Pão de tomate, com ou sem fermento natural

Pão de tomate caseiro, ideal para fazer aquele mega sanduíche! E sim, feito com molho de tomate mesmo!!
pão de tomate

Esse pão apareceu como uma grande opção para adicionar sabores a mais em qualquer sanduíche. Mas eu acabei mudando um bocado a receita… É que a original leva manjericão, e queijo, e usa fermento seco… E eu não usei nada disso! Mas vamos aos poucos. Troquei o manjericão por orégano porque acho mais universal. É bem mais fácil ter em casa o orégano fresco do que o manjericão fresco. Mas use a erva que quiser!

Já fiz um pão com chimichurri e ficou bem bom então vá com seu tempero favorito.

Tirei o queijo porque queria uma massa leve, e ainda acho que fica melhor sem o queijo. Deixa ele pro recheio do sanduíche… E ainda coloquei coloral! É que a receita pede molho E extrato de tomate. Imagino que o extrato auxilie na cor e no sabor. Só que por aqui não usamos nenhum dos dois. O molho que tomate daqui é a passata, que é basicamente tomate triturado, sem nenhum tempero. Pra quem usa molho de latinha dá pra adaptar. Dilua 2 partes de molho para 1 de água, sendo o total a medida pedida na receita. E use o coloral apenas se perceber que a massa está muito clara quando for sovar. Ou bata tomates no liquidificador até obter a medida pedida na receita, e acrescente o coloral normalmente.
pão de tomate

Por último a maior mudança de todas: o fermento. Eu usei fermentação natural, porque é assim que faço pão toda semana aqui em casa. Pra quem quiser começar dá pra ver todo o processo nesse link. Pra quem prefere usar o fermento de pacotinho dá pra substituir. Tem um texto mais completo aqui, ensinando a conta que se faz pra essas substituições. Mas pra receita de hoje é só usar 15g de fermento biológico seco. E não esqueça que, nesse caso, os tempos de crescimento mudam: a esponja pode descansar cerca de 4h, e a massa sovada por 1-2h no máximo.
pão de tomate

Pão de tomate – original aqui

3/4 xícara de molho de tomate*
3/4 xícara de fermento natural* – cerca de 180g
3/4 xícara de farinha de trigo
1 colher sopa de orégano
3 colheres sopa de azeite
1 colher sopa de sal
2 colheres chá de coloral – opcional
2 colheres sopa de açúcar
cera de 2 xícaras de farinha de trigo

*mais detalhes, e como substituir, tão no texto acima

Primeiro faça a esponja: Misture o molho de tomate com o fermento e os 3/4 de xícara de farinha. Misture até ficar homogêneo e deixe descansar por 12h em uma vasilha tampada. Fora da geladeira.

Escolha uma panela com tampa que possa ir ao forno e cubra o fundo com fubá. Misture os demais ingredientes na esponja (que deve ter formado bolhas), deixando a farinha por último. Vá sovando a massa enquanto acrescenta a farinha; talvez não precise de tudo, talvez precise de mais. Quando conseguir uma massa lisa e bem elástica modele o pão. Para um pão redondo gire a massa na bancada criando tensão na parte de baixo. Transfira para a panela, tampe, e deixe descansar por cerca de 6-8h.

Asse em forno já aquecido a 230C, com a panela tampada nos primeiros 30min. Depois desse tempo destampe a panela e deixe seu pão de tomate no forno até dourar.

————————–
Em 2014: Pão simples
Em 2015: Suco mega rosa

Salvar

Salvar

Pão integral de amendoim com fermentação natural

Pão integral de amendoim, por razões de tem amendoim pra caramba nessa casa!
pão integral de amendoim

A verdade é que eu planejei um mega especial junino e fiz um pequeno estoque de amendoim… E aí a vida veio e disse: nãããão. E agora temos bastante amendoim em casa. O que fazer? Isso mesmo, correr no caderninho de “receitas a experimentar” e achar esse maravilhoso pão integral de amendoim lá no GoriaHuk!

A original já parecia ótima? Já. Mudei a receita mesmo assim porque não tenho juízo? Com certeza! Primeiro que usei fermentação natural, e isso acaba alterando um pouco tempos de preparo, quantidade de farinha…esse tipo de coisa. Outra que troquei a manteiga por mais amendoim. É que eu queria bastante gosto de amendoim. E aí veio a terceira mudança: recheio de pasta de amendoim!

