Rolinhos de cenoura com canela

Rolinhos de cenoura são uma versão um pouco mais rica dos famosos cinnamon rolls. Com uma massa bem macia e o tradicional recheio de canela, eles ficam ótimos pro café da manhã ou pra beliscar a tarde…
rolinhos de cenoura

A massa é um pouco diferente dos cinnamon rolls que já apareceram por aqui, mas esse detalhe varia mesmo nos rolinhos tradicionais. É tipo pão de batata, um nome só mas várias receitas parecidas. A grande diferença nesses é a cenoura ralada que vai na massa. Eu achei que fica bem suave…. Tanto que o sabor da cenoura nem aparece! Então se você está procurando um jeito de comer vegetais, tá ótimo. Se você quer realmente o sabor da cenoura, aconselho aumentar a quantidade pra pelo menos uma xícara e meia!

Outra mudança que você pode (ou não) fazer? Aumentar o açúcar. A receita original leva uma cobertura de cream cheese e açúcar, e por isso a massa não é tão doce. Como eu queria um pãozinho pro café, pulei a cobertura.. Só que aí a massa ficou no limite do sem doce. Não é ruim, mas podia ser melhor. Pra quem não gosta de coisas muito doces, deixe como está na receita abaixo; quem for formiga pode dobrar o açúcar da massa.

Último detalhe? O modo de espalhar o recheio com a manteiga derretida e o açúcar depois faz com que ele seja muito sutil no resultado final. De novo, a intenção era um pãozinho pro café. Pra quem quer um recheio mais aparente vale misturar a manteiga, sem derreter, com o açúcar e a canela e passar essa pasta na massa. Fica mais difícil a montagem, mas o recheio aparece mais depois. De novo: escolhas. Faça a sua conforme seu gosto e tenha os melhores rolinhos de cenoura pro seu lanche!
rolinhos de cenoura

Rolinhos de cenoura – original aqui

1 xícara de leite morno
2 1/4 colheres chá de fermento biológico seco
1/4 colher chá de açúcar refinado
20g de manteiga sem sal*
1 ovo grande
1 colher chá de baunilha
3 xícaras de farinha de trigo
1/4 xícara de açúcar
1/2 colher chá de sal
3/4 colher chá de canela – opcional
1 xícara de cenoura ralada

recheio:
manteiga derretida
1 xícara de açúcar
1 colher sopa de canela

*pode ser derretida ou macia

Misture o leite com o fermento e a colher de açúcar e deixe descansar por 5 minutos. Acrescente o ovo, a baunilha e a manteiga e misture bem. Em uma vasilha junte a farinha com o açúcar, o sal e a canela e misture também. Junte os líquidos à farinha e misture até incorporar e então junte a cenoura. Comece a sovar a massa assim que sentir que é possível; talvez precise de mais farinha, mas tente adicionar o mínimo possível. Sove a massa até obter uma bola lisa e bonita. Deixe em uma vasilha enfarinhada e coberta com plástico por cerca de 1-2h, até dobrar de tamanho.

Abra a massa até obter um retângulo com 0,5cm de espessura. Pincele com a manteiga derretida e cubra com o açúcar e a canela. Enrole, como um rocambole e corte em 8 fatias. Ajeite os rolinhos em uma assadeira untada com manteiga. Cubra novamente com plástico e deixe descansar mais 30min. Então leve ao forno, já aquecido a 200C, por cerca de 30min.

PS: Se quiser, antes de levar ao forno polvilhe mais um pouco de açúcar e canela por cima dos rolinhos.

 

Massa de pizza da Annabel, pra qualquer recheio

Massa de pizza da Annabel é uma massa básica pra combinar com qualquer recheio e fácil pra todo mundo conseguir fazer!
Massa de pizza da Annabel

Por aqui já tivemos pizza improvisada com massa folhada e pizza sourdough pra iniciantes em fermentação natural… Mas demorou pra aparecer a massa mais básica de todas, feita com fermento biológico seco, aquele de pacotinho. E pra isso essa massa de pizza da Annabel me pareceu uma boa opção: ela tem poucos ingredientes e não precisa de muito tempo de fermentação pra ficar macia e gostosa!

