Mocha Brownie, ou brownie com muito café!

Mocha brownie, ou brownie feito com muuito café! Ele é docinho, com bastante chocolate, mas com o gosto do café sempre presente.
mocha brownie

Mocha é, na verdade, um tipo de grão de café com sabor achocolatado. Ele recebe esse nome por conta da região de onde é exportado. Em alguns locais Mocha pode ser tanto café feito com esse grão, quanto café feito com chocolate. Mas também pode ser um tipo de bebida, que mistura café, leite e chocolate em pó, ou calda de chocolate ou ele puro mesmo. Essa bebida também pode levar o nome de Mochaccino; e sua diferença para o cappuccino é que o primeiro leva  creme batido no lugar da espuma de leite do segundo.

E o que tudo isso tem a ver com esses brownies? É que em inglês acabou-se criando um neologismo para quando uma receita mistura chocolate e café: mocha! Assim um bolo de chocolate com café pode ser chamado de mocha cake (que nome horrendo). E o brownie com café na massa, e no glacê, acaba virando mocha brownie. Pra variar eu tive uma grande dificuldade em traduzir tudo isso num nome, então preferi manter o original e contar a historinha toda.
mocha brownie

Agora a receita! Não mudei quase nada…

+  Pra variar, o cacau virou chocolate 50%, mas tem as duas opções na receita abaixo pra todo mundo poder fazer.
+ O café pode ser espresso ou coado, mas só use o coado se for bem forte. Senão o sabor não aparece.
+ O açúcar mascavo pode ser trocado pelo branco; mas evite fazer isso. Se vai trocar porque não tem em casa, ok. Mas se vai trocar porque não gosta do sabor do mascavo, esqueça. O sabor dele não aparece na receita e ele contribui pra umidade do brownie.
+ Aliás, falando em umidade. A textura é bem úmida e densa. Quem prefere um brownie mais sequinho, tipo bolo, pode deixar mais uns 5min no forno.
+ E não pule o glacê! Ele é mega simples e faz a diferença!

Mocha Brownie – original aqui

1/4 xícara de açúcar branco *
1/4 xícara de açúcar mascavo
40g de manteiga sem sal
2 colheres sopa de café forte – ou espresso
1/2 xícara de chocolate em pó 50% *
1 colher chá de café instantâneo
2 ovos
1/2 colher chá de baunilha
1/2 xícara de farinha de trigo

*se for usar cacau troque para: 4 colheres sopa de cacau e 1/2 xícara de açúcar branco (cristal ou refinado, tanto faz)

Leve a manteiga e os açúcares ao fogo médio até começar a borbulhar. Vai separar e ficar muito feio, parecendo que deu errado, mas vai dar certo no final. Mexa um pouco pra esfriar e junte os cafés e a baunilha, misturando bem. Junte os ovos, um a um, e o chocolate e misture bem, novamente. Por fim acrescente a farinha e misture apenas até incorporar. Transfira para uma forma de 11x11cm, untada, e leve ao forno aquecido a 200C por 30min. Tire da forma e deixe esfriar um pouco.

Se não tiver uma forma tão pequena veja no vídeo como eu fiz pra resolver isso.

Glacê de café

1/2 xícara de açúcar de confeiteiro
cerca de 1 colher sopa de café

Misture os dois até obter uma consistência que te agrade e cubra o brownie. Complete com alguns granulados.

——————————
Em 2014: Abobrinha Recheada

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Torta cremosa de chocolate com café

Torta cremosa de chocolate com café, e essa é pra quem realmente gosta de café!
torta cremosa de chocolate com café

Explico: muitas vezes uma receita de chocolate tem café nos ingredientes, e as vezes no nome, mas a quantidade é bem pequena. E então o sabor do café costuma ser bem suave ou inexistente.
Nesse caso o café serve para realçar o sabor do chocolate…

Nenhum desses é o caso dessa torta! Ela realmente segue o nome: torta cremosa de chocolate com café. Com Café! Sabor de café. Tô explicando bem porque se você estiver esperando uma torta docinha e suave vai rolar uma decepção. Essa é uma torta doce sim, mas de sabor forte, tanto na massa quanto no creme do recheio! Aliás, o cremosa do título também vale viu. O recheio é um creme de textura mega leve, que se mistura com o creme batido da cobertura e deixa tudo mais suave. Ótimo contraste de textura e sabor!
torta cremosa de chocolate com café