Pra quem quer um pão simples e com gosto suave de amendoim é só seguir a receita e não rechear. Pra quem quer um pão simples mas com bastante gosto de amendoim dobre a quantidade de pasta usada na massa. Ou siga a receita como está abaixo para uma massa suave e um recheio gostoso. E eu também aconselharia um pouco mais de sal na massa caso sua pasta/manteiga seja completamente sem sal.

pão integral de amendoim

Pão integral de amendoim – original aqui

1 xícara de leite
1 xícara de farinha integral
45g de fermento levain* – receita aqui
1 ovo
3 colheres sopa de pasta de amendoim*
1 colher sopa de açúcar mascavo
1/2 colher chá de sal
cerca de 2 xícaras de farinha de trigo branca
pasta de amendoim pra rechear**

*Para substituições de fermento tem todas as equivalências nesse link

**Eu usei uma pasta caseira que consiste em basicamente processar amendoim torrado, uma pitada de açúcar e outra de sal (sem medidas exatas mas seguindo meu gosto) até virar uma pasta. Dá pra usar compradas prontas? Claro que sim!

Junte o fermento com o leite e a farinha integral e misture até fica homogêneo. Tampe e deixe descansar por cerca de 12h.
Adicione o açúcar, o ovo e a pasta de amendoim e misture bem. Vá colocando a farinha aos poucos e assim que conseguir comece a sovar a massa. Nesse ponto junte o sal. Talvez você não precise usar toda a farinha, isso vai depender de vários fatores. Sove a massa até atingir o ponto de véu: quanto você estica um pedaço de massa e ele começar a ficar transparente antes de rasgar.

Deixe a massa descansar mais 4-6h, até que ao apertar um dedo ela volte. Divida em 8-10 partes e modele. Se quiser rechear abra um quadrado com cada parte e passe um pouco do recheio e então enrole. Transfira ara uma forma untada e deixe descansar mais 1h. Ligue o forno a 230° e faça os cortes no topo de cada pãozinho. Espere cerca de 10min, para o forno esquentar e o pão começar a abrir no corte, e então leve para assar por cerca de 30min.
pão integral de amendoim

——————————
Em 2015: Vinho quente

Salvar

Salvar

Pizza Sourdough – massas de fermento vivo

Pizza Sourdough de muçarela é só um pizza de queijo, feita com massa caseira. Com fermento natural. Mais fácil do que tá parecendo….
pizza sourdough

Eu descobri, meio que tarde demais, que a massa de pizza sourdough é uma das receitas mais fáceis de fazer com o levain. E por isso mesmo ideal pra quem tá começando a mexer com fermentação natural. Ao contrário do pão, que esperamos que cresça lindamente formando alvéolos incríveis, a massa de pizza não tem que inflar. Na verdade a gente não quer que ela infle de jeito nenhum!

Tudo que precisa é tempo, o fermento vivo é meio lentinho, e vontade de comer pizza. Sério. Dá pra fazer em pedras próprias e dá pra fazer em formas de alumínio como a da foto. Na verdade o primeiro teste da receita foi feito em uma assadeira retangular, também de alumínio, que deve ter a minha idade… E deu tudo certo. O forno precisa atingir o mínimo de 230C, mas isso a maioria dos fornos caseiros consegue sem esforço. E é só isso mesmo. O recheio pode variar, a espessura da massa pode variar… tá tranquilo.

O resultado pode ser uma massa fininha e crocante ou mais gordinha e macia, isso só vai depender da quantidade de massa que você usar. Os ingredientes abaixo são o suficiente para uma pizza de 35cm de massa fina. Então é só aumentar ou diminuir conforme o seu gosto.
pizza sourdough

Pizza Sourdough – original aqui

1/2 xícara de fermento natural
1/2 xícara de água
1 1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher chá de sal

Misture o fermento com a água e meia xícara de farinha e deixe descansar em uma vasilha tampada por 12 horas.
Junte o restante da farinha e amasse até que incorpore totalmente na massa. Deixe descansar mais 30minutos.
Finalmente junte o sal e sove a massa até que fique coesa. Deixe descansando até que dobre de tamanho. Nesse ponto a massa já está pronta para ir ao forno. Se você só quiser fazer sua pizza mais tarde pode deixa-la na geladeira (na vasilha tampada) por umas 2-3h.
Dependendo da forma/pedra usada você pode não precisar untar, na dúvida unte com óleo. Estique a massa com as pontas dos dedos até cobrir o fundo da forma. Deixe descansando mais uns 30min, para garantir que a massa não vai encolher. Recheie como preferir (usei molho de tomate, muçarela e orégano, só) e asse em forno aquecido a 230C.

