaços grandes, fiquei com medo de o frango acabar cru se a gordura estivesse muito quente. Resultado foi mais de 40 minutos até fritar tudo. Por isso, pique em pedaços pequenos, assim a gordura pode ser mais quente e além de mais rápido o prato ficará menos encharcado. Aliás, dica pra vida: gordura quente evita que o alimento encharque.
A receita veio do Camila na Cozinha e não alterei em nada os ingredientes. Na hora do preparo eu usei uma pinça no lugar da colher para recolher o frango da massa. Isso acaba deixando o empanado mais fino e um pouco mais crocante, mas a massa acaba rendendo mais também. Assim, enquanto a receita dela era pra 200g de frango, aqui eu usei 600g e ainda sobrou massa o suficiente para os os outros 400g. Por isso na receita abaixo está 1kg inteiro de peito de frango.

Para quem não quiser tudo isso de frango, ou para os vegetarianos:imagino que couve-flor empanada nessa massa fique divino. Anéis de cebola também. Experimentem!
frango empanado na cervejaFrango empanado na cerveja – original aqui
xícara de 240ml

1kg de peito de frango
sal e páprica picante a gosto – para o frango
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher sopa de amido de milho
1/2 colher chá de açúcar refinado
1 colher chá de sal
1 lata 350ml de cerveja
óleo para fritar

Pique o frango em cubinhos, quanto menor mais rápido e ser feito e maior o efeito pipoca. Tempere o frango com o sal e a páprica, ou os temperos que você preferir. Em uma vasilha misture os demais ingredientes, formando a massa para empanar. Se ficarem alguns grumos na massa um fouet ou um garfo devem resolver.

Esquente uma panela com uns 3 dedos de óleo. Passe cada pedaço de frango na massa até que esteja todo coberto e frite no óleo quente. Não frite muitos de uma vez porque senão o óleo esfria e aí o frango encharca. Depois é só servir.

PS: caso sobre guarde em um pote fechado fora da geladeira, até o dia seguinte no máximo; não vai ficar crocante mas fica bem melhor do que se esquentar depois.

PS2: fica uma delícia servido com essa redução de balsâmico.

Panquecas de iogurte

Sabe quando o universo conspira? Então, conspirou pra essas panquecas de iogurte. Eu vi no canal em que foram publicadas. Depois vi numa lista de links da semana. E aí sobrou um copo de iogurte natural na geladeira, coisa não muito frequente de acontecer por aqui. Precisava fazer. Vocês entendem né? Além do fato de eu ter ficado com água na boca quando vi o vídeo, o Universo em pessoa tava mandando eu fazer!! rs

(como se por aqui a gente precisasse mesmo de desculpa pra fazer panqueca… até parece….)

Enfim, tô agradecendo ao Universo (e a Dani) até agora pq as panquecas são deliciosas! Super macias, e com um sabor incrível… cortesia das raspas de laranja.
Eu servi com uma colherada de mel e mais algumas raspas de laranja, mas aí vai do gosto de cada um. Na verdade eu comi uma pura também, algumas horas depois, e ainda estava ótima.

Quanto a mudanças na receita foram só duas e ambas resultado de eu ter “meiado” a receita: no lugar de raspas de meia laranja acabei raspando uma inteira, então usei metade na massa e metade pra servir; e no lugar de 2,5 colheres de açúcar coloquei 3, por pura preguiça de trocar a colher (vergonha de confessar isso agora). Ah sim…  meia receita, que é o que tá descrito aí embaixo, rendeu 8 panquecas do tamanho de um pires. Não, eu não sei o tamanho do pires na sua casa, mas deu pra ter uma ideia né?
panqueca de iogurtePanquecas de iogurte – original aqui
xícara de 240ml

1 copo de iogurte natural (170g) – usei desnatado
75ml de leite
1 xícara de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento químico
1/2 colher chá de bicarbonato de sódio
1 ovo
50g de manteiga sem sal
3 colheres sopa de açúcar refinado
raspas de meia laranja
manteiga para a frigideira

Derreta a manteiga e deixe amornando, ela não pode estar quente quando for usar.
Em uma vasilha peneire a farinha e junte o iogurte e o leite e misture bem. Nessas horas é bom usar um fouet pra evitar os grumos de forma mais fácil. Junte o ovo e depois que ele estiver incorporado acrescente a manteiga. Quando a massa estiver homogênea junte o fermento e o bicarbonato. Por último acrescente o açúcar e as raspas.

Daí é só colocar um pouquinho de manteiga em uma frigideira e ir fritando colheradas (conchadas existe?) de massa. quando a massa começar a dourar dos lados e formar bolhas em cima é que tá na hora de virar. Só não deixe o fogo muito alto pra não correr o risco de ela queimar por baixo e estar crua por cima ainda.
Sirva com mel, raspas, calda, o que vier a mente.

Pudim/bolo de pão

Existem dois tipos de pudim de pão (e eu amo muito os dois). Tem o pudim mais tradicional, assado em banho maria, e que fica parecendo o pudim de leite condensado… E tem esse pudim que é pudim só no nome já que é assado como um bolo e fica mais sequinho por fora e super úmido por dentro.

pra acompanhar a receita da minha infância vamos e jogo de chá que tem a minha idade...

Para acompanhar a receita da minha infância vamos de jogo de chá que tem a minha idade…

Essa é daquelas receitas de mãe, com medidas de mãe (que foram convertidas, pode deixar) e nas quais a gente não mexe de jeito nenhum. Lembro desse pudim desde sempre, teve época que ficou parecendo mais bolo, teve época que andou meio sumido… Mas volta e meia a gente redescobre ele. Principalmente quando tá sobrando pão no congelador. É que pão velho aqui a gente congela, pra depois fazer torrada… ou pudim de pão!

Como disse, não mexi em nada na receita além de ter convertido as medidas caseiras para as medidas padrão. E tem a canela, ela é opcional. Dessa vez eu só polvilhei por cima, mas também fica uma delícia de colocar direto na massa. E pra quem não gosta dá pra fazer sem que também fica ótimo! Só não esquece de fazer um café pra acompanhar, tirar uma foto e mandar pra nossa fanpage ou marcar a gente (@cozinharoman) no instagram!
pudim de pao 1Pudim-bolo de pão
xícara de 240ml

3-4 pães velhos – pode ser congelado
cerca de 500ml de leite
3 ovos
3/4 xícara de açúcar
1/2 colher sopa de fermento em pó
canela – opcional

Bata tudo, exceto o fermento, no liquidificador até que fique homogêneo. Transfira para uma forma de 15x30cm, untada. Cubra com mais um pouco de canela. Asse em forno já aquecido a 200° por cerca de 1h, até que doure.
pudim de pao 2