Convenci que a torta é uma delícia e vale a pena? Então vamos as mudanças que fiz na receita original:

A massa não teve grandes alterações. No lugar de usar gelo pra gelar a água eu usei água já gelada. Me pareceu uma atitude mais prática né?
Já o creme eu deixei mais suave do que o original, reduzindo um pouco o chocolate em pó. Eu também não usei a manteiga pedida porque usei leite gordo, mas isso tá explicado na receita abaixo. A maior mudança na verdade é que a torta só precisou de metade da quantidade de creme, e essas medidas já estão ajustadas ali embaixo.

Ou você pode dobrar a quantidade de creme, rechear a torta e dividir o restante em potinhos. Vira uma ótima sobremesa também…

Por ultimo, a calda! Eu usei uma calda que já tinha na geladeira. A original usa uma espécie de ganache. Mas vale usar até calda de sorvete se quiser. Ou raspas de chocolate no lugar da calda. Ela é uma decoração e isso varia de pessoa pra pessoa. 😉
torta cremosa de chocolate com café

Torta cremosa de chocolate com café – original aqui

Massa
1 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de chocolate em pó
1 colher chá de café instantâneo
1 colher chá de sal
100g de manteiga sem sal em cubinhos
1/4 xícara de água gelada
1 colher sopa de vinagre
1 clara

Misture os ingredientes secos em uma vasilha. Junte a manteiga e misture com as pontas dos dedos, sem destruir completamente os pedacinho de manteiga.

(sabe o gesto e contar dinheiro? É mais ou menos assim)

Misture a água com o vinagre e vá adicionando, bem aos poucos, a mistura anterior. Provavelmente não será necessário usar toda a água, pare quando conseguir uma massa coesa. Cubra com filme plástico e deixe gelando por cerca de 1 hora.
Abra a massa e cubra o fundo e as laterais de uma forma de cerca de 20cm. Fure toda a massa com um garfo e leve ao congelador por pelo menos 10min.

(se quiser congelar, embale a massa já na forma e deixe no congelador por até 3 meses)

Com a massa já congelada cubra com papel manteiga ou alumínio e coloque pesos por cima. Leve ao forno aquecido a 200C por 20min. Retire do forno, descubra a massa, pincele com a clara e volte ao forno por mais 10min; ou até ficar crocante.

Recheio
1/4 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara + 2 colheres sopa de chocolate em pó
3 colheres sopa de amido de milho
1/2 colher sopa de café instantâneo
1/4 colher chá de sal
1 1/2 xícaras de leite
50g de chocolate meio amargo
1/2 colher sopa de manteiga*
1/2 colher sopa de baunilha

*Eu usei leite gordo (de fazenda e cheio de nata) então cortei a manteiga. Se usar leite de caixinha mantenha a manteiga

Misture o açúcar, o chocolate em pó, o amido, o café, o sal e o leite. Misture bem e leve ao fogo médio; mexa constantemente até cozinha, formando um mingau. Tire do fogo e adicione os demais ingredientes e misture bem até derreter. Transfira para uma vasilha, cubra com filme plástico, encostando no creme, e deixe gelar.

Cobertura
3/4 xícara de creme fresco
1 colher chá de baunilha
2 colheres sopa de açúcar de confeiteiro

Bata tudo junto até formar picos suaves. Faça isso logo antes de montar a torta.

Montagem

Com todas as partes já frias, recheie a torta com o creme e cubra com o creme batido. Finalize com sua calda favorita lembrando que caldas mais líquidas vão “derreter” o creme batido. Sirva em seguida!

—————————————
Em 2015: Biscoitinhos crocantes

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Kahlua caseiro, também conhecido como licor de café

Kahlua caseiro é basicamente a versão artesanal de um licor de café com rum originalmente feito no México chamado (adivinha só) Kahlúa.