pizza sourdough

——————————
Em 2015: Chocolate quente básico

Salvar

Salvar

Salvar

Pão de chocolate, simples assim

Pão de chocolate que não é um pão recheado com chocolate, não é um pão coberto com chocolate, não é um pseudo-panetone pão com gotas de chocolate. É a massa do pão que é de chocolate mesmo!!
pão de chocolate, trançado com 4 pontas

A receita é minha, fruto de um monte de testes que tenho feito com o fermento natural, e o resultado me surpreendeu bastante. A ideia veio de um pão de chocolate comprado em padaria que só tinha chocolate na cor e no nome. Sabor de nada. Fiquei pensando se não daria pra fazer um pão que realmente tivesse sabor de chocolate. O resultado é esse pão mega macio, com sabor suave de bolo de chocolate e textura que me lembra um brioche mais pesado. Com uma surpresa: recém saído do forno ele tem a massa meio úmida, parecendo que embatumada em excesso. Mas assim que esfriar a massa termina e secar mas mantém a maciez. Muito bom!

Os ingredientes são bem simples de encontrar, talvez com exceção da nata, mas ainda assim valem algumas notas:

O fermento que usei foi o levain, fermento natural que cultivo em casa. Se você quiser usar o fermento biológico fresco use 30g, se preferir o biológico seco (aquele do pacotinho) use 10g. Esses fermentos crescem a massa muito mais rápido que o levain, então seu pão vai ficar pronto bem mais rápido. A má notícia é que eu não consigo calcular exatamente quando. Espere a massa dobrar de volume no primeiro crescimento, e dê pelo menos uns 40min pra ela no segundo.

A nata pode ser complicada pra maioria das pessoas encontrarem. Se você não tiver o hábito de, cada vez que alguém ferver leite, congelar cada bocadinho de nata que surge  (pra fazer rosquinhas), vale usar outro tipo de gordura. O creme de leite fresco pode ser usado na mesma quantidade mas talvez você precise usar mais farinha para conseguir modelar a massa. Tente não usar muito mais farinha para que o pão não fique muito pesado. Também dá pra usar manteiga, com a mesma quantidade a textura da massa não deve mudar muito, embora o sabor não fique tão rico. (vai continuar gostoso no entanto, prometo!)

Por último o chocolate. Eu uso um chocolate 50% que é apenas cacau e açúcar misturados. Se você não tem certeza do que tem o seu chocolate em pó e prefere usar cacau não tem problema. Das 4 colheres de chocolate transforme duas em cacau e duas em açúcar e pronto. Se você quiser usar achocolatado eu não me responsabilizo por quão doce o seu pão vai ficar. Mas ó, o pão é seu não é? Use o que te deixar feliz!
pão de chocolate, trançado com 4 pontas

Pão de chocolate

150g de fermento natural
75g nata
8 colheres sopa de açúcar
1 ovo
4 colheres sopa de chocolate em pó 50%
4 colheres sopa de água gelada
cerca de 2 1/2 xícaras de farinha de trigo

*** tem um monte de poréns e dicas e substituições pros ingredientes. Era tanta coisa que deixei no texto acima invés de colocar aqui***

Misture todos os ingredientes, exceto a farinha, até ficar homogêneo. Vá acrescentando a farinha e amassando bem. Sove a massa até ela ficar macia e a farinha acabar.
Deixe a massa descansar em uma vasilha fechada por cerca de 6-8h.

Prepare a forma em que for assar forrando com papel manteiga e untando o papel manteiga. Usando bem pouca farinha para que a massa não grude (nem em você nem na bancada) divida a massa e trance. Ou modele como você quiser.
Transfira o pão para a forma preparada e tampe. Aqui vale tampa, filme plástico, até sacola plástica pregada com fita crepe. O importante é tampar para que a massa não resseque. Deixe descansar mais 10-12h.