Além disso tem um método bem fácil: não precisava de dupla fermentação, não precisa de horas sovando pra pegar liga, e é moleza pra abrir. A receita original manda abrir com o rolo mas nem precisei; coloquei a massa na forma untada e fui espalhando com as pontas dos dedos mesmo. Assim consigo controlar melhor pra ter um meio mais fino e bordas mais gordinhas, que é como se gosta da pizza por aqui. Quando você for fazer a sua vale fazer como você preferir.

Por todos esses detalhes eu não mudei nada na receita original, mas mudaria… É que eu gosto quando a pizza tem a massa ligeiramente doce. Acho legal o contraste da massa mais adocicada e levinha com o recheio mais salgado e pesado (em termos de sabor). Se você também prefere massas assim meu conselho é dobrar a quantidade de açúcar, pelo menos. Do jeito que está na receita abaixo a massa não tem nenhum sabor adocicado, e o açúcar serve mais pra ajudar na textura e na ação do fermento.
Massa de pizza da Annabel

Massa de Pizza da Annabel – original aqui

1 xícara de água morna
1 colher chá de fermento biológico seco
1 colher chá de açúcar
2 1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher sopa de azeite
1/2 colher chá de sal

Junte a agua, o açúcar e o fermento e deixe descansar por cerca de 10min para ativar o fermento. Junte o restante dos ingredientes e vá sovando a massa até ela ficar lisa e coesa. Cubra a massa com azeite e deixe descansando, em uma vasilha coberta, até que dobre de tamanho. A minha demorou cerca de 1h em um dia frio.
Abra a massa em uma forma (ou pedra) e cubra com o seu “sabor” favorito. Eu usei molho de tomate, muçarela, calabresa e orégano. Leve ao forno, já aquecido a 230°, por cerca de 15min.

——————————
Em 2014: Medialunas argentinas
Em 2015: Drink de maçã verde

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão integral de amendoim com fermentação natural

Pão integral de amendoim, por razões de tem amendoim pra caramba nessa casa!
pão integral de amendoim

A verdade é que eu planejei um mega especial junino e fiz um pequeno estoque de amendoim… E aí a vida veio e disse: nãããão. E agora temos bastante amendoim em casa. O que fazer? Isso mesmo, correr no caderninho de “receitas a experimentar” e achar esse maravilhoso pão integral de amendoim lá no GoriaHuk!

A original já parecia ótima? Já. Mudei a receita mesmo assim porque não tenho juízo? Com certeza! Primeiro que usei fermentação natural, e isso acaba alterando um pouco tempos de preparo, quantidade de farinha…esse tipo de coisa. Outra que troquei a manteiga por mais amendoim. É que eu queria bastante gosto de amendoim. E aí veio a terceira mudança: recheio de pasta de amendoim!

Pra quem quer um pão simples e com gosto suave de amendoim é só seguir a receita e não rechear. Pra quem quer um pão simples mas com bastante gosto de amendoim dobre a quantidade de pasta usada na massa. Ou siga a receita como está abaixo para uma massa suave e um recheio gostoso. E eu também aconselharia um pouco mais de sal na massa caso sua pasta/manteiga seja completamente sem sal.

pão integral de amendoim

Pão integral de amendoim – original aqui

1 xícara de leite
1 xícara de farinha integral
45g de fermento levain* – receita aqui
1 ovo
3 colheres sopa de pasta de amendoim*
1 colher sopa de açúcar mascavo
1/2 colher chá de sal
cerca de 2 xícaras de farinha de trigo branca
pasta de amendoim pra rechear**

*Para substituições de fermento tem todas as equivalências nesse link

**Eu usei uma pasta caseira que consiste em basicamente processar amendoim torrado, uma pitada de açúcar e outra de sal (sem medidas exatas mas seguindo meu gosto) até virar uma pasta. Dá pra usar compradas prontas? Claro que sim!

Junte o fermento com o leite e a farinha integral e misture até fica homogêneo. Tampe e deixe descansar por cerca de 12h.
Adicione o açúcar, o ovo e a pasta de amendoim e misture bem. Vá colocando a farinha aos poucos e assim que conseguir comece a sovar a massa. Nesse ponto junte o sal. Talvez você não precise usar toda a farinha, isso vai depender de vários fatores. Sove a massa até atingir o ponto de véu: quanto você estica um pedaço de massa e ele começar a ficar transparente antes de rasgar.