O sabor do café é suave e não amarga; como bom licor ele é bem doce mas não enjoativo; e o rum branco não adiciona sabor marcante, só no final você sente que tem algo alcoólico. O licor tem diversos usos, desde drinks como White Russian e Touro Bravo, até saborizar trufas e bolos e sorvetes e tudo que você quiser. Mas a verdade é que sozinho com uma pedra de gelo ele já fica ótimo. Pra quem gosta de café após a refeição ele pode ser uma boa opção em tempos de calor.
kahlua caseiro

Alguns pontos valem ser observados antes de passar a receita:

– O café: O sabor vai variar intensamente conforme o café, tanto o pó usado quanto o jeito de fazer. Eu fiz o café de sempre daqui de casa, pó de supermercado e coado no filtro de papel. Pessoas mais exigentes com o café podem querer investir mais nessa parte. O mesmo vale para as medidas que usei de pó e água. As da receita são apenas sugestões e o melhor seria você preparar o café do jeito que já tem costume.

– A baunilha: Eu uso essência por 3 motivos: preço, acessibilidade e rapidez. Eu não tenho acesso a fava por aqui, o que acaba encarecendo. Mas se você puder usa-la, sugiro que o faça. Nesse caso prepare o licor e deixe maturando com a fava embebida nele por 2-3 semanas, e então coe. Se você não tem acesso não se preocupe, com extrato ou essência ainda fica uma delícia.

– O Rum: usei a mesma regra que uso toda bebida alcoólica que não é base de receita: nem a mais cara e top do mercado, nem a mais furreca barata que encontrar; uso as que posso pagar e tenho costume de usar nos meus drinks.

Agora vai lá, passa um café e guenta que já já tem receitas com sabor café por aqui…. 😉

Kahlua caseiro – original aqui

1 1/4 xícara de café forte*
2 xícaras de açúcar
1 xícara + 2 colheres sopa de rum – usei o branco
3 colheres sopa de essência de baunilha

* faça o café conforme o seu gosto; eu usei 1 1/4 xícaras de água quente para 6 colheres sopa de pó e coei, como é o costume por aqui.

Passe o café e, com ele ainda quente, misture o açúcar. Quando o açúcar dissolver misture o rum e a baunilha. Guarde em uma garrafa tampada e na geladeira e assim ele dura alguns meses.

—————————–
Em 2015: Biscoito de fubá com limão
Em 2016: Bolo de baunilha

Salvar

Salvar

Salvar

Frappuccino basicão sem lactose

Então, é isso mesmo, uma base pra frappuccino* só que feita sem lactose. Basicão assim.

Por aqui já teve frappuccino tradicional, feito com cubos de gelo de café e enfeitado com calda de chocolate. Delícia. Vale experimentar. Mas fiquei encucada com o monte de gente que tá aparecendo reclamando de desconfortos quando consome lactose.
Apesar de eu não ter intolerância a nenhum tipo de alimento (até onde eu sei) e não restringir minha dieta por nada nesse mundo, acho legal ter sempre opções variadas.
Nesse caso eu usei leite de coco, que pode ser industrializado ou caseiro (vale clicar no link e aprender que é facinho facinho de fazer). Mas vale usar o leite vegetal da sua preferência, eu que gosto mais do de coco mesmo.
Falando em gosto, essa base por si só já é uma delícia mas vale acrescentar o que quiser: banana, chocolate em pó ou em gotas, aveia, etc, etc, etc. Só é bom tomar cuidado, principalmente no caso de chocolate em pedaços, pra ter certeza de que não tem lactose.
E por último, enfeitei a garrafa com calda de caramelo. Que leva manteiga e leite, eu sei. Mas no ICKFD tem uma receita de caramelo sem nenhum desses ingredientes, vai na fé que é bom!

* o google jura que é assim que escreve frappuccino, mas eu acho horrível esse mundo de letra repetida…

Frappuccino sem lactose

200ml de Leite de coco gelado
6 cubos de café congelado
Açúcar a gosto
calda pra enfeitar o copo

Moleza das molezas: é só bater tudo no liquidificador, acertar o doce e colocar no copão enfeitado com calda.

——————————-
Em 2015: Pipoca Caramelada

Salvar

Bolo Bananada

Mais uma receita da turma do “e se…”. A ideia era um bolo beem úmido tentando combinar banana, chocolate e café… Tudo pra aproveitar bananas hiper maduras e um mundo de café congelado dando sopa por aqui.