Enquanto o forno aquece cubra o pão com açúcar cristal. Asse no forno aquecido a 230°. Fica complicado falar dourar porque a massa já é escura, mas por aqui, trançado demorou cerca de 30min. Se tiver um termômetro pra conferir é por volta dos 92° que el tá pronto. Também vale conferir com um palito igual bolo.
pão de chocolate, trançado com 4 pontas

—————————–

Em 2016: Massa Sablé

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão doce de laranja, com fermentação natural

Pão doce simples, com fermentação natural, casquinha crocante de açúcar e um baita aroma de laranja!
pão doce de laranja partido e fatia

O pão caseiro virou rotina aqui em casa já tem uns meses. Desde que comecei a cultivar o levain duas vezes por semana sai pão do forno. Na maior parte das vezes é o pão salgado simples, as vezes temperado com cebola ou ervas, na maioria das vezes só com sal e azeite. Mas vez em quando é bom quebrar a rotina né?

Assim comecei a tentar transformar a minha receita básica num pão doce simples. Seguindo a lógica de poucos ingredientes e procedimento fácil mas com resultado mais leve do que o do pão salgado. E cheguei na receita de hoje. O açúcar é o suficiente pra deixar a massa levemente doce, mas nada parecido com uma sobremesa; esse ainda é um pão mais neutro. Já o ovo dá umidade para a massa, que fica parecendo mais com o pão doce do que com a baguete. E a laranja é porque eu amo aroma de laranja mesmo.
Dá pra trocar a laranja por limão ou tangerina? Dá. Dá pra trocar por algum outro aromatizante como sementes de erva doce? Dá e fica uma delícia. É só usar a base e saborizar como quiser!

Pão doce de laranja

1 xícara de fermento natural*
2 xícaras de farinha de trigo + para a segunda sova
1/4 xícara de água
1 ovo
1 xícara de açúcar
raspas de uma laranja
1 pitada de sal
leite e açúcar cristal pra finalizar

*dá pra trocar por 7g de fermento biológico seco, mas aí os tempos de crescimento mudam radicalmente, então é melhor definir tempos pela aparência da massa.

Misture metade do açúcar com o fermento, o ovo e a água. Adicione metade da farinha e só então acrescente o sal. Vá sovando a massa e acrescentando o restante da farinha, até ela estar macia e elástica. Deixe a massa descansar cerca de 6 horas, em uma vasilha tampada.
Abra a massa ligeiramente, com as mãos mesmo, e acrescente a outra metade do açúcar e as raspas. Sove a massa até que esteja macia e formando bolhas, provavelmente vai precisar de mais farinha para que a massa não fique muito mole*. Modele o pão e transfira para uma forma untada. Tampe, mesmo que na gambiarra, e deixe descansar mais umas 8h.
Deixe o forno aquecendo a 230° enquanto finaliza o pão: pincele com leite e polvilhe açúcar cristal. Asse até que doure. Deixe pra guardar só quando estiver completamente frio.

*Eu tenho uma certa dificuldade em fazer o pão com fermentação natural manter a forma; então eu sempre deixo a massa mais firme do que me pareceria o certo para que ela não desmonte.

——————————-
Em 2015: Limonada de festa

Salvar

Pão de ervas

Pão natural de ervas, ou como transformar aquele pãozinho caseiro de sempre.

Já tem um tempo que o pão natural tem dado as caras aqui em casa, tanto que agora temos até dois potes de fermento vivo! Mas chega uma hora que a mesma receita toda semana começa a cansar né? E tem jeitos muito fáceis de dar uma animada no pão de sempre sem fugir muito da proposta do pão natural.

(Pra quem tá em dúvida o tal pão natural é o pão mais simples de todos: farinha, água, fermento vivo, e com isso já dá pra fazer o pão. Eu ainda uso uma pitada de sal e um fio de azeite pra acrescentar sabor, mas isso é opcional. Esse tipo de pão é considerado mais saudável porque não tem muita gordura e nenhum aditivo químico bizarro, tipo o brometo que o pãozinho de padaria as vezes (quase sempre) tem.)

O jeito mais fácil de fugir do mesmo sabor sempre é com saborizantes simples, como o de hoje: ervas! Só combinando diferentes ervas dá pra ter um pão diferente a cada semana! O de hoje teve alecrim, orégano fresco e hortelã em quantidades iguais. Mas dá pra usar orégano seco? Dá! Dá pra usar só alecrim? Dá. Dá pra fazer o que quiser! Pega as ervas que você tiver na hortinha, ou compra as suas favoritas na feira e pronto!