Deixe a massa descansar mais 4-6h, até que ao apertar um dedo ela volte. Divida em 8-10 partes e modele. Se quiser rechear abra um quadrado com cada parte e passe um pouco do recheio e então enrole. Transfira ara uma forma untada e deixe descansar mais 1h. Ligue o forno a 230° e faça os cortes no topo de cada pãozinho. Espere cerca de 10min, para o forno esquentar e o pão começar a abrir no corte, e então leve para assar por cerca de 30min.
pão integral de amendoim

——————————
Em 2015: Vinho quente

Salvar

Salvar

Mini dutch babies, ou mini panquecas desinfladas

Mini Dutch babies, porque não basta ser uma panqueca inflada que vira um copo, ela tem que ser mini pra ficar mais fofinha!
mini dutch babies

Dutch babies, ou german pancakes, são um tipo de panqueca que parece mega simples por conta dos ingredientes. Embora você possa enriquecer a massa, não precisa de nada de especial pra fazer a versão base: ovo, farinha, açúcar, leite, esse tipo de coisa. Só que com um método de preparo meio diferente o resultado acaba ficando muuito longe das panquecas que temos costumes.
mini dutch babies

A grande coisa é que essa receita é de forno, e não de frigideira. E esse detalhe faz com que as panquecas inflem bastante, tipo um suflê. E como um suflê elas murcham… É até meio triste de ver: elas saem enormes do forno e vão colapsando no tempo de levar pra mesa. Mas aí é que mora o truque!
mini dutch babies

No que elas murcham acabam se tornando copinhos! Tanto que o nome em inglês foi pancake cups, ou copos de panqueca. E aí, é só rechear esses copinhos com o que você quiser! Eu usei coalhada caseira, minha calda de caramelo de laranja e algumas amoras silvestres(do jardim mesmo). Dá pra usar requeijão, creme batido, manteiga, mel, outras frutas, geleia… Aí vai a coisa que eu mais falo por aqui: escolha seus favoritos! 😉

Mini Dutch Babies – original aqui

3 ovos
1 colher sopa de açúcar
1/2 colher chá de essência de baunilha
1/2 xícara de farinha de trigo
1/4 colher chá de sal
1/2 xícara de leite
cerca de 40g de manteiga

Bata os ovos ligeiramente, apensa para misturar. Junte os demais ingredientes, exceto a manteiga, batendo até obter uma massa homogênea. Reserve.
Em uma forma de muffins/cupcakes coloque pedacinho de manteiga. Essa massa é suficiente para 12 panquecas, então divida os 40g em 12 partes.
Leve essa forma ao forno a 200° até que a manteiga derreta. Retire a forma, mas não desligue o forno, e divida a massa entre cada uma das 12 cavidades. Volte ao forno até que a massa doure.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Colomba Pascal, o panetone da páscoa?

Colomba pascal é um pão italiano típico da (adivinha só!) Páscoa que é delicioso. E acho que o consenso para por aí.
colomba pascal

Como toda receita típica e antiga essa tem muitas histórias de origem e muitas receitas “tradicionais”, todo mundo jurando que essa origem que é a verdadeira. E claro, que a sua receita que é  tradicional de verdade. Resumindo bem e não entrando em polêmicas, a colomba é um pão rico, formatado como uma pombinha, servido na época da páscoa. A pombinha é pelo simbolismo cristão. Mas tem que ter imaginação viu… A maioria das pessoas só vê uma cruz ou um xis meio torto…

Mas pão rico servido em feriado cristão parece mais um panetone né? E é quase. Essas são receitas primas, com bases muito parecidas que se distinguem mais pelo recheio. Enquanto o panetone tem frutas cristalizadas como recheio principal, a colomba conta com laranja cristalizada na massa e amêndoas na cobertura. E uma cobertura crocante e as vezes craquelada. Claro, como os panetones, as colombas acabaram ganhando recheios trufados, gotas de chocolate e todo tipo de modificação. Se isso continua sendo uma colomba ou não é uma discussão que não vou fazer aqui, nem hoje.
colomba pascal

Hoje a gente aprende a fazer uma colomba básica, com recheio simples e sem forma especial. Porque, o que aconteceu com vocês lojas de confeitaria que ninguém tem forma de colomba pra vender!?!?!?! Não tem problema, a gente formata com as mãos e torce pra ninguém reclamar antes de provar. A massa também não segue nenhuma receita com link pra eu deixar pra vocês. Fui adaptando a minha massa de panetone com as modificações encontradas em diversos sites italianos, até chegar a um resultado que me agradou: um pão denso, rico e úmido, com muito recheio e uma casquinha crocante e açucarada.