O resultado foi realmente um bolo super úmido, daqueles que nem dá pra fazer o teste do palito, quase que a textura desses doces de corte que tem na roça (aka bananada…). A combinação de banana com chocolate deu certo como sempre… já o café sumiu do bolo coitado! Não sei se o café não tava muito forte, ou se foi muita banana, sei que ele só serviu pra ajudar a escurecer a massa.

O que não é de todo mal já que:
1 – o bolo fica com uma cor linda, parecendo que foi feito com cacau
2 – é sempre bom ter jeitos de aproveitar o café que sobrou, e congelar pra usar depois é bem fácil.

Se quiser usar café fresco dá certo, e se quiser usar água no lugar do café tá tranquilo também.
bolo bananada 1Escolha bem o tipo de banana que for usar, pra quem prefere sabores mais suaves aconselho a prata. A que eu tinha era caturra, que tem o sabor bem mais proeminente e é um pouco mais doce também. Enfim, dá pra variar bastante de acordo com as opções disponíveis.

Detalhe também, como era receita nova fiz um mini bolo. As medidas abaixo resultam num bolo inglês de 20x8cm que, apesar de subir, murcha depois. É o tipo de prato que dura só uma refeição mesmo: forte e em pouca quantidade.

Bolo Bananada
xícara de 240ml

1 banana média
1 ovo
100ml de café
3 colheres sopa de açúcar
3 colheres sopa de chocolate em pó
1 xícara de farinha de trigo
1/2 colher chá de fermento em pó

Em uma vasilha misture a farinha e o fermento e reserve.
Bata os outros ingredientes no liquidificador até ficar homogêneo. Se o café for congelado, vale descongelar no microondas antes, pra facilitar.
Junte os líquidos aos secos e misture delicadamente até incorporar tudo.
Transfira para uma forma untada e leve ao forno a180° por cerca de 50min. O teste do palito funciona meio torto, o palito vai sair sujo, mas dá pra perceber quando a massa passou de líquida pra assada. Tipo brownie, mas sem a casquinha quebradiça…
Se quiser cobrir com o açúcar de confeiteiro espere esfriar completamente para não melecar tudo.
bolo bananada 2

Muffins de amora

Pra muita gente o muffin é só um cupcake de dieta, sem cobertura e sem recheio. Não é bem assim. Os dois tem origem e constituição bem diferente, mas realmente, como nenhum dos dois tem muito tempo de história no Brasil a gente acaba vendo tudo quanto é coisa com tudo quanto é nome. Pra aprender a diferenciar:

Cupcake: mais cheio de firulas tem ordem certa de ingredientes pra preparar a massa, e costuma ser mais leve e mais esfarelento. Além disso costuma ser servido recheado e confeitado.

Muffin: coisa rápida, misturou tudo, tacou o recheio (frutas/nozes/chocolates/etc) na massa mesmo e colocou pra assar. Normalmente servido no café da manhã ou como lanche.

E hoje é dia de muffin! Bolinho rapidinho pra deixar pronto pra hora do café. Não sei vocês mas eu enjoo de comer pão todo dia e adoro quando rola um prato diferente pra essa hora. Pra quem não tiver amoras (congeladas ou não) vale trocar por outra fruta que preferir, mas como não testei bolo com todas deixo as que sei que dão certo: morango, banana, maçã e pera… Quem experimentar com outras passa aqui pra contar como ficou!

Ah, sim, teve alterações: menos açúcar na massa, e o açúcar que polvilhei foi misturado com canela, mas só porque já tava ali dando sopa.
amora muffinsMuffins de Amora – original aqui
xícara de 240ml

1/2 xícara de manteiga sem sal derretida
1/2 xícara de açúcar
1 ovo grande
1 xícara de farinha de trigo
1/4 xícara de leite integral
1 pitada de sal
1 colher chá de fermento
1 xícara de amoras congeladas – ou não
1 colher sopa de açúcar com canela

Retire as amoras do congelador e reserve.
Em uma vasilha bata (com uma colher mesmo) o açúcar com a manteiga. Junte o ovo e misture bem até ficar homogêneo. Vá acrescentando a farinha e o leite intercalados e misturando, junte o sal também. A minha massa ficou bem pesada e acrescentei uma colher de leite. Depois que a massa estiver lisa acrescente o fermento e misture delicadamente. Por último junte as amoras e misture ligeiramente, apenas para incorporar todos os pedaços. Vale dizer uma coisa aqui, minhas amoras eram meio que extravagantemente grandes então piquei em pedaços muito pequenos e me arrependo. Se as suas forem de tamanho normal deixa como está, se forem muito grandes apenas parta ao meio.