PS: não tem fermento vivo? Aqui eu te conto como fiz o meu, com passo a passo e tudo!
PS2: quer usar fermento biológico dos comprados prontos? Aqui tem as proporções pra substituir um pelo outro.

Pão de ervas

3/4 xícara de fermento natural
1/2 xícara de água
1/2 colher chá de sal
1 fio de azeite
4 colheres sopa de ervas picadas
cerca de 2 xícaras de farinha de trigo*

*vale usar parte integral parte branca, na proporção desejada, ou usar apenas farinha branca

Misture todos os ingredientes, deixando o sal e a farinha por último. Vá acrescentando a farinha aos poucos enquanto vi sovando a massa; e o sal quando já tiver um pouco de farinha na massa. Sove até a massa tingir o ponto de véu: quando você pega um pouco de massa e estica e ela fica quase transparente, tipo um véu, sem rasgar. Talvez não precise usar toda a farinha e talvez precise um pouco mais, mas tente não adicionar muito mais enquanto sova para que o pão não fique muito pesado.

Deixe descansando em uma vasilha tampada até que dobre de volume. Em um dia quente e com sol costuma demorar umas 2h. Enfarinhe levemente a bancada e modele o pão: retire todo o ar da massa apertando com as pontas dos dedos e enrole. Cubra o pão com farinha, formando uma camada fina em volta dele e transfira para uma panela untada com azeite. Ou uma forma que tenha como ser tampada.

Deixe crescer novamente até que dobre de volume de novo, nas mesmas condições cerca de 2h de novo. 15 minutos antes de colocar no forno faça os cortes com uma faca afiada, cada corte deve ter cerca de 1-2cm de profundidade. Aqueça o forno a 250º e coloque o pão pra assar tampado, por cerca de 30min. Destampe e deixe no forno até que doure completamente.

O ideal é deixar que ele esfrie em uma grade para que não sue nem murche. Pra quem não tem grade própria pra isso vale deixar na própria grade do fogão.

——————————
Em 2015: Bolo de coco de festa

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão natural de Cebola

Pão caseiro, feito com fermento natural e temperado com cebola!

As experimentações com o fermento natural continuam e dessa vez o diferencial fica por conta do tempero! A ideia dessa receita pode ser modificada com as ervas/especiarias favoritas de quem for comer, mas é sempre bom ter atenção pra textura do tempero. Pique tudo em pedacinhos bem pequenos pra sumirem no pão e funcionarem apenas como tempero mesmo, ou deixe grande ciente da mudança na textura.

A outra grande diferença é a dupla fermentação. Normalmente eu deixo o pão crescer apenas uma vez, já na panela em que será assado e pronto, forno. Dessa vez fiz duas fermentações longas e a mudança foi gritante! A massa do pão ficou bem mais fofa e com uma textura bem mais elástica. Demora mas vale muito a pena! Uma última dica antes de ir direto pra receita: pra quem prefere fazer o corte ao longo do pão, faça logo antes de ir pro forno e experimente pingar umas gotinhas de óleo/azeite no corte.

Pão natural de cebola

1 cebola pequena em cubinhos
3 dentes de alho amassado
1 colher sopa de grãos de mostarda
1/2 xícara de água
1 xícara de fermento natural – daqui
1/4 colher chá de sal
1 colher sopa de açúcar
azeite
cerca de 2 xícaras de farinha de trigo

Em uma frigideira esquente um fio de azeite e refogue a cebola; quando ela começar a dourar acrescente o alho e a mostarda e mexa até que dourem. Deixe esfriar antes de usar. Em uma vasilha misture o fermento natural com a água e o açúcar até dissolver bem. Acrescente uma xícara de farinha e misture até incorporar. Só então junte o sal, assim ele não atrapalha o fermento.

Vá acrescentando o restante da farinha e sovando a massa, em uma bancada se for mais fácil. Tente não usar farinha demais, apenas o suficiente para que a massa fique coesa e lisa. Sove por pelo menos uns 15 minutos para desenvolver bem o glúten da farinha. (com uma batedeira potente isso pode ser bem mais rápido)

Unte uma vasilha com azeite, transfira a massa para ela e tampe. Se a vasilha escolhida não tiver tampa vale usar filme plástico. Deixe crescer até que dobre de tamanho, dessa vez estava um dia nublado com 20° e demorou cerca de 6h.