Pausa pra explicar: vi colombas bem leves e fofas, e outras mais densas e pesadas. Acho que isso varia mais da capacidade e do gosto de quem tá fazendo. Eu gosto de pães densos e por isso esse foi o caso aqui.

A fermentação é natural, como no panetone, mas se você quiser usar fermento pronto nesse link tem como medir as substituições. Mas lembre que os tempos de descanso diminuem drasticamente! Pra quem quiser um pão mais leve, minha sugestão é diminuir a quantidade de recheio, 20% do peso acaba com qualquer leveza, pra pelo menos metade. Também dá pra trocar parte das amêndoas por casquinhas de laranja cristalizada ou mesmo chocolate branco, só lembre de que ele deve ser forneável senão a massa embatuma.

Colomba Pascal

Esponja:
1 xícara de farinha de trigo
150g de fermento natural
4 colheres sopa de água gelada

Misture todos os ingredientes e deixe descansar, tampado, em um lugar seguro e de temperatura amena por cerca de 12h. Eu deixei dormir dentro do forno desligado.

Massa:
3/4 xícara de açúcar refinado
2 ovos grandes
50g de manteiga pommade
2 colheres sopa de raspas de laranja – cerca de um laranjão
cerca de 2 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 pitada de sal
cerca de 200g de amêndoas em lâminas*
1 clara e açúcar cristal pra pincelar

*mais detalhes sobre quantidades e tipos de recheio no texto acima.

Junte todos os ingredientes, exceto as amêndoas, e misture até conseguir uma massa homogênea. Então sove, sove bastante, até dar bolha. Na massa. A massa vai começar a criar umas bolhas que você sente quando sova. Daí volte pra vasilha com tampa e deixe descansar novamente, umas 6h. Num lugar quentinho e seguro de novo. (Meu forno outra vez)

Passado o tempo do segundo descanso, junte as amêndoas. Separe algumas para a cobertura e junte o resto a massa, misturando delicadamente. Faça tudo isso em uma bancada enfarinhada já que a massa é meio grudenta. A massa vai ficar bem pesada, e é assim mesmo. Divida em duas partes não iguais, uma menor pro corpo e outra maior para as asas. Faça dois rolinhos e achate-os ligeiramente. Prepare uma forma com um tapete de silicone ou com papel manteiga untado; se não untar gruda tudo. Transfira a massa pra a forma formando uma cruz, ou uma pombinha se você tiver imaginação suficiente.

Pincele com a clara, cubra com as amêndoas, pincele a clara novamente e então cura com açúcar. Deixe descansar mais 1-2h. Esquente o forno a 200° e então asse até que doure. Espere esfriar antes de retirar da forma para evitar que que quebre.
colomba pascal

Salvar

Salvar

Salvar

Pão de chocolate, simples assim

Pão de chocolate que não é um pão recheado com chocolate, não é um pão coberto com chocolate, não é um pseudo-panetone pão com gotas de chocolate. É a massa do pão que é de chocolate mesmo!!
pão de chocolate, trançado com 4 pontas

A receita é minha, fruto de um monte de testes que tenho feito com o fermento natural, e o resultado me surpreendeu bastante. A ideia veio de um pão de chocolate comprado em padaria que só tinha chocolate na cor e no nome. Sabor de nada. Fiquei pensando se não daria pra fazer um pão que realmente tivesse sabor de chocolate. O resultado é esse pão mega macio, com sabor suave de bolo de chocolate e textura que me lembra um brioche mais pesado. Com uma surpresa: recém saído do forno ele tem a massa meio úmida, parecendo que embatumada em excesso. Mas assim que esfriar a massa termina e secar mas mantém a maciez. Muito bom!

Os ingredientes são bem simples de encontrar, talvez com exceção da nata, mas ainda assim valem algumas notas:

O fermento que usei foi o levain, fermento natural que cultivo em casa. Se você quiser usar o fermento biológico fresco use 30g, se preferir o biológico seco (aquele do pacotinho) use 10g. Esses fermentos crescem a massa muito mais rápido que o levain, então seu pão vai ficar pronto bem mais rápido. A má notícia é que eu não consigo calcular exatamente quando. Espere a massa dobrar de volume no primeiro crescimento, e dê pelo menos uns 40min pra ela no segundo.