Transfira para as forminhas de papel, ou para forminhas untadas até encher cerca de 2/3 da forminha e cubra cada uma com o açúcar com canela. Leve ao forno já aquecido a 180° por cerca de 40min, até que dourem*. Espere esfriar por alguns minutos antes de tirar da forma.
amora muffins 2
*Pra quem tem o forno lindo como o meu que se recusa a dourar bolos fica a dica: se tiver grill é só desliga o forno depois que o bolo estiver pronto mas ainda branco e ligar o grill por cerca de 2 minutinhos.

Pavlova de Cappuccino – Nigella

A pavlova me encantou desde a primeira vez que a vi: um suspiro gigante coberto com creme e frutas/chocolate. Tem como não amar? E na cabecinha ignorante que tenho, era uma sobremesa russa. Pela sonoridade do nome eu imaginava Czares comendo pavlova. Imagine a minha surpresa ao descobrir que quem briga pela criação do doce são Nova Zelândia e Austrália!! O nome pelo visto foi escolhido para homenagear a bailarina Anna Pavlova.

Descobri que pavlovas vieram do outro lado do mundo assistindo um especial de natal da Nigella Lawson. Na ocasião ela fez uma pavlova inspirada no cappuccino (o tema do natal era Itália) e eu adorei a ideia! Fiz pequenas alterações pra seguir a tradição, como trocar o café expresso por café instantâneo normal, ou aproveitar um chantilly pré pronto que estava dando sopa por aqui.

Também tive que alterar uma coisinha durante o preparo do suspirão. Meu forno conta como temperatura mínima 180°, e não os 150° pedidos na receita. Então usei o velho truque da colher de pau na porta do forno. Nunca viu? Você coloca uma colher na porta do forno impedindo que ele feche totalmente, assim ele não esquenta tanto quanto deveria.

pavlova 2Pavlova de Cappuccino – original aqui
xícara de 240ml

4 claras
1 pitada de sal
1 1/3x de açúcar refinado
2-4 colher chá de pó de café instantâneo – com 4 fica bem amargo, regule ao seu gosto
2 colheres chá de amido de milho
1 colher chá de vinagre branco
300ml de creme e leite fresco – ou preparo para chantilly
açúcar a gosto
raspas de chocolate a gosto

Em um pilão (ou vasilha resistente) macere o café instantâneo até formar um pó fino. Aqueça o forno a 180°.

Bata as claras com o sal até começar a formar picos suaves. Continue batendo e vá adicionando o café e o açúcar aos poucos. Quando estiver bem homogêneo desligue a batedeira. Acrescente o amido e o vinagre e misture delicadamente até incorporar tudo. Tente misturar sempre levantando a massa e incorporando mais ar.

Em uma folha de papel manteiga desenhe um círculo de cerca de 20cm de diâmetro, vire o papel e unte o outro lado que é o que vai ficar pra cima. Se quiser facilitar você pode “colar” o papel manteiga na assadeira com 4 pontinhos do próprio suspiro. Despeje o suspiro de café no papel respeitando o círculo desenhado. O interessante é manter o “bolo” bem alto.

Leve ao forno e na hora de fechar baixe a temperatura para 150°. Se o seu forno for igual ao meu e não tiver uma temperatura tão baixa, é só colocar uma colher de pau ou um pano dobrado na porta do forno para que ela fique entreaberta. Deixe assando por 70minutos. Passado esse tempo desligue o forno e, se for o caso, feche a porta completamente. Deixe ele esfriando lá dentro por toda a noite. Eu sei, parece muito, mas pense que você vai estar dormindo e nem vai ver o tempo passar. Eu fiz eram 8h da noite e só abri 12h depois. Tudo isso é pra evitar que despedace completamente na hora de tirar da assadeira. Ainda assim eu consegui quebrar um pouco:

lado feio com suspiro todo quebrado

lado feio com suspiro todo quebrado

Depois é só bater o creme de leite com o quanto de açúcar que você quiser e cobrir o suspirão. Por último é só decorar com raspinhas de chocolate. Deixe na geladeira algumas horas antes de servir que fica ainda mais gostoso!!