Transfira a massa da vasilha para uma bancada e amasse para retirar todo o ar formado. Sove a massa fazendo dobras: amasse até abrir a massa ligeiramente e dobre várias vezes e então amasse novamente. Repita esse processo algumas vezes e então modele o pão. Eu gosto e apenas fazer uma bola alta com as pontas da massa voltadas para baixo. E transfira para uma panela* untada. Tampe e deixe crescer novamente até dobrar de tamanho. Ou como eu faço: deixo dormir a noite (8h) no forno desligado e asso pela manhã.

Passado o tempo aqueça o forno a 250° e asse por 30min com a panela* tampada. Retire a tampa e deixe no forno até dourar. Para uma casquinhas mais dourada basta ralar um pouco de queijo (qualquer um) em cima do pão logo antes de ir pro forno.

*Eu uso uma panela grande que pode ir no forno, mas qualquer forma que possa ser tampada serve. É a tampa que vai prender o vapor perto do pão e garantir a casquinhas crocante. Dica: panelas de pedra são ótimas pra isso!

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão natural com fubá e bacon

Bacon! No pão caseiro! Agora que chamei a atenção do mundo, ó que bonito que ficou:

Essa receita é uma leve adaptação do meu pão natural de toda semana: além do bacon misturado na massa também coloquei um pouco de fubá no lugar da farinha. Existem pães feitos com diversas farinhas misturadas: trigo, arroz, milho, centeio, etc, etc… E tanto qual é farinha usada quanto a proporção de cada uma resulta numa textura diferente. Por isso tudo comecei colocando só um pouco de fubá, e a textura acabou ficando bem parecida com o pão feito totalmente com farinha branca. E o sabor mudou apenas ligeiramente também.

O bacon sim, fez toda a diferença! Usei um que já vem picado e é praticamente só carne, mas isso varia de acordo com o gosto. Só que independente do tipo escolhido tem que fritar, escorrer o excesso de gordura e deixar esfriar antes de colocar na massa. E é bom também não deixar o bacon queimar muito na panela, justamente porque ele ainda vai ao forno.

Por último, dessa vez testei 3 formas de assar: panela de pedra tampada, panela de alumínio tampada, forma de bolo inglês sem tampa. As panelas tampadas ajudam a formar uma casquinha mais crocante, mas tirando isso não vi nenhuma diferença entre os pães. E no dia seguinte quando a casca não estava mais crocante os 3 estavam bem parecidos. Então use o que tiver!

Pão natural com fubá e bacon

1 1/2 xícara de fermento natural (Levain)
1 xícara de água
Máximo de 3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de fubá
200g de bacon já frito e em cubinhos
1/2 colher chá de sal
azeite para untar

Misture o fermento e a água até dissolver bem. Acrescente o fubá e misture até incorporar totalmente. Então vá acrescentando a farinha e sovando a massa. Quando conseguir uma bola de massa lisa e elástica transfira para uma vasilha untada com azeite e deixe descansar por cerca de 2 horas.

Passado o tempo abra ligeiramente a massa e salpique o sal por cima. Vá sovando a massa novamente e acrescentando o bacon até que ele esteja distribuído por toda a massa e ela seja novamente uma bola elástica e lisa. Agora são duas possibilidades:
Para um pão mais denso e pesado: volte a massa para a vasilha, untada novamente com azeite, e deixe crescer por cerca de 4h. Então modele a massa e passe para uma panela ou forma untada e coberta com fubá, e cubra a massa levemente com fubá também. E leve a panela tampada ao forno a 250° até esteja cozido e dourado.

Para um pão mais aerado e leve: transfira a massa já para a panela/forma untada e com fubá e deixe crescer as mesmas 4h. Assim a massa não perderá as bolhas de ar formadas durante o crescimento. Passado o tempo cubra a massa levemente com fubá e leve ao forno, a panela também tampada, também a 250°.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Rolinhos de amendoim (ou paçoca)

Sabe aqueles pãezinhos enrolados com canela? Agora imagina com amendoim!

Eu adoro um pão recheado, vide as tranças aqui do Cozinha. E gosto muito dos rolls, que são esses rocamboles de massa cortados em fatias grossas e muito bem recheados. A primeira vez que eles apareceram por aqui foram como Cinnamon Rolls sem canela, mas a verdade é que dá pra adaptar essa receita pra quase tudo! E hoje massa e recheio foram adaptados.