A nata pode ser complicada pra maioria das pessoas encontrarem. Se você não tiver o hábito de, cada vez que alguém ferver leite, congelar cada bocadinho de nata que surge  (pra fazer rosquinhas), vale usar outro tipo de gordura. O creme de leite fresco pode ser usado na mesma quantidade mas talvez você precise usar mais farinha para conseguir modelar a massa. Tente não usar muito mais farinha para que o pão não fique muito pesado. Também dá pra usar manteiga, com a mesma quantidade a textura da massa não deve mudar muito, embora o sabor não fique tão rico. (vai continuar gostoso no entanto, prometo!)

Por último o chocolate. Eu uso um chocolate 50% que é apenas cacau e açúcar misturados. Se você não tem certeza do que tem o seu chocolate em pó e prefere usar cacau não tem problema. Das 4 colheres de chocolate transforme duas em cacau e duas em açúcar e pronto. Se você quiser usar achocolatado eu não me responsabilizo por quão doce o seu pão vai ficar. Mas ó, o pão é seu não é? Use o que te deixar feliz!
pão de chocolate, trançado com 4 pontas

Pão de chocolate

150g de fermento natural
75g nata
8 colheres sopa de açúcar
1 ovo
4 colheres sopa de chocolate em pó 50%
4 colheres sopa de água gelada
cerca de 2 1/2 xícaras de farinha de trigo

*** tem um monte de poréns e dicas e substituições pros ingredientes. Era tanta coisa que deixei no texto acima invés de colocar aqui***

Misture todos os ingredientes, exceto a farinha, até ficar homogêneo. Vá acrescentando a farinha e amassando bem. Sove a massa até ela ficar macia e a farinha acabar.
Deixe a massa descansar em uma vasilha fechada por cerca de 6-8h.

Prepare a forma em que for assar forrando com papel manteiga e untando o papel manteiga. Usando bem pouca farinha para que a massa não grude (nem em você nem na bancada) divida a massa e trance. Ou modele como você quiser.
Transfira o pão para a forma preparada e tampe. Aqui vale tampa, filme plástico, até sacola plástica pregada com fita crepe. O importante é tampar para que a massa não resseque. Deixe descansar mais 10-12h.

Enquanto o forno aquece cubra o pão com açúcar cristal. Asse no forno aquecido a 230°. Fica complicado falar dourar porque a massa já é escura, mas por aqui, trançado demorou cerca de 30min. Se tiver um termômetro pra conferir é por volta dos 92° que el tá pronto. Também vale conferir com um palito igual bolo.
pão de chocolate, trançado com 4 pontas

—————————–

Em 2016: Massa Sablé

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão doce de laranja, com fermentação natural

Pão doce simples, com fermentação natural, casquinha crocante de açúcar e um baita aroma de laranja!
pão doce de laranja partido e fatia

O pão caseiro virou rotina aqui em casa já tem uns meses. Desde que comecei a cultivar o levain duas vezes por semana sai pão do forno. Na maior parte das vezes é o pão salgado simples, as vezes temperado com cebola ou ervas, na maioria das vezes só com sal e azeite. Mas vez em quando é bom quebrar a rotina né?

Assim comecei a tentar transformar a minha receita básica num pão doce simples. Seguindo a lógica de poucos ingredientes e procedimento fácil mas com resultado mais leve do que o do pão salgado. E cheguei na receita de hoje. O açúcar é o suficiente pra deixar a massa levemente doce, mas nada parecido com uma sobremesa; esse ainda é um pão mais neutro. Já o ovo dá umidade para a massa, que fica parecendo mais com o pão doce do que com a baguete. E a laranja é porque eu amo aroma de laranja mesmo.
Dá pra trocar a laranja por limão ou tangerina? Dá. Dá pra trocar por algum outro aromatizante como sementes de erva doce? Dá e fica uma delícia. É só usar a base e saborizar como quiser!

Pão doce de laranja

1 xícara de fermento natural*
2 xícaras de farinha de trigo + para a segunda sova
1/4 xícara de água
1 ovo
1 xícara de açúcar
raspas de uma laranja
1 pitada de sal
leite e açúcar cristal pra finalizar

*dá pra trocar por 7g de fermento biológico seco, mas aí os tempos de crescimento mudam radicalmente, então é melhor definir tempos pela aparência da massa.