Salvar

Salvar

Rabanada Express – natal 2014

A minha história com rabanadas inclui encomendar o pão de rabanada 3 dias antes na padaria, e então no dia sair de lá com meia dúzia de bisnagas de 1m. No dia seguinte montar uma linha de produção que ocupa toda a cozinha e no final resulta em meia tonelada de rabanadas. Não a família não é gigante, a gente (eu) só é viciada em rabanada mesmo. O caso é que eu já estou afim de comer rabanadas e só tem 3 pessoas em casa! É o seu caso? Vai passar natal com pouca gente ou quer fazer rabanada mesmo que a família não tenha chegado ainda? Tem jeito!
Com 2 pães de sal (francês) dormidos a gente resolve o problema, e de quebra não precisa de meia garrafa de óleo. Dá até pra fazer pro café da manhã com aquele pão que sobrou de ontem. Torradas pra que se a gente pode ter rabanada né?

rabanada (9)bRabanada Express

2 pães dormidos
250ml de leite
1 colher sopa de açúcar
1/2 colher chá de baunilha – opcional
1 ovo super mega gigante – ou 2 pequenos
óleo e manteiga pra fritar
açúcar com canela pra depois

Eu gosto de cortar o pão em 4 pedaços meio na diagonal, mas vale cortar reto também. Pra quem prefere uma rabanada bem fininha corte o pão em dois e cada metade ao meio. (= quando vai passar manteiga, sabe?)
Em um prato misture o leite, o açúcar e a baunilha. Em outro bata ligeiramente o ovo, apenas para misturar.
Aqueça a panela (alta) e coloque um pedaço de manteiga e um pouco de óleo, apenas o suficiente pra cobrir o fundo da panela. Aconselho panela alta no lugar de frigideira porque o trem pode espirrar bonito na sua mão.
Mergulhe uma fatia do pão no leite adoçado. Para uma rabanada mais úmida vale apenas escorrer o excesso de leite, para uma rabanada mais seca aperte bem a fatia de pão. Passe no ovo batido e já tá pronto pra ir pra panela. Doure ambos os lados da fatia de pão e transfira para um prato com papel toalha para escorrer o excesso de óleo. Depois de repetir essa operação complicadíssima com tooodas as 8 fatias de pão… cubra todas elas com açúcar com canela e delicie-se!
Tô pra contar que essas rabanadas express vão roubar o lugar das panquecas no café da manhã de domingo…

Tipo um frappuccino

Frappuccino é uma bebida de café, gelada, vendida por aquela cafeteria famosona. Aquela da sereia sabe? Se não sabe procura na internet café + sereia…
Enfim, frappuccino é tipo milkshake com café… E essa é tipo o primo torto do frappuccino. Primeiro porque teoricamente eu não posso usar esse nome, só a cafeteria famosa poderia…Segundo porque a receita nasceu de um mundo de experiências com meu liquidificador e um mundo de café congelado ao longo do verão passado.
Isso mesmo, café congelado. Aqui em casa sempre sobra um pouco do café feito de manhã, e eu odeio (com todas as minhas forças!!!!) café requentado. Então o que sobra eu coloco em forminhas (daquelas de gelo mesmo) e congelo pra usar depois. Pode chamar de pão-duragem, mas eu também odeio jogar comida fora, então se der pra reaproveitar sem perder qualidade, eu topo.
Essa receita é a base, com caramelo porque eu tô apaixonada por ele. Mas vale cobertura pronta, vale cobrir com chantilly, chocolate derretido, acrescentar fruta, crocantes, etcs. E claro, trocar o leite por sorvete, fica bem menos light, mas incrivelmente mais cremoso…

frappuccino2

Frappuccino torto
a colher é de sopa

6 cubos de café congelado
200ml de leite
1 colher de caramelo – vale trocar por açúcar também
1 colher de chocolate em pó – vale achocolatado
1 colher de açúcar se o seu café não for adoçado

Junta tudo no liquidifcador e bate até ficar homogêneo. Prova e acerta o açúcar. Daí é só decorar um copão com calda/caramelo e arranjar um canudinho pra ficar mais gostoso!

Salvar