O recheio aproveitou a quantidade de amendoim que apareceu aqui em cada por conta do #CozinhaJunina, mas a verdade é que dá pra usar até paçoca esfarelada (ou não prensada se você usar essa receita). Já a massa foi adaptada pra receber tanto o fermento natural cultivado aqui em casa, quanto o iogurte natural daqui também. Mas isso não quer dizer que só da pra fazer com os dois viu? O iogurte natural pode ser aquele de potinho do supermercado numa boa, só é legal olhar o rótulo pra ter certeza que é iogurte e não leite com amido de milho. Pois é, existe esse tipo de bizarrice….

Já o fermento pode ser substituído pelo fermento biológico seco, aquele de pacotinho, e todas as mudanças no tempo de descanso e nas quantidades tão explicadinhas na receita abaixo. E se você quiser tentar fazer o fermento em casa também, tem o passo a passo aqui. 😉

Rolinhos de Amendoim

2 ovos
100g de fermento natural*
4 colheres sopa de óleo
1/2 xícara de água morna
1/2 xícara de iogurte natural
3/4 xícara de açúcar cristal
cerca de 4 xícaras de farinha de trigo**

* ou 1 colher sopa de fermento biológico seco
**se for usar o fermento seco vai precisar de menos farinha

3/4 xícara de amendoim torrado e triturado
1/2 xícara de açúcar refinado
30g de manteiga sem sal amolecida

1 gema + 1 colher sopa de café

Bata os ovos com o óleo até misturar. Acrescente o fermento, a água, o açúcar e o iogurte e misture bem. Vá acrescentando a farinha aos poucos e sovando a massa assim que possível. Quanto mais sovar a massa mais macia ela ficará depois. Quando conseguir uma bola lisa e coesa de massa deixe em uma vasilha enfarinha e coberta com um pano úmido, descansado por cerca de 2h. Se estiver usando o fermento seco pode reduzir esse tempo para apenas 30minutos.

Passado o tempo de descanso abra a massa em uma superfície enfarinhada até obter um retângulo de cerca de 0,5 de espessura. Pincele toda a superfície da massa com a manteiga e cubra com o amendoim e o açúcar. Enrole formando um rocambole e corte fatias grossas. Transfira os rolinhos, agora de pé, para a assadeira em que serão assados. Ela deve estar forrada com silicone ou untada e enfarinhada. Você pode deixá-los próximos para formar uma espécie de rosca, ou separados pra que fiquem individuais. Deixe descansar mais 40minutos (10min se for o fermento seco), e então pincele com 1 gema batida com o café. Se quiser também pode polvilhar mais um pouco de amendoim por cima de cada rolinho nesse momento. Leve ao forno a 200° até que dourem.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Usando o fermento natural – drops

Hoje realmente não tem receita, mas uma dica muito boa pra quem tá cultivando seu próprio fermento natural:

É possível fazer qualquer receita com ele, apenas modificando as quantidades de fermento indicadas na receita!!!
pao caseiro natural cozinharoman ptPara substituir o tradicional fermento biológico fresco (aquele que a gente compra em tabletes) basta multiplicar o peso pedido por 4 ou 5 e pronto.
Por exemplo, a receita da foto é o pão básico daqui de casa, que pede 50g de fermento biológico fresco, então eu poderia usar de 200g a 250g de Levain. Eu optei por usar 250g e não senti nenhuma diferença no sabor.

E pra substituir o fermento biológico seco? Daí varia do seu fermento. Eu acredito que a maioria dos secos vão equivaler a 1/3 do fresco, mas vale conferir na embalagem já que eles sempre indicam. Então pra substituir o fermento seco por Levain você multiplica o peso pedido por 12 ou 15.

** Em ambas as substituições é legal ficar de olho no tempo de crescimento. Com o Levain o tempo de crescimento da massa pode ser maior mas essa não é uma medida exata. Por isso recomendo que você faça a substituição apenas em receitas que já conhece. **

Resumão usando o pão da foto como referência:

Fermento biológico seco: cerca de 15g (o certo seria 16g, mas né…)

Fermento biológico fresco: 50g

Levain: 200g – 250g

—————————————
Em 2015: Rosquinhas de sal amoníaco

 

Salvar