Misture metade do açúcar com o fermento, o ovo e a água. Adicione metade da farinha e só então acrescente o sal. Vá sovando a massa e acrescentando o restante da farinha, até ela estar macia e elástica. Deixe a massa descansar cerca de 6 horas, em uma vasilha tampada.
Abra a massa ligeiramente, com as mãos mesmo, e acrescente a outra metade do açúcar e as raspas. Sove a massa até que esteja macia e formando bolhas, provavelmente vai precisar de mais farinha para que a massa não fique muito mole*. Modele o pão e transfira para uma forma untada. Tampe, mesmo que na gambiarra, e deixe descansar mais umas 8h.
Deixe o forno aquecendo a 230° enquanto finaliza o pão: pincele com leite e polvilhe açúcar cristal. Asse até que doure. Deixe pra guardar só quando estiver completamente frio.

*Eu tenho uma certa dificuldade em fazer o pão com fermentação natural manter a forma; então eu sempre deixo a massa mais firme do que me pareceria o certo para que ela não desmonte.

——————————-
Em 2015: Limonada de festa

Salvar

Hotteok – Panqueca recheada… de nutella

Uma panqueca que já sai da frigideira recheada (no nosso caso com nutella), e que é bem simples de fazer, a receita de hoje é Hotteok.
hotteok-panqueca-de-nutella-cozinharoman-pt

Hotteoks são típicas da Coreia, onde são vendidas como comida de rua, e normalmente tem como recheio uma mistura de açúcar, canela e nozes trituradas. A primeira vez que ouvi falar nelas foi no site da Tastemade, e elas estavam sendo recheadas com queijo, manteiga de amendoim ou nutella. E claro que a ideia da nutella ganhou meu coração!

Eu já conhecia as tais panquecas recheadas com nutella congelada. Você espalha pequenos discos do creme em uma folha de papel manteiga e congela. Daí faz uma panqueca fininha, coloca a nutella congelada por cima e cobre com mais massa de panqueca. Parece super simples de fazer, mas eu nunca consegui…

Já as (os?) Hotteoks são recheados ainda crus e então fritos. E na minha cabeça isso pareceu muito mais simples! Quando você liga o fogo a panqueca já tá ali, recheada, completa e pronta pra ser frita. Você só precisa amassar ela na frigideira, o que é moleza.
E claro, eu mudei a receita um pouquinho. Primeiro que deveria ser 7g de fermento e eu usei 5g, por motivos de não temos balança. Se tiver vale pesar certinho, senão é só medir meio pacote, já que normalmente eles vem com 10g. E a versão da Tastemade pede parte farinha de trigo e parte farinha de arroz, que eu não tinha em casa. Então foi só trigo mesmo.

hotteok-panqueca-de-nutella

Eu fiquei preocupada de ter mudado muito a textura, apesar de ter adorado o resultado.Então fui procurar outras receitas e achei essa, que também só levava trigo, e com o recheio tradicional. (E cujo post tem uma história bem mais completa sobre essas panquecas, então vale super a visita…) E aí fiquei tranquila, e aproveito pra dar a dica: ignora a farinha de arroz que é mais cara, e as vezes mais difícil de achar.

Uma última dica: dá pra congelar! Essa é uma massa que precisa crescer e pode ser muito demorada pra fazer de manhã logo antes de sair. O truque é: aproveite um dia tranquilo, faça um monte de hotteoks e congele. Depois é só usar o forno, micro-ondas ou torradeira e esquentar/descongelar só a que for comer. Difícil ficar mais prático né?

Hotteoks de nutella – original aqui

5g fermento biológico seco – 1/2 pacotinho
3/4 xícara de água morna
1 3/4 xícara de farinha de trigo
2 colheres sopa de açúcar
1/4 colher chá de sal
1 colher sopa de óleo
recheio – no caso nutella

Misture o fermento com o açúcar e a água e deixe descansar por cerca de 2 minutos.
Enquanto isso junte a farinha e o sal em uma tigela. Misture o óleo na água com fermento e junte essa mistura à farinha. Misture tudo muito bem, até obter uma massa homogênea e meio mole e puxenta. Cubra com filme plástico e deixe descansar por cerca de 30minutos, ou até dobrar de tamanho.

Unte um pouco as mãos e soque a massa retirando todo o ar dela. Divida em 8 bolinhas.
Abra cada bolinha nas mãos, formando um disco com as bordas ligeiramente mais finas que o centro. Isso vai ajudar na hora de fechar. No centro da massa coloque uma colherinha do recheio, no caso nutella, e feche formando uma trouxinha. Com os dedos vá apertando as dobras da trouxinha pra fechar bem e depois enrole a massa novamente formando uma bolinha perfeita de novo.
Repita esse processo com toda a massa. Esquente uma frigideira antiaderente (ou untada com óleo) e frite uma bolinha por vez. Vá apertando com uma espátula até amassar a bolinha em uma panqueca. Repita com todas.

Agora a melhor parte: dá pra congelar (dependendo do recheio, claro). Para isso congele as panquecas em uma bandeja/prato/assadeira e depois guarde em uma sacolinha no congelador. Na hora de comer vale descongelar no forno, na frigideira, no micro-ondas e até na torradeira, se ela tiver a função descongelar.

——————————-
Em 2015: salada refrescante de tomate

Salvar

Pão Cthulhu – drops de Halloween

Primeiro vídeo do Cozinha! E de Halloween!! E inspirado no terror das profundezas, o horripilante, gigantesco e impronunciável: Cthulhu!
(agradecemos se alguém ensinar como que fala isso aí….)

pão verde em forma de polvo para o halloween

Esse pão meio polvo, meio lula, meio ser indecifrável, veio do pão noel de um natal passado. Pois é. Um comentário no facebook mencionou a semelhança da barba com os tentáculos e pronto: receita anotada até o próximo Halloween!
Então dessa vez não tem receita em si por aqui, já que dá pra usar qualquer receita que você preferir. Eu usei o nosso pão simples, apenas acrescentando um pouco de corante na massa. Na dúvida eu sempre escolho ele porque é uma massa que sempre fica levinha e gostosa.

(Se quiser um pão saborizado é só procurar na nossa tag Pães que tem um monte de receita pra escolher!)

Pra ver o passo a passo é só dar play no vídeo aí em cima (que chique escrever isso!), mas sempre bom dar umas dicas né?
– Esse pão ficou parecendo muito mais uma lula que um polvo, pra evitar esse efeito é só usar menos massa na cabeça e mais nos tentáculos.
– Ele ficou um verdinho bem claro, para um resultado mais dark é só misturar uma gotinha de corante preto no corante verde tanto na massa quanto na gema pra pincelar.
– Os olhos foram apenas buracos mas uma opção legal é separar duas bolinhas de massa, colocar cada uma no buraco de um olho e pincelar com gema com corante preto pra dar mais contraste.

——————————-
Em 2014: Minhocas de gelatina
Em 2015: Maçã caramelada de halloween

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Pão abóbora – drops de Halloween

Nem só de receitas especiais vive o nosso Halloween. Hoje tem dica de como transformar qualquer receita de pão em enfeite de mesa comestível e temático!
Pãezinhos de abóbora em formato de abóbora

O maior segredo dessa receita é usar uma massa que você conheça bem e confie. Então escolhi o pão de abóbora que já apareceu por aqui. Podem confiar que ele cresce na medida certa pra manter o formato da mini abóbora! É claro que pra quem preferir um pão de sabor neutro é só acrescentar um pouco de corante no lugar de usar o vegetal em si. Mas gente, vai perder a oportunidade de acrescentar um ingrediente saudável numa receita gostosa?
E pra quem quiser tentar a receita de onde tirei essa ideia, lá no Peaceful Cuisine tem tudo explicado (em inglês ou japonês). A receita dele além de vegana ainda é recheada!
Pãezinhos de abóbora em formato de abóbora

Massa escolhida, é só fazer as abóboras: faça bolinhas com pequenas porções de massa e amarre com barbante. Como se fosse um presentinho, passe o barbante 4 vezes ao redor da massa formando 8 linhas. Mas ó não precisa apertar nada, quando o pão crescer a mágica acontece e fica a marca. Dica extra: para facilitar manipular o barbante passe cada pedaço do fio em um pouco de farinha antes.
Pãezinhos de abóbora em formato de abóbora

Pra finalizar vale aproveitar o forno quente e torrar as sementes da abóbora com uma pitada de sal. Além de deliciosas elas dão acabamento pros pãezinhos já assados, formando o cabinho.

—————————
Em 2014: Guacamole
Em 2015: Monstro de Espaguete

 

Salvar

Salvar